Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

E lá se foi o Luiz do Tavinho, engenheiro, baterista, cruzeirense, fã de Vinícius, grande amigo!

Luiz é do da esquerda, camisa branca, boné na cabeça, em encontro no Sítio Elói Freitas, no Tamanduá, em 1996: Luciano Macaco, violão, Marcelão, Alvimar, Leonardo e Ana Maria, a querida e saudosa mãe do Luiz, Leonardo e Luciano, que nos deixou em fevereiro do ano passado.

Sexta-feira é o melhor dia da semana, mas essa foi fatídica, a partir das 15h30, quando parei o carro para atender telefonema do amigo das antigas, Leo Plotter,  que atualmente mora em Divinópolis . Ligações do Leo são sempre na base do “8 ou 800”, chamando para alguma festa ou informando coisa ruim. E hoje foi terrível, muito ruim: “O Luiz se foi; vai ter festa no Céu . . .”

Amigo de infância, engenheiro e empresário, Luiz Otávio de Freitas Ribeiro “Luiz de Tavinho”, em referência ao pai, Otávio Campelo Ribeiro, Secretário de Fazenda de Sete Lagoas nos anos 1970/80. Companheiro de República nos meus primeiros tempos de Belo Horizonte, uma das figuras de mais alto astral que este mundo já teve.

Desses para quem não havia tempo ruim. Pra cima o tempo todo, otimista inveterado. Cruzeirense apaixonado, nem quando o time caiu o fez desanimar com o futebol, pois apostava que seria o começo de um Cruzeiro mais forte e renovado.

Grande baterista, um dos fundadores da Banda Canto Livre, com o  irmão Luciano, carinhosamente conhecido como “Macaco”. Fundador também do Bloco Supérfluo, que sem nenhuma pretensão maior, levantou a cidade e foi campeão do Carnaval de Sete Lagoas no início dos anos 1980.

Fã de Vinicíus de Moraes, sabia e cantava todas as músicas dele! Quem sabe vão se encontrar na festa no Céu prevista pelo Leo Plotter. Com o “Poetinha” e com tantos conterrâneos queridos nossos que infelizmente também partiram tão cedo, como o pai dele, Tavinho, que quando se foi, também estava com 59 anos, atual idade do Luiz, que completaria 60, no dia 8 de  setembro e preparava uma festa que entraria para a história do Sítio do Tamanduá, um lugar especial, dos encontros daa família e amigos. Onde essa nossa geração frequentou, festejou, jogou futebol soçaite e foi feliz por décadas.

Às voltas com problemas de saúde, mas felizmente bem resolvido profissional e financeiramente, há quase cinco o Luiz resolveu diminuir as atividades e curtir a vida com mais intensidade. Ano passado transformou um ônibus em Motorhome, dotando-o de todo conforto e tecnologia. Planejava rodar o mundo nele, com a esposa Tina e a filha Carol. Inicialmente a América do Sul e depois as outras e o resto do planeta.

Infelizmente um câncer interrompeu seus planos, e hoje o levou. Descanse em paz, caro amigo/irmão Luiz! Tenho fé que um dia vamos nos reencontrar e fazer piada de toda essa tristeza e choro que estamos vivendo neste momento por sua causa. Enquanto isso seus irmãos Leonardo e Luciano vão cuidando de zelar da melhor forma de suas histórias memoráveis e o tanto que você era fantástico.

Em sua memória e homenagem, ouvindo Vinícius, tomando algumas e com muitas lágrimas descendo, fica aqui um até breve!

A vida é assim, imprevisível. Um ano atrás, no dia 16 de julho, registrei em minha coluna no jornal Sete Dias a finalização da montagem do Motorhome pelo Luiz:

Aposentado, o engenheiro Luiz Otávio de Freitas Ribeiro acaba de montar seu Motorhome e breve vai começar a viajar pelo Brasil e América do Sul, neste ônibus da Mercedes, transformado em uma casa sobre rodas. Está só aguardando a esposa Tina definir o primeiro destino.

 

Muito comuns na Europa e Estados Unidos, os Motorhome estão começando a ganhar espaços específicos também nas estradas e cidades do Brasil e do continente.

Luiz equipou o dele com todo o conforto, como internet, mesa de jogos, sofás que se transformam em camas, além de ar condicionando e banheiros, obviamente.

Com o irmão, Luciano Macaco, fez a primeira viagem/teste, para a Serra do Cipó

Já apto a um “chá com torradas” com os amigos, pois ninguém é de ferro.


Lamentável a derrota do América, principalmente da forma como ocorreu

Iago Maidana é um zagueiro de 26 anos de idade, até jovem, mas já bastante rodado. Muito fraco e mostrou isso em vários clubes. Mas o América o contratou e o treinador o mantém como titular.

O time encarou com muita personalidade o dono da casa, apoiado por mais de 50 mil pessoas. Aos 34 do primeiro tempo, Maidana, com o seu 1,96 m de altura, se posicionou mal e permitiu que Luciano, atacante do São Paulo, dez centímetros mais baixo, fizesse 1 a 0, de cabeça. Veio o segundo tempo e o Coelho tomou conta do jogo em busca do empate. Parecia que estava jogando no Independência. A grande chance chegou aos 21, quando Henrique Almeida foi atropelado pelo goleiro Thiago Couto dentro da área.  Pênalti apitado corajosamente pelo goiano, Wilton Pereira Sampaio. Maidana foi para a cobrança. Era a oportunidade de se redimir do erro no gol sofrido. Porém, bateu pessimamente, nas mãos do goleiro sãopaulino. Fazer o quê? Se os investimentos do América não permitem que ele tenha um zagueiro melhor, acontece isso.

Mas o time tem toda condição de reverter este placar em Belo Horizonte na semana que vem.

Bonita a atitude do clube que se utilizou das redes sociais para ser solidário às caravanas de sua torcida, que não conseguiram chegar a tempo no Morumbi, ver e apoiar o time, por causa de um acidente:

@AmericaMG

“Com tristeza, recebemos a notícia do acidente na BR-381, que impossibilita a chegada das caravanas para o duelo desta noite! Mesmo não estando fisicamente no Morumbi, tenham certeza que a energia positiva será de extrema importância para nós! VAMOS JUNTOS! “
Thiago Reis, da Itatiaia, mantém o otimismo:
“América amassou o São Paulo no 2 tempo!!!! Se jogar assim aqui em BH, tenho certeza que o time irá se classificar. Vamoooo pra cima”

Certamente um grande jogo às 20 horas no Morumbi. Acreditando no América nesta disputa contra o São Paulo

As prováveis escalações:

América

Cavichioli, Patric, Maidana, Éder e Marlon; Lucas Kal (Conti ou Luan Patrick), Juninho e Matheusinho; Felipe Azevedo (Everaldo), Pedrinho e Henrique Almeida

Técnico: Vagner Mancini

 

São Paulo

Jandrei, Diego Costa, Miranda e Léo; Igor Vinicius, Gabriel Neves, Igor Gomes, Rodrigo Nestor e Welington; Luciano e Calleri

Técnico: Rogério Ceni

O arbitro é da prateleira de cima, possivelmente o melhor do país atualmente: Wilton Pereira Sampaio (FIFA/GO), auxiliado por Bruno Raphael Pires (FIFA/GO) e Bruno Boschilia (FIFA/PR)

VAR: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)

O São Paulo está informando que ainda há muito ingresso à disposição:

@SaoPauloFC

Todos os caminhos nos levam ao nosso grandioso Morumbi hoje!

Ainda há ingressos para Cadeira Superior Norte, Cadeira Superior Sul Premium, Cadeira Especial Oeste, Camarote dos Ídolos e Camarote Corporativo. Compre já: http://spfc.totalacesso.com


Treinadores do passado e do presente elegem Telê Santana o melhor da história do nosso futebol. Pura justiça!

Excelente trabalho da equipe do Globoesporte.com. Justiça ao Telê, que tive o prazer e a honra de ver trabalhar, de perto, pois eu cobria o Atlético quando ele comandou o Galo em 1987 e também a seleção brasileira, nos preparativos para a Copa de 1982 e durante a Copa de 1986.

* “Telê é eleito o maior técnico da história do futebol brasileiro”

Votos de mais de 100 técnicos, entre aposentados e em atividade, apontam bicampeão do mundo com o São Paulo em ligeira vantagem sobre Zagallo. Felipão fica em terceiro

Bicampeão do mundo com o São Paulo, treinador da Seleção em duas Copas, Telê Santana foi eleito – em pesquisa inédita realizada apenas com treinadores – como o maior técnico da história do futebol brasileiro. O ge entrou em contato com mais de 100 técnicos e colheu total de 103 votos de profissionais em atividade ou aposentados. O pódio ainda tem dois campeões do mundo. Mario Jorge Lobo Zagallo, técnico da seleção do tricampeonato em 1970, ficou em segundo lugar – por sinal, foi lembrado 36 vezes como o maior técnico brasileiro. Quatro votos a mais do que Telê – citado 28 vezes contra 14 do Zagallo como segundo maior da história. Telê e Zagallo foram colocados em terceiro lugar em outras sete votações. Luis Felipe Scolari, campeão do mundo em 2002, terminou na terceira posição.

+ Filho de Telê se emociona com eleição

O atual técnico da Seleção brasileira masculina, Tite, ficou em sétimo lugar – foi lembrado 14 vezes, duas delas na primeira colocação, mais quatro em segundo lugar e oito em terceiro.

O critério era livre. O ge pediu a todos treinadores consultados que escolhessem os três maiores treinadores da história que passaram pelo futebol brasileiro. Alguns estrangeiros que passaram pelo país participaram da votação, como o português Jesualdo Ferreira e o colombiano Reinaldo Rueda, mas a maioria dos votos veio das séries A e B e também de ex-treinadores da Seleção desde Zagallo. Dos técnicos que treinaram o Brasil, Leão e Dunga não votaram.

A pontuação funcionava da seguinte forma:

  • Voto em primeiro lugar valia três pontos;
  • Voto em segundo lugar valia dois pontos;
  • Voto em terceiro lugar valia um ponto.

A lista completa com todos 40 treinadores votados e o voto a voto de todos consultados estão publicados nesta reportagem mais abaixo.

Telê completaria 91 anos nesta terça-feira. Ele morreu em 2006, dez anos depois de sofrer isquemia cerebral que o aposentou do futebol.

Em outra matéria, o ge publica também entrevista com Renê Santana(Veja o vídeo acima). Um dos filhos de Telê, que também é treinador, se emocionou ao conhecer o resultado da pesquisa realizada apenas com treinadores. Um curto trecho da conversa com Renê.

– É muito emocionante para mim e para nós da família esse prêmio, essa escolha. Porque o Telê sempre foi muito democrático e assim ele foi votado. É uma votação muito expressiva e muito gratificante ouvir, saber desse reconhecimento. Porque eu sou suspeito por ser filho, mas a gente sempre fica na expectativa de ouvir algo assim – contou Renê ao ge.

CONSOLIDADO DOS VOTOS

POSIÇÃO TÉCNICOS Soma de PONTOS Soma de 1º Soma de 2º Soma de 3º
1 Telê Santana 158 32 28 7
2 Zagallo 146 36 14 7
3 Felipão 53 4 11 19
4 Vanderlei Luxemburgo 39 5 5 14
5 Parreira 38 0 15 8
6 Ênio Andrade 37 8 4 5
7 Tite 22 2 4 8
8 Rubens Minelli 19 3 3 4
9 Abel Braga 12 2 2 2
10 Cláudio Coutinho 11 2 1 3
11 Oswaldo Brandão 10 2 2 0
12 Vicente Feola 8 0 4 0
13 Flávio Costa 7 2 0 1
14 Muricy Ramalho 6 0 1 4
15 Filpo Núñez 5 1 0 0
16 Cuca 5 0 1 3
17 Paulo Autuori 4 1 0 1
18 Fleitas Solich 3 1 0 0
19 Evaristo de Macedo 3 0 1 1
20 Dori Kruschner 3 1 0 0
21 Tim 3 0 1 1
22 Lula 3 1 0 0
23 Antônio Lopes 3 0 1 1
24 Geraldo Damasceno 2 0 1 0
25 Béla Guttmann 2 0 1 0
26 Emerson Leão 2 0 1 0
27 Valdir Espinoza 2 0 0 2
28 Edinho Nazaré 2 0 1 0
29 Carlos Castilho 1 0 0 1
30 Ondino Viera 1 0 0 1
31 Sebastião Lazaroni 1 0 0 1
32 Levir Culpi 1 0 0 1
33 Mano Menezes 1 0 0 1
34 Helenio Herrera 1 0 0 1
35 Dorival Júnior 1 0 0 1
36 Otacílio Gonçalves 1 0 0 1
37 Cilinho 1 0 0 1
38 Jorge Jesus 1 0 0 1
39 Joel Santana 1 0 0 1
40 Carlinhos 1 0 0 1

 

https://interativos.ge.globo.com/futebol/materia/tel-eleito-o-maior-tcnico-da-histria-do-futebol-brasileiro


Em reunião com os clubes das Séries A e B, chefia da arbitragem da CBF também chama para si a “responsabilidade”. Fez lembrar El Turco

Wilson Seneme, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF: Foto: CBF/Lucas Figueiredo/agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia
***
Nesta reunião de ontem, ele bradou:
 – Ocorreram erros absurdos, sim. Muitos ocorrem. Inclusive, são inaceitáveis para vocês, para nós e para o futebol. 
“Os equívocos que ocorreram até agora, no primeiro turno, alguns são de interpretação, que podem ocorrer, porque fazem parte do jogo. Agora, outros realmente são inaceitáveis e têm que servir como divisor de águas. Eu, como presidente da Comissão de Arbitragem, assumo isso”, disse Semene, sem detalhar os erros.
“Fiquei na Conmebol [Confederação Sul-Americana de Futebol] por oito anos. Dois anos como membro da Comissão de Arbitragem e seis anos como presidente da Comissão. [O começo] Foi uma transformação e hoje se nota a diferença da arbitragem sul-americana. Não foi um sucesso do dia para noite. Recordo que, nos primeiros anos de Conmebol, ocorreram erros absurdos, inaceitáveis. Na Conmebol, esse período serviu como um divisor de águas”, recordou o dirigente.
Em foto da AAGSP – Associação de Árbitros da Grande São Paulo, Seneme, quando apitava
***
“Entre as medidas anunciadas por Seneme, está a realização de uma preparação no meio da temporada, de forma presencial, com 95 árbitros do país, entre os dias 1º e 5 de agosto, no Rio de Janeiro. Ele também informou que o áudio e o vídeo das principais checagens da arbitragem de vídeo (VAR) serão publicados em até 24 horas após realização da partida na Série A e 48 horas na Série B. Ainda conforme o dirigente, os juízes que integrarem um quadro com 128 profissionais homologados para atuar com o VAR participarão de sessões de treinamentos práticos e presenciais mensais, a partir do mês que vem….” (agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia)
@goleada_info/Raphael Zarko
***
Como dizia aquele ex-treinador: “vamos aguardar”. Acredito que tudo continuará do jeito que está. Se não piorar, já estará de bom tamanho.

Cuca de volta, esperanças alvinegras renovadas

Cercado de enorme esperança e expectativa Cuca chegou, deu entrevista, começou trabalhar no campo e já pensa no time e forma de jogo contra o Internacional, no domingo, 16h, pela 20ª rodada do campeonato.

Ótimo treinador, o Brasil todo o respeita e acredito que vai se dar muito bem novamente no Atlético, nesta sua terceira passagem pelo clube.

O papo de sempre, de respeito ao adversário e confiança na união do grupo: “Eu sozinho não faço nada. Tenho confiança no grupo de jogadores e por isto aceitei o convite para vir. Sei o que eles podem entregar. Ano passado eles me entregaram tudo e agora vamos buscar de novo o nosso melhor para conseguir ter êxito”.

 

O mais importante: confiança no próprio taco, no elenco e na estrutura que tem para trabalhar, visando os títulos em disputa:

“Temos um turno pela frente. São 19 partidas pelo Brasileiro e, Deus queira, cinco pela Libertadores. O nosso elenco é ainda mais forte numérica e tecnicamente do que era ano passado. Agora é trabalhar, entregar o máximo nos treinamentos para buscar as vitórias”.

 

Conhece o grupo quase todo, à exceção dos que chegaram depois que ele foi embora, que são: Ademir, Alan Kardec, Fábio Gomes, Guilherme Castilho, Jemerson, Otávio, Pavón, Pedrinho e Rubens.

“Eu tenho uma ideia de time e um conhecimento bastante grande do grupo. Não conheço meia dúzia que chegaram, mas a grande maioria a gente conhece. Agora é trabalhar, não tem outro ingrediente que não seja trabalho, sacrifício, entregar o máximo em cada treinamento, para poder pôr em prática em jogos”.

 

E já fez as contas do que precisa para o Galo ser campeão brasileiro de novo:

“Tem que ganhar no mínimo 15 partidas. No mínimo. São 45 pontos, junto com 32, daria 77. E torcer, no caso do Palmeiras, não fazer 78. Temos que pensar jogo a jogo e já buscar o melhor lá contra o Internacional”.


E lá se foi o repórter Gino Beltrão, grande companheiro do rádio e da AMCE

Conheci o Gino ainda nos meus tempos de Rádio Cultura de Sete Lagoas e ele na Rádio Jornal de Minas (equipe do Luiz Carlos Gomes – atual presidente da Associação Mineira de Cronistas Esportivos – AMCE – e do José Luiz Aguiar, o “Jota Moreno”). A rádio mudou de nome, passou a se chamar América, na mesma onda AM 750 Khz, onde também tive o prazer de trabalhar, mas não com o Gino, que a essa altura já estava na Rádio Caratinga, do querido e hoje também saudoso Eurico Gade.

Depois o Gino foi para a AMCE, se tornou braço direito do presidente Luiz Carlos e atuava como um grande “anjo da guarda”, ajudando a todos os companheiros da Capital e do interior, sempre com muita gentileza e o jeito calmo de ser.

Lutava bravamente, há três anos, contra um câncer no estômago, mas o que o levou mesmo foi a danada da Covid, aos 82 anos.

Além da AMCE, que fez os devidos comunicados da morte dele, a FMF, CBF e Minas Arena foram muito gentis em registrar e homenageá-lo antes de Atlético 1 x 2 Corinthians, no domingo.

***

A missa de sétimo dia será nesta sexta-feira, 19h30, na Paróquia de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento – Santa Cruz – Belo Horizonte.

Federação Mineira de Futebol @FMF_Oficial 

A FMF lamenta a morte do jornalista e cronista Gino Beltrão, profissional exemplar que marcou seu nome na história da imprensa mineira. Que os familiares e amigos recebam conforto neste momento tão difícil.”


Um campeonato emocionante do princípio ao fim. E tomara que o Democrata chegue lá!

Comentarista aqui do blog, Ives Souza, a quem agradeço, escreveu:

* “E talvez sábado será o dia de comemorar o título que não chega desde 81.

Há informações da FMF sobre como será a entrega da taça para a equipe vencedora, Chico?

As três partidas de sábado poderão contar com o clube campeão do Módulo 2 de 2022

Que campeonato!

E o Guará conseguiu colocar a cabeça da rapaziada no lugar, apenas o que estava faltando.

Uma baita gestão de todos que buscaram esse #novoDemocrata! Que 23 possa ser ainda mais brilhante!

***

É isso aí, Ives!

A última rodada será sábado, 30, com todos os jogos às 16 horas: Democrata x Varginha na Arena do Jacaré; Tupinambás x Betim, no Mário Heleno, em Juiz de Fora; Boa x Ipatinga, em Varginha.

A FMF ainda não informou como agirá para a entrega do troféu, porque não tem a menor ideia de quem será o campeão. Certamente haverá uma grande festa do ganhador para receber a premiação e comemorar.

Realmente, da primeira rodada da fase de classificação, que envolvia 12 clubes, até esta, deste fim de semana, a última do hexagonal final, a diferença de pontos entre os concorrentes foi sempre a menor possível. Resultados surpresa, de visitantes vencendo, foram muitos. E grandes jogos. Times que não tinham valores individuais de destaque, sobressaíram pelo conjunto, raça e competência de seus treinadores, preparadores físicos e diretorias.

Até as arbitragens, tão contestadas nas Séries A e B do Brasileiro, têm sido boas, na maioria dos jogos, sem tantas reclamações.

A luta pelas duas vagas de acesso à primeira divisão estadual de 2023 continua acirradíssima e imprevisível. Torço demais para que o nosso Democrata de Sete Lagoas seja campeão ou vice. Não só por ser um clube tão tradicional e importante na história do futebol mineiro, mas também porque o trabalho honesto, transparente e competente precisa atingir seus objetivos para servir como exemplo, de que ser correto vale a pena, dá resultado positivo. Neste país de tanta corrupção, safadeza e malandragem, neste mundo à parte que é o futebol.

Quem conhece de perto o que a atual diretoria do Democrata tem feito sabe do que eu estou falando. O presidente Renato Paiva conseguiu montar um grupo sensacional, que segue o ritmo dele, de dedicação alucinada ao Jacaré. Ao invés de ficar choramingando e pedindo ajuda à Prefeitura e políticos em geral, foi à luta, atrás de parceiros comerciais de todos os portes e ramos de negócio diferentes. A força do nome do Democrata, a credibilidade de quem está no comando e o potencial da cidade e região, garantiram o suporte financeiro para que o clube chegasse aonde está.

Não é muito dinheiro, mas o suficiente para montar um time bravo e dar condições mínimas para que o técnico Paulinho Guará e seus pares de comando de fizessem um bom trabalho. Aliás, Paulinho é um capítulo à parte, que contarei num dos próximos textos aqui. Ex-jogador do próprio Democrata, jogou no Atlético, foi negociado com o futebol sueco, onde fez sucesso e onde tem grande prestígio. Voltou para Sete Lagoas, vestiu novamente a camisa do Jacaré e se tornou treinador. Brilhante. Aliás, está a mais de cinco anos no cargo. Certamente um dos treinadores mais longevos do futebol profissional do mundo.

Independentemente do Democrata subir ou não, o trabalho dessa turma toda já conquistou a nota 10 e a gratidão de todo mundo que gosta do Democrata.

Vamos lá Jacaré!!!


Cuca vai ter mais trabalho do que se imagina para arrumar o que foi deixado pelo Turco

Fábio Santos, 36 anos, veterano e em plena forma, foi o nome do jogo, marcando os dois gols da vitória corintiana – Foto: twitter.com/Corinthians

Lamentável. Diante de 55.706 pagantes, que totalizaram renda de R$ 2.202.874,99. Essa derrota foi terrível para as pretensões de título do Atlético. Além do Corinthians ser um concorrente direto a diferença aumentou demais em relação ao líder Palmeiras. Porém, o campeonato é longo, o turno acabou hoje e muita água ainda passará sob a ponte.

O time fez um bom jogo, principalmente no primeiro tempo. Mais determinação, mais vontade e chutando a gol, coisa que não ocorria quando o comando era do Mohamed. Mas também não foi as mil maravilhas como alguns comentaristas, um pouco mais afoitos andaram dizendo no intervalo. Na ótica deles, a simples sombra do Cuca já estava operando um milagre no Galo. Nada a ver. Tanto que no segundo tempo o Corinthians virou, se aproveitando de limitações que o Atlético tem, seja com o Turco e seja com Cuca ou qualquer outro treinador: a idade/condição física de alguns jogadores, por exemplo. O pênalti cometido pelo Alonso que originou o segundo gol corintiano foi fruto do Mariano não aguentar acompanhar o atacante paulista. Quase fim do jogo e o fôlego de quem tem 36 anos não se compara ao de quem tem 18, casos do Mariano e Giovane, respectivamente.

Depois do jogo, Igor Rabelo deu entrevista dizendo que o espírito guerreiro estava de volta. Então o Turco não era tão querido por todos como se apregoava. Por outro lado, Hulk, que “bancava” o ex-treinador, não se destacou hoje; muito pelo contrário.

De toda forma, Cuca terá muito trabalho, tático e psicológico para arrumar a casa, dentro e fora das quatro linhas. O tal fator “vestiário”, principalmente.

O jornalista Victor Martins resumiu bem o atual Atlético, via twitter:

@victmartins “Atlético fazia um bom jogo, mas o Hulk estava muito abaixo. Saíram Keno e Nacho, que estavam bem e entraram dois jogadores que estão sem ritmo de jogo. Pavón é Pedrinho jogaram alguns minutos desde dezembro. Com Hulk mal e outros dois sem ritmo, o Corinthians tomou conta do jogo.”


Dever fora de casa muito bem feito pelo América, que termina o turno fora da zona de rebaixamento

Dever fora de casa muito bem feito pelo América, que termina o turno fora da zona de rebaixamento.

Um a zero em Goiânia sobre o Atlético de lá. Era o resultado que o Coelho precisava para fechar bem o turno e começar trabalhar sem tanta pressão para fazer campanha bem melhor no returno.

Clube comemorou nas redes sociais: @AmericaMG

“+ 3 PONTOS NA CONTA! PELO @BRASILEIRAO”

, MARCAMOS NO PRIMEIRO TEMPO, CONTROLAMOS BEM A PARTIDA E FECHAMOS BEM O PRIMEIRO TURNO!!!!


Página 3 de 1.27612345...102030...Última »