Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Presenças de Douglas e Fábio Santos, mais a entrada do Robinho salvaram o Galo de derrota em Porto Alegre

cam

Em Porto Alegre o Atlético escapava de um placar elástico contra o Grêmio até aos 40 minutos do segundo tempo. Uilson fazia ótimas defesas e contava com a pontaria descalibrada dos gaúchos, que lamentam até agora essas oportunidades desperdiçadas. Mas o Grêmio também tem o que comemorar: aos 44 Lucas Pratto errou um gol que não costuma errar.

Enche a paciência ouvir tantas desculpas de “time desfalcado” para tentar justificar resultados frustrantes no Brasileiro. Desde 2003 o campeonato é assim, por pontos corridos, que premia a regularidade e quem tem o melhor elenco, não só o melhor time. O futebol é coletivo e sendo assim, quem ganha é um grupo e não apenas os 11 que entram inicialmente.

A torcida do Atlético esperava que o elenco que o clube tem o mantivesse no topo da tabela da primeira a última rodada, mas o futebol não é fácil assim. Mas os muitos jogadores acima da média estão resolvendo, no tempo certo: Robinho entrou no lugar do Fred, aos 18 minutos. Aos 41 aproveitou cruzado milimétrico do Douglas Santos e evitou a derrota atleticana.

Lucas Cândido não fazia um bom jogo e no intervalo Douglas Santos entrou no lugar dele e melhorou o rendimento do time. O lado esquerdo alvinegro foi fortalecido e por lá começou o salvador e inesperado gol de empate. O Atlético está muito bem servido de laterais e pode aproveitar o Fábio Santos também como zagueiro, onde ele foi bem, também no Corinthians.

Terrível a situação do internacional, que andou liderando o Campeonato, foi apontado pelos “expertos” como candidatíssimo ao título e hoje amarga a zona do rebaixamento, substituindo. Outros que eram candidatos, também mostram fraquezas: o Corinthians parou na Ponte Preta, o Santos dançou em casa para o Figueirense.


Muita pressão sobre vários e 15 minutos de bom futebol do Cruzeiro contra o Santa Cruz

ROBINHO

Robinho comemora gol do Cruzeiro

Cruzeiro e Santa Cruz entraram em campo sob pressão total, na luta contra o rebaixamento, mas individualmente foram o goleiro Rafael e o árbitro Sandro Meira Ricci quem eram os mais pressionados. O apitador porque estava vetado há seis anos pela diretoria cruzeirense; o jovem goleiro porque além de estar substituindo Fábio, substituía também o Lucas, que teve duas ótimas atuações, como segundo suplente da meta cruzeirense. Ambos foram bem. Meira Ricci apitou bem e Rafael foi muito tranquilo e fez duas excelentes defesas. O time é que, a rigor, teve 15 minutos de boa qualidade, no segundo tempo, quando marcou os gols da vitória. Mano Menezes está tendo que quebrar mais a cabeça que no ano passado, mas já dá pra prever que ao final do Campeonato o Cruzeiro passará longe do rebaixamento.

 

 


Divinópolis põe mais um excelente profissional na mídia do país

ROMULO

O divinopolitano Rômulo Mendonça (esquerda) do canal ESPN

Não basta ser bom, tem que que ser criativo e acima de tudo batalhador, porque a concorrência é gigante, numa área onde há gente boa demais da conta!

Parabéns ao Rômulo Mendonça, destaque hoje na TV Folha, coluna da Mônica Bergamo:

* “Narrador da ESPN que ficou pop com ‘ragatanga’ diz que não sabia nada de vôlei até Olimpíada”

Em 2008, o jornalista Rômulo Mendonça, mineiro de Divinópolis, veio a São Paulo para participar de uma seleção para uma vaga de locutor no canal esportivo ESPN. Ao lado do comentarista Mauro Cezar Pereira, teve de simular a narração de uma partida de futebol.

* “Foi aí que tive uma ideia brilhante: abolir o gol”, conta ele, um pouco rouco, ao repórter Fillipe Mauro, um dia depois de retornar do Rio de Janeiro, onde narrou freneticamente 30 partidas de vôlei dos Jogos Olímpicos. “Que coisa mais chata o narrador que só grita ‘gol!’. Decidi inovar e gritar ‘fatal!’.” (mais…)


Torcida azul fez a parte dela; time fez a dele no segundo tempo!

Obrigado aao Thiago Prado Oliveiraa que comentou:

* “49000 torcedores pra sacramentar mais uma Vitória, nada de espetacular em termos técnicos mas o time hoje tem um padrão tatico e organização suficiente pra dar seguranca ao torcedor. Mano entende isso e consegue manter essa consistência do time.
Apresentação brilhante de Rafael apesar que o Lucas França foi melhor em apresentações mais difíceis, de qualquer forma estamos muito bem servidos no gol. Falta ainda um equilbrio na armação do time que ainda depende muito do Arrascaeta mas quem ta entrando ta respondendo bem e ajudado a crescer no segundo tempo.
Sobre o árbitro e justo reconhecer que ele foi muito bem e não comprometeu pra nenhum dos lados.
Casa cheia e sinal que o Gilvan entendeu que no meio que uma crise economica preços mais baratos são mais condizentes com a realidade do brasileiro.
Vamos continuar nesse rumo que ainda tem muito brasileiro pela frente e quem sabe la na ultima rodada podemos terminar entre os seis primeiros e brigar pela copa do brasil que hoje e o caminho mais curto pra libertadores.”


COI fatura muito mais com a Olimpíada do que a FIFA com a Copa, e conta com mais paciência da mídia

COI
O presidente do COI, Thomas Bach, e o presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman, visitam o Maracanã

Claro que continua não havendo virgens em nenhum destes puteiros, porém, a Fifa é vigiada mais de perto do que o Comitê Olímpico Internacional. Muito interessante este artigo do Marco Aurélio Canônico, que fala deste assunto, na Folha de S. Paulo de quinta-feira.

* “Organizar Olimpíada dá prejuízo, menos para o COI”

COI fatura muito mais com a Olimpíada do que a FIFA com a Copa, e conta com mais paciência da mídia Durante a Copa-2014, um dos temas que fustigaram a Fifa foi a indignação popular com os lucros que a entidade teve (R$ 8,4 bilhões), enquanto os custos de organizar o evento (R$ 27,1 bilhões) ficaram todos com o Brasil.

É difícil entender por que o Comitê Olímpico Internacional (COI), o equivalente da Fifa para a Olimpíada, vem sendo poupado de críticas semelhantes. Especialmente quando será necessário usar verba estatal para cobrir os gastos do Comitê Organizador da Rio-2016.

Ele é uma empresa privada, com orçamento de R$ 9,1 bilhões que, em tese, seria todo privado: cerca de um quarto vem do COI e o resto, de patrocínios e ingressos.

Além de bancar a existência do próprio comitê, esse dinheiro é usado para cobrir as despesas operacionais dos Jogos: transporte, hospedagem e alimentação das delegações, as festas de abertura e encerramento etc.

Quando se candidatou a sediar os Jogos, o Rio concordou em cobrir os gastos do comitê caso ele não conseguisse fechar suas contas, o que já é um fato. Governo federal e prefeitura anunciaram que vão investir R$ 100 milhões e R$ 150 milhões, respectivamente, e parece improvável que a conta pare aí.

Se não há nada ilegal em usar dinheiro público para arcar com as contas do comitê organizador enquanto o COI sai da festa com o bolso cheio, não dá para negar que é imoral —uma imoralidade com a conivência dos políticos.

Pior ainda é a recusa do Comitê Rio-2016 em abrir suas contas, mesmo após o aporte estatal. Se é para gastar dinheiro público, vejamos como estão organizados os gastos. Afinal, uma empresa que sabe que terá ajuda governamental para pagar suas dívidas não tem exatamente grandes incentivos para ser o mais econômica possível.


O Cruzeiro na hora agá, com Sandro Meira Ricci no apito, e as fracas atuações do Lucas Pratto depois da convocação para a seleção argentina

LC

A coluna do Fernando Rocha que circula neste domingo no Diário do Aço, de Ipatinga:

* “Hora de definições”

O Cruzeiro, com o Mineirão lotado, – até ontem mais de 40 mil ingressos tinham sido vendidos -, contra o Santa Cruz, vice-lanterna do Brasileirão, tem hoje outra chance de mostrar sua recuperação técnica, desde que Mano Menezes assumiu no lugar do português Paulo Bento.

Na última rodada contra o Figueirense, fora de casa, mais uma vez apresentou  um bom futebol e venceu, mantendo uma regularidade que não vem conseguindo impor aos adversários, quando joga diante da sua torcida.

O fabricianense Rafael, recuperado de contusão, assume a titularidade no lugar do capitão e ídolo Fábio, apesar das boas atuações do jovem goleiro Lucas França, que perdeu a vaga em razão da sua pouca experiência.

O torcedor celeste fica se perguntando: qual a diferença no trabalho do português Bento para o de Mano Menezes, que novamente está dando certo? (mais…)


Cidade mineira se destaca em primeiro lugar no ranking das mais eficientes do país

CACHO

Cachoeira da Prata, bem perto de Belo Horizonte e mais perto ainda de Sete Lagoas, lidera este ranking. Uma notícia muito interessante. Sou frequentador assíduo e conheço bem a cidade. O estudo é bem aprofundado e mostra a realidade dos municípios e como o passado pujante faz diferença hoje. Também mostra como a gestão pública no Brasil vem perdendo eficiência a partir de meados do Século XX.

* “Ranking inédito revela que só 24% das cidades são eficientes”

Ferramenta inédita lançada pela Folha em conjunto com o Datafolha neste ano eleitoral mostra quais prefeituras entregam mais serviços básicos à população usando menor volume de recursos financeiros.

O Ranking de Eficiência de Municípios – Folha leva em conta indicadores de saúde, educação e saneamento para calcular a eficiência da gestão e apresenta dados de 5.281 municípios, ou 95% do total de 5.569.

Numa escala de 0 a 1, só 24% das cidades ultrapassam 0,50 e, por isso, podem ser consideradas eficientes. Pesquisa nacional do Datafolha mostra que só 26% dos brasileiros aprovam a gestão de suas prefeituras.

No topo do ranking está Cachoeira da Prata (MG), com 3.727 habitantes e heranças deixadas pelo passado industrial forte. Na rabeira estão cidades do Norte, Centro-Oeste e o Rio Grande do Sul.

O levantamento revela que nos 5% menos eficientes, com índice de até 0,30, o funcionalismo cresceu 67% entre 2004 e 2014, em média. A população aumentou 12% no período.

Em crise, os municípios espelham também alguns dos principais desafios do país, como o crescimento do gasto público, a dependência de verbas federais, a perda da dinâmica da indústria e a ascensão do agronegócio. (mais…)


O futebol rendendo grana em outra dimensão: “Clubes de e-sports se aliam para negociar direitos de TV”

E-SPORTS

Da folha de S. Paulo:

* “Clubes brasileiros de e-sports, os campeonatos profissionais de games, criaram uma associação para negociar torneios, patrocínios e direitos de transmissão desses eventos na televisão.

Os campeonatos vêm em crescimento e têm atraído a atenção de canais a cabo. A final do Campeonato Brasileiro de “League of Legends”, realizada em julho no ginásio Ibirapuera para uma plateia de 10 mil pessoas, teve transmissão do SporTV.

O objetivo, afirma Lucas Almeida, presidente da ABCDE (Associação Brasileira de Clubes de e-Sports), é negociar em conjunto os valores —hoje, afirma ele, os times não recebem pelos direitos de transmissão, ao contrário do que acontece com outros times como o Futebol.

Almeida afirma que uma das referências é o Clube dos 13, que negociou os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro até 2011, quando os times começaram a negociar individualmente as cotas de televisão. (mais…)


A saída de Renato Maurício Prado dos canais Fox Sports

RMP

Notei a falta do Renato Maurício Prado nas instalações de imprensa do Parque Olímpico. Ele é tarado por olimpíadas e não ficaria de fora justamente da grande festa na cidade dele. Mas, com tantos eventos e tantos deslocamentos, impossível encontrar com muitos colegas de quem gostamos. Gente boa, sempre com uma história ou caso legal pra contar. Só agora fiquei sabendo que ele não foi credenciado para os Jogos e este teria sido o principal motivo do seu pedido de demissão da Fox, esta semana.

Segundo o portal Uol, outro motivo é que o Renato “… mora fora do Rio, em Itaipava, um distrito de Petrópolis, e está reformando um imóvel por lá. Seu deslocamento para a Barra, sede do Fox Sports, estava sendo cansativo. Seu contrato iria até novembro, e mesmo que ele não dê expediente na emissora, continuará recebendo salário, segundo informou a coluna Canal 1”.

No site Comunique-se, voltado à mídia, a informação é esta:

* “Apresentador Renato Maurício Prado rescinde contrato com o Fox Sports

O jornalista Renato Maurício Prado não é mais integrante da equipe dos canais Fox Sports Brasil. Nesta semana, ele usou o perfil que mantém no Facebook para informar que pediu rescisão contratual com a emissora esportiva. Contratado depois de ter sido dispensado pelo SporTV, o comunicador permaneceu no veículo do Grupo Fox por 4 anos e 6 meses. Ultimamente, estava à frente do ‘A Última Palavra’, programa exibido no fim de noite de domingo. (mais…)


Atlético 1 x 1 Ponte Preta; jogo pra não ser esquecido para que os erros não sejam repetidos

CAM

A twittou depois do jogo: “Noite para não ser esquecida. Que cada um reveja em que errou, da diretoria, passando por cada jogador, quem podia ir e não foi…”

É isso mesmo! Nada de esquecer partidas ruins porque os erros não podem ser repetidos.

O Atlético pressionou muito a Ponte Preta, mas como se fosse um sol de inverno, desses que não esquentam. Lucas Pratto isolado no comando do ataque, o meio campo lento, sem criatividade e sem “sangue nos olhos”. Futebol burocrático, como se fosse apenas para cumprir a tabela. Diferente da Ponte que explorava os contra ataques em estocadas perigosas. Numa delas, se aproveitam de um vacilo do Rafael Carioca, que saiu atrasado para deixar o ataque da Ponte em impedimento. Deu condição para o Roger fazer 1 a 0, aos 38 minutos do primeiro tempo.

No segundo parecia que o Galo se imporia, mas foi só no começo. Numa jogada que teve ótima participação do  Maicosuel, Robinho ajeitou da entrada da área e empatou, aos nove minutos. Daí a pouco o Rafael Carioca machucou o joelho e saiu, deixando o time com 10, já que o Marcelo já tinha feito as três substituições. O zagueiro Ronaldo também estava machucado e apenas figurou em campo durante boa parte do segundo tempo.

Para quem sonhava com 50 mil pessoas no Mineirão, os 15.493 pagantes (R$ 413.910,00) ficaram de muito bom tamanho, pelo futebol apresentado.


Página 1 de 93712345...102030...Última »