Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

E lá se foi o Nival Dias de Sá, eterno presidente do Venda Nova!

NIVAL

Nival, em foto do Pedro Silveira, para o jornal O Tempo

Muito bonita a atitude do técnico Enderson Moreira que, na entrevista coletiva de sexta-feira, fez questão de prestar homenagem póstuma ao Nival, com palavras emocionantes sobre ele, que o dirigiu como técnico e presidente. Na realidade ele foi tudo no Venda Nova, e o seu nome se confunde com o do tradicional clube, que revelou tantos jogadores para o futebol brasileiro, como o atacante Euler e o goleiro Bruno dentre outros.

Só hoje fiquei sabendo que ele se foi, na sexta-feira. Nival era uma ótima figura humana, além de grande guerreiro do futebol amador. Irmão do humorista Geraldo Magela, o “Ceguinho”, pai da jornalista Ludymilla Sá, sempre discreto e muito trabalhador. Merece todas as homenagens que o futebol mineiro lhe prestar.

O jornalista Ricardo Plotek, Subeditor de Esportes do jornal O Tempo, também o homenageou na coluna dele de sábado:

* “Minha Homenagem”

 Outro assunto que gostaria de abordar, assim como Enderson Moreira, é o falecimento de uma das maiores figuras do futebol amador de Minas Gerais, em especial, de Belo Horizonte.

Foi cremado ontem, no Parque Renascer, em Contagem, o corpo do eterno presidente do Venda Nova Futebol Clube, Nival Dias de Sá, que morreu aos 66 anos devido a problemas no coração.

Nos últimos 40 e tantos anos, Nival dedicou muito, mas muito tempo mesmo de sua vida ao clube, que nunca abandonou e ao qual sempre se entregou, mesmo com as inúmeras dificuldades que um time amador tem.

A sua família, em especial à viúva Graça e à filha Ludymilla Sá, jornalista das melhores e que herdou do pai o amor pelo futebol e pelo desporto, fica sincero e enorme abraço.

A imagem que fica para mim de Nival Dias de Sá é de um abnegado, que não tinha fim de semana, feriado, dia santo, chuva, sol, frio ou calor.

Ele sempre tentou fazer e fez o melhor para o Venda Nova, que está de luto, assim como todo o futebol amador da capital. E ainda arrumou tempo para formar uma família amorosa e acolhedora, que dele deve se orgulhar. Viva o Nival!


» Comentar

Comentários:
3
  • Marcão de Varginha disse:

    Meus sinceros sentimentos à familiares, amigos, colegas…

  • jorgemoreira disse:

    Só lembrando ele parece muito com o Mussula quando bem jovem quando ainda jogava no gol do Galo, por falar no Mussula por onde anda, o saudoso ex goleiro do Galo e até da seleção Mineira campeão do Brasil no torneio de seleções de 1963, era um timaço, é claro que o Barata se lembra daquele time, cuja base era o time do Galo com alguns jogadores do tambem saudoso Siderurgica de Sabara Ô Barata lembra daquela seleção foi a ultima seleção campeã do torneio de seleções

  • jorgemoreira disse:

    Absurdo dos absurdos um dos clubes mais tradicionais do futebol de varzea de BH perde um abnegado,sim abnegado e nem uma homenagem, dos politicos , que cançaram de ir até ele para fazer campanha politica, mas a vida é deste jeito, Muita paz e conforto aos familiares e torcedores do Venda Nova, que se ainda existe é porque este Sr Nivaldo Dias lutou bravamente pela sua sobrevivencia, pena que nem mesmo a copa itatiaia o Venda Nova disputa mais