Warning: "continue" targeting switch is equivalent to "break". Did you mean to use "continue 2"? in /home/blog/www/wordpress/wp-includes/pomo/plural-forms.php on line 210
Um convite à razão: Independência pode representar início de mudança de comportamento | Blog do Chico Maia

Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Um convite à razão: Independência pode representar início de mudança de comportamento

O Flávio Azevedo, sempre presente no blog, levanta um assunto que parece utopia quando se fala de Brasil, mas ele tem toda razão.

É preciso falar mais em civilidade, num país que, se cresce econômicamente, tem obrigação de crescer também cultural e socialmente.

Confira:

“Chico,

não podemos deixar passar a oportunidade de iniciarmos no Brasil, campanha para o público comportar-se dentro e fora do Estádio.

Para pedir que a pessoa saiba utilizar um local não é colocando grades, vidros, alambrados.

Gente, porque na Inglaterra não temos isto?

Óbvio que sei dos problemas que eles tiveram lá e educando e punindo quem não respeita o espaço de cada um, consertaram.

Aqui é diferente? O brasileiro será tratado como se fosse um chimpanzé até quando?

O Independência está prontinho para ser o marco Inicial de novos tempos. Invadiu? Pune e deixa sem acesso aos estádios.

O Engenhão tem o fosso que é proibido pela Fifa. O Independência será um ponto turístico durante a Copa em 2013 e 2014 e teremos fotos de enjaulados, pelo mundo.

Poxa, fico triste demais quando vejo as crianças, seguindo seus pais, e assistindo aos jogos de pé em cima das cadeiras. A imprensa, polícia, funcionários do estádio deveriam fazer campanhas educativas pedindo para usar adequadamente os bens públicos.”


Deixe uma resposta para Fernando Cancelar resposta

Comentários:
16
  • Fernando disse:

    muito boa esta discussão. ao inves de ficar discutindo que e o melhor ou pior time melhor discutir nosso interesses diretos. os clubes estão nas mãos do empresários e dirigentes.

  • Marcus Vinicisu Bragaglia de Montenegro disse:

    EDUCAÇÃO E ÉTICA JÁ.

    Como bem disse a Cau, para mudarmos a educação no nosso Brasil, décadas e décadas serão necessárias., mas em termos do assunto futebol, o que realmente precisamos é de dirigentes e jornalistas éticos, sérios, honestos, que deixem a paixão de lado e não induzam seus torcedores a violência.
    Digo isso e cito o que o “jornalista” Fred Costa(acho que é esse nome mesmo) pois nunca tinha ouvido falar e muito menos me lembro de ter lido alguma coisa dele.
    Fiquei sabendo através de amigos que leram o que postou .
    Eis o que ele postou: ” o torcedor americano deveria deitar e acordar atleticano” além de dizer que o time é mediocre.
    A ética passou longe de torcedor jornalista. Isso e mais as falácias que dirigentes falam na mídia, ávidas por notícias infundadas para vender jornais e revistas ou mesmo captar mais ouvintes, faz com que a violência entre as torcidas aumente consideravelmente, extrapolando o que deveria ser uma confraternização saudável.
    Hoje eu estou diminuindo minhas idas ao estádio. Não sei o que leva um torcerdor a ofender o outro por estar com a camisa de seu time. Quarta no jogo contra o Boa Vista, ficamos presos num engarrafamento e vários motoqueiros passaram pelo nosso carro e qdo viam as camisas já soltavam palavrões e ofensas.
    Copa do mundo chegando. O que iremos oferecer para os olhos do mundo?
    As autoridades estão preocupadas com 2013, 2014 e 2016, mas nós torcedores que estamos sentindo o problema aumentando a cada dia, pedimos uma ação conjunta.
    Chico, espero que voce, que sempre nos atende da melhor maneira possível, compre a nossa ideia para colocar aqui na coluna e nos jornais que escreve, uma campanha de paz nos estádios e convivência tranquila entre os torcedores.
    Abraços e saudações alvi verdes

  • bessas disse:

    Educação e punição.Não tem outra forma. Não acredito em seleção através de preços mais caros dos ingressos,ou o belo horizontino ficou rico de uma hora pra outra?? Se acontecer a seleção através de aumentos abusivos dos ingressos correremos o risco de ter elefantes brancos. A iniciativa privada colocou dinheiro nos estádios vai querer jogar com casa vazia? Fora do sócio torcedor o preço médio de um ingresso no mineirão ou Independência terá que ser no máximo R$40,00, se for além disso com certeza os administradores terão casa vazia e prejuizo na certa na maioria dos jogos. Neste cenário pós copa que está se desenhando o torcedor trocará o futebol por outra coisa.

    Ps: AH, e nem resaltei os campeonatos estaduais falidos,baixo nível técnico das partidas.

  • Raws.BH disse:

    Punição e educação já, opa! Para isso é preciso reformular o sistema de ensino e triplicar o salario dos professores, também é preciso
    triplicar o numero de vagas nas cadeias, opa! Para isso é preciso administrar e distribuir melhor o dinheiro público, opa! Para isso precisamos de bons políticos nos respectivos cargos, opa! Eu disse políticos, PUNIÇÃO E CADEIA JÁ, PENA DE MORTE JÁ, PRISÃO PERPETUA JÁ, EXTRADIÇÃO JÁ, opa! Eu falei extradição? não vai dar pois nenhum país(exceto o nosso) importa lixo.

  • Cau Oliveira disse:

    Boa noite pessoal!

    Em breve, uma série de eventos grandiosos do meio esportivo estarão acontecendo em terras tupiniquins… estaremos recebendo a copa do mundo em 2014, os jogos olímpicos em 2016 e isso é bom para a economia formal e informal.

    Já há um aquecimento em vários setores, inclusive na construção civil. Mas até para estes trabalhadores, a vida não é bolinho, tem que saber, tem que se preparar… não é fácil medir areia e cimento, eu não sei e tem muita gente com títulos e altos cargos que também não sabem. Porque digo isso? Simples. Até para trocar o pneu de um carro a gente tem que saber fazer.

    E com que argumento eu posso dizer que os eventos esportivos serão bem sucedidos, se hoje o Brasil ainda tem 535 mil crianças fora da escola, das quais 330 mil são negras? Vocês acham que até 2014 a educação vai acordar, se reestruturar e educar crianças, jovens e adultos? Vocês acham que nossos políticos irão se comoverem a ponto de tirarem dos seus salários e investirem nas Ongs e nos projetos sociais?

    Me desculpe, amigo Flávio Azevedo, se não jogo confetes no nosso governo que por décadas vive em completo descaso com a educação pública… mas eu acredito muito mais nos projetos sociais do que nos políticos. Exemplo disso são os torneios de futebol amador.

    Para quem não teve oportunidade de ir, convido, vá! É uma volta aos anos 50. Uma Ode ao futebol sem dinheiro, sem ganância, sem acessores de acessores… Futebol puro jogado por gente que tem o coração puro. E em campos sem nenhuma ou com pouquissima infra estrutura.

    Convido a todos vocês a conhecerem o Campo do Inconfidência, no bairro Concórdia. Vila humilde onde as crianças burlam o tráfico através do futebol e das artes, com a ajuda de mãos caridosas de pessoas que como eu acreditam que podem fazer a diferença, ainda que solitariamente.

    Me estendi por demasiado, mas espero ter despertado em vocês, senão a compaixão pelos moleques que buscam no esporte o desafio de afastarem do domínio das drogas, melhorarem de vida e condição social, pelo menos espero deixar a consciência de nas próximas eleições, os senhores possam votar com dignidade e sem medo. É o seu voto que irá mudar a educação, a saúde e a liberdade de poder sair com a camisa de seu time sem ser agredido na rua.

    Obrigada pelo espaço.
    Cau Oliveira.

  • flavio azevedo disse:

    Pedi para o Chico dialogar sobre este assunto porque passou da hora de vermos comentários como, não vou ao estádio porque as pessoas não tem respeito, educação! Com uma campanha Educativa, diariamente, com certeza conseguiremos melhorar o convívio das pessoas, com cada um respeitando os outros. Não levar a esposa, namorada, filhos aos estádios por causa de violência? Os impostos que pagamos serve para que? Precisamos dar o primeiro passo e degrau a degrau MELHORARMOS o ambiente do Futebol, o esporte responsável por aglomerar o maior n[úmero de pessoas que se interagem, convivem em locais públicos abertos a todos! Que os jornalistas que acompanham o Blog do Chico Maia, utilize do espaço e abram junto conosco a Campanha:

    “Estádio de Futebol um espaço de lazer para todos!”.

    Obrigado Chico, pela abertura do espaço e por dar o primeiro passo para lançar a idéia!

  • Tudo é questão de berço, berço, berço…

  • Rodrigo AR disse:

    O preço do ingresso vai subir e isso é fato. Pelo menos nos jogos do Galo. Lei da oferta e da procura.

    O futebol no Brasil depois da Copa também será menos do povão e sim da classe A, B e C emergente disposta a se sacrificar ainda mais pelo ingresso. Público parecido com o que temos hoje em Confins.

    E será assim não por preconceito de classe social. Mas os administradores do futebol vão querer lucrar não só com os ingressos mas com o consumo dos torcedores. O tropeirão outrora delicioso e hoje uma farofada já vai tarde. Ou que evolua. Comer só com uma colher de plástico é coisa de quem precisa de gradil mesmo.

  • Alisson Sol disse:

    Eu acho que todo mundo falou coisas corretas.

    Primeiramente, é preciso corrigir uma impressão errada que as pessoas tem em relação aos hooligans. As brigas de hooligans sempre ocorreram fora dos estádios. Até hoje ocorrem. Só que há um acordo com os orgãos de imprensa na Inglaterra: não se noticia as brigas como relacionadas ao futebol. É o poder da Liga de Futebol Inglesa. Se um orgão da imprensa, seja Internet, TV, jornal ou rádio, quer ter acesso aos jogos da liga, tem de se submeter às regras. Seria o mesmo que, por exemplo, a notícia de uma morte na estação de ônibus em Venda Nova que ocorreu há alguns anos no horário de uma partida não poder citar que a pessoa que morreu estava com a camisa do Cruzeiro, e os que o atacaram com a camisa do Atlético-MG. Por um lado, é quase uma censura da imprensa. Por outro lado, evita a “continuação da briga”.

    Segundo, o ingresso de uma partida de futebol tem hoje na Inglaterra o preço médio de 50 libras. É definitivamente um mecanismo de seleção do público.

    Agora, o principal é o que algumas pessoas citaram: a educação. Tanto na Inglaterra quanto em outros países, a educação é literalmente “forçada” pela frequente lembrança das consequências. Em todas as partidas há avisos de que, se o seu comportamento for denunciado, você será removido. Há alguns meses eu fui a uma partida de futebol nos EUA (onde vende-se bebida normalmente durante a partida). Um sujeito umas 3 filas à frente se deu ao luxo de falar um palavrão. Demorou exatamente 2 minutos para a polícia do estádio chegar e remover o indivíduo. Há um número de telefone anunciado frequentemente no telão para você denunciar via mensagem de texto o assento do “mal-educado”. Basta isto, e anonimamente as pessoas o fazem, e os que “passaram da conta” são removidos. Simples.

  • J.B.CRUZ disse:

    HENRIQUE e JEAN, esmiuçaram tudo em 2 excelentes comentários…..Mais atual impossível !!…

  • Jean disse:

    Temos que deixar de ser hipócritas. Está na cara que pessoas de menor recurso financeiro tbem é desprovido de educação. Basta ir a um shopping luxuoso e a um popular e constatar. Faz parte da criação e do meio em que a pessoa vive. Pelo menos é assim aqui no Brasil. Portanto, o preço do ingresso com certeza seleciona o público. Vá a um show caro no palácio das artes e a um de graça na praça da estação e vamos constatar a realidade. Povão é povão, infelizmente, o resto é demagogia pura.

  • clauber disse:

    Henrique, boa tarde. Pelo que demonstra voce mora na Inglaterra. Sua argumentação que a diminuição da violencia se deve ao fato de preços altos e com isso os baderneiros não vão. Como explicar as várias brigas ocorridas em outros paises europeus causados pelos “hoolingans”.

    Quando se envolve a questão financeira fica parecendo que somente os menos afortunados são vandalos, vagabundos e outros adjetivos. Eu acredito que a diminuição da violência se deve principalmente as punições e principalmente uma educação mais efetiva, inclua no conceito de educação alem de conhecimento também a questão moral.

    Caso tenha o conhecimento das normas de punições inglesas para invasao de campo, agressão e outras questões, favor nos passe para que possamos visualizar um cenário mais verdadeiro.

  • Edmar Trindade disse:

    É por isso que não vou ao Estádio você chega no campo entra e quando começa o jogo você simplesmente não ve o jogo. Todos ficam de pé isso quando o sol de rachar (Arena do Jacaré) te impede de ficar a vontade nas arquibancadas.Sou mais comprar o jogo e asistir em casa com todo o conforto posso tomar uma cervejinha não tem ninguem na minha frente sem sol de rachar.Torcedor não seja idiota é só vc não ir ao estádio assista num bar em casa se vc mora em prédio divida o pay per view com seu vizinho e vc ganha muito mais.Já esta mais do que provado que os dirigentes de futebol não vão mudar o que esta ai então cabe a nós não ir ao estádio. É a lei da procura se todos parassem de ir ao campo os dirigentes e governo fariam melhorias nos estádios. Torcedor a razão do futebol ainda somos nós abra os olhos e cobrem seus direitos com inteligência!!!

  • Leonardo disse:

    Querido Chico,

    lá na Inglaterra a primeira coisa que fizeram foi definir as punições. Lá o cidadão sabe que se invadir o gramado tem a certeza de ser punido, tem educação? Lá tem, mas junto a educação vem a punição. Em Nova York a tolerância 0 é que o cidadão tem a certeza de que vai ser punido se caso cometa algum delito.
    O que eu tiro disso tudo? É que, enquanto não tivermos PUNIÇÃO, somente educação não vai adiantar. Nós não somos suíços que deixam os carros abertos na rua e voltam sem ter problemas, ou seja, lá tem pouca punição porque o povo JÁ FOI educado, já é cultura não infrigir os Direitos Humanos.
    É um processo de evolução, primeiro punição, depois punição e educação e depois educação. Aqui o “pessoal” quer que o brasileiro tenha educação sem punição. Nós não temos evolução pra tal entendimento.
    Um abraço………

  • Henrique disse:

    Na Inglaterra não temos isso,por que quando os vidros foram tirados,os preços subiram absurdamente……São preços caríssimos.

    Quando você sobe os preços,já desanima aquele cara baderneiro,que vai com a intenção de caçar confusão

  • André Rosa disse:

    Educação, meu caro! É o que falta ao povo brasileiro… infelizmente!