E lá se foi o Carlos Moreira, grande atleticano, conselheiro e ex-diretor do clube

15 de abril de 2014 às 17:10

À família dessa grande figura humana os nossos sentimentos.

Um dos maiores atleticanos que tive o prazer de conhecer.

Obrigado ao Rogério Eustáquio Furtado da Costa, Secretário do Conselho Deliberativo do Atlético que enviou o triste comunicado:

* “Com profundo pesar comunicamos o falecimento do Conselheiro Benemérito Carlos Moreira de Araújo.

CARLOS_MOREIRA_DE_ARAÚJO

Era Conselheiro do Clube desde a década de 1960, tendo ocupado diversos cargos no Clube, como Subdiretor Social na gestão de Eduardo de Magalhães Pinto, Diretor de Esportes Especializados nas gestões Nelson Campos, Walmir Pereira da Silva, Elias Kalil e Afonso de Araújo Paulino.

Nascido em 10/05/1923 era Funcionário Público Aposentado. Seu corpo está sendo velado no Cemitério Parque da Colina e o sepultamento será amanhã dia 16/04/2014 às 14:00 horas.”

Em 2008 o Cruzeiro atropelou o Cerro, em Beagá e em Assunção

15 de abril de 2014 às 11:49

No portal Guerreiro dos Gramados, artigo muito interessante que lembra coincidências entre Cruzeiro e Cerro Porteño, que decidiram vaga em 2008 também pela Libertadores da América.

* “Coincidências a parte (Cruzeiro x Cerro Porteño – Libertadores 2014)

Por Matheus Tavares Rodrigues

-

CRU-

. . . O Cerro Porteño é o desafio das oitavas de final. E devido as campanhas na primeira fase, a primeira partida será no Mineirão. A exemplo dos dois primeiros confrontos contra os paraguaios em 2008. Na época, o time do “losango perfeito” de Adilson Batista com Fabrício, Ramires, Charles e Wagner fizeram também a primeira partida decisiva no Mineirão e venceram por 3 a 1, com gols de Ramires (duas vezes) e Marcelo Moreno. A volta no Defensores Del Chaco terminou aos 24 minutos do segundo tempo, quando o Cruzeiro vencia por 3 a 2. A partida foi suspensa por causa de objetos arremessados pelos torcedores paraguaios.

Em 2014, o confronto se repete na mesma ordem. O Cruzeiro faz a primeira partida no Mineirão, quarta-feira, dia 16 de abril. A volta é no dia 30 de abril, no Defensores Del Chaco, no Paraguai. Além da coincidência na ordem dos jogos, espera-se que o resultado seja o mesmo, com o Cruzeiro vencendo as duas e se classificando. Acompanhe abaixo como foram os dois confrontos do Cruzeiro contra o Cerro Porteño…

Leia o artigo completo no:

http://www.guerreirodosgramados.com.br/colunas-cruzeiro/tiro-livre/6991-coincidencias-a-parte-cruzeiro-x-cerro-porteno-libertadores-2014

A mania de se proibir tudo está acabando com o prazer de ir aos estádios

15 de abril de 2014 às 11:43

Nos últimos anos o prazer de ir aos estádios vem diminuindo. Começou com a mania de proibição de tudo: cerveja, bandeiras com hastes, instrumentos e até radinhos de pilha.

Depois veio a mania de uma torcida só nos clássicos e agora só 10% se um dos adversários quiser.

No portal Galo Forte e Vingador, um relato do atleticano Pedro Souza que mostra como estão conseguindo acabar com coisas simples, que faziam e ainda fazem um bem danado.

Confira:

* “Mataram nosso futebol!

-

CAM

-

Um fim de semana pra relembrar aqueles velhos domingos de clássico. A tensão já começa no sábado à noite, nervos a flor da pele. A saída para o gigante da Pampulha é logo cedo, como nos velhos tempos mesmo.

O ônibus corta a Avenida Antônio Carlos, e o nervosismo se triplica, mas espera.

Por que tanto torcedor rival do nosso lado? Esse lado, essa rua, esse posto… era nosso em clássicos! Começa ai a saga dos novos tempos, dos novos clássico. Começa aí o despreparo do governo, da polícia. Somos obrigados a andar no meio da torcida rival, ouvir de tudo por estar em minoria naquele momento e tomar cervejada. E a PM? Prefere olhar, e ameaçar verbalmente os agressores. Mataram o nosso futebol!

Se pensa que só isso estava estranho se enganou. Dividiram a rua (como naquelas brincadeiras de criança, que fica um em calda calçada), e nos encurralaram em frente ao famoso Bar do Peixe. Do outro lado passavam os rivais, saindo do jogo, de um jogo de Vôlei no Mineirinho e indo para o Mineirão.

“Por que não isolam a rua para a gente Policial?”, indagou a torcedora abismada com o acontecimento.

Era impossível conter as provocações de ambas as partes, às vezes voava de tudo, enquanto quem deveria manter a ordem publica, apenas observava e ria dos cânticos de ambas as partes. Enquanto éramos minoria e corríamos o risco, eles não fizeram nada, absolutamente nada! Pouco mais de 1 hora de muita provocação e pequenas confusões, a massa começou a chegar em peso, e assim gerando um certo risco para a torcida azul. A partir deste momento, resolveram nos isolar.

“Policial, porque não fecharam antes quando a gente estava correndo risco?” Perguntei. . .

Leia o texto completo no:

http://galofortevingador.com.br/colunas/galo-na-veia/83-mataram-nosso-futebol

América apresenta Thiago Santos que já está à disposição para jogar contra o Vasco

15 de abril de 2014 às 11:23

Informações do Carlos Cruz, comandante da assessoria de imprensa do Coelho:

-

AFC

-

O atleta, apresentado oficialmente pelo Gerente de Futebol Flávio Lopes, assinou contrato até o fim da temporada. Ele já está à disposição do técnico Moacir Júnior para a estreia no Campeonato Brasileiro contra o Vasco, no próximo sábado, em São Januário.

Novo caso de racismo contra jogador; agora até de jornalista!

14 de abril de 2014 às 18:52

Eu, hein!?

Jornalista?

Brasil!!!!!!

Do portal Comunique-se:

* “Apresentador é afastado de afiliada do SBT após supostamente chamar jogador de macaco

jronalista

Jornalista da TV Tibagi, que faz parte da Rede Massa e é afiliada do SBT em Maringá (PR), o apresentador do ‘Show de Bola’, Lourival Santos, foi afastado de suas atividades. O motivo? Ele teria chamado um jogador de macaco. O caso aconteceu na tarde de domingo, 13, durante a transmissão da final do Campeonato Paranaense.

Santos foi denunciado pela colega de profissão Monique Vilela, que trabalha na Rádio Banda B. A jornalista teria escutado o apresentador de TV chamando o lateral-direito do Londrina Esporte Clube (LEC), Maicon Silva, de macaco. A partida era contra o Maringá e o xingamento teria sido após o gol do Londrina, que abriu o placar no estádio Willie Davids.

Ao SporTV, o presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Paraná, Isaías Bessa, contou o que aconteceu. “Ele estava devidamente credenciado pela emissora dele, que é do SBT aqui de Maringá. No exato momento que saiu o gol, ele correu junto com os jogadores e, segundo as informações que foram passadas, ele chamou o jogador de macaco. A nossa companheira de Curitiba, a Monique Vilela estava do lado, ouviu, se irritou com isso, levou ao meu conhecimento, levamos ao conhecimento do tenente. Ela se prontificou a fazer a denúncia contra ele, ele foi detido. O que ficou mais chato foi que ele tentou esconder o colete de imprensa dentro do vestiário do Maringá. Nós trancamos as saídas de imprensa, ele não teve como sair e foi obrigado a devolver o colete”.

Na noite de ontem, Santos foi encaminhado para a 9.ª Subdivisão Policial de Maringá, assim como outros dois jornalistas que aceitaram fazer a representação criminal. Ele foi liberado após prestar depoimento, mas deve responder por crime de injúria racial. Em nota oficial, a emissora da Rede Massa disse que condena todo e qualquer tipo de racismo e informou que o profissional foi afastado de suas funções. Porém, o canal não informa o tempo de ausência do apresentador.

http://portal.comunique-se.com.br/index.php/destaque-home/74145-info

Polícias gaúcha, argentina e de Brasília traçam planos para conter “barras-bravas”! Uai, e Beagá?

14 de abril de 2014 às 12:35

Li esta reportagem da Folha de S. Paulo no mês passado, muito oportuna.

Porém, não vi o nome de Belo Horizonte e até agora nenhum pronunciamento das autoridades mineiras sobre o assunto que nos interessa diretamente.

Afinal de contas a Argentina se hospedará em nossa capital antes e durante a Copa.

Certamente esses indesejáveis “barras-bravas” estão se programando para vir também.

Um importante alerta.

barra-bravas1

* “Policiais da Argentina atuarão em Porto Alegre, Brasília e na fronteira”

COPA
Além desses pontos, grupo do país vizinho acompanhará a seleção de Messi

O governo brasileiro prepara uma parceria com a Argentina para controlar os barras-bravas (torcedores organizados violentos do país vizinho) durante a Copa.

O plano de segurança prevê a presença de policiais argentinos em Porto Alegre, onde devem fazer a interlocução entre as forças de seguranças e os torcedores, e Brasília, onde ficarão no centro de comando nacional para a segurança da Copa.

Haverá ainda um grupo de policiais argentinos para acompanhar a seleção de Messi. Eles estarão uniformizados, mas sem armas, e atuarão sempre acompanhados de agentes brasileiros.

Outro ponto definido foi uma operação conjunta de controle na fronteira dos dois países para barrar os torcedores em situação irregular –com condenações na Justiça ou outro impedimento para sair da Argentina.

O governo brasileiro já pediu ao país vizinho uma lista de torcedores com antecedentes criminais e problemas em estádios. A polícia brasileira ainda vai monitorar a presença de grupos organizados nos estádios e arredores, para evitar aglomerações.

Chefe da secretaria de Grandes Eventos do Ministério da Justiça, o delegado Andrei Rodrigues destaca que o plano de segurança é feito em parceria entre diversas forças de segurança dos Estados, governo federal e demais países participantes do torneio.

Segundo Rodrigues, os barras-bravas não são o único foco da segurança. “Aqueles que não respeitarem a legislação brasileira sofrerão as consequências.”

O acordo entre Brasil e Argentina foi selado há duas semanas. Embora o governo planeje ações semelhantes para eventuais torcedores violentos de outros países, como da Inglaterra, a operação com os argentinos se tornou prioridade após o sorteio da Copa, em 6 de dezembro.

Porto Alegre receberá o principal jogo da Argentina na primeira fase de seu grupo, perante a Nigéria.

Para a Copa, são esperados 40 mil argentinos. Na partida contra a Nigéria, por exemplo, a taxa de estrangeiros com ingresso é de quase 30%, o dobro da média da Copa.

A ONG HUA (Hinchadas Unidas Argentinas), que reúne 38 torcidas organizadas do país, prepara-se para desembarcar com 650 torcedores no Brasil para o Mundial.

De acordo com jornais argentinos, nenhum desses torcedores tem ingressos para os jogos da seleção.

Por isso, um dos focos da segurança será a Fan Fest, festa promovida pela Fifa para reunir milhares de fãs que não têm entradas para os jogos da competição. O evento acontecerá a dois quilômetros do estádio Beira-Rio.

A HUA já acionou a Justiça argentina para que não enviem a ficha dos torcedores ao governo brasileiro.

Na Copa de 2010, na África do Sul, 18 membros da HUA foram presos –e deportados.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/158714-policiais-da-argentina-atuarao-em-porto-alegre-brasilia-e-na-fronteira.shtml

- -

barra-bravas3

- -

Verdade verdadeira do Duke!

14 de abril de 2014 às 10:48

Verdades costumam doer!

Até em que produz a charge . . .

DUKE

. . . e em quem a republica, hehehe!

Hoje, no Super Notícia

Mais um zero a zero e a merecida conquista do Cruzeiro

13 de abril de 2014 às 19:05

A expectativa é que seria um jogo de muitos gols, mas os sistemas defensivos prevaleceram. Sem falhas comprometedoras de nenhum lado, que rendesse gol, mais um zero a zero no clássico, que valeu o título invicto ao Cruzeiro que fez uma campanha irretocável: defesa menos vazada, ataque mais positivo e a melhor campanha na primeira fase da disputa.

Aos 42 do segundo, o árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden apitou pênalti de Dedé em Jô, mas o bandeira Fábio Pereira, do Tocantins, marcou impedimento, erradamente, mas que fez Vuaden voltar atrás.

- Mesmo erro que qualquer árbitro do mundo poderia cometer, inclusive um mineiro. Entretanto os clubes e a FMF preferem desprezar nossos apitadores. A diferença entre árbitros de outros estados para os nossos é que os de fora pegam o avião de volta para casa logo depois do jogo.

No primeiro tempo parecia que o Cruzeiro era quem precisava vencer, já que manteve o seu estilo ofensivo. Partiu para o ataque usando principalmente os laterais, além de se aproveitar da quantidade absurda de passes errados dos jogadores do Atlético, notadamente Guilherme, Donizete e Pierre.

- Aos 23 Everton Ribeiro perdeu a melhor oportunidade ao ficar cara a cara com Victor e chutar para fora.

Um minuto depois Julio Baptista também desperdiçou chance, obrigado Victor a fazer bela defesa.

Os poucos lances de perigo do Atlético foram através de enfiadas de bola de Ronaldinho, mas sem incomodar ao goleiro Fábio, já que a marcação cruzeirense foi impecável, tanto da defesa quanto do meio campo.

- O segundo tempo começou do mesmo jeito. O Atlético não conseguia sair da marcação azul e os seus principais jogadores, Ronaldinho e Tardelli, não davam nem lampejos das jogadas desconcertantes que costumam fazer.

Paulo Autuori apostou na velocidade de Fernandinho que entrou no lugar de Guilherme, mas também anulado pela marcação cruzeirense. Lucas Silva e Henrique destruíam as iniciativas atleticanas com muita eficiência.

-  A partir dos 28 minutos é que o Atlético conseguiu chegar com mais constância à área cruzeirense, com as mexidas na base do tudo ou nada do técnico Paulo Autuori: pôs Neto Berola no lugar do lateral Michel e o volante Claudinei no lugar do Pierre, que tinha tomado cartão amarelo.

Marcelo Oliveira reforçou a marcação com Souza no lugar de Dagoberto, mas injetou gás no ataque, com William no lugar de Ricardo Goulart.

- -

Final

Foto: SuperFC

- -

Para refletir

Quando um humilde Ituano desbanca os maiores clubes do estado mais forte financeiramente do país, o contexto precisa ser avaliado com muita atenção. Incompetência dos grandes na formação dos seus times ou competência do estilo gerencial do clube de Itu e do jovem treinador do time, o ex-volante Doriva?

O comandante do futebol é outro ex-jogador, Juninho Paulista.

Para comemorar, orgulhar e valorizar: momento raro do futebol de um estado!

11 de abril de 2014 às 12:45

Senhoras e senhores,

nestes momentos antes do nosso grande clássico quando o bate-boca entre atleticanos e cruzeirenses se acirra, sugiro a leitura destes dois comentários feitos aqui no blog. Nós, mineiros, temos muito para nos orgulhar e comemorar o momento vivido pelo nosso futebol.

Isso precisa ser valorizado!

Antônio Silva escreveu:

* “Caros analistas do esporte bretão, bom dia! Ficar analisando quem foi melhor ou menos pior em minha opinião não levará a nada! O mais importante é que MG e metade do RS estão seguindo na libertadores e nenhum paulista ou carioca pra tirar o ibope. O que a imprensa nacional vai falar agora? Teremos somente uma babação de Copa do Brasil e estaduais de SP e RJ até o início do brasileirão? Nós (Cruzeirenses e Atleticanos) devemos nos focar em nossos clubes, suas qualidades e defeitos pois no domingo já teremos uma medição final da força das duas equipes. O Cruzeiro com a vantagem do empate e jogando diante de um mineirão lotado novamente na cor azul pode se impor com naturalidade mas caberá ao alvinegro se superar e mostrar por que foi o último campeão do continente. E qualquer resultado que ocorrer, independente de quem for o campeão, poderá haver uma revanche para que o clube derrotado se desforre na moral da bola rolando em um encontro histórico do grande clássico das alterosas só que em nível continental e isso, por si só, já e motivo de orgulho a todos nós mineiros azuis ou alvinegros. Adversários sempre, inimigos jamais!!!”

- – -

CAM

- – -

João Chiabi Duarte escreveu:

* “Prezado Chico Maia,
Após a classificação do Cruzeiro (sofrida, mas, merecida) e de ver o Flamengo de novo sair na fase de grupos da Libertadores, depois de ver o modelo de descansar jogadores do Atlético-PR dar com os burros n’água e de ver o Botafogo rodar em Buenos Aires… além de ver os grandes de São Paulo sendo batidos pelo Ituano (todos eles), será que o mundo do futebol não vai acordar e dar a MINAS GERAIS o destaque merecido ?
Ora, Cruzeiro e Atlético-MG fazem nos dias atuais o clássico mais vibrante, eletrizante, pegado e com rivalidade em alto nível de todo o futebol brasileiro… e na TV Aberta não somos mostrados NUNCA.
Sabem porque ?
Porque eles tem medo da gente conquistar torcedores dentro da terra deles… Com o futebol deles em baixa, querem agora vender que bom futebol é o da Champions League. Isto não nos interessa, estamos cedendo espaço na cabeça dos meninos para torcerem para times europeus, falando que nosso futebol não presta.
Botem o Barcelona para disputar um Campeonato Brasileiro e duvido que chegue entre os 3 melhores.
Um forte abraço a todos, com os votos de mais um grande clássico no domingo e que vença o melhor (tomara que seja o lado azul & branco a festejar o título). A provocação faz parte da tática de trazer várias opiniões sobre o mesmo tema.
Temos mais que valorizar o que é nosso.”
Att. João Chiabi Duarte

CEC
- – -

Minas, mineiros e a nossa fragilidade política/empresarial!

11 de abril de 2014 às 12:40

Vejam este e-mail que recebi em função da minha coluna de ontem no Tempo, e a importância de valorizarmos mais o nosso estado e pressionar às nossas lideranças para que sejam mais ativas e competentes na defesas dos interesses de todos os mineiros.

Obrigado ao Francisco, que escreveu:

* “Meu nome é Francisco Werkema…

Li sua coluna no jornal “O Tempo” de 10.04.14, quanto aos valores pagos pela Caixa, referente a patrocínios fico a me perguntar:

Como pode se assim? A caixa patrocina time de tudo em quanto é lugar mas nenhum de Minas,, a Petrobrás patrocinava Flamengo, já patrocinou o Botafogo através da Liquigás mas também nunca patrocinou nada em Minas…

A Eletrobrás patrocina o Vasco mas as usinas que mais geram energia para ela estão em Minas mas aqui ela não patrocina nada,seja futebol, vôlei, basquete ou qualquer evento cultural…

ELETROBRAS

A Vale tem suas minas aqui e no Pará,mas comparado ao que patrocina no Rio, onde tem sede , o aqui feito é pífio, no Pará então, nem se fala…

vale

Como pode ser isto..somos o segundo estado em tudo quando se trata de riqueza no Brasil, na pecuária e Agricultura somos o primeiro em quase tudo mas não vem nada de bom a nível ancional pra cá, seja em esportes, cultura ou até mesmo educação ( é só ver onde estão institutos como ITA, INPE, etc..)..

Tem explicação isto ?