Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Prazer e honra, entrevistar Reinaldo junto com o Elton Novais e a Nina Abreu, no CVB

Daqui a pouco, como convidado, às 18 horas, neste novo e ótimo meio de comunicação de Minas.

https://www.instagram.com/canalviverbrasil/


Atlético precisa vencer e contar com tropeços de concorrentes para ficar entre os quatro primeiros na classificação geral

Foto: twitter.com/Atletico

Às 21h30 o argentino Patricio Loustau, apita o começo de Galo x Tolima, no Mineirão, nesta quarta-feira, 25, auxiliado pelos também argentinos Ezequiel Brailovsky e Facundo Rodríguez. O VAR a cargo do peruano Jorge Jaimes.

O objetivo era ser o primeiro geral, para ter a vantagem de decidir em casa até a final, no sistema mata-mata, da próxima fase da Libertadores. Mas isso não dá mais. Está em quinto, com 11 pontos, atrás do Palmeiras (15), Flamengo (13), River Plate (13) e Estudiantes (13). Nessa última rodada, o River Plate recebe o Alianza de Lima, o Flamengo recebe o Sporting Cristal, também do Peru, e Estudiantes de La Plata tem o clássico em casa contra o Vélez.

Mas, importante mesmo é o time corresponder em campo e errar menos que o adversário para chegar ao que vale mesmo, que é ao título. Em 2013, deu certo. Foi o primeiro geral, fez a finalíssima no Mineirão e foi campeão sobre o Olimpia do Paraguai. Ano passado ficou no quase, quando caiu na semifinal contra o Palmeiras, empatando lá, 0 x 0

e aqui, 1 x 1.

Prevaleceu a história de quem erra menos. Na casa do Palmeiras, Hulk chutou no poste esquerdo o pênalti sofrido pelo Diego Costa, do Gomez, aos 41 minutos do primeiro tempo.

No Mineirão, dois pecados fatais. Saiu na frente aos seis minutos, por meio do Vargas, de cabeça, aos seis minutos, mas o mesmo Vargas deixou de marcar outro, aos 11. E aos 22 minutos, Gabriel Verón, que tinha acabado de entrar no lugar do Rony, aproveitou uma cochilada feia do zagueiro Nathan, cruzou para o Dudu, que empatou. Fim da linha para o Galo, que saiu invicto da disputa, depois de eliminar Boca Juniors e River Plate, coisa dificílima na história da Libertadores.


Ronaldo “fenômeno” no Fórum Econômico Mundial, em Davos, entre os governos, empresas e pessoas físicas dos mais endinheirados do mundo

Foto: twitter.com/Ronaldo – World Economic Forum/Mattias Nutt

Ronaldo foi convidado pela FIFA e postou esta foto, ao lado do presidente Gianni Infantino (à esquerda dele) e outros dirigentes da entidade maior do futebol mundial, com estes dizeres: @Ronaldo ““O esporte é uma força. Estou no #WEF2022 para falar sobre a importância do futebol e da Copa do Mundo”

Ronaldo é bom de lábia. Figura famosa mundialmente e carismática. Todo mundo o conhece e tem interesse em bater papo ou tirar uma foto ao lado. E se o problema do Cruzeiro é dinheiro, ele está no lugar certo, para vender os peixes dele, tanto de Belo Horizonte quanto da Espanha, do Real Valladolid, também de sua propriedade.

Este Fórum Econômico Mundial, realizado anualmente na Suiça, não é para qualquer um. Mais voltado a Chefes de Estado e ministros, dos países mais poderosos do planeta, empresas e empresário, idem.

***

A revista Exame está cobrindo e o colunista convidado dela, Celso Athayde, da Central Única de Favelas (Cufa), dá a descrição do tipo de gente que frequenta e o ambiente do evento: “. . . bilionários em todos os lugares. Eles estão em toda parte. Alguns bem conhecidos, e outros apenas bilionários anônimos. Mas é lógico que há representantes do “povão” também, que são convidados pelos seus importantes trabalhos voluntários para a sociedade global, a partir das suas cidades e seus coletivos.

É muito natural que os “maludos ou endinheirados” venham pra cá. Pois a foto e o fato mundiais estão aqui. Os holofotes de poder, de marketing e de reputação estão aqui. Mesmo que a pessoa gaste uma fortuna para tirar uma selfie do lado de fora e postar em suas redes, esse gesto vai contribuir para uma percepção positiva em seu grupo social. Não é por acaso que, outro dia, o Mamãe Falei fez uma aventura dessas, em outro contexto, é verdade, mas ainda assim vale como exemplo.

Os principais CEOs estão aqui, fazendo reuniões de 15 segundos ou duas horas. O tempo dessas reuniões nem sempre faz diferença, assim como não faz tanta diferença o resultado. Elas só precisam existir e ser devidamente registradas. O fato é: aqui que se discute de verdade as soluções do mundo. Calma que não estou afirmando que as soluções saem necessariamente desse povoado. As decisões e debates podem ser sobre o coronavírus, ameaça de bombas no velho mundo ou mesmo a guerra da vez, Rússia x Ucrânia. Tudo pode ser falado e reverberado porque a mídia está aqui. . .”

* Celso Athayde é cofundador da Central Única de Favelas (Cufa) e CEO da Favela Holding


O América em discussão: a campanha na Libertadores e o longo caminho para a sua torcida voltar a encher os estádios

Sobre o time, entendo que só o fato de participar da Libertadores já merece comemoração efusiva. Poderia ter ido mais longe? Claro, mas não está fazendo feio. Fez belas partidas, perdeu e empatou jogando bem, sem faltar garra em momento algum, porém, esbarrou em suas limitações naturais: sem dinheiro para grandes investimentos, enfrentando adversários poderosos financeiramente. Além do mais, errou quando contratou aquele Marquinhos Santos para técnico. Tipo de erro que acontece mesmo, com qualquer clube.

Sobre o pequeno número de americanos contra o Botafogo, sábado, no Independência, deixo para um americano “da gema”, Roberto Fonseca, colaborador assíduo aqui do blog, a quem agradeço:

“Como americano não tenho uma resposta para o menosprezo do torcedor e a ausência nos jogos.
Um caso que merece ser estudado por psicologos e sociologos. Sabemos que a torcida não é numerosa e diminuiu com a ancensão do Cruzeiro. Eu mesmo presenciei o encolhemento da torcida na era do Mineirão, me lembro quando criança, que em jogos contra a dupla a torcida ia até o segundo relógio do placar. A venda da Alameda, desrespeito de diretorias passadas ao torcedor, falta de títulos, múltiplos rebaixamentos, menosprezo da mídia local, suspensão de competições pela CBF, crianças que iam a jogos do time com bandeira e camisas virarem torcedores da dupla), elitismo e o fato que o clube quase faliu diversas vezes nos últimos 50 anos certamente afastaram muitos do estádio e contribuíram para o não crescimento da torcida.. Eu mesmo fiquei quase 10 anos sem ir ao Mineirão e Independência. O interessante é que hoje quando se vai ao estádio se nota a presença de muitos jovens o que deve ser visto como positivo. Aliado a presença nas plataformas sociais mais de 200 mil seguem o clube no Instagram, indicam que estamos no caminho certo. Infelizmente demorara gerações para poder reverter o estrago que foi feito pelas diretorias passadas.”

Força Coelhão!


Na Copa do Brasil, Atlético vence de novo e se classifica para as oitavas; no Brasileiro, é o quarto colocado, dois pontos a menos que o líder Corinthians

Foto: @Atletico

Jogo fraco em Cariacica, no Espírito Santo, cidade que negociou com o Brasiliense a transferência para lá do mando de campo. Fábio Gomes, aos 17 minutos, fez 1 a 0, e ficou nisso, numa preguiça danada do time todo, que fez uma partida burocrática, apenas para cumprir com a obrigação do regulamento. Quem pagou ingresso não deve ter ficado nada satisfeito.

No Brasileiro, o Corinthians, em casa, empatou com o São Paulo, 1 a 1, e lidera, com 14 pontos, seguido pelo Palmeiras, São Paulo, Galo e Botafogo, todos com 12.

Méritos para o técnico, também português, que chegou como um ilustre desconhecido da maioria absoluta de todos os brasileiros e faz ótimo trabalho. Pegou um time de elenco limitadíssimo, cheio de problemas internos e desacreditado. Com personalidade e coragem, tem feito o que precisa ser feito lá, inclusive barrando o Róger Guedes, que teve uma recaída e voltou aos tempos em que dava mais trabalho fora de campo do que dentro, aos adversários.

Sobre isso, o técnico Vítor Pereira foi enfático, sem rodeios ou hipocrisia: “Não sinto confiança nele neste momento, que vem tendo dificuldade de apresentar uma reação não só nos jogos, mas até mesmo nos treinos”.

Foto: @Corinthians

A classificação:

1º Corinthians 14

2º Palmeiras 12

3º São Paulo 12

4º Atlético 12

5º Botafogo 12

6º Santos 11

7º FLU 11

8º Coritiba 10

9º América 10

10º Avaí 10

11º Internacional 10

12º Athletico/PR 9

13º Bragantino 9

14º Flamengo 9

15º Goiás 8

16º Cuibá 8

17º Atlético/GO 6

18º Juventude 6

19º Ceará 5

20º o Fortaleza, grande surpresa negativa, apenas 1 ponto


Futebol jogado pelo Cruzeiro provocou a volta até do Tostão ao Mineirão. Goleiro Rafael iguala recorde de Dida, sem tomar gols

Discreto como sempre, com a pretensão de chegar e ir embora anônimo, o ex-craque foi flagrado pelo fotógrafo Gustavo Rabello, do Mineirão. Só mesmo o futebol eficiente e bonito, além da liderança da Série B, para tirarem o ex-craque de casa.

Com os 2 a 0 sobre o Sampaio Corrêa, são cinco vitórias seguidas, e o público deste domingo foi recorde no Mineirão até agora  em 2022:  58.397 torcedores.

Que arrancou um comentário corretíssimo de outro ex-craque, Procópio Cardozo, que escreveu, sobre o Ronaldo Nazário:

@procopiocardozo “… o resgate da autoestima do torcedor, na minha opinião, é a principal conquista da sua gestão nestes primeiros 5 meses de trabalho…”

O @goleada_info lembrou:”Rafael Cabral, goleiro do Cruzeiro, completa 6 jogos CONSECUTIVOS sem sofrer gol. Ele iguala Dida, que conseguiu a marca em 1997. Para ter uma noção: o Fábio, com 17 temporadas seguidas e 976 partidas pelo clube, não conseguiu esse feito. “

Foto: Staff Images

@Cruzeiro

E o próprio Ronaldo twittou depois da vitória:

@Ronaldo “Cada vez mais feliz que estamos conseguindo propor o jogo com intensidade do início ao fim! Parabéns para a NAÇÃO AZUL que lotou o Mineirão e transformou em um caldeirão insuportável pro nosso adversário! Vamos @cruzeiro. Vamos por mais e mais!”


A comemoração do “Boi Bandido” depois do primeiro gol e o reconhecimento do técnico do Botafogo de que o América não merecia perder

Foto: Uol/Fernando Moreno/Agif

Duas novidades na partida que terminou 1 a 1 no Independência. Essa comemoração maluca do Aloísio, após marcar pela primeira vez com a camisa do Coelho e o treinador adversário reconhecer que se o time dele vencesse, seria injustiça.

Quando jogava no São Paulo, Aloísio comemorava desse mesmo jeito e quase matava o técnico Muricy Ramalho de susto e de raiva. Wagner Mancini quase morreu de rir, ontem.

O técnico português Luis Castro, faz ótimo trabalho no Botafogo e está invicto: em oito jogos, cinco vitórias, três empates, com75% aproveitamento. Marcou 16 gols, tomou cinco.

Depois do empate no Horto, demonstrou uma sinceridade e honestidade raras no futebol, ao reconhecer que não merecia sair vitorioso de Belo Horizonte:

“O primeiro tempo foi totalmente dominado pelo América, tivemos grandes dificuldades de lançar pressão sobre a linha de saída deles. Eles conseguiram descobrir muitos espaços no interior da nossa equipe e nos criaram muitas dificuldades. Foram 11 finalizações para o América e uma para nós. No segundo tempo, conseguimos sete. E conseguimos fazer aquilo que é extremamente complicado de fazer numa equipe de futebol: resgatar a equipe de um mau jogo e colocá-la no caminho. A equipe, graças à determinação, à ambição e à qualidade deles, resgatou a si própria, conseguiu sete finalizações contra uma. Portanto, o mal que sofremos no primeiro tempo sofreu o América no segundo. Para mim, o resultado é justo. Trabalhamos muito, mas não posso esquecer o primeiro tempo do América. Ganhar o jogo seria uma injustiça com o América”, avaliou Castro.”


Equilíbrio impressionante na disputa por duas vagas no Campeonato Mineiro 2023: primeiro lugar tem 11 pontos, lanterna, cinco

Nosso Democrata Jacaré perdeu para o União Luziense, em Santa Lúcia, por 1 a 0, e o Betim continua na liderança.

Luta palmo a palmo pelo acesso e contra o rebaixamento


Para se manter na parte de cima da tabela, América precisa da sua torcida esta noite contra o Botafogo

O horário é o pior dos piores, como diria o grande jornalista José Luiz Gontijo, 21 horas, mas vale o esforço dos americanos para prestigiar e dar força ao time, no Independência, contra um Botafogo que faz boa campanha e com um time promissor. Está na quarta colocação, com 11 pontos, dois a menos que o lider Corinthians, apenas dois a mais que o Coelho, que está em novo.

É jogo de “seis pontos”.

Os prováveis times:

América: Jailson, Patric, Lucas Kal (Conti, Gustavo Marques), Éder e Marlon; Zé Ricardo, Rodriguinho (Juninho Valoura) e Índio Ramírez; Felipe Azevedo, Henrique Almeida e Aloísio

Técnico: Vagner Mancini 

Botafogo

Gatito, Saravia, Kanu, Cuesta e Daniel Borges; Oyama, Patrick de Paula (Tchê Tchê) e Lucas Fernandes; Diego Gonçalves, Victor Sá e Erison

Técnico: Luís Castro

O árbitro é o considerado melhor do país atualmente: Raphael Claus (FIFA-SP), auxiliado pelos também paulistas Danilo Simon Manis e Neuza Ines Back (FIFA). No VAR, o gaúcho Daniel Nobre Bins

Nas redes sociais do América também chama a torcida:

@America

Em nossa casa, vamos lutar muito por mais três importantes pontos no @Brasileirao! @Botafogo @ArenaIndepa 21h @CanalPremiere

#PraCimaDelesCoelho #SomosVolt


Tite não quer o Hulk? Azar dele e da seleção

Foto: twitter.com/Atletico

Brenno Beretta, do SBT, lembrou alguns números do Hulk nos últimos meses:

BrennoBeretta

“Hulk chegou aos 18 gols em 19 jogos neste ano! Já são 43 gols marcados na temporada 2021/22 (4º maior artilheiro do mundo). O melhor centroavante do Brasil disparado! Um absurdo não ser levado pelo Tite! #Atlético classificado com méritos na #Libertadores.”

***

E o técnico da seleção dando sucessivas mostras, em suas entrevistas, que não vai levá-lo para a Copa do Mundo. Azar é dele e da seleção.

Faz lembrar 1982, quando Telê Santana não quis levar o Reinaldo para a Espanha. Estava em plena forma, bem fisicamente, arrebentou nas eliminatórias, titular incontestável da seleção. Mas teve um diálogo desagradável com o Telê, num hotel em Paris, na excursão que o time fez à Europa, meses antes da convocação final.

Telê era uma figura fantástica, melhor treinador que já vi, mas era “sistemático”. Quando imbirrava que alguém ou alguma coisa, nada o fazer mudar de ideia.

A imprensa do país todo pedi Reinaldo, torcedores idem. Até os próprios jogadores da seleção, representados pelo Zico, pediram ao Telê, que não quis nem render conversa sobre este assunto com o então capitão, que era a grande liderança do grupo.

O Rei não foi. Talvez, se estivesse em campo no Estádio Sarriá, contra a itália, a história poderia ter sido diferente.

Vida que segue!


Página 1 de 1.26012345...102030...Última »