Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Depoimento esclarecedor de quem presenciou fato parecido com o contado pelo Benecy | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Depoimento esclarecedor de quem presenciou fato parecido com o contado pelo Benecy

Luiz Carlos Alves, um dos jornalistas de história das mais brilhantes da imprensa brasileira, escreveu na página dele no facebook:

* “Os que acompanham esta página sabem que raríssimas vezes postei aqui algo sobre o futebol. Quando o fiz foi para homenagear ex-jogadores e sua arte, como recentemente na reprodução de um golaço de Everton, um vídeo a mim enviado pelo Roberto Tibúrcio. Não tenho ido além disso porque não mais estou no dia a dia da bola, embora, depois da aposentadoria, continue acompanhando os noticiários. Tenho recusado ótimos convites para voltar aos microfones e às câmeras, mas meu trabalho como assessor de comunicação de uma grande empresa me satisfaz, mantém a minha lucidez e boas relações interpessoais. No entanto, diante da celeuma provocada pela entrevista do Benecy Queiroz ao programa “Meio de Campo”, do Orlando Augusto (não vi, mas recebi o tal trecho hoje cedo), me lembro que eu não acreditava em compra de juízes, de jogadores adversários, de times inteiros. Aí, ao longo da minha carreira, vieram dezenas de casos que me fizeram crer na existência desse lado ruím do esporte, e não apenas do futebol. Os doppings; a máfia da loteria esportiva; a vergonhosa atuação de Armando Marques contra o Cruzeiro em 1974, tirando o título do time mineiro; a criminosa atuação de José Roberto Wrigth a favor do Flamengo no Serra Dourada, contra o Atlético; o pústula Armando Marques, quando na direção da arbitragem da CBF, dando instruções a um árbitro para não ver certos lances; a vitória da Argentina sobre o Peru por 6 gols, os que precisava na Copa de 78; essas últimas corrupções de todos os tamanhos na Fifa, enfim, dezenas de casos. Ainda bem que o lado bom do esporte prevaleceu. A entrevista do Benecy repercute intensamente porque os meios de comunicação hoje são muito mais numerosos, mais fortes e instantâneos devido à internet, principalmente. Em 13 de dezembro de 1978 a revista Veja publicou um matéria em que fui citado por ter ouvido, do lado de fora do vestiário do Cruzeiro, uma ordem para que Joãozinho ao voltar para o segundo tempo do jogo, caísse na área, porque o árbitro daria pênalti. O árbitro estaria comprado? A Veja, leitura obrigatória à época, quase um milhão de exemplares semanais, publicou. Errou apenas quanto ao tempo de jogo, 40 segundos e não, 40 minutos; e à origem da informação: vestiário e não túnel do Cruzeiro. A repercussão foi enorme, mas ninguém investigado ou punido.
Casos que este sempre repórter viveu.”

https://www.facebook.com/luizcarlosalves13/posts/959522524138357

VEJA2

Capa da Veja citada pelo Luiz Carlos Alves


» Comentar

Comentários:
41
  • Paulo disse:

    Quem sabe a extinção do cruzerin , mas voltaria mais tarde já que mudaram de nome 5 vezes

  • Paulo disse:

    Só resta uma saída p/ acabar com essa desenfreada CORRUPÇÃO.
    Cadeia . Prender todos no xilindró!

  • Paulo disse:

    Parabéns Chico , Você foi o único que levantou essa matéria. As emissoras de rádio e tv, sites e jornais receberam essa matéria e a matéria do Ruy Guimarães e ninguém divulgou. Claro se divulgar perdem seus empregos como muitos já perderam.
    Triste ouvir milton naves, cadu done, joão v. xavier, paulo galvão tratando esse SUBORNO nojento de “causos” Eles estão sendo ridicularizados na imprensa Nacional.

  • DUDU GALOMAIO BH disse:

    Aos que sempre apresentam a costumeira dificuldade no quesito ler x entender, já me adianto:

    -Não penso que somente o Clube Atlético Mineiro tenha sido “roubado” na história.
    -Não estou dizendo que o Atlético nunca tenha sido beneficiado por erro de arbitragem.
    -Jamais diria que somente o Cruzeiro ganhou jogos com “maracutaia”.
    -Em que pese questionamentos sobre um ou outro jogo de campeonato regional, a enormidade de conquistas do Atlético-MG dentro de seu respectivo Estado o qualifica tranquilamente como campeoníssimo de Minas Gerais.

    Já no âmbito nacional, não há o menor registro sobre esquema. Um disse-me-disse rebuscado de 2004, faz vezes da declaração de um empresário revoltado com a não venda do Quirino para o exterior (grana!!!). Este empresário, acusa o Atlético-MG de incentivar com a “mala branca” (premiar com dinheiro em caso de vitória) alguns times do Campeonato Brasileiro. E diz claramente não saber nada sobre “compra do jogo Atlético x São Caetano”.
    Essa questão da possibilidade de compra do último jogo de 2004, foi levantada pela torcida rival, ávida por ver seu inimigo rebaixado já naquele ano. A mesma torcida que não aceita questionamentos sobre o estranhíssimo último jogos dos rivais em 2011.
    Difícil!

  • DUDU GALOMAIO BH disse:

    Muito triste saber que somos sempre feito de “otários”, acreditando nos resultados que saem do campo de jogo (Relembrando Atlético x Flamengo em 1980 e 1981, Atlético x Corínthians em 1999, Atlético x Fluminense em 2012 e Atlético x Corínthians em 2015, dentre outros vários, com outros clubes inclusive).

    E mais triste ainda é ter que ler essas mentes problemáticas, que por ignorância e cegueira clubista ainda ousam se despir de qualquer tipo de constrangimento para defender confissão de crimes no futebol. É o nojo dessa mistura (safadeza de dirigentes + idiotice de torcedores alienados) que nos afasta.

    Bom fim de semana pessoal!

  • humberto disse:

    #O TIME DO ROUBO. O time que já trocou de nome uma dezena de vezes, segundo eles mesmos dizem tem influencia da Itália, este país como todos sabem é o berço de organizações criminosas mais sujas e corruptas do mundo,

  • João Senna disse:

    Meu caro Chico Maia, acredito que a declaração de Benecy nada tenha a que se comparar com essa reportagem que o senhor expôs. Vou fazer uma análise histórica sobre essa reportagem da veja e depois comentar a entrevista do Benecy. 1º- Os atos descritos na reportagem derivam de um fato e de uma narrativa que ocorreram no “calor” da partida. Cruzeiro querendo ganhar, vestiário inflamado, jogadores querendo solucionar o problema e simular Pênalti para resolver o jogo. Até aqui, nada anormal (infelizmente) no futebol brasileiro, é o famoso cai cai. 2º – A “venda” do peixe da imprensa. Ora, sabemos muito bem como uma boa polêmica é muito bem vendida, dizer que “não se sabe exatamente o que aconteceu nos bastidores” é suscitar dúvida e curiosidade no leitor, ou, no espectador, no caso das rádios, é “batata”, uma técnica do jornalismo e da publicidade, o senhor sabe muito bem disso. 3º – “Só cair que o juiz vai dar penalty”, Convenhamos, quantas vezes isso não acontece? Quantas vezes nunca escutamos isso vendo jogos pela TV? Jogo em chamas, juiz pressionado, campo lotado, pressão de jogadores, jornalistas, torcedores e tudo mais o que pudesse enlouquecer a arbitragem – O jogador cai na área e a penalidade é marcada – Gol ! Virada, festa, fim de jogo. Isso é comum, sempre aconteceu e continua acontecendo, estou errado? 4º- O início da reportagem ao que parece, denuncia que o Cruzeiro foi prejudicado por todo o primeiro tempo na partida, ou seja, podemos crer que o Juiz deixou de assinalar coisas importantes em favor do time azul celeste na primeira etapa, gerando o aborrecimento de todos os celestes ao fim da etapa inicial. O que acontece na segunda etapa? A famosa compensação … o juiz marca o pênalti a favor do Cruzeiro. Em resumo, se analisarmos a reportagem de maneira nua e crua, oras, não há nada de anormal, como diria o Skank, “é uma partida de futebol”. Agora sobre o Benecy: A declaração em nada teve a ver com qualquer partida recente, não houve fervor, pressão, e nem se quer estamos próximos a um período animado do futebol brasileiro. Foi uma declaração esdrúxula, passiva de investigação e que em nada tem a ver com outras partidas polêmicas existentes até então. Se ficarmos levantando hipóteses do fundo do baú, acharemos coisas extremamente passíveis de interpretação leviana e dúbia, podendo colocar em cheque toda a história legítima de um povo fiel e identificado à esta instituição. No mais, que seja feita a investigação e que se puna a quem deve se punir caso seja comprovado mesmo tal falcatrua. Mas lembrem-se, o goleiro Victor, extremamente bem articulado e esclarecido, pôs abaixo qualquer possibilidade de envolvimento dos jogadores em seu tempo, enquanto ao Sr. Ênio Andrade, é figura igualmente respeitada por sua idoneidade e serviços prestados ao futebol nacional, nunca relacionado a casos imbecis como o, creio eu, elaborado pelo ridículo Benecy. É isso. Sinceramente, João Senna. Professor, historiador e fundador da Torcida Metalzeiros.

    • Elisio disse:

      Concordo com o senhor e, principalmente quanto à ânsia e ou necessidade de se vender (faturar) a qualquer custo por parte da imprensa (empresas comerciais), que visam única e exclusivamente o lucro. (Se for imediato, melhor ainda).

  • Marcão de Varginha disse:

    Se Benecy foi réu-confesso, porque estão demorando em punir os envolvidos? Rebaixamento, extinção de títulos, suspensão do “delator” e outras providências.
    – Cadê a FIFA, FBI, etc…? Mais sujos que estrume!

  • ronaldo mendes disse:

    Vindo da toca isto e nomal.klkk

  • ronaldo mendes disse:

    Se investigar acha mais sujeira.e so lembrar atlético x botafogo no maraca. Penalte em tcho não marcado…..da lhe simons

  • Marcão de Varginha disse:

    Se estivéssemos no continente de onde surgiu o Cruzeiro, eternamente envolvido em lama, esse clube com certeza seria automaticamente rebaixado à série mais humilde de todos campeonatos que pudesse participar, e os “títulos” conquistados nas décadas de serviço do Benecy seriam todos eliminados, cassados, extintos… alegre-se, radicado celeste mutante: isso é Brasil!

    • João Chiabi Duarte disse:

      Prezado Marcão de Varginha,
      Muito cara de pau você falar que os títulos conquistados pelo Cruzeiro tenham traço de corrupção.
      Benecy deu dados de um jogo fictício e você sabe disto. Quis dar uma de gostoso e de contador de causos e se deu mal…
      Agora quer falar de mala preta, comente o artigo do Carlos Cruz sobre o jogo da última rodada de 2004, com Atlético-MG 3 x 0 São Caetano…
      Bobagem da grossa…
      O ódio atleticano que tentou destruir o Palestra e quase conseguiu é coisa antiga…
      Em 1941, procure saber quem era o órgão oficial de comunicação do Club Athletico Mineiro… depois volta aqui e comente…
      Não adianta a raiva, não adianta querer tarjar com mancha o time de maior CV das Minas Gerais… E não adianta resfolegar, porque, seu time NÃO TEM BI…

      • Marcelo de Andrade disse:

        Resposta do Cosme Rimoli a um comentarista do blog dele. Cabe aqui também.
        “Flávio, você está tão interessado em desviar o foco do escândalo que perde o senso. Você acha que foi bom para os jornalistas mostrar essa história de corrupção? Um dirigente vir a público e confessar que comprou um juiz para que o Cruzeiro vencesse uma partida. E quer pensar que o Benecy está gagá, só para não passar vergonha? Tire essa cabeça do buraco. Enfrente a realidade. Dói. Mas é melhor do que se iludir. Cosme Rímoli…”

  • Marcão de Varginha disse:

    Será se existirão argumentos suficientes que justifiquem as declarações desse recém-herói e réu confesso Benecy?
    – Mancha de série B é mais “suave” que comprar arbitragem, pois, saímos CAMpeões da série B, e o Radicado eternamente será denominado time do roubo, da maracutaia, do arranjo, das emboscadas, da sujeira… sujos eternamente!

  • Marcão de Varginha disse:

    Alguém ainda tem dúvida das declarações do réu confesso Benecy? Para moralizar o futebol brasileiro, que esse vídeo seja exibido à FIFA e ao FBI, para não acabar em pizza!
    – Benecy Forever, meu herói…

  • Marcão de Varginha disse:

    O “4º poder” e o STJD procurarão esclarecimentos do q

  • Audisio disse:

    O caso que mais me impressiona é seo o terceiro colocadocolocado no “campeonato brasileiro” de 1967 disputando em toda sua campanha 2 (dois) jogos.

  • Pedro Ernesto disse:

    Cidinho Bola Nossa ganhou este apelido num jogo contra o Botafogo, foi mais folclore que realidade, alem disso, era atleticano doente, não precisávamos comprá-lo. Problema dele! Parece a insistência dos Azuis com o atleticano Schetino, que presidiu a fmf, num período em que o cru cru ganhou mais títulos mineiros.

  • Claudio disse:

    Só tenho uma coisa a dizer sobre isto: CRU…..ZEI…..ROOOOOOOOOO!!!!!!

  • Igor disse:

    Que pior, eu vi um jornalista torcedor fanático do Cruzeiro, marcar um pênalti contra o América, de tanta cobrança que ele fez no árbitro no entervalo da partida! Detalhe: Com o microfone aberto! Um doce, para quem acertar o nome!

  • Pedro Ernesto disse:

    Pra um time que já contratou 4 selecionáveis caríssimos, da prateleira de cima do futebol brasileiro, pra ver se ganhava o mundial do Borússia; eu não duvido nada.
    Mas a coisa ficou feia mesmo no cru cru, foi de 96 pra cá.

  • Vinicius Campos disse:

    Vale o velho ditado.

    Merda quanto mais mexe mais fede.

    É bem assim.

    KKKKK

  • Fabio Fernandes disse:

    Olá, Chico! Acabou com uma vaidade que durava desde 1921. http://www.euvistoacamisadogalo.com.br/2016/01/acabou-com-uma-vaidade.html

  • Leandro Fábricio disse:

    O que eu sei é que isso será lembrado por muitos e muitos anos, o benecy sem querer arrebentou com a história desse clube de vários nomes, história de titulos temos que admitir, mas também de racismo, time de elite, torcida que não encanta e segunda de Mg, 9 x 2, titulo via fax e a pior agora time do apito amigo também…

    Depois querem dizer que mancha na história é cair pra segunda divisão, caimos sim,caimos como cairam corinthians, vasco, gremio, palmeiras, juventus da itália, milan, river plate e outros que como esses são muito maiores que o time azul calcinha, caimos e subimos com apoio da maior e mais fanática torcida de MG, os titulos que temos foram na base do suor e raça e contra tudo e contra todos, nossos dirigentes tem a fama de bater de frente com cbf e tv, não de culiar com estes, por isso fomos e somos muito prejudicados nesse campeonato brasileiro…

    É enseadenses, é melhor vcs ficarem calados, pra vcs essa é a melhor defesa, a entrevista do benecy está gravado e passará de geração em geração…. não adianta essa mancha também não sairá nunca mais da história de seu time…

    • Geraldo disse:

      Caro Leandro, não seria necessário, mas quando você diz dos títulos conquistados na base da raça e do suor, não precisamos ir longe, basta lembrarmos do que aconteceu em 2013 e 2014. Pronto.

  • Tonho ( Mineiro ) disse:

    So mais um “causo” kkkkk engana que elas gostam !!!! Falar o que ne ??? #TimeDoRoubo VERGONHA !!!!

  • Julio Fslcao disse:

    Que existe, todos sempre desconfiaram, mas um profissional que atua a mais de 45 anos no clube, assumir essa atitude é,no mínimo, motivo para afastamento dele e investigação e punição, se achada a prova, para todos os envolvidos.

  • César Lopes disse:

    Eu como atleticano me pergunto: Como pode um time divulgar nota oficial dizendo que não está em negociação com o atacante argentino Jonathan Calleri e ficar ”calado” nesse caso do Benecy ?
    É muita incoerência e amadorismo dessa diretoria…

  • Mário César disse:

    Chico, no mínimo a metade dos títulos mineiros vencidos por Atlético e Cruzeiro foram conquistados assim, via Cidinho Bola Nossa, Joaquim CóCó, Fuad Abras, além de claro, a compra de jogos pelo azul estrelado. Diante de tudo, só tenho uma coisa a lhe dizer: América, a RESISTÊNCIA de Minas.

    • Pedro Ernesto disse:

      Não se esqueça, que o Mequinha já ganhou o título do apagão sobre o Galo, com acontecimentos muito estranhos e um repórter da Globo que chamou o título de Apagão, foi demitido.

  • Silvio Torres disse:

    Como a maioria já previa, assim como acontece na política, quando a coisa é de um determinado lado, nada é apurado ou criminalizado. Falo com meus amigos atleticanos: já pensaram se fosse o galo?

  • Pedro Vítor disse:

    O Benecy Queiroz vai se enrolando todo no assunto!

    Me lembra o Bruno, quando acusado de mandar matar a Elisa Samúdio:

    Dizia que a moça estava viva!

    Depois de uns 2 anos de cadeia, resolveu assumi!

    Sem qualquer relação com o Bruno, quero deixar bem claro. Benecy usa a mesma estratégia pra jogar a poeira pra debaixo do tapete, resta saber se vai conseguir!

  • Dan disse:

    É impressionante como a história do Cruzeiro é “rica” não? Acabei de ler outro caso desse tipo, em uma coluna de 1999 Tostão afirma que quando jogava no Cruzeiro, a equipe técnica oferecia aos jogadores um café (aditivado). E mais estarrecedor, ele bebeu conscientemente.

    • João Senna disse:

      Meu caro, isso é muito relativo. Maradona jogou a vida inteira dopado. Não podemos ser anacrônicos ! A farmácia e a medicina evoluem e mudam de opinião desde que o mundo é mundo. A coca e a cannabis, bem como o famoso “rapé” (que é tabaco em pó) foram utilizados como relaxantes naturais, remédios para dor de cabeça e outros fins. Logo, esse café “aditivado” do Tostão, podia muito bem ser um “Redbull”. Abraço !

  • Stefano Venuto disse:

    Curiosamente o cruzeiro sempre envolvido. A nota escrita pela diretoria a qual o Benecy foi obrigado a ler, depois de ser encostado do cargos, foi a coisa mais ridículas e constrangedora que já vi na minha vida, sendo que ele havia comentado antes com repórteres, que “falei o que falei e não retiro”.
    Evidente que tem coisas que a gente sempre ouviu falar que existiram, mas a confissão foi sinistra e o remendo foi pior ainda, o Gilvan enfiou a cabela num buraco.

    • Alisson Sol disse:

      Stefano,

      Constrangedor foi outro comentarista do blog levar menos de 1 hora para achar qual jogo era o que sua “fonte fidedigna” apontou como “o tal jogo do Benecy” (link). Editaram um vídeo, mas esqueceram de editar o resto da Internet…

      De novo: O Benecy tem de pagar por tentar passar lorota. Os norte-coreanos alvinegros não suportam competição!