Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Média de idade dos treinadores do Brasileiro deste ano é a menor desde 2010

O jornal O Globo soltou no dia da primeira rodada do Campeonato Brasileiro um bom guia da competição e dedicou espaço especial para a renovação dos técnicos no Brasil. Thiago Larghi, do Atlético teve direito a foto de quase meia página na contracapa do guia. Aos 37 anos, é o segundo mais jovem. Maurício Barbieri, do Flamengo, com 36 é o mais novo, mas assim como o comandante do Galo, também é “interino” segundo a diretoria. Odair Hellmann, 41, era “interino” no Campeonato Gaúcho e foi efetivado como técnico do Internacional no retorno à Série A.

Fernando Diniz, 44, é apontado como o técnico que atrai a maior expectativa. Comanda o Atlético-PR. Interessante é que o trabalho dele chamou muito a atenção no início de 2016 quando levou o Audax ao vice-campeonato paulista. Seria natural que algum clube da Série A nacional o contratasse para o Brasileiro daquele ano, mas isso não ocorreu. Ficou de molho, no Oeste-SP, mais de um ano e só agora ele tem essa oportunidade. Mineiro de Patos de Minas, foi meio campista do Corinthians, Fluminense, Flamengo, Cruzeiro (2004) e vários outros times. Formado em psicologia, defensor do futebol ofensivo e de muito toque de bola, deverá levar o Atlético-PR a uma boa campanha.

Outro que está sob observação é o Jair Ventura, 39 anos, que se destacou no Botafogo e agora tenta repetir o bom trabalho no Santos.

Certamente essa renovação dos treinadores tem como inspiração maior o Fábio Carille, 44 anos, o “interino” de maior sucesso nos últimos anos no futebol brasileiro, campeão com o Corinthians.

Rogério Micale, 49 anos, está no Paraná Clube. Grêmio Barueri e Atlético foram as duas experiências comandando times profissionais. Não se deu bem e agora tem nova oportunidade. Começou perdendo duas nas duas primeiras rodadas: 1 a 0 pro São Paulo no Morumbi e 4 a 0 em casa pro Corinthians.


No Galo, esperança que um “cabeça cozida” siga o exemplo de determinação do Gustavo Blanco

Um certo aperto no fim do segundo tempo em função do desespero do Vitória, mas o Atlético fez um bom jogo. Apesar da vitória o principal assunto foi a saída, finalmente, de Elias do time. Roger Guedes foi muito bem. Tomara que deixe de ser um cabeça cozida, pois bola tem.

Não por coincidência o melhor em campo foi o Gustavo Blanco e sugiro a leitura dessa ótima reportagem do Henrique André, sobre este jogador, no Hoje em Dia:

* “Preconceito na base e salvo por um jornalista: as histórias de Blanco, novo reforço do Atlético” (mais…)


Mano sob pressão: derrota no Rio e adversário pela Libertadores toma de seis pelo campeonato chileno

Para mim o técnico do Cruzeiro continua tirando água de pedra, com um elenco razoável, dentro das condições financeiras possíveis do Cruzeiro na atualidade. Mas o twitter Uai Tevê reflete o que incontáveis cruzeirenses pensam e cobrou do Mano Menezes essa derrota e a campanha ruim até agora no torneio continental.

Não tive ainda o prazer de conhecer o administrador deste twitter, mas é muito bom e recomendo. Importante lembrar que desde os 20 minutos do primeiro tempo o Cruzeiro jogou com um a mais. E o @uaiteve cornetou com convicção: “Na minha opinião, que não vale lá muita coisa, se o Cruzeiro perde do Universidad de Chile ~que tomou hoje de 6 x 1 do Unión La Calera no Campeonato Chileno~ o Mano não aguenta e sai do time.”

* Identificação do  UaiTV: “Sou jornalista e colaborador do @50jardas, com passagens pelo portal @TVHistoria e @TVHorizonte ndem Belo Horizonte. Quando deixam, falo sobre aviação também.”


Não fosse o complexo de inferioridade nos minutos iniciais, o América teria saído com um resultado melhor do Maracanã

O América jogou com a camisa branca, muito bonita, mas não é a sua tradicionalíssima e única no Brasil, verde abacate e preta. Foi o primeiro problema que vi no time tão logo entrou em campo.

A bola rolou e me pareceu que os jogadores ficaram encabulados com tanta pergunta besta de alguns repórteres durante a semana, sobre a “emoção” de jogar no Maracanã pela primeira vez, do “frio na espinha” que seria enfrentar o Flamengo com o estádio cheio e outras coisas da imprensa jeca e mais antiga que a Serra do Curral.

O time demorou a se encontrar em campo e quando isso aconteceu já estava 2 a 0. A partir daí dominou o jogo e ficou parecido com aquele América da estreia, dos 3 a 0 sobre o Sport.

O problema é que o Flamengo não é o Sport, além de estar jogando em casa. Segurou bem a ofensiva americana e arriscava contra ataques até que viesse o apito final do árbitro. Mas foi um bom jogo do Coelho.

Com 52.106 torcedores presentes e 47.175 pagantes.


Parabéns Tupynambás e Guarani pelo retorno à primeira divisão do futebol mineiro

Em 2019 Juiz de Fora terá duas forças na prateleira de cima do futebol mineiro. O Tupynambás passou pelo América de Teófilo Otoni e garantiu presença na elite do ano que vem.

O Guarani de Divinópolis passou pelo Uberaba e também está de volta.

Parabéns a estes tradicionais clubes, às belas cidades e seus torcedores.


Atlético x Chapecoense; Cruzeiro x Atlético/PR; América x Palmeiras. Os próximos confrontos dos mineiros na Copa do Brasil

Teoricamente o Atlético pegará o adversário menos difícil e o América o mais complicado. Sorteio esta manhã na CBF. Detalhes no site da Veja:

* “Sorteio define oitavas da Copa do Brasil 2018; confira os confrontos”

Esta fase do torneio não terá clássicos; campeão Cruzeiro encara o Atlético-PR

Sem clássicos, as oitavas de final terão cinco confrontos de equipes que disputam a primeira divisão. Dois representantes da segunda (Goiás e Ponte Preta) e um da terceira (Luverdense) completam a lista. Veja abaixo os jogos das oitavas de final da Copa do Brasil:
Chapecoense x Atlético-MG

Cruzeiro x Atlético-PR

Vasco x Bahia

Grêmio x Goiás

Corinthians x Vitória

Palmeiras x América-MG

Flamengo x Ponte Preta

Santos x Luverdense

Sorteio define oitavas da Copa do Brasil 2018; confira os confrontos


América está certo em se precaver, pois Walter Clark já dizia: “se pensam que não se compra mais árbitros, estão muito enganados”!

O livro autobiográfico do Walker Clark, relançado em setembro de 2015: “O Campeão de Audiência”. Ele foi vice-presidente do Flamengo nos anos 1980 e contou histórias sobre os bastidores do futebol neste livro, que, aliás, vale muito a pena ler.

Obrigado ao Daniel Hott, assessor de comunicação do América, que ligou pra informar que o diretor superintendente Paulo Assis foi hoje à CBF para acompanhar o sorteio da próxima fase da Copa do Brasil. Na verdade o sorteio da arbitragem da segunda rodada do Brasileiro já ocorreu e Flamengo x América será conduzido pelo Leandro Bizzio Marinho – SP, auxiliado por outros paulistas. A presença oficial americana no centro do misterioso poder do futebol nacional é muito importante, pois o futebol não se ganha somente dentro de campo e o adversário será o Flamengo, que está chiando contra a arbitragem na sua estreia contra o Vitória em Salvador. E quando o Flamengo grita, a cartolagem que manda no futebol fica ouriçada. Este gesto do América é apenas uma prevenção, como se fosse uma vacina, que pode funcionar ou não, mas fica o alerta e a pressão para que os árbitros escalados se comportem bem e não fiquem tentados a dar uma mão indevida ao poderoso Urubu.

Mas se um apitador quiser aprontar é impossível evitar, já que ele tem inúmeras oportunidades para isso durante a partida e um poder descomunal, irreversível. Peguem como exemplo Boa 0 x 2 Fortaleza pela Série B, terça-feira. O soprador de apito marcou pênalti contra o Boa porque “interpretou” como intencional, quando a bola pegou na mão do zagueiro que estava de costas ao dividir uma bola com o jogador cearense. O cara de costas, poderia adivinhar onde a bola bateria? Mas, um árbitro de futebol tem este poder manipulável de “interpretar” à sua maneira que foi pênalti.
O Palmeiras está na justiça tentando anular a partida final que deu o título paulista ao Corinthians. Vai espernear até cansar, mas estas ações pós-erros da arbitragem não vão dar em nada. Como diz o ditado, nestes casos, “se grito resolvesse, porco não morria”.
O América trabalha bem este tipo de pressão. Ano passado o então presidente Alencarzinho Silveira ocupou muitos espaços na mídia fazendo “alertas” contra os possíveis esquemas do apito, como mostra a memória eletrônica do portal Futebol Interior:
“Série B: Presidente do América-MG se diz preocupado com arbitragem – Alencar da Silva Júnior prometeu viajar até o Rio de Janeiro para se reunir com o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero…” (mais…)


Na política, no esporte ou em qualquer atividade, os protestos são um direito do cidadão, mas a violência é inaceitável

Foto:  @radioitatiaia

A polícia teve que usar de muita força para conter o grupo de torcedores que recebeu a delegação do Atlético ontem em Confins. Um exagero, principalmente contra quem veste verdadeiramente a camisa do Galo e encarna o espírito atleticano, como o Luan, por exemplo.


Depois de mais um empate, Cruzeiro terá que administrar a pressão no próximo jogo pela Libertadores

Faltou o gol contra O Universidade do Chile em Santiago, já que a atuação do time foi satisfatória e pelo menos três oportunidades claras foram desperdiçadas. Também faltou inspiração ao jogador que, quando está bem, o Cruzeiro fica difícil de parar: Thiago Neves. Edilson foi outro que não atuou bem e as avançadas dele se tornaram uma arma poderosa cruzeirense.

Apesar de nenhuma vitória no turno dessa fase de grupos a situação não é de desespero, pois está nas mãos do próprio time a possibilidade de reação. Enfrentará os dois líderes no Mineirão e dependendo do placar contra o time chileno no próximo jogo, poderá até ultrapassá-lo na segunda colocação. A maior dificuldade será administrar a ansiedade e pressão natural motivada pela obrigação de vencer e por placar dilatado.

Concordo com a opinião do comentarista do blog, Alex Souza, que escreveu:

* “De toda forma um resultado importante, por se tratar de jogo fora de casa. Tivesse o time saído desordenado ao ataque e sofrido um gol a situação seria terrível; Libertadores é assim… apesar da necessidade da vitória eventual derrota praticamente eliminaria o time do torneio. A pressão de ter que fazer vitórias no Mineirão a partir de agora vai colocar o time à prova mais uma vez.
Coisa rara: jogo disputadíssimo, mas na bola. Sem aquele besteirol de “espírito de Libertadores”, que só serve para fomentar a violência. Jogo difícil nesta noite, contudo a equipe se comportou bem defensivamente. O time do Chile foi só correria e até tentou, sem sucesso, fazer o famoso abafa sobre o Cruzeiro em alguns momentos, mas não conseguiu vencer a marcação. Quase marcou na única chance, quando Fábio deu uma refugada na saída em uma bola alta, mas recuperou-se com grande defesa. (mais…)


Noite para o Mano Menezes mostrar suas habilidades estratégicas

Foto: https://www.cruzeiro.com.br

Constantemente ouço cruzeirenses reclamando do sistema de jogo do Mano Menezes, chamando-o de “retranqueiro”. Não vejo assim. Mano é um estrategista inteligente, de bom senso, conhecedor das limitações do seu elenco, porém com a virtude de saber explorar o que cada jogador tem de melhor. Também estuda cada adversário para saber até que ponto pode ousar ou se precaver mais. Como ele mesmo gosta de definir as suas opções táticas, é na base do “jogo a jogo”. Tudo depende do potencial e fragilidades do outro lado. O adversário tem correria como principal arma e apoio da torcida. De modo geral, qualidade técnica da prateleira do meio. Hoje é dia do Mano mostrar suas virtudes de estrategista. Certamente o contra ataque será o prato principal, restando saber com qual intensidade e em que momento do jogo. O dono da casa irá com muita sede à busca do gol, desde o início.

Cruzeiro e Universidade do Chile jogaram entre eles quatro vezes na história e foram quatro vitórias da Raposa, duas em Belo Horizonte, duas em Santiago. Segundo o site do clube foram 10 gols a favor e apenas dois contra. Jogos pelas oitavas de final, em 2009, e pela fase de grupos da Libertadores em 2014. Ricardo Goulart é o maior artilheiro, três gols marcados. Bruno Rodrigo, Dagoberto, Kléber, Marquinhos Paraná, Samúdio, Soares e Willian marcaram um gol cada.

Mais do que nunca o time precisa pontuar hoje, a partir das 21h30, já que a situação é muito ruim no momento com apenas um ponto conquistado e seis disputados.


Página 1 de 1.03512345...102030...Última »