Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

“CRETINOS, RESPEITEM O CRUZEIRO ESPORTE CLUBE!”

Senhoras e senhores do blog, repasso a vocês, artigo de um dos melhores jornalistas que conheço, da terra do maior poeta brasileiro, Itabira, e tão genial quanto. Dizem que todo gênio é meio louco, não é? Pois, é! Possivelmente é o caso do Marcos Caldeira, dono do tradicional jornal Trem Itabirano. Atleticano ferrenho, escreveu um dos mais duros e impactantes artigos em defesa do Cruzeiro que li até hoje, nessa draga vivida pela instituição. Com o detalhe de que detesto CAIXA ALTA, mas em respeito ao Marcos, cujo título está nessa forma, segue do jeito que ele escreveu: 

* “CRETINOS, RESPEITEM O CRUZEIRO ESPORTE CLUBE!”

Cretinos de dentro e de fora do campo, respeitem o Cruzeiro!!! Respeitem o Cruzeiro, pulhas, patifes, bandalhos, moleques!!!

Cretinos, respeitem o maior campeão da Copa do Brasil, com seis conquistas, feito inalcançado até pelos clubes cariocas e paulistas, que contam com apoio histórico da mídia, da CBF e do apito.

Respeitem, cretinos, o clube onde jogaram Tostão, Dirceu Lopes, Piazza, Perfumo, Nelinho, Ronaldo Fenômeno, Elivélton, Fábio, Marcelo Ramos, Natal, Evaldo, Geovanni, Aristizábal, Alex, Dida, Palhinha, Raul, Joãozinho, Palhinha, Zé Carlos, Arrascaeta, Éverton Ribeiro e tantos outros bons e ótimos.

Cretinos, respeitem o clube da camisa mais bonita do futebol mundial, que espelha o céu em noites iluminadas.

Respeitem, cretinos, o clube que enfiou o maior público na história do Mineirão, em simples decisão regional contra o pequeno Vila Nova, em 1997.

Cretinos, respeitem o clube que ajudou o Brasil a formar a maior Seleção Brasileira de todos os tempos, campeã do mundo em 1970, no México, cedendo-lhe Tostão, Piazza e Fontana.

Respeitem, cretinos, o clube que derrotou o Santos de Pelé duas vezes na final da Taça Brasil de 1966, incluindo uma balaiada de 6 a 2, considerada por muitos a maior derrota imposta àquele antológico time paulista.

Cretinos, respeitem o clube que tem sete conquistas sul-americanas e é o primeiro fora do estado de São Paulo a vencer uma Copa Libertadores, em 1976.

Respeitem, cretinos, o único clube fora do estado de São Paulo que tem 10 títulos de competições nacionais: seis conquistas da Copa dos Brasil e quatro do Campeonato Brasileiro.

Cretinos, respeitem o único clube que ganhou a Copa do Brasil duas vezes em sequência, 2017 e 2018.

Respeitem, cretinos, o clube que conquistou duas edições do Campeonato Mineiro vencendo todos os jogos, em 1929 e 1930; sequer empatou.

Cretinos, respeitem o clube que conquistou duas das três edições da Copa Sul-Minas, em 2001 e 2002.

Respeitem, cretinos, o clube que derrotou tanto e de forma tão brilhante clubes argentinos e uruguaios que ganhou de comunicadores sul-americanos o apelido de A Fera Negra (La Bestia Negra).

Cretinos, respeitem o primeiro clube brasileiro a conquistar a Tríplice Coroa: Campeonato Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro no mesmo ano, 2003.

Respeitem, cretinos, o clube que tem como freguês o Flamengo, clube mais ajudado pelo apito, clube que tem mais apoio de empresários e clube mais popular do Brasil por contar com o apoio da TV Globo, emissora que mandou no país durante 40 anos.

Cretinos, respeitem o clube para o qual torcia o maior poeta da língua portuguesa em todos os tempos: Carlos Drummond de Andrade.

É o que eu diria se eu não fosse atleticano, mas cruzeirense.

Marcos Caldeira – O TREM ITABIRANO.


Deixe uma resposta para Luiz Cancelar resposta

Comentários:
44
  • Luiz disse:

    Atleticano….tá bom , finjo que acredito!

  • Evandro Oliveira disse:

    P.S. Só um detalhe que escapa ao autor do texto. Drummond era vascaíno.
    E os comentários dos torcedores do 6a1o S ao lapidares… rsrs

  • Evandro Oliveira disse:

    Parabéns aos dois atleticanos.
    Tem que ter coragem.
    Obrigado pelo aviso.

  • Ronan Sampaio disse:

    O pior que ele é mesmo Atleticano!!!!

  • JESUM LUCIANO DA SILVA disse:

    Era só o que faltava, atleticano querendo resolver as coisas nebulosas das MARIAS, sai fora, é encosto ou despacho

  • Gilberto Costa disse:

    Esse “Cretino”, do texto deve se referir aos cruzeirenses, pois eles sumiram no momento que o clube mais precisa.

  • Gilberto Costa disse:

    A Série B de 2022 promete: São Paulo, Grêmio, Botafogo, Vasco, América… Se der sorte, o cruzeiro também estará lá.

  • Eduardo Silva disse:

    Chico, bom dia,

    O que machuca muito “uns e outros” ai pra baixo é que o articulista só escreveu fatos! Não inventou nada, não criou nada, só narrou fatos públicos e notórios!

    O brasileiro de um modo geral não aceita a vitória do outro, não aceita o sucesso de um adversário e prefere jogar pedra, do que reconhecer sua mediocridade e incapacidade de igualar o sucesso do outro.

    Por que dói tanto reconhecer os títulos, as conquistas, as glórias dos outros?

    Essas manifestações de escarnio dizem mais de quem escrevem do que dos fatos narrados!

    Eita mágoa que não cura nunca!

  • Eduardo Silva disse:

    Chico, bom dia,

    Essa disgrameira toda que se passa no Cruzeiro é uma coisa que sempre falo: Onde tem dinheiro, ou melhor, onde tem muito dinheiro, sempre tem maracutaia. E clubes de futebol rola muita grana de negociação de jogadores, patrocínios, premiações, bilheterias, vendas de camisas e comissão em tudo.

    Então os dirigentes ficam ali se digladiando em uma luta pelo poder é aquela famosa história, quem nunca comeu melado, quando come se lambuza. Essa última administração se lambuzou, meteram a mão no dinheiro do clube, não pagavam as contas vencidas e a vencer e o resultado não poderia ter sido outro, quebraram o clube!

    E muitos conselheiros participantes dessa lambança ainda continuam lá, um segurando o rabo do outro e muitos “cabeças” ficam articulando por trás dos panos apavorados com o rumo o barco tomou, afundando devagarinho…

    Esse caos financeiro é a situação de muitos clubes no país como Vasco, Corinthians, Botafogo, Santos, Atlético Mineiro ou algum torcedor acha que dívidas de mais de 1 bilhão se consegue resolver no curto ou médio prazo?

    Eu, ao contrário de outros papagaios de pirata que povoam aqui o blog diuturnamente, tentando ser engraçados, não gostaria que o Alt Mineiro entrasse em falência também porque seria ai seria a pá de cal no futebol mineiro.

    A dívida do Alt Mineiro só está mudando de dono, agora se chama MRV e o dia que eles encherem o saco de futebol, de Comenbol, de CBF, de FMF e de toda a curriola que vive nos clubes essa conta chega e será cobrada!

    Abram os olhos, inocentes…

  • Pedro Vitor disse:

    E tem mais, se ele realmente é atleticano, quer atleticano, mais cretino, que esse rsrs

  • mauricio souza - bairro serrano disse:

    Belo texto, agora falar que foi escrito por atleticano, é duvidar da minha inteligência.
    Para mim:
    Cretinos são todos aqueles, que acham que só o crucru, foi roubado pela diretoria, pois pelo que sei não tem nenhum clube no Brasil, que caiu na desgraça que não foi por causa das diretorias.
    Agora, tem clube que caiu para o buraco, mais o clube era maior que o buraco, coisa que não aconteceu com o crucru, me lembro quando o Galo estava no fundo do buraco, o Kalil, falou que só não fechou porque o Galo era maior que o buraco. Agora esta grandeza toda que apregoavam sobre o crucru, caiu por terra a partir do momento em que eles descobriam que só tinham títulos, e mais nada, tirando as dívidas, que contraíram durante sua existência.
    Cretinos é aqueles que acreditam que a toca 1 foi comprada por eles, pois moro perto dela, e todos sabem que era da Fayal, e foi invadida, por isso não vendem, o terreno onde está o estacionamento está todo enrolado, não podem vender. O prédio que está passando para o MPMG é um arranjo, que estão fazendo, para despejar dinheiro público na mão deles.
    Cretinos, são todos que acreditam que eles têm 9 milhões de torcedores, para mim pode ter 9 milhões de simpatizantes.

  • Renato César disse:

    Um texto é como uma obra de arte: pertence a quem consome.

    Muitos estão chorando de emoção ao ler este texto. Eu estou chorando também, mas é de rir! Tudo por conta do encerramento: “É o que eu diria se eu não fosse atleticano, mas cruzeirense.”

    Para mim, ele só escreveu o que todo celeste fala o tempo inteiro. Está afundando na própria merda e grita: mas eu visto Adidas, único campeão da Tríplice Coroa do Brasil, tenho 15 Champions League, 12 Mundiais…

    Acho que ele foi muito sarcástico, isto sim!

  • Juliano Salvador disse:

    Um CONSOLO aos cru crus. O textão tirou o Crucru da ZONA DO REBAIXAMENTO da SÉRIE B. Agora vai!

  • J.B.CRUZ disse:

    Valeu NOBRE ADVERSÁRIO:
    Uma CRÔNICA que vale por MIL TROFÉUS, Vez que todos os Títulos e Conquistas Mencionadas ,
    São Verdadeiros (as)…
    Sem Comentários de Minha Parte:
    Assino Embaixo…
    E Mesmo com o Retrato Parede ;
    CRUZEIRO SEMPRE !!! …
    ****************************

  • Jefferson Costa disse:

    Chico Maia, todos os dias abro meu computador de manhã, para tomar meu precioso pingado, como bom mineiro residente em terras paulistas, e a primeira coisa que faço é abrir seu blog. Sou cruzeirense, mas gosto muito de seus comentários sobre as grandezas de Minas e, como atleticano lúcido, deve vendo a destruição do Cruzeiro com muita tristeza, pois a grandeza do Atlético é baliza para a grandeza do Cruzeiro, e vice-versa. Ganhar do rival poderoso, cheio de craques é uma coisa. Desejar vê-lo destruído é para atormentados mentais. Seria muito mais prazeroso para os atleticanos degustarem esse bom momento, fruto de boas administrações se em sua campanha de futuro campeão vitórias sobre o maior rival fizessem parte da campanha. Teria mais brilho ser campeão, assim como nas grandes campanhas celestes o Galo estava no caminho. Mas o Atlético não vai ser campeão batendo o Cruzeiro, pois o Cruzeiro está destruído, e só um milagre para as coisas mudarem. E lamentável para Minas Gerais ver seus marcos históricos sendo dilapidados, e Atlético e Cruzeiro é símbolo do estado assim como pão de queijo e goiabada, produtos da nossa grandeza, da nossa resiliência, da força do interior diante de um país assentado sobre o litoral. Todo cruzeirense lúcido respeita a história do Atlético e lamenta os tempos em que aventureiros despreparados comandaram o clube e envergonharam sua rica história. É assim que devemos pensar. O respeito pela história do outro EXSTE, em caixa alta. Um clube só é gigante por causa do outro, é um gigante olhando por cima dos ombros do outro gigante, é aí que reside a magia do futebol. Vencer o poderoso Atlético nos gramados é prazeroso demais; chutar cachorro morto não tem graça. O texto do ilustre atleticano acabo de ler é um apelo justamente à grandeza do futebol do estado, pois a destruição, do maior rival só interessa aos fanáticos e não aos interesses das, Minas Gerais, a melhor terra do mundo.

  • Rodrigo Assis disse:

    KKKKKKK (tô rindo mas com respeito) hauahuahauhuaa

  • Zé Carlos disse:

    Isso me lembra quando um general nomeava o governador do estado, nomearam Francelino governador de Minas e alguém disse: que absurdo, ele não tem mineiridade! Pois é. Esse aí não tem atleticanidade!!!

  • Silvio Torres disse:

    Vai ser publicado com destaque no “Times” caipira, com direito a editorial e reportagem sobre a vida desse “atleticano”…kkkkkkk. como diz o narrador Milton Leite: que fase!!

  • Jeremias disse:

    Não pode ser atleticano, ou então é candidato nas próximas. Os Crucrus não respeitam os títulos atleticanos. No momento, o Crucru é um time pequeno e os títulos nebulosos não vão tirá-lo da SEGUNDONA. O texto?? Tantos anos!

  • Marcio Borges disse:

    Rapaz, não sabia que a história do Cruzeiro, reconhecida por um atleticano, ia causar tanta revolta. Calma gente… O jornalista só falou verdades.
    Eu queria que ele não.tivesse escrevendo pelos motivos que escreveu. Mas só falou verdades!!
    #tiburcioeternomito
    #naodeformataooficial

  • Alisson Sol disse:

    O Marcos Caldeira mostrou bons sentimentos, e a isto eu agradeço.

    O problema do Cruzeiro é de fácil identificação para cada torcedor: basta olhar no espelho!

    O Cruzeiro, assim como uma cidade, um estado, um país, e qualquer outra organização humana, é uma abstração. É uma entidade que não existe na natureza, criada na imaginação humana. O mais perto que chega de algo natural seria um rio: mudam as bordas, muda a água, muda tudo, mas lá está. Do mesmo modo, em um clube de futebol mudam dirigentes, jogadores, sedes e estádio, mas lá está.

    Mas um rio pode secar se não cuidam das nascentes ou se tira tanta água dele que nada sobra para fluir adiante. Nós, torcedores do Cruzeiro, não cuidamos do nosso rio. Deixamos sujeitos sabidamente desonestos chegaram ao topo da diretoria. E agora, vamos ter de bombear água de longe para este rio não secar.

    Pior é ver que o mesmo que ocorre com o Cruzeiro também ocorre com o país. Grupos de desonestos se apossam da política do país, e dividem as pessoas, que passam a combater o corrupto adversário, e proteger seu corrupto de estimação. A História do Cruzeiro é eterna, e espero que sirva de lição.

    Desonestos e mal-intencionados existem em todo lugar. A esperança nunca é de que os desonestos acordem um dia e nos brindem com uma mudança de comportamento. A questão é se os honestos vão acordar todo dia persistindo em anoitecer tendo deixado o mundo melhor que antes. O que levou o Cruzeiro para o buraco não foi apenas o sórdido comportamento dos ´cretinos´. Foi o silencio dos que viram tudo ocorrer e nada fizeram. O maior culpado está no nosso espelho!

  • Jerônimo disse:

    “Atleticano”, sei…
    Só de dizer que o Cru-Cru tem quatro brasileiros já demonstrou que não sabe de nada.
    Taça Brasil, de 1967, não é considerado campeonato brasileiro.

    O dia que os Cruzeirenses tiverem 10% dessa consideração pela história do Atlético eu terei compaixão com o time azul.
    Até lá…eles que lutem…

    Toda arrogância será castigada e nunca esquecida.

    • Rodrigo disse:

      Tem problema. É retardado?. Primeiro é 66. Não sabe que foi reconhecido porque o nome campeonato brasileiro só em 71, que a propósito as frangas ganharam. Único título. Kkk

      • Jerônimo disse:

        Errei a data justamente porque ela não tem relevância alguma. Ninguém sério considera esse quadrangular, chamado Taça Brasil, como um titulo de brasileirão.

        Em 1937 o Galo ganhou um torneio nacional e nem por isso dizemos que temos 2 títulos brasileiros. Considerar que o Cru-Cru tem 4 brasileiros é só mais um devaneio dos arrogantes e dos ignorantes.

        Essa merda de time azul tem que cair para a serie C e acabar.
        Acho que o sofrimento azulino ainda é pouco, perto de tudo que aprontaram nos seus 100 anos de existência.

        Aqui….corra para fazer o seu sócio “Onda Verde”.
        Dizem que ainda aceitam vaidosos como você…por lá…

  • João disse:

    Atleticano???

  • Raws disse:

    Pera aí! Atleticano ele pode até ser, mas não é Raiz.
    Até os cruzeirenses vão concordar que nossa rivalidade não permite isso.
    Lógico que ele descreveu muitas verdades, porém muitas falsas verdades e outros exageros, que se fosse escrito por um torcedor azul eu ainda aceitaria.
    Se meu filho atleticano, escrevesse isso, eu pegaria a vara de marmelo.
    Lembrando do Chico Anizio, “vai comendo Raimundo”.

  • Franklin Moreira disse:

    Chorei. Viva o Trem Itabirano! Viva o grande Marcos Caldeira!

  • Flávio Azevedo disse:

    Eles estão falindo e continuan achando que são maiores e melhores que os outros. Não tenho dó de un clube em que seu ex presidente falava que queria o único DECACAMPEÃO mineiro falido. Aqui se faz, aqui se paga.

  • Sérgio Moreira disse:

    Gostaria de saber se algum torcedor azul do bairro das Garças, escreveu isso alguma vez sobre a situação do Clube Atlético Mineiro, nas décadas de 90

  • Raul Otávio Pereira disse:

    Já faz alguns anos que me ausentei, por vontade própria, do blog. Preferi não entrar na discussão que às vezes – muitas vezes – chega às raias da insanidade. Mas isso é outra história. Não vou entrar nessa pilha.

    Decidi entretanto me posicionar excepcionalmente hoje à respeito desse texto do Marcos Caldeira.

    Além de ser – com muito orgulho – conterrâneo dele, o texto traduziu em palavras simples aquilo que penso e que poderia ser, se não for pedir muito, considerado pelos críticos no que se refere à situação deprimente, degradante e humilhante vivida atualmente pelo Cruzeiro.

    Entre os críticos, além de nós próprios cruzeirenses, estão incluídos os torcedores do outro time que é (ou era, fiquem à vontade para tripudiar) nosso maior rival.

    Marcos Caldeira, itabirano da pôrra, atleticano de quatro costados, fez jornalismo. Aliás, como faz em seu jornal que ele carrega sozinho nas costas há cerca de vinte anos. Procurem “O Trem Itabirano”, seja em assinatura para recebimento em papel, seja nas redes sociais. Vocês vão se surpreender e entender o que é “jornalismo” para além das globos, folhas e estadões da vida.

    O cara é simplesmente foda, e luta sozinho lá na “terra da pedra lisa” há muito tempo. É um combatente; ele é um daqueles que alguém famoso personagem histórico do qual não me lembro o nome denominou como “imprescindível”.

    Jornalismo, se não estou equivocado, se faz dessa forma. Sem paixão. Marcos é atleticano mas escreveu um texto que talvez faça algumas pessoas refletirem a respeito de suas posições e “verdades”. Falou aquilo que é fato consumado, mesmo que talvez para ele (Marcos), como atleticano raiz, esses fatos sejam incômodos.

    Agradeço imensamente ao Chico Maia por abrir espaço para o Marcos Caldeira. Espaço que ele merece por mérito próprio, mas que poderia ter sido sonegado por formadores de opinião, como nosso Chico é, merecidamente. Não é a primeira vez que Chico Maia abre espaço para o Marcos Caldeira nesse blog, e se por um lado é merecido, por outro lado é sinal de respeito, reconhecimento, desprendimento e bom coração do Chico.

    Finalmente, agradeço ao Marcos Caldeira pelo belo texto. Me faz sentir um orgulho ainda maior de ter nascido em Itabira e poder desfrutar da mesma cidadania dele. E de ser com mais orgulho ainda – quem diria, um atleticano me provocou esse sentimento- cruzeirense.

    Vida longa, Marcos Caldeira !!!

  • Pedro Vitor disse:

    Tenho minhas dúvidas se o sujeito é atleticano.

    Maior público é história pra boi dormir

  • Luiz Ibirité disse:

    Traduzindo, a historia nao se apaga, O Cruzeiro continua grande, mas hj sem comando e sem futebol nao esta altura nem dos “pequenos” times de futebol.

  • Marcio Borges disse:

    Chico Maia, este texto tinha que chegar a todos os conselheiros do clube. Tinha ser divulgado no site do cruzeiro, no site das torcidas organizadas. Enfim….tinha que ganhar espaço em todas os locais que pudessem atingir a direçao do clube. Quem sabe assim eles tomassem vergonha na cara e largavam Teta, como bem disse o nosso companheiro LUIZ IBIRITÉ
    #tiburcioeternomito
    #naodeformaoficial

  • Márcio Luiz disse:

    Humhum. Então tá.

  • STEFANO VENUTO BARBOSA disse:

    La bestia negra é o cúmulo da pavonice, atleticano que escreve isso precisa de tarja preta.