Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Mais vítimas do destino no esporte: Jogos Olímpicos de Tóquio, jornalistas que tiveram que cancelar ou foram cortados da cobertura

No post anterior falei do goleiro Rafael, cujo destino tem sido cruel com ele na busca do pleno sucesso. É a vida! Imagine a situação de milhares de atletas de alto rendimento, Brasil e mundo afora, que sonharam a vida toda em disputar uma Olimpíada ou uma Paralimpíada. Dedicaram suas vidas aos treinamentos, provas classificatórias e todos os sacrifícios que a atividade exige. De repente, aparece essa pandemia lá na Ásia, em 2019, se alastra e toma conta do mundo. Em 2020, o Japão, depois de muito relutar, é obrigado a adiar os Jogos, pelos quais tanto correu atrás e tanto investimento fez. Em princípio, por dois meses, depois, com o agravamento da pandemia, por um ano. Chega 2021, com ele uma nova onda e outra onda, gente morrendo aos montes diariamente. O governo do Japão mantém a realização dos Jogos e uma nova onda ameaça o país. Delegações cancelando a participação, outras ameaçando seguir o mesmo caminho e as incertezas aumentam.

Além de atletas, das mais diversas modalidades e faixas etárias, jornalistas e outros profissionais da comunicação tendo seus sonhos de cobrir os Jogos também cancelados ou ameaçados. Eu, por exemplo, iria para a minha sétima cobertura, depois de Atlanta’1996, Sydney’2000, Atenas’2004, Pequim’2008, Londres’2012 e Rio’2016. Tóquio’2020, sem chances! Fazer o quê? C’est la vie! Paris’2024, que me aguarde. Assim espero!

Os grandes veículos de comunicação também tiveram um baque. A Globo, que já deixou de ser detentora exclusiva de mega coberturas no futebol e automobilismo, mantém a exclusividade para esta edição do Jogos, mas teve de cortar pela metade a equipe que mandará a Tóquio, como mostra esta reportagem do PortalMídiaEsporte.com:

* “Pandemia faz Globo cortar equipe que fará cobertura da Olimpíada de Tóquio pela metade”

A Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão das Olimpíadas de Tóquio, divulgou nesta segunda-feira a lista de profissionais para a cobertura presencial do evento. Inicialmente estruturada para portar 102 profissionais para os jogos, a emissora carioca resolveu cortar 50% do número apresentado a priori. Assim, narradores escalados para a cobertura tiveram seus destinos alterados e, agora, farão os trabalhos dentro dos estúdios no Brasil.

Programada para realização em 2020, as Olimpíadas de Tóquio foram adiadas devido à pandemia da Covid-19. Com as datas alteradas, o evento será exibido de 23 de julho a 8 de agosto.

Veja a lista de relacionados do Grupo Globo

Gerente de grandes eventos
Marcela Zaiden

Chefia da cobertura
Ricardo Bereicoa

Chefia de reportagem
José Gonzalez
Thiago Lavinas

Apresentadores/flasheiros
Bárbara Coelho
Carol Barcellos
Karine Alves
Tiago Medeiros

Repórteres
André Gallindo
Carlos Gil
Diego Moraes
Edgar Alencar
Eric Faria (fut masc)
Felipe Brisolla
Guilherme Pereira
Guilherme Roseguini
Kiko Menezes
Lizandra Trindade (fut fem)
Marcelo Courrege
Pedro Bassan

Repcines
Augusto Camara
Beto Kaulino (fut fem)
Edu Bernardes
Emanuel da Ros
José dos Santos Júnior
Júlio Aguiar
Leandro Pacheco
Luciano Tsuda
Luis Soncini
Marcelo Bastos (fut masc)
Mikael Fox
Rafael Carneiro
Rogério Romera
Ronaldo Gonçalo
Thalysson Araújo
Ulisses Mendes

Produtores
Amanda Kestelman (fut fem)
Ana Carolina Oliveira
Breno Dines
Fábio Grijó
Guilherme Costa
Helena Rebello
João Gabriel Rodrigues
Lorena Dillon
Marcel Merguizo
Marcio Iannacca (fut masc)
Paulo Roberto Conde
Thiago Fernandes

Produtoras executivas
Anna Olivia Wermelinger
Margarida Rodrigues

Fonte: Lance!

http://www.portalmidiaesporte.com/2021/04/pandemia-faz-globo-cortar-equipe-que.html


A dura luta do goleiro Rafael e os obstáculos na carreira: Fábio no Cruzeiro, Sampaoli e contusão no Atlético

Foto: Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético

Transporto para o futebol a famosa frase de Tancredo Neves sobre política, para fazer uma analogia da situação do goleiro Rafael, do Atlético: “Não se faz política sem vítimas.” O saudoso governador se referia às articulações de bastidores que, em muitos casos, devido às circunstâncias, sacrificavam bons aliados, companheiros de luta, sérios e competentes, que entretanto, não poderiam ser nomeados para algum cargo ou indicados para alguma candidatura. Vítimas naturais do processo político.

O futebol também tem muitas situações de “vítimas do destino”, sejam atletas, treinadores e até clubes e seleções, que mereciam, mas algum fator extra impediu que o sucesso pleno ou o título fosse alcançado.

Rafael Pires Monteiro vai completar 32 anos no dia 23 de junho. Nascido em Cel. Fabriciano, 1,92 de altura, excelente goleiro, chegou para o Cruzeiro em 2008 onde ficou até 2020, quando se transferiu para o Atlético, aos 30 anos. Reserva de luxo do Fábio, titular incontestável da Raposa, só chegou perto de tomar a posição quando o companheiro fez uma cirurgia de ligamentos no joelho direito, em setembro de 2016, e ficou oito meses em recuperação. Mesmo assim, quando o Fábio se machucou, o Rafael estava para ser liberado pelo departamento médico, após se recuperar de uma fratura no quarto dedo da mão direita. Lucas França e Elisson ocuparam a posição, até que ele ficasse 100%. Em 2017, quando Fábio estava pronto pra voltar, o técnico Mano Menezes andou hesitando se retornaria com ele, já que Rafael estava bem demais. Fábio comeu banco em alguns jogos, mas acabou recuperando a posição.

Em 2020, com o Cruzeiro em apuros financeiros e o Atlético pensando em um sucessor para o Victor, juntaram-se a “fome com a vontade de comer”. E lá se foi o Rafael para a Cidade do Galo! Certamente ele, e todos que conhecem o futebol dele, tiveram uma certeza: chegou a hora! Rafael finalmente vai deslanchar na carreira, como sucessor do Victor, e justamente vestindo a camisa do maior rival do Cruzeiro.

Fábio (esq.) é padrinho de casamento de  Rafael — Reprodução/Instagram

Ledo engano. Mal sabia ele que pouco depois de sua chegada ao Atlético surgiria um técnico que tinha outras preferências para a meta alvinegra. Jorge Sampaoli gosta de goleiros que saibam “jogar com os pés”. E mesmo com o Rafael se desdobrando bem para atender a essa exigência, o comandante, feito um menino birrento, bateu pé e exigiu que o Galo investisse no Everson, apesar de outras posições realmente carentes do time.

Sampaoli durou pouco, se foi, mas quando surgiu a oportunidade de Rafael disputar a posição em igualdade de condições com o Everson, ele machuca o ombro. Hoje foi anunciado que terá de passar por cirurgia, cujo tempo de recuperação previsto é de quatro meses. Ou seja: a temporada acabou para ele. Uma pena. Infelizmente a história do esporte, futebol em especial, mostra muitos jogadores marcados por situações semelhantes.

Força e paciência ao Rafael, além de ótima recuperação. Certamente são os votos de todos nós aqui do blog.


Parabéns América; 109 anos de uma grande e belíssima história, hoje!

À torcida, razão de ser do clube…

… às últimas sucessivas diretorias, que vem fazendo um trabalho exemplar no futebol brasileiro e a todos os profissionais do Coelhão, do passado, do presente e do futuro.

Parabéns Mecão!


Missão número de Cuca é arrumar a defesa do Atlético para suportar a corrida com os concorrentes pela Libertadores

Cuca em foto do Ramon Lisboa/EM/D.A Press

Na fase de grupos, a expectativa de toda Libertadores da América é que um time brasileiro esteja na final contra um argentino. Nem sempre dá isso, principalmente nos últimos anos, mas para as previsões iniciais, sim. De lá, o Boca Juniors, que já venceu duas, e o River, que empatou uma e ganhou outra, são, quase sempre, os candidatos principais. Nas duas primeiras rodadas, o Flamengo já mostrou que é, de novo, um forte candidato verde e amarelo. Pelo elenco que tem e pelo futebol que vem jogando. Duas vitórias. O Santos, atual vice-campeão, a grande decepção, com duas derrotas. O atual campeão, Palmeiras, também venceu as duas iniciais. O Internacional perdeu na estreia para o Always Ready na Bolívia e atropelou em casa o venezuelano Táchira, por 4 a 0. O São Paulo venceu o Sporting Cristal no Peru e hoje recebe o uruguaio Rentistas. O Fluminense empatou em casa com o River Plate e venceu, ontem, o Santa Fé, na Colômbia, o que nunca é fácil. O Atlético empatou na Venezuela com o La Guaira e venceu no Mineirão o América de Cali. Primeiro jogo ruim, e os primeiros 30 minutos do segundo tempo muito bons contra o time colombiano. Hulk entrou no intervalo e fez o que se espera dele: vontade e gols. Pena que o Zaracho tenha se machucado no início da etapa final e que o Tchê Tchê tenha dado a bola para o América marcar o gol dele, além de o Nacho ter se cansado. Não fosse isso o placar poderia ter sido maior. Em compensação a defesa do Galo é muito fraca. Enorme problema para o Cuca resolver. Sem uma defesa forte, sem chances de chegar à final. Em 2013 ele tinha Pierre e Leandro Donizete, dois monstros  da marcação e desarme à frente da zaga, de uma raça impressionante, que faziam o “feijão com arroz”, sem invenções. Réver era oito anos mais jovem, tinha agilidade e compensava um vacilo ou outro do Leonardo Silva, que era o craque do setor. Marcos Rocha até hoje é um dos melhores laterais direitos do nosso futebol e, por incrível que pareça, conseguia fazer da sua cobrança de lateral uma referência de ataque. Victor, nos momentos decisivos, realizava defesas, que para goleiros comuns, tipo Everson, são impossíveis. A rigor, aquele time não tinha um lateral esquerdo como o Arana, este sim, que dá conta do recado na atual defesa do Galo, ao lado do Jr. Alonso.


Primeiro tempo de mais do mesmo. No segundo, Hulk estreou com a camisa do Galo e justificou mais “minutagem”

Foto: twitter.com/Atletico

Quando resolveu tocar a bola, no segundo tempo, tudo mudou e nem parecia o futebol confuso e nada produtivo do primeiro. Mariano foi titular no lugar de Guga e não mudo nada para melhor no setor. No intervalo, Vargas, mais uma vez inoperante e figurante em campo, deu lugar a Hulk, que entrou com vontade. Uma pena que o Zaracho tenha se machucado logo aos 10 do segundo tempo. O time voltou do intervalo totalmente diferente e ele vinha fazendo diferença. Mas Nathan entrou no lugar e tocou para o Hulk, que sofreu pênalti do goleiro Graterol. Ele mesmo bateu, muito bem, e abriu o marcador.

A correria não parou e aos 17 Nathan entregou a Savarino, que de calcanhar deixou Hulk na cara do gol para que o Galo chegasse aos 2 a 0. Imediatamente o América fez três substituições que surtiram efeito. O Galo diminuiu o ritmo, os colombianos partiram para cima e aos 31, Tchê Tchê deu um presente ao Sanchez, perto da área, que acertou no canto direito do Everson. O time voltou a errar passes, nervosismo tomou conta e o América passou a sufocar e desperdiçar oportunidades. Aos 50, Nathan foi expulso, mas o time resistiu e garantiu a vitória, fundamental na luta pela classificação.

No primeiro tempo foi um Atlético nada criativo, que abusou dos passes de longa distância, errou muitos e parou no sistema defensivo do América, que por sua vez, pouco tentou atacar e não deu nenhum trabalho ao Everson. Até Nacho abusou dos passes longos, infrutíferos. Tchê Tchê, deu dois chutes de longe; uma bola deve ter ido na lagoa da Pampulha e outra passou bem perto do gol. Keno, um chute defendido pelo goleiro e Arana desviou de cabeça cobrança de falta do Savarino que raspou no poste.


Primeiro tempo de mais do mesmo do Atlético contra o América de Cali

O Atlético nada criativo, abusou dos passes de longa distância, errou muitos e parou no sistema defensivo do América de Cali, que por sua vez, pouco tentou atacar e não deu nenhum trabalho ao goleiro adversário. Até Nacho abusou dos passes longos, infrutíferos. Tchê-Tchê, deu dois chutes de longe; uma bola deve ter ido na lagoa da Pampulha e outra passou bem perto do gol. Keno, um chute defendido pelo goleiro e Arana desviou de cabeça cobrança de falta do Savarino que raspou no poste.


Para não entrar em desespero na Libertadores, Galo hoje é, ganhar ou ganhar

Foto: atletico.com.br/agencia

Será o jogo mais importante do ano até agora. O empate na estreia na Venezuela, contra o adversário mais fraco do grupo, obriga o Atlético a vencer o América, concorrente a uma das duas vagas e que perdeu em Cali para o Cerro na primeira rodada.

Uma vitória, ainda que seja de “meio a zero”, alivia a pressão sobre Cuca e todo o grupo, além de melhorar o astral geral. A partir das  19h15, que os jogadores precisam dar uma sangue a mais. Muito mais do que têm dado no Campeonato Mineiro e na própria Libertadores.

Das especulações quanto à escalação para esta partida, torço pra que Cuca opte por Réver ao invés de Igor Rabello. Apesar da condição física inferior, o veterano capitão é mais confiável que o Igor. Tomara que comece com o Zaracho e deixe no Vargas fora. No lugar dele, qualquer outro que esteja à disposição.

A maioria de quem cobre o Galo diz que o provável time será este: Everson; Guga, Réver (Igor Rabello), Junior Alonso e Arana; Allan, Tchê Tchê, Matías Zaracho (Savarino ou Hulk) e Nacho Fernández; Keno e Vargas.

Para assistir ao jogo, só na Conmebol TV.


E lá se foi o Vander Luiz, meia do Galo nos anos 1980

Da esquerda para a direita: professor Marcos Viana, Pereira, Batista, Éder Lopes, Luiz Cláudio, João Pedro e Paulo Roberto Prestes; Sérgio Araújo, Vander Luís, Marquinhos, Zenon e Renato Morungaba.

Péssima notícia do início da noite deste domingo, divulgada pelo Jornal Impacto, da cidade de Divino, terra natal do Vandinho, que residia em Juiz de Fora. Um acidente de carro tirou a vida dessa grande figura, aos 58 anos de idade.

Segundo o Portal Miradouro, “… acidente deixou duas pessoas mortas na noite deste domingo (25/04) na BR-267, sentido à BR 040 no bairro Nova Era, em Juiz de Fora. Conforme o Corpo de Bombeiros, a ocorrência foi registrada por volta das 19h15. Uma das vítima foi identificada sendo Vander Luiz Alves Givisiez, ex-jogador do Atlético Mineiro e Fluminense dentre outros.. Ele estava em um Fiat Marea com placa de Divino, a outra vítima fatal de 40 anos estava em um veículo Chevrolet Prisma com placa de Lima Duarte. Uma outra vítima de 35 anos foi encaminhada para o HPS…”

https://www.facebook.com/jornaloimpacto/

O Globoesporte da Globo Juiz de Fora fez uma reportagem com ele no dia 25 de junho de 2016 e a coluna “Que fim levou…”, do blog do Milton Neves, também destacou a carreira dele. Os links são estes:

https://globoplay.globo.com/v/5120441/

Vander Luiz nos tempos de Galo e em foto mais recente

https://terceirotempo.uol.com.br/que-fim-levou/vander-luiz-4313


América x Cruzeiro; Atlético x Tombense. Na prática, Campeonato Mineiro começa pra valer só agora

Imagem: agendabetim.com.br

América e Cruzeiro deverão fazer duas grandes partidas para ver quem decidirá o título contra o Galo ou Tombense. Chegou a hora de vermos se o time do Lisca está em nível de Série A de verdade ou se os americanos terão que rezar para não ver o time de volta à B. O mesmo, em relação ao trabalho do Felipe Conceição. O time está realmente evoluindo? Ou vai matar os cruzeirenses de raiva novamente, correndo risco de não subir, e pior, brigar para não ir parar na C. O Tombense é franco atirador, já conseguiu atingir o objetivo, semifinalista pelo segundo ano consecutivo. Daqui em diante o que vier é lucro, por isso o Galo, que ainda não convenceu a ninguém, que se cuide.

Bons jogos à vista.


E lá se foi o Murilo França de Lima, um dos melhores prefeitos da história de Inhaúma

Que pena essa notícia que acabei de ler no SETE DIAS.com.br. Murilo era uma grande figura, de quem eu gostava muito. Atleticano, frequentador assíduo do Mineirão e Independência, foi prefeito por quatro vezes de Inhaúma, uma das mais agradáveis cidades da região de Sete Lagoas. Atualmente era vice, do Juninho, pelo segundo mandato consecutivo.

Meus sentimentos à família e aos milhares de amigos do querido Murilo.

* “Vice-prefeito de Inhaúma, Murilo França, morre de Covid”

O município de Inhaúma está de luto. Morreu neste domingo (25), vítima do novo coronavírus, o vice-prefeito Murilo França, de 68 anos. Ele estava internado no Hospital Municipal há mais de 15 dias e veio a óbito hoje após não mais resistir às complicações da doença.

Na última eleição, juntamente com o atual prefeito Geraldo Custodio da Silva Jr. (Juninho), Murilo cumpria seu segundo mandato como vice-prefeito. Com longa trajetória política, foi também prefeito de Inhaúma por quatro mandatos. O político deixa esposa e duas filhas.

A Prefeitura divulgou nota de pesar:

“LUTO

É com pesar e imensa dor no coração que anunciamos o falecimento do grande amigo, inhaumense de cabeça, alma e coração, Murilo França de Lima, vice-prefeito municipal, ocorrido no dia de hoje.

Respeitado e querido por Inhaúma, foi um grande político e exímio pai de família, sempre esteve à frente dos interesses da população buscando, acima de tudo, tratar a todos com amizade, alegria, carinho e respeito.

“Fica sempre
Um pouco de perfume
Nas mãos que oferecem rosas…
Nas mãos que sabem ser generosas”.

http://setedias.com.br/noticia/manchete/53/viceprefeito-de-inhauma-murilo-franca-morre-de-covid/25376


Página 10 de 1.202« Primeira...89101112...203040...Última »