Quando a irresponsabilidade cobra a conta

30 de janeiro de 2015 às 05:32

Nos primeiros meses de 2014 o Botafogo contratou vários jogadores caros, inclusive o Emerson Sheik, e causou estranheza a todo o mundo do futebol, já que as informações davam conta de que a situação financeira do clube era das piores entre todos os grandes brasileiros. O presidente Mauricio Assumpção, nem aí e só gastando, aumentando o tamanho do problema. E não há milagres. De repente, um clube que estava no buraco “vira o jogo” e sai contratando. Aparece um “mecenas” com um saco de dinheiro, paga as dívidas e compra um time inteiro, mais os reservas. Normalmente, debaixo desse angu tem carne e a história sempre termina sem final feliz.

BR

Veja estas notas na coluna Painel FC, da Folha de S. Paulo de hoje:

* “Bico. Em reunião realizada nesta semana, funcionários do Botafogo relataram ter ouvido de dirigente que era melhor eles conseguirem alguns “bicos” para ganhar dinheiro porque a situação financeira do clube é crítica.

Mesma situação. Outro clube na mira do sindicato é o Vasco, que segundo o órgão tem dívida de quatro meses com seus funcionários.

Pobre. A crítica situação financeira da Portuguesa fez com que o clube não tivesse dinheiro para enviar correspondência para convocar seus conselheiros para uma reunião extraordinária, realizada no dia 23 de janeiro.

Sem fio. A solução foi enviar e-mail para aqueles conselheiros que tinham seu correio eletrônico registrado no clube e fazer o tradicional “boca a boca” avisando que haveria o encontro.

A dívida. O conselheiro palmeirense Antonio Carlos Blanes, que questionou Paulo Nobre na reunião do Conselho Deliberativo na segunda (26) sobre o fato de ele ter comprado atletas, disse que o cartola deixou de responder se do valor total da dívida do clube com ele, de R$ 160 milhões, serão abatidos os R$ 43 mi colocados para contratar seis jogadores em 2014.

A dúvida. “Também perguntei se ele não via problema em ter direitos econômicos de jogadores sendo o presidente. Ele respondeu que não”, afirmou Blanes.”

Estádio do Galo: parece que agora sai do papel!

29 de janeiro de 2015 às 08:25

Sexta-feira passada tomei um café com o Dr. Rodolfo Gropen, uma das pessoas mais importantes nos seis anos do Alexandre Kalil à frente do Atlético, e que continua na mesma função com o Daniel Nepomuceno. Ele estava indo para uma reunião da cúpula alvinegra com representantes de grandes empresas nacionais e estrangeiras para dar sequência ao projeto do estádio do Galo.

Agora há pouco recebi  este e-mail do também advogado, não menos brilhante, Stefano Venuto Barbosa:

* “Prezado Chico,

advogado também tem fontes, te envio aqui, as telas da PBH, do processo de construção do Estádio do Galo, em parceria com a MRV, realmente a coisa tá andando, não é igual o papo do Perrela, que prometia o estádio com o grupo português toda vez que o time estava mal. Está em fase de licenciamento ambiental, o trecho é longo, mas a história é verdadeira.  O local é um terreno no Bairro Califórnia e que o pessoal já está chamando de “Kalilfornia”.

Abração

Stefano Venuto

PBH 1- – -

PBH2- – -

PBH3

- – -

Tomara que agora este sonho se torne realidade!

- – -

E o Alluy Ricardo escreveu:

* “Chico, favor dar os créditos desse furo de reportagem ao nosso colega Matheus Castro, que obteve exclusivamente e postou na comunidade do Galo os andamentos da licitação. O Stefano Venuto é um brincalhão kkkk Abraço”.

https://vk.com/topic-77095031_31254076?offset=0

PVC explica o motivo da queda no estúdio da Fox Sports no sábado

29 de janeiro de 2015 às 05:41

No Uol:

* “Me concentrei na câmera e perdi meu centro’, explica PVC após incidente ao vivo na Fox Sports”

Depois do susto no último sábado (24) quando caiu durante um programa ao vivo na Fox Sports, Paulo Vinicius Coelho, o grande PVC, explicou o que aconteceu ao F5.

O jornalista contou que teve uma virose na quinta-feira (22) e, mesmo não se sentindo bem, voou para Belo Horizonte, onde entrevistaria o técnico Levir Culpi no dia seguinte.

“Estava com febre alta e passando mal. O médico do Atlético me medicou e me deu uma carga razoável de comprimidos. Tomei”, relatou PVC, que também é colunista da Folha.

De volta ao Rio no sábado, PVC foi ao estúdio sem estar recuperado e se deparou com um novo problema. O local estava excessivamente quente. “Aí misturou tudo, desidratação, fragilidade, coquetel de remédios e o calor intenso. Minha pressão despencou”, afirmou o jornalista, que nunca teve problema semelhante antes.

pvc

A reportagem completa e a imagem da queda estão no

http://f5.folha.uol.com.br/televisao/2015/01/1581972-me-concentrei-na-camera-e-perdi-meu-centro-explica-pvc-apos-incidente-ao-vivo-na-fox-sports.shtml

Agressão racista à Fabiana: coisa de Macunaíma e o Minas Tênis Clube deve algumas explicações

29 de janeiro de 2015 às 05:10

Ao ler no Superesportes detalhes da agressão e do agressor da Fabiana, me lembrei na hora do Macunaíma, o “herói sem nenhum caráter”, do grande Mário de Andrade. O Brasil é um país de milhões de macunaímas.

“Que preguiça!”

Pelo depoimento de uma das testemunhas a diretoria do Minas Tênis Clube precisa esclarecer o posicionamento do clube. Quis mesmo abafar o caso? Se sim, por medo de uma punição da Confederação de Vôlei? Evitar que a fama de racismo volte a incomodar? Proteger o agressor infeliz? Este sujeito é funcionário do clube?

Também dói muito a imagem de dois seguranças negros, ali, atrás e ao lado do racista, como se estivessem protegendo o danado, sem esboçar qualquer reação. O certo seria agarrá-lo numa chave de braço e levá-lo para a delegacia de polícia mais próxima. Isso para ficar no “politicamente correto” e não enfrentar nenhum processo, né?

Pois a vontade era ver um tratamento mais duro para uma figura dessas.

FDP2

Menos mal é que dá para ver nas imagens que a reação das pessoas na cena é de revolta realmente e não aprovação à patifaria. Gente de pele mais clara consciente de que estamos no mesmo barco de qualquer humano, principalmente no Brasil, com destaque para Minas, onde a miscigenação é a maior marca da nossa formação racial.

Interessante também é o preconceito latente que brota em cada um de nós contra quem tem mais poder aquisitivo, ainda que inconscientemente. Isso pode ser conferido em alguns comentários no próprio blog, neste post, ontem. Por ser um clube de supostos endinheirados (sim, porque tem muito sócio falido ou rico de fachada também), o primeiro pensamento é que o agressor racista fosse um brancão, poderoso, família tradicional ou “filhinho” de papai, quando não era nada disso, de acordo com o relato no site.

A reportagem e as fotos estão no

http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/volei/2015/01/28/noticia_volei,302461/torcedores-desmentem-autor-de-injurias-raciais-contra-fabiana-e-relatam-mau-comportamento.shtml

* “RACISMO NO VÔLEI”

FDP1

Torcedores desmentem autor de injúrias raciais contra Fabiana e relatam mau comportamento

Jefferson de Oliveira alega que chamou Fabiana de ‘africana’, mas foi desmentido

O porteiro acusado de injúria racial, Jefferson Gonçalves de Oliveira, de 43 anos, negou ter chamado Fabiana de “macaca” e de ter jogado banana na quadra durante a partida entre Minas e Sesi, nessa terça-feira, na Arena JK, em Belo Horizonte. Disse que apenas gritou jamaicana e africana, referindo-se à atleta mineira que atua na equipe paulista. “Não, não fiz nada disso. A torcida mineira é muito desbocada e eu entrei na onda deles. Eu até pedi desculpas ao policial e ao segurança por eles terem achado que eu armei aquela muvuca toda”, disse Jefferson Gonçalves de Oliveira.

FDP3

A versão de Jefferson é diferente da apresentada à reportagem por uma testemunha citada no Boletim de Ocorrência
da Polícia Militar, a estudante Ludmila Duarte Elias, de 21 anos. Segundo ela, o acusado pelas injúrias gritava “banana”, “isso mesmo, joga banana”, toda vez que Fabiana pegava a bola.

Já o professor Douglas Sueimer Bernardo, de 31 anos, que acompanha os jogos do Minas na Arena desde 1997, procurou a reportagem doSuperesportes para relatar o episódio. Tudo teria começado no fim do segundo set, quando Fabiana se preparava para sacar pelo Sesi.

”Esse torcedor de camisa listrada (veja fotos acima) começou a xingar a Fabiana, foi reprovado pelas pessoas ao seu redor, mas continuou dizendo que falaria o que quisesse. Ele estava atrás de mim e falou várias vezes: ‘vou te jogar uma banana macaca, africana, macaca, favelada”, relatou o professor, contrariando a versão dada por Jefferson Gonçalves de Oliveira à reportagem.. . .

http://www.mg.superesportes.com.br/app/noticias/volei/2015/01/28/noticia_volei,302461/torcedores-desmentem-autor-de-injurias-raciais-contra-fabiana-e-relatam-mau-comportamento.shtml

A imprensa do mundo está repercutindo a agressão sofrida pela Fabiana no jogo contra o Minas

28 de janeiro de 2015 às 15:43

Fabiana é bicampeã olímpica e capitã da seleção brasileira de vôlei. Lamentável que o racismo continue forte no mundo, mas pior que ocorra no Brasil e mais triste ainda: aqui em Minas, contra uma mineira. Além de ignorantes, estes idiotas que fazem isso são tapados, que fingem não conhecer a nossa história, do descobrimento até os dias de hoje.

O vagabundo foi preso, apesar de ela não ter registrado queixa. Certamente a ação penal deverá ser instaurada e vamos torcer que ele tome uma pena caprichada.

O jornal O Tempo twittou:

O Tempo SuperFC

‏@Super_FC

Imprensa internacional repercute racismo contra central Fabiana http://bit.ly/1yy4ISZ

-       -

FABIANA

Ela contou que foi vítima de racismo durante um jogo da Superliga Feminina, ontem, durante o jogo do time dela, Sesi/SP contra o Minas, em Belo Horizonte. Menos mal que o imbecil e infeliz foi preso.

No site da Itatiaia está a declaração dela:

“Durante o jogo, um senhor disparava uma metralhadora de insultos racistas em minha direção. Era macaca quer banana, macaca joga banana, entre outras ofensas. Esse tipo de ignorância me atingiu especialmente, porque meus familiares estavam assistindo a partida”, escreveu Fabiana em texto publicado em uma rede social.

No texto, a jogadora agradeceu ao clube adversário, que retirou do ginásio o autor dos insultos e o levou para uma delegacia. Mineira de Santa Luzia, a jogadora começou a carreira no Minas. O Sesi perdeu por 3 sets a 1 e a central foi a maior pontuadora do jogo, com 19 pontos.

“Refleti muito sobre divulgar ou não, mas penso que falar sobre o racismo ajuda a colocar em discussão o mundo em que vivemos e queremos para nossos filhos. Eu não preciso ser respeitada por ser bicampeã olímpica ou por títulos que conquistei, isso é besteira! Eu exijo respeito por ser Fabiana Marcelino Claudino, cidadã, um ser humano”, afirmou.

Fabiana disse ainda estar muito abalada pelo ocorrido. “A esse senhor, lamento profundamente que ache que as chicotadas que nossos antepassados levaram há séculos, não serviriam hoje para que nunca mais um negro se subjugue à mão pesada de qualquer outra cor de pele. Basta de ódio! Chega de intolerância!”, comentou.

A colega de seleção de Fabiana, Sheilla Castro, também publicou em uma rede social mensagem de apoio à amiga. “Acho inadmissível ainda existir racismo. Minha amiga Fabiana Claudino ontem no jogo na sua terra natal, sofreu isso com um torcedor. Fiquei muito revoltada e triste. Ainda bem que o Minas Tênis Clube retirou o indivíduo e encaminhou para a delegacia!”.

A Superliga teve outros dois episódios de atos preconceituosos nos últimos anos. Em 2011, Michael, do Vôlei Futuro, ouviu insultos homofóbicos da torcida do Cruzeiro. No ano seguinte, também no ginásio do Minas, uma torcedora xingou Wallace, do Cruzeiro, de “macaco”.

http://www.itatiaia.com.br/noticia/bicampea-olimpica-fabiana-diz-ter-sofrido-insultos-racistas-de-torcedor-do-minas

Estadual começa domingo. Ruim é a fórmula ultrapassada e burra do campeonato!

28 de janeiro de 2015 às 14:59

As chamadas da Globo para o Campeonato Mineiro são de altíssimo nível, “Padrão Fifa”, coisa de Copa do Mundo. Com razão a emissora vende da melhor forma o produto no qual investe uma fortuna. Há três anos Atlético e Cruzeiro faturam mais em direitos televisivos com este campeonato do que com a Libertadores da América. Quando escrevi isso nesta coluna na época, muita gente achou que eu estava ironizando, mas é a verdade. Tecnicamente a disputa deste ano será melhor porque os três grandes da capital tiveram mais tempo para se preparar, com pré-temporadas com o tempo necessário. Pior para os clubes do interior que costumavam se aproveitar das más condições físicas deles em todo início de disputa e sempre lhes tiravam pontos importantes.

O campeonato regional é importante e precisa existir, ainda mais enxuto, como o mineiro. Mas a fórmula é burra, ultrapassada e não integra o estado, gigante territorialmente, de tamanho semelhante a potências europeias como Alemanha e Espanha. A maioria dos clubes do interior joga três meses por ano e fim de papo. Isso nas três divisões. O ideal é que só houvesse a primeira divisão com todos do interior jogando durante o ano todo disputando eliminatórias para conseguir vaga na fase decisiva, juntando-se àqueles que disputam as divisões nacionais. Uma repetição da fórmula da Copa do Mundo, com 32 ou 36 participantes em um mês de disputa.

TACAS

A Taça que será entregue ao campeão deste ano

-


Castellar Guimarães Neto se tornou presidente da Federação Mineira de Futebol com a bandeira da mudança. Espero e acredito que não ficará apenas no discurso. Em maio completará um ano de mandato. Organizou a contabilidade da entidade, mas ainda não ouvi nada ainda sobre mudanças nessa estrutura arcaica dos nossos campeonatos de profissionais e categorias de base. Do jeito que funciona não adianta a Globo investir dinheiro e a sua excelente produção artística para badalar o campeonato. O torcedor sabe que é quase impossível que o título saia das sedes do Galo, Raposa ou Coelho, porém, gostaria ver surgir pelo menos alguma revelação ou um time do interior dando trabalho com jovens promessas que poderiam ser garimpadas numa disputa em fórmula inteligente.

Defendo um campeonato em que dezenas de clubes do interior disputem, em princípio por região, para baratear os custos e sem medo de rebaixamento. Com isso, poderiam lançar jovens jogadores que não sofreriam tanta pressão e mostrariam o seu futebol. O futebol profissional atualmente é caro demais, por causa de fórmulas atrasadas como as que temos, que visam tomar dinheiro das agremiações com um monte de taxas e exigências absurdas.

GOLEIROS

Em foto do jornal O Tempo, Fábio, Raul, João Leite e Victor, grandes goleiros da história do nosso futebol. Raul e João foram homenageados na festa de abertura do campeonato, promovida pela Globo, ontem.

A “sincera” e “emocionante” declaração de Conca ao trocar o Fluminense pela China

28 de janeiro de 2015 às 06:44

Conta outra Conca !

Veja  que “sinceridade” emocionante nessa frase do Conca na coluna Painel FC da Folha de S. Paulo de hoje:

* “Não vou só pelo dinheiro. Se existisse um planejamento melhor, seria mais difícil para eu aceitar [sair do Fluminense]“
DARÍO CONCA
meia argentino, que deixou o clube do Rio para voltar ao futebol chinês, ao SporTV

- – -

Aliás, a Folha dedicou uma página da edição de ontem ao que chamou de “Desmanche Azul” as vendas do Cruzeiro:

“Desmanche azul”

Incapaz de resistir às propostas financeiras de países como China e Emirados Árabes, o bicampeão Cruzeiro dá adeus a alguns dos seus principais atletas

O torcedor que for a Governador Valadares no domingo (1º) acompanhar a estreia do Cruzeiro no Campeonato Mineiro pouco verá do time que conquistou o segundo Brasileiro seguido há dois meses. . .

. . . O fato é que a receita do Cruzeiro para conquistar dois Brasileiros passou por gastar mais do que arrecadar. A dívida do clube saltou de R$ 120 milhões no fim de 2011 para a casa dos R$ 200 milhões.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/205714-desmanche-azul.shtml

E o Duke não perdeu a chance de “republicar”, anteontem. . .

DUKE

. . . no Super Notíca.

Quando o passado nunca deve ser esquecido

27 de janeiro de 2015 às 22:26

Às vezes ouço treinadores, jogadores, dirigentes e até jornalistas dizendo que “esta derrota é para ser esquecida…”. Errado! Precisamos aprender com os erros e nunca esquecê-los para que não se repitam.

BIE1

O mundo celebra hoje os 70 anos do fim dos campos de extermínio nazistas que mataram milhões de pessoas durante a Segunda Guerra. Em 2012, durante a Eurocopa, organizada conjuntamente pela Polônia e Ucrânia, tive a oportunidade de conhecer Auschwitz e Birkenau, que ficam a 66 quilômetros de Cracóvia, cidade do Papa João Paulo II, na Polônia. Foi um dos lugares mais emblemáticos que conheci, para nunca mais esquecer, de nenhum detalhe.

AUC4

No fim da visita, a guia, uma professora polonesa neta de vítimas do holocausto, mostrava fotos e contava o destino dos principais chefes carrascos daqueles locais.

AUCGUIA

A maioria foi presa, julgada e condenada à morte. Mas um dos principais deles, não: Joseph Mengele, o “Anjo da Morte”; médico idealizador e executor de experiências inumanas com judeus, ciganos, deficientes físicos, homossexuais e principalmente crianças gêmeas.

Diante da foto dele e olhando para nós, brasileiros do grupo, ela informava que: “. . . morreu de infarto, impune e sem ser molestado, na praia de Bertioga, estado de São Paulo, Brasil…”.

AUC1

-

AUC3

-

A interessante comparação do técnico Ênio Andrade, da qual nem Lionel Messi escapa!

27 de janeiro de 2015 às 21:49

O saudoso Ênio Andrade apesar de sisudo era um grande frasista, bom de papo e teve passagens marcantes pelo Cruzeiro. Gostava de comparar os jogadores de futebol a prostitutas quando o assunto era dinheiro.

ENIO

Claro que não condenava os jogadores, apenas lamentava que a profissão é assim mesmo, onde o dinheiro fala mais alto devido à imprevisibilidade do dia seguinte. Uma contusão grave pode arruinar a carreira e comprometer o futuro, além do prazo de validade durar até pouco depois dos 30 anos. Por isso, quando a proposta é tentadora, sem essa de amor à camisa porque a necessidade fala mais alto. Lei natural da vida.

Isso resume os casos das recentes transferências tanto do Atlético quanto do Cruzeiro, quando juntaram-se a “fome com a vontade de comer”. Os jogadores queriam ir e os clubes precisavam do dinheiro que eles renderiam.

No mundo inteiro é assim e inclui até os já mais endinheirados do mundo. Alguns até arriscam o pescoço mais do que deviam para faturar mais e mais. Viram o caso do Messi? Investigado pela polícia fazendária da Espanha, um assessor dele deu com a língua nos dentes e confessou: o craque recebeu dinheiro por jogos beneficentes e não declarou ao fisco espanhol, além de depositar a grana em paraísos fiscais.

Passará aperto até se explicar!

Reportagem da Veja:

“Assessor de Messi confirma desvio de dinheiro de partidas”

Guillermo Marín admitiu ter mandado a paraísos fiscais valores ganhos em tour de partidas beneficentes promovido pelo craque argentino em 2012 e 2013

Lionel Messi será investigado pela Guarda Civil espanhola, que apura a suspeita de lavagem de dinheiro na fundação que leva o nome do craque, após depoimento de seu assessor, Guillermo Marín. O empresário admitiu ter desviado dinheiro de partidas beneficentes promovidas por Messi para paraísos fiscais – Curaçao, no Caribe, e Hong Kong, na China. Os jogos foram realizadas em 2012 em Cancún (México), Bogotá (Colômbia) e Miami (EUA), e em 2013 em Medellín (Colômbia), Lima (Peru) e Chicago (EUA), durante o tour “Messi e seus amigos contra o resto do mundo”.

A notícia completa no

http://veja.abril.com.br/noticia/esporte/assessor-de-messi-confirma-desvio-de-dinheiro?utm_source=redesabril_veja&utm_medium=twitter&utm_campaign=VEJA

http://www.calendarr.com/brasil/datas-comemorativas-2015/

Diretor que executou o melhor projeto de sócio-torcedor do Brasil deixa o Internacional

27 de janeiro de 2015 às 21:11

Este é bom de serviço. Encaixa bem em qualquer clube de grande torcida. O Bahia está interessado nele. Do portal Terra:

* “Pai” de 130 mil sócios, diretor pede demissão do Inter

O diretor executivo de marketing do Inter desde 2001, Jorge Avancini pediu demissão do clube colorado na tarde desta terça-feira. Avacini é um dos nomes mais lembrados quando o assunto é profissionalização do futebol no Brasil e ficará marcado na história do Inter por ter sido um dos idealizadores do programa de sócios-torcedores do clube – hoje, quase 130 mil torcedores são associados (sexto maior número do mundo neste quesito).

O anúncio do desligamento do diretor foi feito por meio do site do Inter. A decisão foi tomada “de forma consensual e alinhada com a instituição”, segundo o comunicado. “Novos objetivos e planos estão em gestação de parte a parte, e o Sport Club Internacional agradece pela caminhada bem sucedida que marcou este período de sua história”, diz a nota.

O presidente Vitorio Piffero também falou sobre a saída de Avancini.  “Ele pediu demissão hoje (terça-feira) de tarde, e o clube aceitou. Agora, estamos procurando um outro diretor de marketing para o Inter”, afirmou.

O destino de Jorge Avancini deve ser o Bahia. No clube tricolor, ele tem tudo para ser o novo diretor de mercado.

http://esportes.terra.com.br/internacional/pai-de-130-mil-socios-diretor-pede-demissao-do-inter,f935a58720d2b410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

JORGE

Jorge Avancini