Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Êh Galo! 112 anos. E foi assim que virou paixão, até morrer! | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Êh Galo! 112 anos. E foi assim que virou paixão, até morrer!

Mineirão, 1969: Vander, Mussula, Vanderlei Paiva, Grapete, Normandes e Cincunegui; Ronaldo, Amaury Horta, Dario, Lola e Tião.

Ganhei este cartão postal (isso, cartão postal, lembra?) quando era quase adolescente e guardo-o até hoje. O time já não existia, mas virou “cartão postal”, que até nos tempos atuais é possível encontrar em alguma loja de souvenir, ou “armazém” do interior de Minas. Não o vi em ação, mas a história conta que foi um timaço, que entretanto, entrou para a história por não ter conquistado nenhum título. Topou com a máquina do Cruzeiro, no início da era Mineirão. Aí está o enigma dessa loucura pelo Galo, cuja massa ama a instituição independentemente de qualquer coisa.

É Impossível descrever com exatidão o sentimento de ser atleticano. Mas é fácil de entender quando nos recordamos de como nos tornamos “do Galo”. Ou, quando ouvimos alguém contar como foi o seu primeiro contato com essa paixão. Procurei ontem à noite e hoje cedo, um disco (vinil) que ganhei do meu pai, com o Hino do Clube Atlético Mineiro. Era um “compacto simples”, com o hino no lado A e um hino extra-oficial de Belo Horizonte no lado B. Creio que a gravadora era a Bemol. Mas, há coisas que guardamos tão bem, com tanto carinho, que acabamos não nos lembrando onde estão, quando mais precisamos. Já já encontro e mostro aqui.

Interessante é que o meu saudoso pai, Vicente Barbosa Duarte, não era atleticano, mas a irmã mais velha dele, Tia Geralda, era, até o último fio de cabelo, e impunha as suas idéias de tal forma, que raramente alguém a confrontava. No futebol, jamais. Ela enchia os sobrinhos de presentes do Galo. Meu pai, simpatizante do Cruzeiro, mas vendo que seria difícil me convencer a mudar de time, num belo dia apareceu com este disco lá em casa. Era o brinde do Clube Atlético Mineiro que me faltava. Isso aos quatro para cinco anos de idade. Que prazer, que saudade do meu pai, do respeito dele pela minha vontade de ser Galo, da minha tia, enfim…

A partir dali, até morrer!

Na foto no alto do post o zagueiro Vander estava no time, porém improvisado na lateral direita, já que o titular da posição era Humberto Monteiro, que está aí, no jogo de botão.


» Comentar

Comentários:
9
  • Mauricio Souza - Serrano disse:

    Não é só o time do lado de lá que muda de nome, aqui também, tem uns participantes cruzeireiros que mudam de nome a todo comentário

  • Marcelo Vieira disse:

    Vixi, o Corujão Azul voltou com um monte de nomes.

  • Luiz disse:

    Chico Maia
    Bela história. Lembro muito desse time. Meus primeiros jogos no Mineirão.Time de raça e o craque era o Lola. Quebrou a perna num jogo contra o Santos que ficou 2×2. Foi o melhor em campo até se machucar. Pelé e Cia sofreram. Minha história alvinegra se deve a um cunhado que virou cônsul do Galo. Minha família tem umas cem pessoas e , tirando os agregados, é cem por cento atleticana. Torcer para o Atlético é padecer no paraíso. Parabéns ao galo e a todos nós, alvinegros.

  • Silvio T disse:

    Caro Chico, esse time foi campeão mineiro no ano seguinte. Fico na dúvida se com o Mussula ou o Careca no gol. E foi a base do Campeão Brasileiro de 1971. Aliás, olhando a foto a gente percebe porque o Mussula falhou em tantos clássicos decisivos. Ele era baixo para um goleiro, menor que vários jogadores de linha. E naquela época ganhar o clássico era praticamente faturar o título do estadual, que valia muito. Esse time ainda fez história vencendo as seleções da Iugoslávia, União Soviética, Brasil e Romênia e empatado com a Hungria. Outro fato espetacular dessa equipe foi que Dadá Maravilha fez 58 gols nesse ano! Foi o recorde da carreira dele. E ainda tem “jornalista” que diz que o Peito de Aço só foi convocado para a seleção por causa da ordem de um ditador. Qual seleção poderia ignorar um artilheiro desse tamanho?

  • Marcão de Varginha disse:

    Como já bem disse o jornalista Chico Pinheiro ( sic) “… não somos torcedores, somos Atleticanos!”.
    – Galo, razão-maior das alterosas, eternamente!
    – O sentimento aumenta sabendo que até hoje, aniversário de 112 anos, esse clube não comprou arbitragens de forma oficial!
    – Parabéns, Galo: de BH para mundo!

    • Claudio disse:

      Uai?
      Oficial?
      Peraí….
      ???
      Registrado em cartório?
      É…
      ???
      Emoji de questionamento estupefato…
      Marcão (este é seu nome mesmo), muito bacana sua paixão pelo time que você escolheu, mas sua paixão só aumenta por conta disso? Por saber que não comprou arbitragens? Será? Num mundo de capitalismo exacerbado, por quê será que não conseguiu comprar? Oferta menor que do concorrente?
      Calma que os podres de todos aparecerão.
      Olha, nasci cruzeirense, morrerei assim, mas nunca que serei mais, nem menos por conta de pessoas que passaram pelo meu Clube, até porquê, não tenho poder para dizer quem entra ou sai do poder.
      Quer fazer seu time ser/parecer grande, não tente diminuir o meu.
      Nem o dos outros 7.999.999 de torcedores.
      Parabéns Atlético Mineiro, patrimônio de MG!
      Torcerei sempre contra, mas quero você grande, para que minha Vitória sobre você demonstre que o meu Cruzeiro é ainda maior.

      • Marcão de Varginha disse:

        Sim, oficial! Não sou tão ingênuo, nem conivente como grande maioria dos simpatizantes azulinos, para não saber que o “negócio” futebol é manipulado; acredito que não existe clube algum 100% honesto, que às escuras podem fazer seus arranjos, mas a sua instituição radicada nas alterosas é que assumiu publicamente ter “comprado” arbitragens, e todos vcs sabem quem foi que afirmou isso.
        – Entenderam agora, ou quer que desenhe? Acha ruim esfregar isso na sua cara? Simples: questionem o autor, fiquem à vontade. Eu apenas reproduzo o que ele próprio declarou por espontânea vontade!
        – Não penso como vc: eu queria seu time na segunda divisão, mas agora quero-o na série C, depois na D com pires na mão e em seguida a bancarrota, de preferência no mais curto espaço de tempo possível.
        – #benecyeternomito

      • Eduardo Silva disse:

        kkkk rindo até o galo ser bicampeão…kkkk isso também é conhecido como “ato falho” !! Tem como apagar??

        Mas, caro Claudio, sinceramente NÃO gostei dessa sua reprimenda ao juvenil de Varginha! E utilizo o argumento do nobre articulista Claytinho do Nova Vista: _Ai você tira o único argumento que o cara possui, deixa ele…. kkkkk

        Eu fico pensando que os dirigentes tanto de Cruzeiro como do Atlético devem perguntar a seus aspones o que os torcedores estão escrevendo nos blogs esportivos e o cara fala que estão preocupados falando até hoje do Bemecy, ai o dirigente pensa: _Beleza, enquanto eles estiverem pensando assim vamos tocando nossos “negossos onestos” aqui….

        Então fica combinado, ninguém conta pros desavisados!