Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

América 0 x 0 Cuiabá em jogo ruim e resultado péssimo para o Coelho

Jogando em casa, contra um concorrente direto na luta pela permanência na Série A. Mas o técnico interino Cauan disse que gostou. Eu, hein?

Quem não gostou mesmo foi o Thiago Reis, que mandou bala, via twitter: @thiagoreisbh: “O ataque do América 2021 é um dos piores da história recente do clube. Parabéns aos envolvidos que não acreditaram nos alertas dados pela imprensa e pelo próprio ex-técnico Lisca!!! Se não tiver mudança, Coelho está fadado a um grandeeee vexame na série A. Que tristeza #Snsb

O próximo jogo é contra o Palmeiras, domingo, 11 horas, em São Paulo, pela quinta rodada.

As considerações do Cauan, na coletiva depois da partida, no SuperFC:

* “Cauan vê evolução na criação de jogadas do América e celebra ponto conquistado”

Auxiliar técnico diz que time mereceu a vitória e destaca entrega dos jogadores no empate sem gols com o Cuiabá

“A gente realmente fez um jogo muito propositivo, era a proposta do treinamento desta semana. A gente conseguiu executar bem nesse jogo, fomos uma equipe muito próxima, muito sabedora do que queria, tivemos números muito bons, tanto de posse de bola quanto de finalização, e a nível de desempenho que era nosso objetivo, traçado desde o início da semana, conseguimos esse objetivo”, comentou Cauan de Almeida, em entrevista coletiva. De acordo com o auxiliar técnico, o time foi merecedor dos três pontos, mas celebrou o primeiro ponto conquistado na Série A. (mais…)


Vitória em Campinas mostrou que o Cruzeiro está incorporando o espírito Série B de jogar

Mérito do técnico Mozart, que parece estar fazendo a cabeça dos jogadores e da diretoria que o Cruzeiro tem que fazer o “feijão com arroz”, caindo na real, de que certos luxos já não lhe pertencem, pois está é na segunda divisão, cuja realidade é bem diferente da primeira. Não há espaço para frescuras nem estrelismos, o jogo tem que ser feio quando houver necessidade; chutão não é nenhuma vergonha; tem que ter jogador experiente jogando (enquanto o sujeito tiver fôlego), não adianta ficar choramingando erros de arbitragens e acima de tudo, o ambiente tem que ser de completa união.

Este 1 a 0 sobre a Ponte Preta foi fundamental para que o trabalho do Mozart deslanche. Primeiro tempo horroroso, de dois times horríveis. No segundo, gol na raça do Bruno José, aos 12 minutos, e depois “bola pro mato que o jogo é de campeonato”, para garantir a primeira vitória no campeonato e a saída da lanterna e também da zona do rebaixamento.

Próximo jogo, sábado, 19 horas, contra o Operário, em Ponta Grossa.


Vitória animadora do Galo, na casa do adversário, que é da prateleira de cima, osso duro de roer

Um começo de jogo avassalador do Atlético, que no primeiro minuto fez 1 a 0, depois de uma roubada de bola do Jair, que tocou para o Hulk, que deu para o Nathan, em alta velocidade, marcar. O Inter, atordoado não conseguia se arrumar em campo. Mas isso foi até os 10 minutos, quando começou haver equilíbrio. A partir dos 30 o Colorado foi tomando conta da partida e desperdiçou muitas oportunidades.

Aos oito do segundo tempo o Réver, no meio de campo, com toda a experiência dele, ao invés de pensar em dar continuidade a um ataque que se desenhava, preferiu recuar e deu um passe espetacular para o Galhardo chegar na cara do Éverson. Seria o empate, mas Arana salvou.

Na hora lembrei-me de uma mensagem que recebi do Rômulo Righi, antes do jogo, tão logo quando saiu a escalação do Galo: “Mas com esse caminhão de dinheiro, investido de forma altruísta pelos nossos amados investidores, já dava pra gente ter uma dupla de zaga mais gabaritada, não? Nada contra os dois, são ótimas pessoas, atletas importantes na história do Galo, mas Rever e Gabriel não me inspiram uma zaga “muito forte””.

Realmente!

O Inter continuou apertando, o Galo dava estocadas esporádicas e se defendia como podia. E assim foi até os 50 minutos, já que o árbitro deu cinco de acréscimos. Uma boa partida e vitória na raça, de um time desfalcado de alguns de seus principais jogadores, em especial Nacho Fernandez, gripado. Outra vez, Hulk fez diferença. Passe para o gol e participação intensa na partida.

Quatro jogos, três vitórias, uma derrota. Continuar neste ritmo e secar quem ainda não perdeu. Brasileiro por pontos corridos é isso. Pontos perdidos são irrecuperáveis, mas ganhar como ganhou hoje, na casa de um adversário osso duro de roer, é animador!


Prova de fogo para o Galo contra o Inter em Porto Alegre

Imagem: gauchazh.clicrbs.com.br

Às 19 horas, certamente teremos um jogão. O Internacional tenta superar a crise, depois de perder o Gauchão para o Grêmio, mau começo no Brasileiro, eliminação da Copa do Brasil e a demissão do técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez. Com o interino Osmar Loss, venceu o Bahia por 1 a 0, em Salvador, domingo. Com quatro pontos, está em 13o na classificação. Tenta acabar com um jejum de quatro partidas sem vencer no Beira-Rio. A última vitória foi de 4 a 1 sobre o Juventude, em maio.

No Galo, muitos desfalques. Nacho Fernández e Keno devem jogar, mas foram poupados do último treino. Estão fora: Igor Rabello e Zaracho, com Covid e os que estão disputando a Copa América: Savarino (Venezuela), Vargas (Chile), Alonso (Paraguai) e Alan Franco (Equador).

Times prováveis:

Atlético: Everson, Guga, Gabriel, Réver e Arana, Allan, Tchê Tchê e Nacho (Nathan), Hyoran, Keno (Marrony) e Hulk.

Inter: Daniel, Saravia, Pedro Henrique (Zé Gabriel), Víctor Cuesta e Moisés, Johnny, Taison, Edenílson e Patrick, Thiago Galhardo e Yuri Alberto.

Árbitro, o paulista Luiz Flavio de Oliveira.


E lá se foi Silvestre, o “Artilheiro da Alegria”, do Siderúrgica, Atlético, América e seleção mineira

Pelé e Silvestre em foto do álbum do Silvestre/terceirotempo.uol.com.br

Bem cedo o jornalista Vinícius Dias, que mora em Itabirito, twittou: @dias_vinicius_ “Morre em Itabirito, aos 88 anos, Silvestre Martins Fernandes. Artilheiro do Mineiro de 58 e campeão, em 64, pelo Siderúrgica. Integrou a Seleção Mineira na inauguração do Mineirão. Pelo Atlético, ouviu Pelé dizer aos companheiros de Santos: “marquem o camisa 8. Ele sabe jogar”.

Seleção mineira, 1965: da esquerda para a direita, Bueno, Canindé, Grapete, Buglê, Fábio, Décio Teixeira e Ubaldo Miranda; Wilson Almeida, Silvestre, Tostão, Dirceu Lopes, Tião e o massagista Bolão. Foto: Arquivo pessoal Silvestre/terceirotempo.uol.com.br

Cláudio Arreguy, que foi do Jornal do Brasil e editor de esportes do Estado de Minas, escreveu sobre ele: @c_arreguy “Quando me apaixonei por futebol, época da inauguração do Mineirão, um dos grandes jogadores de Minas era Silvestre, atacante campeão pelo Siderúrgica em 64 e titular da Seleção Mineira no 1° jogo do estádio, ao lado de Tostão. Soube há pouco de sua morte. Deus conforte a família.”

O ex-jogador e treinador, Procópio Cardozo, confirmou que se tratava de um craque: “Em 1964 eu estava no Fluminense e indiquei Tostão e Dirceu Lopes ainda novos para o clube contratar. O presidente Nelson Vaz Moreira mandou o Tim vir a BH observa-los no jogo Siderúrgica x Cruzeiro. Na volta o Tim falou que os meninos eram bons mas que ele preferia o Silvestre.”

O jornal Folha de Sabará deu mais detalhes sobre a morte dele:

Com a camisa do Siderúrgica, campeão mineiro de 1964

Faleceu hoje o implacável artilheiro do Siderúrgica! – Silvestre Martins Fernandes, o “Artilheiro da Alegria”

O perigosíssimo e implacável artilheiro negro do Atlético nos anos 60 e campeão mineiro pelo Siderúrgica, em 1964, nasceu no dia 10 de abril de 1933, em Itabirito e lá residia até hoje, onde nasceu Telê Santana. Silvestre, era aposentado. Foi titular da Seleção Mineira de 1965 que inaugurou o Mineirão no dia 7 de setembro de 1965. Resultado final: Seleção Mineira 1 x 0 River Plate, gol de Buglê, do Galo. Era casado com dona Anita e teve quatro filhos. (mais…)


Clubes da Série A falam novamente em criação de Liga nacional. Cruzeiro, Vasco e Botafogo podem se beneficiar disso para escaparem da Série B

Na proposta, querem resgatar os três da segunda divisão nacional

O Clube dos 13, que quase se tornou uma Liga forte, foi detonado por interesses localizados de alguns clubes, que se aliaram à CBF para boicotá-lo. Em 2011, Flamengo, Corinthians Botafogo e Cruzeiro se aliaram a Ricardo Teixeira, em troca de benefícios extras. Foi o fim do Clube dos 13 e a morte da ideia de uma Liga.

Em 2015 uma nova tentativa, que começou com o Torneio Sul/Minas e depois a entrada dos grandes clubes do Rio, o que originou o movimento da criação da Primeira Liga. Dessa aí, os “ovos foram quebrados no ninho”, e a CBF e a Globo usaram o Flamengo (Bandeira de Melo), Cruzeiro (Dr. Gilvan), Athletico-PR (Petraglia) e o Fluminense (Peter Siemsen), para liquidar com o assunto, o que foi feito em janeiro de 2016.

Vamos ver quem se haverá sabotadores dessa nova tentativa, que se aproveita da crise pela qual passa a CBF para tentar se viabilizar, conforme mostra o portal Terra:

* “Clubes criam liga com objetivo de organizar o Brasileiro”

Dirigentes das equipes da primeira divisão entregaram documento à CBF, realizadora do torneio, na tarde desta terça-feira

Os clubes da Série A do Campeonato Brasileiro assinaram nesta terça-feira, dia 15, um documento que foi levado à CBF formalizando a criação de uma Liga para organizar a competição, realizada atualmente pela entidade. Dirigentes e representantes dos 20 clubes tiveram um encontro nesta tarde com Antonio Carlos Nunes, presidente interino da CBF para a entrega do ofício. O movimento ganhou força após o afastamento de Rogério Caboclo do comando da entidade, acusado de assédio sexual por uma funcionária, e a ideia é que a liga tenha início já em 2022.

O objetivo dos clubes com a criação da liga é uma maior participação nas decisões da CBF, além de participação igualitária nas eleições promovidas pela confederação.

Segundo o documento, além dos clubes signatários, equipes que disputam a Série B desta ano – como Botafogo, Cruzeiro e Vasco — serão convidados a integrar a Liga.

Júlio Casares, presidente do São Paulo, publicou um vídeo em sua conta no Instagram nesta terça comentando o assunto.

“Precisamos repensar o futebol, mas com muita união, pensando no produto do futebol, pensando no crescimento do produto e de todos os clubes. Temos de discutir princípios mercadológicos, princípios éticos e de governança”, disse.

https://www.terra.com.br/esportes/futebol/brasileiro-serie-a/clubes-criam-liga-com-objetivo-de-organizar-o-brasileiro,471ba36b88d7c37a288ed47becbb5c42m7arotcz.html


Mozart, técnico do Cruzeiro, se tornou grande produtor de cachaça, mesmo antes de parar de jogar. América continua procurando treinador

O América ainda não anunciou o nome do substituto do Lisca. Fala-se até no retorno do Felipe Conceição, que fez ótimo trabalho no clube, até receber proposta do Bragantino, onde não se deu bem. Também não deu certo no Cruzeiro, mas, o futebol tem disso. Quem sabe dá certo no Coelho novamente!?

Estava vendo o histórico do treinador do Cruzeiro, Mozart Santos. Vi que é o ex-jogador, que se destacou no Coritiba, integrou a seleção brasileira do Vanderlei Luxemburgo, que foi eliminada por Camarões nas quartas de final dos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000.

Eu estava lá.

Como treinador, foi bem no CSA, ano passado. Saiu por uma proposta melhor da Chapecoense, onde durou oito jogos. Acredito que poderá crescer na carreira. Parece ser um estudioso da bola e muito dedicado.

Antes mesmo de parar de jogar futebol se tornou um sucesso como empresário, em ramo completamente diferente: produtor de cachaça, no Paraná. Até exporta e a sua caninha já foi servida na Casa Branca, para graúdos do governo do Tio Sam, e convidados da Hilary Clinton, conforme mostra essa reportagem do site Cada Minuto, do dia 25 de outubro de 2012.

* “Antes mesmo de sua primeira aposentadoria, em 2010, e da segunda, em 2012, o ex-volante Mozart já havia começado a engatilhar negócios paralelos para garantir uma vida estável ao pendurar as chuteiras.

O ex-jogador da seleção brasileira, Coritiba, Flamengo, Palmeiras e futebol italiano decidiu investir num segmento que a família da mulher já tinha experiência: fabricação de cachaça. Mas seguiu um caminho particular, sem se envolver com a empresa dos familiares.

Hoje, Mozart é o principal acionista da cachaçaria Porto Morretes, de Morretes (PR), cidade que tem muita tradição na produção da bebida. Em 2005, quando ainda jogava na Itália, decidiu entrar de vez no negócio ao ser convidado por uma fábrica que estava quase falindo. “Eu sou de Curitiba, mas moro em Morretes, que é conhecida nacionalmente como terra de cachaça. E a família da minha esposa tem tradição de 100 anos. Em 2005 surgiu a oportunidade de entrar na Porto. Eles estavam sem dinheiro para investir no marketing, e achei uma proposta interessante que eles fizeram. Eles já tinham o alambique, e eu entraria mais com a parte da divulgação. Hoje tenho 66% das ações e sou mais um relações públicas”, afirmou Mozart.

Mas os anos no negócio e a consequente residência no local após o fim da carreira fizeram com que o jogador aprendesse algumas técnicas de fabricação para acompanhar de perto o processo. Mas Mozart diz que tem muito a aprender ainda. “Sei bastante coisa, mas tem algumas coisas técnicas que ainda não domino. Um dos sócios é professor e doutor em cachaça, e a produção é algo que fica mais com ele. Mas eu entendo alguma coisa”, disse o ex-jogador.

Cachaça para Hillary

A fábrica de Mozart chegou a receber recentemente três prêmios em uma edição brasileira do Concurso Mundial de Bruxelas.

Ganhou a Grande Medalha de Ouro com a cachaça Tradição, Medalha de Ouro com a Porto Morretes Ouro e outra premiação com a cachaça Prata. Eles exportam a bebida para Estados Unidos, Canadá e Suíça.

A cachaça de Mozart já foi enviada para uma degustação na Casa Branca, em Washington, para a comitiva da Secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton. Mozart, no entanto, diz não saber se a mulher do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton degustou o produto.

“Ela foi para um evento do ministério da Hillary Clinton e ofereceram para a comitiva. Não sei se ela experimentou, não vou cometer essa gafe de dizer isso, porque não sei. Mas a nossa cachaça esteve no coquetel que foi oferecido para o pessoal dela [Hillary] naquele encontro”, afirmou.

https://www.cadaminuto.com.br/noticia/2012/10/25/exvolante-da-selecao-vira-cachaceiro-tipo-exportacao-e-poe-pinga-ate-na-casa-branca

Mais sobre a história atual do Mozart, como treinador: “Mozart Santos tem bons números no comando do CSA”

Foto: Ascom CSA  (mais…)


Vittório Medioli fala da situação do Cruzeiro e indica caminhos para a recuperação

Numa esclarecedora entrevista ao Ricardo Sapia, na Rádio Super, Vittório Medioli fez revelações importantes sobre os bastidores do Cruzeiro, passado e presente. E aponta caminhos para possíveis saídas dessa crise, que parece interminável. Vale lembrar que ele é o mentor e executor do Sada/Cruzeiro, maior sucesso do voleibol brasileiro nos últimos anos, campeão de tudo que disputou.

Disse coisas como:

“Torcedor carrega clube nas costas, grita e não tem nenhum poder lá dentro…”

“Neste modelo, Cruzeiro não tem solução…”

“A saída passa por um interventor com plenos poderes…”

“Todo dinheiro que entra é sequestrado pela justiça…”

“A falta de transparência é a responsável pela atual situação do Cruzeiro…”

“Uma torcida de 9 milhões de pessoas é refém de um grupinho de pessoas…”

“Tem que entrar Ministério Público e Polícia para limpar e começar de novo…”

 


Viva o Jacaré! Hoje, 107 anos do nosso querido Democrata de Sete Lagoas

O jornal SETE DIAS publicou essa foto histórica do Democrata, Campeão da Segunda Divisão de 1981. Noite da entrega de faixas no antigo Estádio José Duarte de Paiva, em que venceu o Cruzeiro por 4 a 2. Da esquerda para direita, os três irmãos e diretores Pedro, Álvaro e Geraldo Negocinho (presidente), Saúva, Edson Vampiro, Misael, Prego, Baiano, Souza, Careca e o técnico Arizona; Chico Maia (na época da Rádio Capital), o supervisor Edson Carmelito, Astolfo, Rogério Bomba, Rubão, Dinei, Edu e o massagista Zé da Pomba.

***

Que satisfação ver o Democrata cada vez mais vivo, dando passos firmes para um futuro sustentável. Uma diretoria jovem, cheia de boas ideias, entusiasmada e acima de tudo, transparente. E com isso vem conseguindo atrair novamente o interesse da cidade pelo clube. Foi uma pena o surgimento dessa pandemia ano passado. Justamente quando a Arena do Jacaré via a suas arquibancadas encherem mais a cada partida pelo Campeonato Mineiro da segunda divisão. Parabéns à torcida e à toda a toda a cidade pela data.

O presidente Renato Paiva, enviou uma mensagem especial aos colaboradores diretos do dia a dia da diretoria: “Bom dia! Hoje, o Democrata completa 107 anos. Quero agradecê-los pelo empenho em não deixar morrer uma instituição tão importante pra nossa Sete Lagoas. Certamente, hoje o Clube está em situação melhor do que 1 ano atrás e pior do que a daqui 1 ano. A evolução é muito nítida. Muito foi feito e muito mais ainda há por fazer. De coração, obrigado por sua dedicação e sacrifício, amigos! Que Deus abençoe o Jacaré e a nós todos!! Abraços!”

Homenagem do www.setedias.com.br:

* “Democrata comemora 107 anos com live festiva: relembre time campeão de 1981”

Celso Martinelli

O Democrata Futebol Clube comemora nesta segunda-feira (14) 107 anos de fundação. E será em grande estilo, em live marcada para às 19h na TV Jacaré (https://www.youtube.com/c/DemocrataJacare) com música, sorteio de brindes e muita resenha com a participação dos atletas Gomes, Rafinha e Carciano, além dos ex-atletas e membros da comissão técnica, Paulinho Guará e João Carlos. Na oportunidade, também haverá a apresentação dos parceiros para a temporada 2021.

Em homenagem pelos 107 anos, lembramos um pouco da gloriosa história do Jacaré nesta foto do arquivo do Jornal SETE DIAS. (mais…)


Fim do feliz casamento entre América e Lisca

Uma pena que as coisas se degringolaram justamente no começo do sonho de uma boa campanha na Série A do Brasileiro. Sete jogos sem vitória, eliminação da Copa do Brasil pelo Criciúma, três derrotas nas três rodadas do Brasileiro e o fim da linha de uma relação que começou em 30 de janeiro de 2020. Um trabalho que foi muito bom para ambas as partes. Com a estrutura do Coelho e apoio que teve, Lisca consolidou o seu nome entre os principais treinadores do país. Por sua vez, o clube viveu ótimo período, com um time que deu muitas alegrias aos americanos, além do retorno à Série A. Possivelmente um “até breve”, já que fizeram um acordo para esta saída, sem ranhuras nas relações.

O América agradeceu ao treinador, também nas redes sociais:

América FC @AmericaMG
O América agradece muito ao treinador Lisca pelos serviços prestados nesse período de 1 ano e 4 meses. Foram vitórias e campanhas históricas à frente do Clube. Desejamos muito boa sorte na continuidade de sua carreira.”

Página 1 de 1.20112345...102030...Última »