O prazer, a utilidade e a importância de ter um blog

28 de novembro de 2014 às 08:02

Quem me dera se eu pudesse viver por conta de escrever, especialmente neste blog. É assunto demais, porém, tempo de menos para me dedicar a este espaço, que desde que existe é mais por diletantismo do que atividade profissional. Não me rende dinheiro mas dá prazer e me fornece o que mais preciso para o meu trabalho como jornalista: informações e visões distintas para todo assunto. Muitas vezes os senhores e senhoras comentaristas me salvam de erros absurdos, de informações ou semânticos, e sou eternamente grato a todos os senhores.

Sim, porque quase sempre o que escrevo aqui no blog é uma prévia do que serão as minhas colunas no Super Notícia, O Tempo, Revista Exclusive ou o que falarei em minhas participações na Itatiaia, Sportv, Alvorada FM ou algum demais veículos que convidam-me para participações fixas ou esporádicas. Escrevo no blog, observo as reações, em quantidade e qualidade, corrijo as mancadas apontadas por muitos dos senhores e aprimoro tudo para escrever as colunas ou antes de entrar no ar.

As moderações são feitas pelo jornalista Emanoel Ferreira, que colabora comigo, e às vezes por mim. Um atleticano e um cruzeirense para que a coisa não fique desequilibrada. Duvido que vocês acertem quem torce para quem por aqui, hehehe…

Costumamos liberar disparates para que as pessoas de bom senso (maioria absoluta dos freqüentadores do blog) vejam como há idiotas e presunçosos espalhados por aí. Alguns criam vários nomes e endereços virtuais diferentes e se esquecem de mudar o texto. Outros são manjados.

Alguns se fazem de bobos, “fingem de égua”, mas precisam ter cuidado porque nunca dessas pode aparecer um cavalo e comer essa égua, hehehe! É do jogo!

Há também os que adoram fazer o papel de “Onbudsman”, aquela figura que existe há décadas em jornais do primeiro mundo para criticar a imprensa de modo geral e o próprio jornal. No Brasil foi instituído pela Folha de S. Paulo, mas não deu o mesmo resultado que dá lá fora. Uma crítica ou outra a colegas e a veículos são liberadas, mas a maioria não tem jeito. Primeiro porque opinião é opinião e ninguém é obrigado a concordar com ninguém. E não será este nosso espaço que servirá para ataques sistemáticos a colegas meus. Insatisfeitos que escrevam a eles ou aos veículos deles, assim como os insatisfeitos comigo me escrevem. Quando recebo críticas em tom normal de gente civilizada, mesmo que duras ou injustas, retorno os e-mail com o maior prazer. Quando se trata de gente mal educada, mando por spam, sem perda de tempo.

E tem uma turma também que toma umas canas abre o computador e sai escrevendo besteiras para tudo quanto é blogueiro. Estes são facilmente identificáveis porque normalmente mandam essas mensagens de madrugada no meio de semana, ou no início da noite aos domingos, certamente depois dos jogos da rodada. Estes mesmos escrevem bem pra caramba em horários normais de trabalho. Claro que são sempre bem vindos, porque afinal, que nunca fez bobagens depois de encher a cara.

Se algum dia eu me aventurar como escritor, certamente escreverei um livro sobre este nosso blog, falando dessa experiência muito legal, publicando muitas histórias e comentários dos senhores, mostrando a competência de muitos, melhores que centenas de nós jornalistas, e também os disparates, incoerências e loucuras, motivados pela paixão por um clube ou outro.

GABO

Esta foto mostra o escritor Gabriel Garcia Marques em seu começo profissional, como jornalista.

Escrevi este texto para homenagear a este grande colombiano, nascido em Aracataca, em seis de março de 1927 e que morreu este ano, dia 17 de abril. Deste a morte dele estou com esta foto guardada para homenageá-lo, mas só hoje surgiu a oportunidade. “Antes tarde do que mais tarde”, né não?

É para reflexão. Observem a máquina de escrever. Imaginem que até outro dia todos datilografávamos em modelos semelhantes, até surgirem os computadores, em fins dos anos 1980. Tudo muda, tudo passa, tudo evolui. Até as coisas ruins, infelizmente!

Um ótimo fim de semana para vossas excelências e vamos trocando ideias.

Caso fosse um tribunal europeu, norte-americano ou asiático a diretoria do Cruzeiro deveria ficar preocupada, mas em se tratando de Brasil…

27 de novembro de 2014 às 11:03

STJD classifica como “irresponsável”, “reprovável” e “rasteira” a postura do Cruzeiro!

Está na coluna Painel FC, da Folha de S. Paulo, hoje:

* “A final no tribunal”

“O STJD classificou como “irresponsável”, “reprovável” e de “conduta rasteira” o fato de o Cruzeiro não ter repassado 10% dos ingressos da final da Copa do Brasil para o Atlético-MG. Em decisão sobre a briga dos rivais mineiros, Caio Rocha, presidente do tribunal, critica o comportamento da diretoria do Cruzeiro e cita que o clube descumpriu o Estatuto do Torcedor e o Regulamento Geral de Competições da CBF neste caso.

Réu. O presidente do STJD ainda relata que o Cruzeiro pode ser punido por ter infringido seis artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Entre os itens, Rocha cita o artigo 243-A, que fala de “tentativa de influenciar o resultado da partida via manipulação da quantidade de torcedores presentes”.

Picuinha. Por fim, Rocha trata como “dispensável” esse tipo de situação criada. “O STJD possui função pacificadora e não deve admitir que rixas, birras e disputas comezinhas deem causas a processos desportivos que seriam, de outro modo, absolutamente desnecessários e dispensáveis”, escreveu o presidente do STJD.”

STJD

-

Com o Galo acabou a fama de pé frio do Mick Jagger

27 de novembro de 2014 às 10:41

Pois é!

Antes do primeiro jogo da final da Copa do Brasil um amigo cruzeirense me enviou esta foto do Mick Jagger, por ocasião da vinda dele a Belo Horizonte para a Copa do Mundo. Estava no Mineirão no massacre alemão sobre a seleção brasileira na semifinal.

RIAC

O principal anfitrião dele por aqui foi o ex-presidente do Galo e dono do Banco BMG, Ricardo Guimarães.

MICK

Como tinha fama de pé frio, esta foto foi espalhada pelos rivais como prenúncio de que a Raposa seria campeã!

Deu no que deu: tomou duas cacetadas e proporcionou ao grande Rolling Stone acabar com esta fama de dar azar para quem torce.

JAG

Agora ele já pode ir aos estádios sossegado, sem levar pânico aos times para os quais vai torcer

Bom dia alvinegro!

27 de novembro de 2014 às 06:28

Obrigado à Rosani Lopes que enviou:

CAM

Com os dizeres: “Saudações alvinegras!”

Um novo Atlético, com futebol, espírito e gana de vencedor!

26 de novembro de 2014 às 23:16

Parecia que o Atlético é que precisava fazer três gols no Cruzeiro. Tomou as iniciativas ofensivas desde o início, marcou de forma implacável, principalmente as laterais cruzeirenses, desperdiçou oportunidades incríveis e mesmo depois de fazer 1 a 0 não procurou segurar o resultado porque sabia que se fizesse isso entraria no jogo que o Cruzeiro mais gosta.

Foi o sétimo confronto entre eles este ano, a quarta vitória alvinegra e três empates.

image

Foto: SuperFC/OTempo

Nesta conquista da Copa do Brasil é preciso reverenciar os jogadores, mas o chapéu precisa ser tirado em homenagem ao Levir Culpi. Do que ficou do Cuca, apenas o Victor não precisou sofrer melhoras; os demais jogadores, todos trocados ou melhor aproveitados e mais motivados. Começando pelo principal ídolo da massa, Diego Tardelli, que é outro jogador, muito mais produtivo. Mesma situação do Marcos Rocha. Leo Silva virou capitão; o jogador certo na função certa. Sério dentro e principalmente fora de campo. Jemerson, um achado na base, assim como o Carlos e apostas que deram certo como o Douglas Santos e Rafael Carioca.

Dátolo foi outra conquista. Passou por uma metamorfose através do Levir que superou Ronaldinho em assistências e fez com que o R10 se tornasse uma saudosa lembrança, mas sem fazer falta, já que não vinha jogando muita coisa. Lançou jogadores da base como Dodô; Eduardo, posicionou melhor o Marion e soube revezar Leandro Donizete, Josué e Pierre nos jogos e momentos certos; deu moral para o Luan e conseguiu montar um elenco durante a temporada, conquistando títulos, coisa quase impossível, em função do calendário.

Uma despedida com chave de ouro do presidente Alexandre Kalil do seu vitorioso mandato. Ele acertou ao levar o primeiro jogo para o Independência, onde o time fez 2 a 0, uma vantagem ótima nesta disputa, contra um adversário também da prateleira de cima, como foram Flamengo, Corinthians e Palmeiras.

Kalil merece. Ele faz questão de dizer que gostaria de entrar para a história como o segundo melhor presidente da vida mais que centenária do Galo, mas superou o até então melhor, Elias, o pai dele. Diferentemente daqueles tempos ele assumiu o Galo quebrado, desmoralizado, sem time e devendo quase três meses de salários. Organizou o clube, o tornou novamente respeitado, conquistou títulos inéditos como a Libertadores, Recopa e Copa do Brasil. Títulos conquistados e comemorados dentro do Mineirão, além de dos campeonatos estaduais.

E acabou com a “Faixa de Gaza”, como era chamada a política interna do Atlético. Elegerá seu sucessor, Daniel Nepomuceno, como candidato único no próximo dia dois.

A torcida, que nunca falhou, fez de novo o papel dela, no Mineirão, no Independência e nas ruas!

CAM

-

Tudo é possível nesta decisão entre Atlético e Cruzeiro e vários fatores extra podem influenciar no resultado

26 de novembro de 2014 às 16:42

Além de eventuais erros de jogadores, treinadores e arbitragem. Também tem o “Sobrenatural de Almeida”, sempre lembrado pelo Nelson Rodrigues, quando algum jogador faz uma jogada de gênio ou marca um gol improvável e decide o jogo.

Um fator extra que pode atrapalhar a qualidade do espetáculo é o gramado e aí dependeremos dos humores de São Pedro lá em cima. Caso ele mande água razoável, o gramado corre o risco de ficar igual aquele de Cruzeiro e Goiás. Se for chuva demais, há o risco de nem haver condições de jogo nessa vergonha de gramado que é o Mineirão, uma obra caríssima, com defeitos graves, e este imperdoável.

Um gramado pesado não interessa a nenhum dos adversários desta noite já que ambos têm ótimos jogadores e nenhum brucutu, que precise recorrer ao anti-jogo para se ganhar a vida como jogador de futebol.

No dia dois de novembro, o cruzeirense Emilio Melo Figueiredo estava no Mineirão assistindo Cruzeiro 2 x 1 Botafogo, e enviou ao blog esta foto, em tarde sem chuva, protestando contra a qualidade do gramado muito castigado.

GRAMADO

Ou seja, com chuva, pior ainda, como ocorreu no Cruzeiro x Goiás.

A justificativas da Minas Arena quanto a possíveis exigências da Fifa não me convencem. O que ela exige é campo de jogo de alta qualidade, como ficaram, por exemplo, os do Independência e Arena do Jacaré. O do Mineirão, estádio da Copa, tem o seu gramado criticado desde a inauguração.

Armando C. A Monteiro, nosso leitor, é geólogo aposentado, apaixonado por futebol bem jogado, e frequentador assíduo do antigo do Mineirão, segundo ele “numa época em que a sua drenagem era perfeita e elogiada por todos”. Ele nos enviou informações interessantes sobre subsolos e os possíveis problemas do gramado do nosso maior estádio que foi rebaixado em seis metros em sua reconstrução para a Copa: “existe a possibilidade desse rebaixamento estar propiciando a exposição do nível freático em dias de chuvas e caso seja essa a causa dos alagamentos, serão necessárias obras visando o rebaixamento do nível freático; possíveis, mas um pouco onerosas”. E arremata: “são apenas conjecturas de um geólogo aposentado que ainda fica indignado com obras públicas, caras, executadas sem o mínimo de planejamento e respeito ao dinheiro público”.

Pois é! Menos mal. Imagine se quem planejou e executou essas obras tivesse cuidado também de viadutos!

Lélio Gustavo se desculpa com Renata Fan mas não retira o que disse sobre os colegas dela de bancada

25 de novembro de 2014 às 17:56

Obrigado ao Thiago Rosa que nos enviou esta reportagem do Uol com o Lélio Gustavo:

* “Comentarista que xingou Renata Fan se arrepende e leva bronca da mulher”

lelio

Lélio Gustavo é do tipo que age com o coração. Não tem medo de falar o que pensa e vai contra o politicamente correto que impera no futebol atual. O estilo sincero doa a quem doer o tornou um dos comentaristas esportivos mais conhecidos de Minas Gerais. Mas também o fez perder a linha algumas vezes e exagerar por falar demais.

“Eu tenho o estilo de falar a verdade. É tão difícil encontrar uma pessoa verdadeira que as pessoas até se assustam, tem hora que cometo alguns exageros, nem todo mundo é perfeito. Mas sou assim desde menino, não é nada forçado, eu falo na cara o que estou sentindo mesmo. As pessoas estranham porque muita gente vai pelo caminho do politicamente correto. O futebol está muito chato, não custa nada alguém falar algumas verdades. Eu queria que existissem mais Lélios para comentar política”, brinca.

Lélio tem poucos arrependimentos na vida, o maior deles foi xingar a apresentadora da Band Renata Fan em rede nacional. O ato impensado o fez levar bronca em casa da mulher Karina e o deixou chateado, principalmente diante da proximidade do nascimento de sua primeira filha Maria Luiza.

“Foi o meu maior erro, sem dúvida, por ela ser mulher. Eu poderia ter criticado de outra maneira. Minha esposa vai ter uma menina, será que eu ia gostar de ver a minha filha sendo xingada como eu xinguei? Eu acho que não. Peguei pesado mesmo. Eu fiquei chateado, minha esposa me chamou a atenção: ‘como você fala assim de uma mulher?’”.

Lélio deixou seu coração falar mais alto e soltou o verbo no programa que participa na “TV BH News”. Chamou o ex-jogador Denílson de imbecil e idiota, xingou Morsa de b.. e m… e disparou contra Renata que havia apenas levantado a discussão sobre quem passaria à próxima fase. Depois do ocorrido, Lélio pediu desculpas no ar para a apresentadora, mas não recuou para os comentaristas.

“A Renata Fan poderia ter ficado sem essa, mas na Bandeirantes pegaram muito pesado com o Atlético. É esse tipo de coisa que me deixa puto pra c… para falar a verdade, essa coisa de querer diminuir, chamar de cavalo paraguaio, duvidar que o Galo vai passar do São Paulo. Por que não? O Atlético tinha Ronaldinho Gaúcho, Jô da seleção, Tardelli, Victor, Réver, Leonardo Silva. Por que não poderia passar do São Paulo?. Da Renata eu me arrependo, agora o Denílson e o Morsa eu quero que vão para a casa do capeta”.

http://uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/2014/11/25/comentarista-que-xingou-renata-fan-se-arrepende-e-leva-bronca-da-mulher/

Filme sobre a defesa do Victor contra o Tijuana ganhou festival no Rio e vai disputar Oscar do Cinema e TV de Esportes na Itália

25 de novembro de 2014 às 06:21

O curta-curta-metragem sobre o pênalti e as conseqüências da defesa do Victor no Atlético x Tijuana, transformou-se no filme campeão no Festival de Cinema Esportivo “Cinefoot” no Rio, e foi escolhido como representante do Brasil na Final do Mundial de Cinema e Esportes, o Oscar do Cinema e TV de Esportes.

Vai disputar a “Guirlande d’Honneur 2014”, em Milão, na Itália, de 3 a 8 de dezembro.  Mais detalhes aqui: http://www.sportmoviestv.com/index.php/en/news-centre/ficts-festival/3320-3-8-dicembre-la-data-di-sport-movies-a-tv-2014-a-milano

O filme conta o sentimento dos torcedores do Clube Atlético Mineiro, quando, na Libertadores de 2013, teve contra si marcada uma penalidade máxima aos 46 minutos do segundo tempo, no jogo Atlético x Tijuana, penalidade que foi defendida aos 48 minutos, num roteiro realmente de cinema.

Com duração de 15 minutos e vários personagens, registra o sentimento de cada torcedor entre a marcação da falta e a defesa milagrosa do São Victor do Horto. Além do Oscar que disputará em Milão, foi selecionado para outros festivais ao redor do mundo.

Mauro Reis, o cineasta diretor do filme, que viaja dia 28 para a Itália, é um atleticano que mora no Rio, se intitula “Lobo Mauro”, e investiu economias pessoais, inclusive para cumprir o desejo de seu pai também atleticano, falecido antes de ver o Galo campeão.

Para participar de tais festivais, o investimento não é pequeno, razão pela qual, também com o apoio dos jogadores Leonardo Silva e Victor, do Atlético, está promovendo alguns eventos para angariar fundos, a saber:

Uma rifa digital, com camisa oficial, poster e camisa do clube, todas autografadas por São Victor e pelo zagueiro Leonardo Silva, personagens dos fatos, rifa que poderá ser adquirida de qualquer parte do mundo, conforme detalhado em http://www.rifadigital.com.br/galo-rifa-3×1 ou ainda na página do Curta-Metragem em  https://www.facebook.com/quandosesonha?fref=photo

- Em 26/11/2014, final da Copa do Brasil, será exibido em duas sessões a partir das 20:00, na Av. Gomes Freire, 457, Rio, ‘Lapa Café’, onde centenas de atleticanos verão o clássico decisivoApós a exibição, será rifada entre os presentes outra camisa de treino autografada pelo goleiro do Galo.

- Por iniciativa do Custódio Neto, presidente da Cariogalo, quem não puder participar das primeiras opções, ele também recebe qualquer doação em dinheiro bem como está vendendo camisas do curta. Como prova, o Custódio já fez a doação dele e apresenta o comprovante com os dados:

SISBB – Sistema de Informações Banco do Brasil – 25/11/2014 – Autoatendimento BB – 04:30:19
Agência: 392-1 – Conta: 16967-6 – Cliente: CUSTODIO PEREIRA NETO

Debitado

Creditado

Agência: xxx-1
Conta:xxxxx-6
Nome:CUSTODIO PEREIRA NETO

Agência:3114-3
Conta:14301-4
Nome:MAURO LUCIO REIS CORREA

Data: Nesta data       Valor: 116,57
Quem quiser e puder contribuir com algo, com qualquer valor, os Dados Bancários são Banco do Brasil, Agência 3114-3, Conta Poupança: 14.301-4, CPF: 005.359.456-80 (Mauro L. R. C.). Após depositar, envie cópia para quando.se.sonha@gmail.com ou lobomauro73@gmail.com

Contatos: Mauro Reis (Lobo Mauro)

E-mail: quando.se.sonha@gmail.comou lobomauro73@gmail.com

Fan Page do Curta: https://www.facebook.com/quandosesonha?fref=photo

VICTOR

“O Galo nos faz amigos. E a amizade é invencível”.

Contatos do Custodio e Cariogalo:

Site: www.custodioneto.com.br

E-mail: custodio@custodioneto.com.br

Twitter: https://twitter.com/CustodioNetoAdv

Perfil no Facebook:

http://www.facebook.com/custodioneto.eadvogadosassociados

Ricardo Marques pediu pra sair

24 de novembro de 2014 às 20:20
Twittada importante do Wellington Campos
RICARDO

“O árbitro Ricardo Marques Ribeiro pediu dispensa da final da Copa do Brasil @Cruzeiro x @atletico como adicional. Entra Raphael Claus SP”

Minas Arena cria “Mineirão virtual” para promover o clássico decisivo

24 de novembro de 2014 às 20:06

Uma iniciativa legal para tirar proveito da força das redes sociais em prol do futebol. Para aproveitar a euforia que envolve esta decisão e a vontade dos torcedores de estar presentes no Mineirão, a Minas Arena criou o “Torcida de Gigantes”, um hotsite que simula um estádio virtual, com capacidade ilimitada.

TORCIDAS

A ação funciona da seguinte forma: um contador registra cada Tweet com a hashtag dos times e calcula qual a porcentagem de torcedores que está apoiando cada um dos clubes. Além das mensagens de apoio, a ação também estimula o sentimento de participação das torcidas, já que cada tweet é importante para que o apoio ao seu clube seja maior do que o do adversário.

A ação também destaca os tweets mais legais – sejam eles de blogueiros, jornalistas ou torcedores comuns – e aumenta a visibilidade da marca Minas Arena em todo o Brasil, já que os olhos de todo o país estarão voltados para esta partida.
Simultaneamente ao “Torcida de Gigantes”, a Minas Arena também está realizando a ação “Tô na Torcida”, onde os torcedores são convidados a enviar vídeos no Instagram com mensagens de apoio para seu time e com a hashtag #ToNaTorcida. Os vídeos mais criativos e originais – sem mensagens que possam acirrar a rivalidade entre os torcedores- serão exibidos no telão durante a partida.