Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

E lá se foi o nosso Xisto Guerra Neto!

Em nossa confraternização da tradicional pelada de todo fim de ano em Conceição do Mato Dentro, Xisto é o que está agachado, à direita.

A segunda-feira começou muito mal com a notícia da morte do Xisto Guerra da Silva Neto, “Xistinho”, uma das melhores pessoas que conheci, dos primeiros grandes amigos que fiz em Conceição do Mato Dentro. Sempre de bem com a vida, bom de bola, bom de prosa, cidadão do bem. Apaixonado por Conceição, pelo Cruzeiro e amigo fraterno. Xistinho era empresário, proprietário do Posto Saudade, foi-se aos 58 anos de idade, vítima de câncer. À esposa Maguinha, às filhas Mariana, Amanda e Alice, aos demais familiares e amigos, a nossa solidariedade.

Xisto (direita) ao lado de Adãozinho Costa

E faço minhas as palavras do nosso amigo comum, João Chiabi Duarte, que escreveu em sua página no facebook:

“A perda de mais uma grande amigo”

Fui informado do falecimento de um amigo muito especial, o Xistinho do Lúcio Guerra. Ele lutava contra o câncer, descansou na noite de ontem e certamente foi para os braços do Senhor. Xisto era um ser de luz, uma pessoa caridosa, honesto, um grande amigo desde a infância, justo, pai amoroso e sinto não poder estar em Conceição para lhe render as últimas homenagens.
Xisto era cruzeirense, craque de bola, jogador de um pulmão descomunal, canhoto, jogava tanto de meia como de ponta-esquerda.
Foi campeoníssimo no futebol de salão no Esporte Clube Conceição, quando ganhamos as finais do time da PM do Tenente Valcir e também outra final memorável do CAPOP (o time do Bigode, Rosca e do Geraldo Culeta). No futebol de campo eu me lembro do Xisto no infanto do Maranhão, depois no Estrelinha e no Esporte, sempre puxando os colegas de time pra cima.
Peço a Deus que envie o Seu Espírito Santo para consolar a Maguinha, filhos, irmãos, pais e familiares do Xistinho nesta hora de dor intensa.

João Chiabi Duartede mais Um Grande A


Deixe uma resposta para Raws Cancelar resposta

Comentários:
4
  • Marcão de Varginha disse:

    Meus sinceros sentimentos aos familiares, amigos e colegas…

  • Raws disse:

    O que posso dizer sobre Xistinho? A única vez que tive o prazer em conhecê-lo, noite de Carnaval, no meio da folia, o abordei e pedi, meu amigo, você não me conhece porém preciso de um grande favor, minha roça fica à 20km daqui e vacilei com o combustível, não dá para voltar. Ele falou, “esse é o seu problema? Está resolvido!” Foi na hora, abriu o posto encheu meu tanque e perguntou, “só isso?”
    A forma espontânea, simples e imediata de como ele agiu, só produziram sentimentos de gratidão e admiração. Me lembro de ter falado, meu amigo atitudes como a sua me fazem lhe prometer uma coisa, se um dia algum filho seu precisar de algo e eu souber, farei de tudo para ajudar.
    Que pena o tempo ter passado, a vida ter sido curta e eu não ter tomado uma cerveja com ele e ter reafirmado essa promessa que é eterna.

    • Chico Maia disse:

      Obrigado por este testemunho, caro Raws;
      a vida dele foi marcada por atitudes como essa. Pessoa de uma nobreza singular. Certamente cumpriu com perfeição a missão que tinha por aqui.
      Abraço.

  • AntonioLelis Costa disse:

    perdemos um cara amigo, sensacional, me recordo bem desta foto, foi a última vez que falei com Ele.