Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Placar poderia ter sido maior; Cruzeiro errou passes e gols demais

HENRIQUE

Em foto do SuperFC, Henrique, capitão e mais uma vez destaque do time.

***

Obrigado ao Alex Sousa, que escreveu para o blog a resenha de Cruzeiro 2 x 1 Caldense:

* A Caldense, mesmo em desvantagem, pouco apareceu no ataque. Um time de chutões. O Cruzeiro dominou o jogo, criou algumas oportunidades, contudo, Thiago Neves, Robinho e De Arrascaeta erraram passes demais. Sóbis perdeu um gol feito, logo a 2’ do 2º tempo, numa rara jogada de velocidade do time azul. Jogo ruim; o time azul fez uma péssima exibição e, nos segundos finais, ainda levou um gol da fraca Caldense, em lance em que a defesa (ponto fraco do time no ano) foi surpreendida por um lançamento entre Manoel e Fabrício. O Cruzeiro custou a engrenar na partida e só chutou abola em gol a 20’ minutos, com Rafael Sobis. Depois as jogadas e finalizações começaram a aparecer, sobretudo pela direita, com apoio de Ezequiel e tentativas isoladas de Sobis e De Arrascaeta; Henrique acabou marcando dois gols em lances de bolas rebetidas erradamente pela defesa da Caldense.

No segundo tempo jogo seguiu no mesmo ritmo do 1º, bem cadenciado, com raras avançadas do Cruzeiro pelo lado direito, com apoio de Maike. Apareceram boas chances de finalização, contudo, o ataque não apareceu bem, apesar da grande movimentação de Rafael Sobis. Lamentável um futebol tão fraco; quem foi ao estádio viu um treino de luxo.

FICHA TÉCNICA DA PARTIDA
CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel (Mayke), Leo, Manoel e Diogo Barbosa (Fabrício); Henrique, Ariel Cabral, Robinho e Thiago Neves (Alisson); Arrascaeta e Rafael Sobis – Técnico: Mano Menezes.
CALDENSE: Neguetti; Jean Michel, Thiago Caprini, Hélio e Rafael Estevam; Eduardo Mineiro, Hygor (Álvaro), Leandro Oliveira (Wellington Rato) e Diego Clementino; Zambi e Rafamar (Edu) – Técnico: Thiago Oliveira.
Arbitragem: Jerferson Antônio da Costa com auxílio de Breno Rodrigues e Douglas Almeida Costa
Gols: Henrique (aos 31’ e aos 37’ do 1ºT); Wellington Rato (aos 48′ 2º T)
Cartões amarelos: Diogo Barbosa (Cruzeiro); Eduardo Mineiro, Zambi (Caldense)
Público pagante: 9.328 – Público presente: 11.311 – Renda: R$185.701,00


» Comentar

Comentários:
10
  • Bernardo Montalvão. disse:

    Meu Deus, quanta parcialidade da imprensa mineira. Grande vitória do cru cru que está no caminho certo, ganhando, convencendo e caminhando firme para os títulos do ano. Placar, 2 x 1, gols de escanteio assinalados pelo volante do time. Quando o Galo ganha de 4, o placar não refletiu o que as equipes fizeram e o Galo continua a dever uma grande apresentação.
    Início de temporada chove de dívidas para o Galo, criticas às contratações, elenco fraco; do outro lado, um clube saneado e sem débitos com o elenco mais caro do Brasil e um instituto alemão declarou o time azulino o melhor de todas as galáxias.
    Cru cru se prepara para uma maratona de jogos desgastantes contra: Caldense, América T. Otoni, Joinville, Tombense e Muricí. Só jogaço!

    • thiago disse:

      Atletico tem ganhado os jogos com gols la na segunda metade do segundo tempo com o Fred salvando a Pátria. O Cruzeiro tem ganhado as partidas com gols no primeiro tempo e administrado no segundo além disso os gols são feitos por vários jogadores. Ontem por exemplo foi dois do Henrique.
      Fato e que o Cruzeiro esta um pouco melhor entrosado e preparado que o atlético que tem vencido mas não convencido sua torcida.

  • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

    Não sei se é impressão minha, mas o Cruzeiro parece que está jogando como se fosse alcançar o resultado favorável a hora que bem entender, mas quando menos espera acaba é passando algum tipo de sufoco. No jogo de ontem não chegou assim a passar algum sufoco de fato, mas em mais um descuido tomou outro gol. E como já disse antes, descuidos assim e desatenção na hora que começarem os grandes jogos mesmo, pode custar muito caro…

    • Elias Rodrigues Emídio disse:

      Realmente esta esta postura meio arrogante, pode acabar com time!!! Até hoje só pegamos baba! (Incluo ai o nosso suposto “rival”), mas ainda sim devemos jogar com seriedade sempre!

      Lembro-me que o time bicampeão certa vez goleou o Santa Rita por 5 a 0 em um jogo pela copa do Brasil querendo marcar uns 20 a 0, isto pra mim demonstrou o respeito do time pelo futebol, que partidaça foi aquela (https://www.youtube.com/watch?v=7iMG8C0OMa8). Devemos sempre entrar para ganhar para fazer o melhor possível sempre, dar 110% em cada jogo. Veja, por exemplo, o jogo entre PSG e Barça, o Barcelona talvez tenha jogadores muito melhores tecnicamente que o PSG, porém a entrega dos franceses no baile que foi os 4×0 foi impressionante! É com esse espírito que um time de futebol deve entrar em campo, não desmerecendo óbvio a parte tática e técnica (aliás que meio de campo cabuloso o do Cruzeiro esse ano, esse ataque ainda vai dar o que falar!!!!),

      Para terminar aqui vais a fala do nosso capitão Henrique, após o jogo: “Ganhar por 5 a 0 foi a nossa maneira de mostrar respeito ao Santa Rita. Se pudéssemos marcar mais, marcaríamos. Aqui ninguém tenta humilhar ninguém. Dar dribles desnecessários. Jogamos em função da vitória. Seja contra o adversário que for.”

      Vamos lá Cruzeiro, humildade e pés no chão!!! Maior campeão de Minas e um dos maiores do Brasil!!!

      • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

        Caro Elias Rodrigues Emídio,

        Concordo plenamente contigo. Até agora o nosso Cruzeiro ainda não foi realmente testado e ainda assim vem administrando demais os jogos. Tem que entrar concentrado, focado e se entregar ao máximo até o final em busca da vitória sempre.

        Abraços

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    Já faz algum tempo que me questiono sobre a lógica de se usar dois times durante a temporada, coisa que o Cruzeiro está fazendo.
    O primeiro inconveniente que vejo é a existência de dois estilos de jogo – o Cruzeiro “titular” aparentemente joga num esquema mais leve, de deslocamentos, troca de posições e passes rápidos.
    O Cruzeiro “reserva” – além do inconveniente e do descaso com os demais jogadores, que podem se sentir preteridos e até sem chance de buscar a titularidade total – joga em um estilo mais tosco, menos flexível, ou seja, bola na área para o Ábila e vamos ver o que ele resolve – o velho “bumba-meu-boi”.
    Primeira dúvida – na hipótese de substituição por contusão ou suspensão de algum “titular”, o “reserva” estará adaptado ao estilo de jogo e aos outros jogadores ?
    Segunda dúvida – para que “poupar” os jogadores do jogo em si, mas submetê-los ao desgaste de concentração, viagem, etc ? Isso aconteceu em Patos de Minas, no jogo contra a URT. Francamente, não vejo sentido nisso – o cansaço provavelmente se deve muito mais à preparação em si do que ao jogo propriamente dito.

    • thiago disse:

      Vc acha que a viagem cansa mais do que correr 10 km por jogo que dura 90 minutos? Ai vc pulou o corgo de muleta!
      O time B do Cruzeiro e muito melhor que muito time da série A pode ter certeza.

  • Stefano Venuto Barbosa disse:

    Acho que mais um ano de ilusão vem aí, o menino não é tão bonito quanto pintaram, até porque, fora o clássico, que tinha o rival com um time misto, o resto que o cruzeiro pegou é lá da prateleira de baixo.

    • Claytinho do Nova Vista - BH disse:

      Êêêê Dr. Stefano… rs

      “Acho” ?? rs
      Huuummm…. Vc tá mudando mesmo hein…. rs Em outras épocas vc sacramentava, mas agora é “acho” ?? rsrs

      O problema é que depois de vc ter preferido fugir, do que honrar sua palavra, vc ficou sem credibilidade principalmente perante os Cruzeirenses do Blog e a partir daí vc é encara só na base da zoação e mais uma chacota… rsrs

    • luiz ibirite disse:

      o dr. estefano com todo o perdão da palavra não acredito em mais nenhuma das suas profecias, kkkkkkk