Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

E lá se foi o Zé Carlos, um dos melhores volantes do futebol brasileiro

Da esquerda pra direita, Wanderley, Zé Carlos, Piazza, Pedro Paulo, Brito e Raul; massagista Nocaute Jack, Natal, Evaldo, Tostão, Dirceu Lopes e Hilton Oliveira, um dos melhores times da história do futebol, em 1966.

Obrigado ao Dudu Galomaio que enviou o link da Istoé com a informação da morte do José Carlos Bernardo, o “Zelão”, craque dentro e fora dos gramados. Figura humana sensacional. Segundo os companheiros mais rodados, que tiveram o privilégio de vê-lo em ação pelo Cruzeiro, ele foi um dos precursores da chamada geração dos “volantes modernos”, desses que saem para o jogo, porque têm habilidade para isso. Não fica só na função de “brucutu”, defendendo e dando porrada. Zé Carlos era clássico, raramente apelava para a força física, passe perfeito.
Os últimos anos da vida dele não foram legais, às voltas com o Alzheimer e aperto financeiro. Que descanse em paz, deixou o nome de forma altamente positiva na história.

* “Ídolo do Cruzeiro e do Guarani, Zé Carlos morre aos 73 anos”

Ídolo do Cruzeiro e do Guarani, Zé Carlos morreu nesta terça-feira, aos 73 anos. O ex- volante foi campeão brasileiro pelos dois times, mas teve maior trajetória no clube mineiro, onde também venceu a Copa Libertadores. A causa da morte do ex-jogador não foi revelada.

Nascido em Juiz de Fora (MG), José Carlos Bernardo foi o segundo jogador que mais vestiu a camisa do Cruzeiro, com 633 jogos, entre os anos de 1966 e 1978. Ele defendeu o time mineiro em período importante da equipe, em que foram conquistados títulos como o da Taça Brasil, equivalente ao Brasileirão, em 1966.

Foi também campeão da Libertadores em 1976 e levantou o troféu do Campeonato Mineiro por nove vezes: 1966/67/68/69/72/73/74/75/77. Foi ainda vice-campeão brasileiro em 1974 e 1975. “O Cruzeiro Esporte Clube lamenta profundamente a morte de José Carlos Bernardo, o ídolo eterno Zé Carlos, que nos deixou nesta terça-feira, 12 de junho de 2018”, registrou o clube, em comunicado.

“Todos nós, da família Cruzeiro, manifestamos neste momento de dor o nosso carinho, compaixão e solidariedade aos amigos, familiares e fãs de Zé Carlos, que sempre terá um cantinho especial no coração de cada cruzeirense e dos amantes do bom futebol”, disse o clube mineiro.

Zé Carlos foi revelado pelo Sport Club Juiz de Fora. Após defender o Cruzeiro, ele também brilhou pelo Guarani, pelo qual foi campeão brasileiro em 1978. No início da década, o ex-volante era um dos cotados para representar a seleção brasileira na Copa de 70, mas acabou preterido.

* https://istoe.com.br/idolo-do-cruzeiro-e-do-guarani-ze-carlos-morre-aos-73-anos/


» Comentar

Comentários:
19
  • Flávio Pimenta disse:

    Parabens Chico, te acompanho ha muito tempo, desde as primeiras copas que você participou. Além do noticiario do futebol você dá uma aula informando tudo não só do futebol como também das cidades e detalhes delas. Mais uma vez parabens Chico.

  • João Chiabi Duarte disse:

    Mestre Zelão teria feito o gol do título de 1974 se não fosse o larápio vascaíno Armando da Rosa Castanheira Marques.
    Mestre Zelão teria feito o gol da maior virada da história dos clássicos se aquela falta não parasse no travessão, naquele famoso clássico de 26/11/67 que marcou a minha primeira ida ao Mineirão.
    Mas, eu vi mestre Zelão fazer o Cruzeiro transformar o tripé de meio num quadrado porque ele não poderia ficar de fora do time.
    Eu também vi Piazza virar quarto zagueiro para contemplar todos no time.
    Eu vi mestre Zelão penetrar na área como centroavante e surpreender a defesa do Santa Cruz e marcar o 1º gol da SEMIFINAL do Brasileiro de 1975.
    Eu vi mestre Zelão dar lançamento de 50 m e deixar Joãozinho mano a mano com o lateral e dali para o gol.
    Eu vi Zé Carlos ser cortado por Zagallo junto com Dirceu Lopes e chorei mais que bezerro desmamado, porque ele jogava demais.
    Eu vi Felício Brandi desmontar o time campeão da Libertadores de 1976, confiando em algumas pessoas da imprensa que se diziam isentas (o time estaria velho) e liberar Zé Carlos que foi ser campeão brasileiro de 1978 no Guarani de Campinas naquele time que tinha sob o comando de Carlos Alberto Silva : Neneca, Mauro Campos, Gomes, Edson (Goes) e Cláudio Mineiro (Miranda); Zé Carlos, Zenon e Renato Pé Murcho; Capitão, Careca e Bozó.
    Eu reencontrei mestre Zelão no Cruzeiro na gestão do Dr. Gilvan do Pinho Tavares.
    Eu não pude ir aos funerais do mestre, mas, reconheço que perdi um ídolo.
    Um cidadão do bem, de fala mansa, de espírito humilde, simples…um grande craque. E sei que está nos braços do Criador.
    Saudades eternas do mestre Zé Carlos Bernardo.

  • João Chiabi Duarte disse:

    Meu grande amigo Força Jovem Chico Maia,
    Aquele time que você posta na foto como sendo de 1966 não pode ter BRITO de beque central.
    Afinal de contas, Brito veio para o Cruzeiro em 1970, após a Copa do Mundo.
    Creio que a foto seja do final de 1970 ou no máximo do início de 1971, porque em abril de 1971, Tostão se transferiu para o Vasco.
    Então, por eliminação, diria que esta foto é deste período antes da partida contra o Santos em 1971, porque depois deste jogo Evaldo rompeu tíbia e perônio e não mais atuou…
    Com tempo vou pesquisar nos meus alfarrábios e dizer de que jogo exatamente é esta foto.
    Mas, de 1966, não é mesmo.
    Raul, Pedro Paulo, Brito, Piazza e Vanderlei;
    Zé Carlos, Dirceu Lopes e Tostão;
    Natal, Evaldo e Hilton Oliveira.
    Um dos melhores times que o Cruzeiro teve em sua história.

  • DUDU GALOMAIO BH disse:

    Não o vi jogar. Mas as referências são ótimas e nas entrevistas que vi, sua simpatia e simplicidade nos fazem o respeitar apenas pela pessoa que era, ainda mais sabendo que jogou tanta bola, independente da camisa.

    • João Chiabi Duarte disse:

      Dudú,
      Um dia tive o privilégio de fazer um vôo de 11 horas entre Londres e Rio de Janeiro ao lado do Toninho Cerezo, que voltava para o Brasil.
      Conversa vai e conversa vem ele me conta que mestre Zelão era terrível.
      Do tipo que batia e escondia a mão.
      Que beliscava o tornozelo dele o jogo inteiro.
      Jogava muita bola, tinha categoria impressionante, a voz era mansa, mas, era segundo Cerezo o pior adversário entre os meio-campistas que ele enfrentou, porque além da técnica e experiência, sabia ENERVAR os adversários.
      Eu o vi jogar até de centroavante no Cruzeiro.
      Jogava demais.

  • Ed Diogo disse:

    Ainda bem que eu também o vi jogar era Divino só que viu e que pode dizer
    Meus sentimentos aos familiares

  • Marcão de Varginha disse:

    Meus sentimentos aos familiares, amigos e colegas…

  • Carlos Henrique disse:

    Grande Zé Carlos junto com Clodoaldo, foi o melhor volante
    que vi jogar, no mineirao VI JOGAR VARIAS VEZES
    depois ja no sul de minas vi de pertinho no Guarani, ONDE FUI VER UM JOGO
    jogava demais

  • Carlos Henrique disse:

    Grande Zé Carlos junto com Clodoaldo, foi o melhor volante
    que vi jogar, no mineirao VI JOGAR VARIAS VEZES
    depois ja no sul de minas vi de pertinho no Guarani
    jogava demais

  • Robinho Ferreira disse:

    ídolo eterno!! O Zé Carlos ajudou E MUITO a construir o Cruzeiro que temos hoje. Dedicou DÉCADAS ao Cruzeiro.
    Lembrem-se dele sempre com respeito e muito amor.
    Quem é amado, jamais desaparece!
    #ZeCarloseterno

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Triste notícia.
    Infelizmente não o vi jogar. Mas meus pais me falavam muito dele. E as referências que sempre tive, eram de se tratava de um grande jogador realmente, que fez parte daquele grande time do Cruzeiro que marcou história.
    Que Deus conforte os corações dos familiares !!

  • José Eduardo Barata disse:

    Gente , eu o vi jogar .
    E jogava demais da conta .
    Sereno , craque ao estilo do
    Ademir da Guia , o Divino .
    Como sempre gosto de trocar
    algumas ideias com o JBCRUZ ,
    hoje em dia fica difícil a gente se
    encantar com os jogadores que
    defendem nossos times , tendo
    tido a alegria de ver escalações
    como esta aí de cima .
    Imagine , CRUZ , quem vibrou e
    torceu para um Zé Carlos ter que
    gastar garganta com Bruno Silva.
    De nosso lado também falta essa
    qualidade , não é mesmo ?

    • jorgemoreira disse:

      Voçê que é das antigas conseguiria imaginar um meio campo com, Zé Carlos, Ademir da Guia e Falcão, este Barata seria o meio campo do time dos meus sonhos no Clube Atlético Mineiro, eu o conheci na decada de 60 la no outro time pois tinha um amigo(que a muito não vejo)Wilson Almeida aquele que provocou o penalti no primeiro classico do Mineirão, e sempre encontarva os dois e mais o Dalmar tambem de juiz de Fora, o Zé era diferente de tudo, classico e calmo até na humildade de sempre conversar e dar atenção a quem se dispuzece a falar sobre uma das coisas que ele mais gostava que era falar de futebol, eu as vezes recebia pedidos de amigos para indicar a fazer testes em times da capital e ele sempre me falava voçê viu grnades jogadores e sabe bem o nivél de jogadores que eu gosto de ver jogar e por incrivél que pareça conseguil levar alguns destes filhos de amigos ao seu tambem amigo Lito la no Villa Nova, Vai deixar muitas saudades pelo grande ser humano e bom jogador de futebol que foi

      • José Eduardo Barata disse:

        JORGE MOREIRA ,
        eu faria um quadrado e “botava”
        o Cerezo por aí .

        • jorgemoreira disse:

          Desculpe por ter feito alguns comentários(como respostas a voçê ok) é que não gosto de entrar na casa(espaço dos outros) más realmente o quadrado ficaria fantastico com estes jogadores , eu cheguei a comentar com o Zá Carlos sobre este meio campo(isto a 22 anos atrás) e ele com o sorriso dos humildes me perguntou quem iria correr pra marcar? eu lhe respondi voçê Zé erra muito pouco o Ademir quase não erra e o Falcâo faria facil a cobertura dos laterais, ele deu mais um sorriso é no papel e na imaginação dos torcedores realmente fica facil, Desculpe por ter me alongado e espero que tenha entendido o meu comentário resposta a voçê

    • J.B.CRUZ disse:

      CARO JOSÉ EDUARDO BARATA:
      Só Poderia vir de Você ( Nobre Rival), um Reconhecimento tão Gentil e Merecido Sobre a Pessoa de JOSÉ (ZÉ) CARLOS BERNARDO; Um Entre Muitos ÍDOLOS ETERNOS do CRUZEIRO ESPORTE CLUBE…Em Nome de Minha Família; e como Torcedor Privilegiado que Viu TODOS Jogos de ZÉ CARLOS no MINEIRÃO (Alguns em outras praças); desde sua Chegada Em Meados da Década de 60, até sua ida para CAMPINAS, onde Também Foi CAMPEÃO BRASILEIRO; É que, mesmo em Tempos Sombrios em que Vivemos,Onde a SOLIDARIEDADE; O PERDÃO; A REDENÇÃO; O RESPEITO ao PRÓXIMO, São Sentimentos Cada mais escassos nos dias atuais; Ainda Podemos Respirar Profundamente e Dizer : A VIDA AINDA VALE A PENA !!!..
      A FAMÍLIA DE JOSÉ CARLOS BERNARDO; SENTIMENTOS DA FAMÍLIA CRUZ…
      CRUZEIRO SEMPRE !!!…

    • Renato César disse:

      Uma coisa é torcer para um time específico. Outra coisa é gostar de futebol e apreciar, independentemente da camisa, idade e até sexo. Infelizmente não são todos que, como nós, entendem isto.

      Não tive a oportunidade de vê-lo jogar, mas reconheço seu valor na história do futebol. Esta geração celeste sem dúvida alguma jogou muita bola.

      Meus sentimentos à família, amigos e fãs!

  • Helio Antonio Corrêa disse:

    É, e la se foi o grande JOSE CARLOS BERNARDO.
    O consolo, é como disse o PROCÓPIO, “o céu está em festa com a chegada dele, e aqui ele estava sofrendo muito”
    Eu o conheci pessoalmente e muito, nos anos 70, logo que surgiu a loteria esportiva, o governo franqueou aos jogadores da seleção nacional, o direito de explorar-la, aí o Meste Zelão, abriu uma loja na Rua Itajubá com Maria Inez, o (o prédio existe até hoje) , como a farmácia do meu pai , era em frente, ele quando não estava jogando ou concentrado com o Cruzeiro, ficava em sua loja lotérica, ele sempre atravessava a rua e ficavamos na farmacia uma renga de amigos comuns batendo papo.
    Ele com aquela voz mansa e sempre calmo, quase sempre quem aparecia por lá era o Natal, aí era uma algazarra só. bons tempos.
    Que Deus conforte a familia, nós vamos sempre nos lembrar do grande jogador que foi e do ótimo amigo que perdemos. Vá com Deus MESTRE ZELÃO.

  • Pedro Vitor disse:

    Meus sentimentos aos amigos e familiares, que Deus o abençoe e receba!

    A todos um dia é chegada a hora!

    Jogou demais mesmo!