Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A “simples” fórmula para se montar times competitivos, na base do “bom e barato”

Thaciano, um dos artilheiros do Boa Esporte na Série B 2017 com 10 gols, fazendo sucesso no Grêmio

Diz um velho ditado: “quem sabe, sabe; quem não sabe, bate palmas”, um outro ditado ensina: “quem pode, pode; quem não pode, se sacode”. Pois é! Nestes velhos e surrados ditos populares está a explicação para quem consegue montar times “bons e baratos”. O clube tem que ter um diretor de futebol e um treinador afinados. Além de “olho clínico” para enxergar jogadores que têm potencial para chegar e resolver, habilidade e competência para buscar o jogador.

Não vejo isso no Atlético desde a saída do Levir Culpi e o início da doença que levou o Eduardo Maluf embora. O Cruzeiro teve isso em fins de 2012 quando Alexandre Matos e Marcelo Oliveira começaram montar o time que surpreendeu a todo o país em 2013.

Um dos gols do Grêmio na vitória sobre o Bahia, em Salvador, foi do Thaciano, jogador que pertence ao Boa Esporte. Sim, senhores, os gaúchos vieram a Minas e buscaram um paraibano de 23 anos de idade, que marca gols de todo jeito, de cabeça principalmente. Renato Gaúcho, que ficou de molho mais de dois anos, tido como ex-treinador, ouviu falar desse moço e “mandou olhar”.

E ele foi recebido com a desconfiança costumeira da imprensa em situações como essa. Vejam o que escreveu o Globoesporte.com no 31 de dezembro de 2017: “… ao que tudo indica, o Grêmio encerrará 2017 com apenas uma contratação anunciada oficialmente para a próxima temporada. O nome está longe dos holofotes, mas entra na conta das apostas tricolores que são consideradas baratas e podem render frutos em breve, como aconteceu com o volante Michel neste ano. O meia-atacante Thaciano foi buscado no Boa Esporte e promete empenho naquelas “chances da vida”.

E vejam a avaliação individual do Grêmio, feita pelo jornal Zero Hora, de Porto Alegre, logo após os 2 a 0 sobre o Bahia: “Thaciano:
“Acelerou o ritmo do time. E foi premiado ao marcar o segundo gol. Nota 7”

Peguemos também o exemplo do América, que faz uma boa campanha no Brasileiro, com algumas descobertas acima da média, como o Serginho. No dia 1º de fevereiro o Globoesporte.com informava: “O dia foi de apresentação no América. O meia Serginho, que veio por empréstimo do Santos e treinava há alguns dias com o elenco do Coelho, conversou oficialmente com a imprensa nesta quinta-feira. O jogador de 23 anos é desejo antigo do técnico Enderson Moreira e fica no clube até o fim da temporada.

– É com prazer que estou aqui para apresentar o Serginho, que é um jogador que o Enderson queria desde o início de 2017, para a campanha da Série B. Conseguimos trazê-lo agora e é um importante reforço. Esperamos dele uma força grande para auxiliar o América em 2018 – disse o diretor de futebol Ricardo Drubscky.

Além de ressaltar a confiança do treinador em seu futebol, Serginho prometeu um ano de sucesso no América, que volta à elite do futebol brasileiro em 2018.

– O Enderson veio atrás de mim, assim como a diretoria. O pessoal quis muito contar com meu futebol e fiquei muito feliz com isso. Vim para ajudar meus companheiros. E tenho certeza que teremos um ano brilhante.”.

É isso aí!


» Comentar

Comentários:
56
  • Carlos Henrique disse:

    Gente como como moro no sul de minas
    fico pensando, se nao tivesse
    e morado criança e adolescente em B.h.
    provavelmente torceria por um clube paulista
    e aqui pipocam resenhas, de torcedores
    dos clubes paulistas
    tv midia local etc
    por isso chega mais informaçoes
    dos times de Sao Paulo
    uma coisa sempre penso sobre futebol
    o Santos para min um caso a ser estudado
    Pelé, vari os craques surgiram la
    e de uns anos pra ca,
    ta é uma mina de talentos
    anos 2000, Robinho Diego e tantos outros
    Neymar e varios outros da sua geraçao
    agora Rodrygo
    que para min será melhor que
    Vinicius Jr
    e pensar que o Atletico ja foi assim
    ainda morava em B.h.
    começo dos anos 70
    e o time lançado em 1977 ( ano que mudei para o sul de minas)
    por Valmir Perreira
    Cerezo Luizinho, Reinaldo, Marcelo, Paulo Isidoro
    e tantos e tantos outros
    por que o Santos consgue
    por que o Flamengo esta voltando as origens
    jogou com o Galo com a zaga que era da base
    com essa nova politica da base
    daqui uns anos vamos revelar tambem

  • Alex Souza disse:

    CRUZEIRO 1 X 1 VASCO

    PRIMEIRO TEMPO

    CHANCE PELO ALTO: A 7’ o Cruzeiro pressionou e obteve escanteio. Dedé superou a defesa vascaína e cabeceou para baixo. A bola passou à direita do gol do Vasco e o Cruzeiro quase abriu o placar.

    CHANCE CLARA: O Cruzeiro continuou pressionando e Raniel fez bola jogada pela esquerda e cruzou para o meio da área. Bola perfeita para a conclusão de Thiago Neves, que chegou na frente da marcação. Ele chutou errado e perdeu uma chance clara de marcar para o Cruzeiro.

    NA TRAVE: A 15’ Fábio evitou o gol do Vasco. Lucas Silva fez falta em Pikachu, na região frontal ao gol do Cruzeiro. O próprio Pikachu cobrou bem a falta e a bola ia ao ângulo superior esquerdo do gol azul. Fábio deu um leve toque, a bola foi ao travessão

    PENAL CLARO: A 19’ minutos Edilson foi apoiando o ataque pela direita. Ele venceu a marcação com um belo drible para trás e o defensor vascaíno, Dasábato, derrubou o lateral azul. Falta clara, na cara do árbitro principal e do assistente de linha de fundo. Inexplicável a não marcação de um lance desses; na cara dura não aplicam a regra e o omisso auxiliar da linha repreendeu Edilson sabe-se lá porque.

    RECUO INTENCIONAL: A 20’ novo erro da arbitragem. Tiago Neves ia rumo ao gol vascaíno e o defensor fez o recuo da bola para o goleiro, que defendeu com as mãos. Mais uma vez a arbitragem falhou e não aplicou a regra. Deveria ter punido o Vasco com tiro indireto a gol, sendo Cruzeiro prejudicado.

    FALHA E VASCO 1 a 0: Andrey, a 22’, valendo de falha lamentável de Egídio, recuperou a bola e deu um chute fortíssimo no ângulo direito do gol de Fábio. Chutaço, golaço, bola indefensável. Vasco na frente no vacilo azul na saída de bola.

    MESMA LINHA: A 32’ a bola sobrou livre para Raniel no ataque azul, A defesa parou pedindo impedimento inexistente e o atacante desperdiçou a chance, chutando alto, sobre o gol do time carioca.

    SEM DIREÇÃO: A 37’ Raniel foi derrubado na direita do ataque por Paulão. Thiago Neves foi para a cobrança numa posição privilegiada para o seu pé esquerdo, contudo, chutou muito mal.

    NINGUÉM PARA MARCAR: Raniel, a 38’, movimentou-se pela direita e venceu a marcação, conseguindo o cruzamento. A bola passou perigosamente na frente do gol e nenhum atacante chegou a tempo de concluir em gol.

    DE NOVO RANIEL: A 41’ Raniel, lutando contra a forte marcação, limpou o lance e concluiu, contudo, o goleiro Fernando Miguel defendeu bem. O Cruzeiro seguiu, no fim do tempo inicial, pressionando em cruzamentos e escanteios, sem sucesso para empatar a partida.

    RESUMO TEMPO INICIAL: Muita pressão azul, diversas chances desperdiçadas no afã de desfazer a desvantagem. Pouca movimentação e participação de Robinho e Thiago Neves no setor ofensivo. Lamentável a clara interferência da arbitragem deixando de marcar um penal claro para o Cruzeiro. O Vasco, na sua, fez a sua parte: fechou-se em forte marcação, a aproveitou o erro de Egídio para obter a vantagem e quase marcou numa cobrança de falta.

    SEGUNDO TEMPO

    PERDENDO CHANCE: A 4’ o Cruzeiro pressionou pela direita. Dedé fez o cruzamento para a área e a bola passou por vários atacantes na frente do gol cruzmaltino. Ninguém para concluir a jogada.

    POR POUCO: A 8’ Robinho apareceu pela direita e Raniel movimentou-se para receber o passe. O atacante recebeu e cruzou, contudo, a bola desviou no marcador e cobriu Fernando Miguel. Ninguém fechou para aproveitar a oportunidade e a defesa cortou o perigo.

    A MESMA JOGADA: A 12’ a bola voltou a cruzar a área do Vasco. Thiago Neves, entre os defensores, não alcançou a jogada depois que o Cruzeiro, explorando as laterais do Vasco, fez mais um bom cruzamento..

    SALVOU O GOLEIRO: A 14’ Fernando Miguel salvou o Vasco. O Cruzeiro cobrou um escanteio, a defesa rebateu parcialmente a a bola foi a Dedé, que deu um chute rasteiro, colocado, no canto direito. O goleiro fez defesa espetacular para escanteio.

    EMPATE MERECIDO: Raniel, em passe fabuloso de Rafael Sóbis, empatou a partida em 1 a 1 a 16’. Conclusão perfeita de uma jogada que recompensou a perseverança do Cruzeiro na busca da igualdade. Destaque no lance para Dedé, que armou a jogada até Sóbis.

    TORCEU O PÉ: Em lance isolado o defensor Ricardo Graça, sozinho, recebeu um passe e torceu o pé direito, ficando o jogo paralisado. Em seguida foi a vez de Thiago Neves receber falta mais forte e ficar caído. Wagner, experiente, se deitou em campo alegando câimbras.

    PRESSÃO E CATIMBA: O Cruzeiro seguiu atacando e Edilson fez grande jogada pela direita. O cruzamento saiu perfeito, contudo, Thiago Neves e Marcelo não aproveitaram o lance. Luiz Gustavo, do Vasco, caiu no lance para dar uma esfriada no jogo.

    CONTRA O CRUZEIRO: A 31’ o Cruzeiro atacou pela esquerda. A bola saiu pela linha de fundo, claramente tocada pelo defensor vascaíno. Outra vez o árbitro inverteu a marcação e prejudicou o Cruzeiro.

    PRESSÃO TERRÍVEL: A 37’ o Cruzeiro encurralou o Vasco na defesa. Henrique ficou com uma sobra e quase conseguiu finalizar,com a bola indo a escanteio. Na cobrança, a 38’, a defesa rebateu e a bola voltou cruzada para a área. Marcelo fez o passe e quando Raniel ia marcar Paulão chegou empurrando por trás, mas a arbitragem nada marcou.

    PERDEU DE NOVO: A 43 a bola levantada na área foi a Bruno Silva, que cabeceou para fora, á esquerda de Fernando Miguel. Seguindo na pressão, a 45, Egídio chutou de fora da área uma bola mal rebatida pela defesa. O chute saiu cruzado e Thiago Neves tentou no carrinho, sem sucesso.

    RESUMO DO TEMPO FINAL: Muita luta do Cruzeiro, que tentou a vitória de todas as formas, esbarrando nas falhas de conclusão. O time batalhou e sufocou o Vasco, mas as conclusões foram pouco efetivas.

    RESUMO DA PARTIDA: O Vasca evitou se expor e se fechou na defesa, sobretudo depois de abrir o placar num lance de erro defensivo do Cruzeiro e um chute raro de seu jogador. Fez um jogo inteligente, sabendo que seria muito pressionado no Mineirão. Cruzeiro dominou completamente as ações territoriais e posse de bola, encurralando o Vasco, contudo, abusou do direito de perder gols e vários cruzamentos perigosos não foram aproveitados pelos atacantes. Apesar do penal claro não marcado sobre Edilson, que jogou muito bem, o Cruzeiro não aproveitou as chances que apareceram. Vida que segue; não há tempo para justificativas, caça aos culpados ou coisas do tipo. Esse é o Campeonato Brasileiro: É por pontos corridos. Jogar melhor não adianta; a arbitragem é fraca mesmo; não são válidas as críticas à postura do adversário; e não cabe análise de justiça no placar.

    FICHA DA PARTIDA
    PLACAR: Cruzeiro 1 x 1 Vasco
    MOTIVO: 10ª Rodada do Campeonato Brasileiro 2018
    LOCAL: Mineirão (Belo Horizonte/MG) – DATA: 06Jun2018, 21:45 horas
    CRUZEIRO: Fábio, Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Lucas Silva e Henrique; Robinho, Rafael Sóbis (Bruno Silva) e Thiago Neves; Raniel (Marcelo) – Técnico Mano Menezes.
    VASCO: Fernando Miguel, Luiz Gustavo (Welligton), Paulo, Ricardo Graça e Henrique; Dasabato, Andrey, Bruno Cosendey, Yago Pikachu e Wagner; Andres Rios – Técnico Valdir Bigode.
    GOLS: CRUZEIRO: Raniel, a 16’ do 2T; VASCO: Andrey, a 21 1T
    CARTÕES AMARELOS: VASCO: Wagner, a 44 1T e Yago Pikachu, a 43’ 2T.
    ARBITRAGEM: Luiz Flavio de Oliveira com auxílio de Anderson José de Moraes Coelho e Fábio Rogério Baesteiro, todos de SP.
    RENDA E PÚBLICO: Público Presente: 23.725; Público Pagante: 19.870; Renda: R$ 411.772,00

  • Carlos Santana disse:

    A imprensa aplaude quando o time é de outro estado , quando é daqui só criticas !

  • jorgemoreira disse:

    Sobre olheiros do futebol o Atlético teve otimos professores e ninguem aprendeu nada, Barbata, seu Zé das Camisas, Irineu,Elizeu, Dawson Laviola, Zé Maria Pena, estes sim foram otimos olheiros, eu sempre assistia jogos nos campo de terra em BH e por vezes até no interior e encontrava algum destes srs e porque não dizer professores pois quem foi treinado por qualquer um destes sim professores sabe que pra subir tinha que ter fundamentos para se jogar futebol, e digo mais não era só futebol eram verdadeiros tios, pois educavam e muito auxiliando os pais na criação de seres humanos, pois bem NINGUEM APRENDEU e hoje no clube tem muitos que passaram pelas mãos destes mestres e só não entendo porque não colocam em pratica o que lhes foi ensinado mesmo com as mudanças no futebol, falei do Atlético mas no outro time tambem tinham muitos Rossi, Crispim, Lincoln,, no America o lendario Bijú, Mucio e Betinho Dornas, Jorge Abrahão, estes sim honraram os nomes de verdadeiros professores de futebol e por que não até de carater, éo futebol pode até ter mudado mas quantos destes jogadores atuais não teriam sidos dispensados nas primeiras peneiras e indicados a estudar como este que os escreve, sim eu fui um dos que foi aconselhado pelo Sr, Lizio Juscelino Gonzaga( o Bijú) a parar de pensar em futebol e estudar e aprender uma profissão pois como jogador de bola kkkk eu seria um dos ultimos a ser escolhido nos dois primeiros times

    • José Eduardo Barata disse:

      JORGE MOREIRA ,
      o que mais me espanta é ver/ouvir gente a dizer
      que são outros tempos , futebol não é mais como
      antigamente , é preciso “profissionalizar” a peneira
      e mais um monte de bobagem .
      O que está a fazer falta mesmo é campo de várzea
      e seus “festivais” , quando a molecada mostrava o
      talento jogando , às vezes , descalço mesmo .

      • Carlos Henrique disse:

        É isso Barata, o mercado imobiliario
        acabou com varios e varios campos
        cidade crescendo
        ainda existem, mas nao na mesma proporçao
        em B.H. e aqui no sul de minas
        você passa em alguns lugares
        tem um predio, fabrica, e lembra do campo

      • jorgemoreira disse:

        Mudaram até o futebol de salão que tambem revelava bons jogadores, quantos bons sairam do Recreativo(antes Clube dos Viajantes) no Proprio Atlético ,Olimpico, Arsenal, o America futebol de salão tambem revelava,, Sparta e tantos outros, mudaram o nome e o esporte, parece outro jogo, desculpe o meu saudosismo hoje esta um pouco alto, mas que os olheiros de antigamente eram mais competentes, disto não tenho duvidas, veja bem o Bruno hoje jogador do Santos rodou na varzea e ninguem o viu jogar(ninguem dos clubes da capital) eu gostaria que estes ex atletas do Galo pelo menos ensinassem fundamentos aos meninos da base, porque esperar revelar penso ser dificil

        • Renato César disse:

          Peço licença para participar desta conversa. Infelizmente os tempos são outros. Não temos à disposição os mesmos recursos de outrora. Logo, devemos saber nos virar com o que temos.

          Já na minha infância este processo estava em transformação. Lembro que a turma da rua se reunia algumas vezes para disputa de torneios de futebol de botão e de videogame (naquela época era o Atari). Estas competições consumiam boa parte das férias. Eu preferia chutar a bola sozinho na garagem de casa a participar destes torneios. Só via a turma quando rolava uma pelada na rua.

          Hoje, quando uma criança está chutando uma bola, é na escolinha de futebol, forçado pelos pais. Por isto os talentos estão cada vez mais raros. Mas é a nova forma de se praticar futebol. Ficou “gourmetizado”.

          Sobre o Bruno Henrique, ele jogou na várzea e não foi visto pelos clubes da capital e nem pelos de fora. Apesar de ter sido contratado pelo Cruzeiro após se destacar na Copa Itatiaia de 2011/2012, nunca vestiu a camisa celeste. Só foi descoberto de verdade ano passado, aos 26 anos, depois de voltar de passagem apagada pelo futebol alemão.

          Mas este é um problema do futebol atual. O Lucas Pratto foi formado nas categorias de base do Boca Juniors, subiu para o profissional com contrato de 4 anos e só fez duas partidas (na maior parte do tempo foi emprestado). Foi para a Europa e voltou para a Argentina sem sucesso. Aos 26 anos “estourou” no Vélez Sarsfield e foi contratado pelo Galo. Voltou aos 29 anos como estrela para a Argentina jogando no maior rival do clube que não o viu jogando.

          Futebol de hoje passa por clube organizado, salários em dia, disponibilização de infraestrutura, condicionamento físico, time com um modelo de jogo bem definido e laço estreito com bons empresários. Arte é uma questão de sorte.

  • Carlos Henrique disse:

    Chico faz o seguinte, quando o Atletico contratar
    faz um post, falando e analisando as contrataçoes do Galo
    Amigos, como J.e. Barata, Dudu galo maio,Luiz, Silvio
    Marcaode Varginha e outros emetirem a sua opiiao
    vamos ver se o nivel de contrataçoes melhora

  • Carlos Almeida disse:

    Se o Kalil não foi perfeito no seu 1° mandato?
    Evidente que não, nenhum ser humano é capaz desse feito, por mais insignificante que venha a ser o erro.

    Mas comparar a sua 1° gestão com a atual é de uma alienação sem limites.
    É coisas que só se leem na Internet…

    O Kalil pegou o clube com um elenco sofrível, devido a política de escassez (austeridade) implementada pelo Ziza.

    A realidade era outra e msm assim, já no primeiro ano, com o saudoso Eduardo Maluf, trouxeram Leão e Marques, que haviam marcado época no clube.

    Petkovic, craque incontestável…

    Dps trouxeram o Tardelli, um dos grandes jogadores da história do CAM, numa cartada genial.

    Tbm os melhores técnicos do país na época, Luxemburgo, Dorival, que msm campeão, saía do Santos devido ao episódio com Neymar.

    O melhor jogador do Brasil, Diego Souza.

    Dudu Cearense era uma das grandes revelações do Inter, com passagem pela seleção.

    Guilherme era o maior carrasco do Atlético até então.

    André era um dos destaques daquele Santos de Neymar e Ganso.

    Transformou o ct em algo de 1° mundo.

    Vejam bem, msm com os resultados sendo frustrantes, o presidente fez tudo o que estava, ao meu ver até além do seu alcance, pra colocar o Atlético no topo.

    Sempre arrojados, almejando o mais alto e em consonância com a Massa.

    Um dirigente empreendedor, na real concepção da palavra e que conhecia e vivia o clube como nenhum outro.

    Um diretor com mt talento e bagagem.

    Não obtiveram o retorno em campo, mas nunca faltou-lhes criatividade, ousadia e principalmente, vontade de vencer.

    Eis as enormes diferenças.

    • Renato César disse:

      Nada mais justo que comparar os momentos sim. No primeiro ano efetivamente de mandato (assumiu na metade do segundo semestre em eleições antecipadas após a renúncia forçada do Ziza), o Galo de Alexandre Kalil teve Leão e Celso Roth treinadores.

      Segue a lista de jogadores contratados naquele ano para falarmos em cima de dados históricos e não invenções (como Dudu Cearense ter sido jogador do Inter. Quem jogou lá foi o genro do homem, o Fabiano, que veio para o Galo com cerca de 31 anos):
      Goleiro: Aranha, Carini
      Zagueiro: Alex Bruno, Jorge Luiz, Pedro Benítez
      Lateral Esquerdo: Júnior, Wellington Saci
      Lateral Direito: Elder Granja, Coelho
      Volante: Carlos Alberto, Renan Teixeira, Jonílson, Júnior Carioca, Corrêa
      Meia: Lopes, Carlos Júnior, Fabiano, Hugo, Evandro, Ricardinho
      Atacante: Júlio César, Mariano Trípodi, Diego Tardelli, Rentería, Pedro Oldoni, Alessandro

      Contratamos mais do que dois times (26 jogadores) para não conseguir fazer nem um. Naquele ano, perdemos 3 clássicos, empatamos 1 e vencemos 1. Disputamos 5 títulos e não vencemos nenhum (o único vice foi no Campeonato Mineiro). Nosso endividamento cresceu assustadoramente.

      Sobre o projeto do choque de gestão, foi apresentado pelo atual presidente do conselho. Ele que uniu as pessoas que cercaram o Alexandre Kalil e participaram da melhor diretoria que tivemos. Entre elas, estavam Sérgio Sette Camara e Lásaro Cunha.

      Não disse em momento algum (mesmo porque é o contrário do que penso) que o Alexandre Kalil não foi o maior presidente do nosso clube. Mas desconhecer a sua história é desconhecer a história do próprio clube. Aí a gente vê quem é alienado de verdade.

      • Carlos Almeida disse:

        Escreveu, escreveu…
        Citou todas as cotratações da 1º gestão Kalil (haja tempo para pesquisa do Google!)…

        Mas como sempre, incapaz de refutar argumentos, fica em citações vazias, totalmente improfícuas.

        Salvo, todas as até então boas cotratações, citadas acima e apoiadas pela torcida na época.
        Contratou tanto pq precisava, não havia um time.

        Havia mts problemas enraizados que de forma alguma poderiam ser solucionados da noite para o dia.

        Inclusive o time do Roth foi líder e disputou o título faltanto 5 rodadas para o final.

        Reconhece que o Kalil é o maior presidente mas comparando-o com quem deveria ser comparado justamente com seu antecessor, que implementou a msm política de “austeridade” e não terminou o mandato.

        Então o Kalil fez um “choque de gestão” mas endividando “assustadoramente” o clube?
        Fez tanta c… no 1º mandato mas tendo o 7 e o Lásaro, a “melhor diretora da história do clube”?

        Na minha época a gente dizia que era coisa de torcedor de “radinho”, pra não dizer outra coisa.

      • José Eduardo Barata disse:

        RENATO CÉSAR ,
        banco de dados .

        • Renato César disse:

          A memória ajuda muito, mas o Google ajuda mais!

          Tem hora que é preciso usar os recursos que temos à disposição para, pelo menos, diminuir erros de informação.

  • Geraldo Magalhães disse:

    O que está acontecendo com o Atlético hoje é o seguinte: futebol está nivelado por baixo (difícil até de se ver), os clubes cumprem um jogo de interesses e desfazem de certas competições por exclusão ou o contentamento de abocanhar uma fatia do bolo como foi o caso do Grêmio o ano passado. Todos perdem e todos ganham, o Atlético bastante odiado, vem bem, mas quando perde uma a oposição tumultua o ambiente e torcedores, atletas , comissão técnica e diretoria se divergem e o time só se recupera após 3, 4 ou 5 reveses.

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    Na realidade, a contratação de jogadores baratos – e que podem ou não ser bons – é uma grande loteria.
    Olheiros – mesmo os bons – falham. Jogadores com muita frequência têm desempenho diverso ao que tinham no clube de origem.
    Some-se a isso contratações feitas em momento de crise, quando o jogador chega para resolver a parada, e encontra um ambiente hostil, de cobrança por algo que ele não tem responsabilidade.
    Penso que a única solução é tentar, tentar, tentar. De vez em quando dá muito certo e aí um acerto compensa vinte ou trinta erros.

    • Renato César disse:

      Bingo! Falo exatamente isto sobre as contratações.

      Mas, “De repente, não mais que de repente” (Vinícius de Morais), toda esta pressão e revolta coincidem com o afastamento da imprensa na cobertura cotidiana do clube. Acabaram os privilégios, eles só podem permanecer em horários predeterminados, não há mais acompanhamento de treinamentos, entre outros.

      Imagino que se Sette Câmara e Gallo pagassem rodízio no Fogo de Chão, viagem com a delegação, hospedagem, dessem informações de bastidores, etc. e os resultados em campo fossem os mesmos, o trabalho deles seria elogiado. Mas só imagino.

  • Bernardo Montalvão disse:

    O Galo já comprou tantos artilheiros da Segundona. O cara chega aqui marginalizado, encontra um ambiente hostil entre diretoria, imprensa e torcida e fracassa.

  • Antonio da Silva disse:

    Diretor Gallo faz consulta sobre situação de Lucas Evangelista na Europa. Nunca ouvi falar… Também não entendo, o cara só tenta contratar jogador paulista e de preferência que já trabalhou com ele. Se chegar e jogar tudo bem, mas a maioria dos que vieram este ano foram fiascos. Depois sai e deixa a barca!

  • Silvio T disse:

    Prá refletir: depois que Patrick saiu do time, o Atlético só venceu o chamado time B do rival. Já pensaram se ele estivesse em campo contra Flamengo, Sport e Chape? As derrotas, os sete gols tomados e a queda para o décimo lugar seriam 100% culpa dele.

  • Carlos Henrique disse:

    A diretoria do Atletico conseguiu
    minimizar a manifestaçao das torcidas organizdas
    nunca fui contra torcida organizada
    mas sim de marginais que nelas se infiltram
    na reportagem globoesportes.com
    a diretoria conseguiu uma tregua
    e prometeu contrataçoes após a copa do mundo
    Ta vendo, sempre disse
    que os caras nao conhecem a torcida do Galo
    Sem violência é bom isso
    nao ir a porta de c.t. quebrar carro
    isso é coisa de bandido
    Que venham as contrataçoes
    E que Alexandre Gallo tenha lucidez
    e nao erre nas proximas contrataçoes
    é possivel isso é
    Entao penso todo mundo merece a oportunidade
    que faça o melhor
    oque eu quero, é o nosso Galo de volta
    arrepiado
    pronto pra briga
    pra vencer e convencer

  • Carlos Henrique disse:

    Flamengo e Corinthians , vitoria do Flamengo
    com 3 jogadores da base ,Paquetá, Vinicius jr e Vizeu
    que fez o gol , Paquetá e Vinicius vendidos
    Corinthians teve Pedrinho, menino de futuro e ainda franzino
    Vasco revela, Paulinho vendido por uma fortuna
    Matheus vital, outra promessa foi para o Corinthias
    Evander quase veio para o Galo
    que nao revela ninguem
    ou nao sabe lançar os garotos
    Bruninho , Marquinhos, Alerrandro
    O sao Paulo nao esta lançando garotos
    mas contratou Nenê, Diego souza, e Heverton
    Esse HEverton do Flamengo, poderia ter vindo
    nao foi para o Sao Paulo
    é isso que dizia ha um mes atras aqui
    diz isso aqui ha um mes
    O Atletico estafazendo tudo errado
    colocando jogadores na vitrine
    e quem ganha vai ser o PALMEIRAS
    HA um mes falei isso aqui
    se Erik tivesse bem , emplacasse
    seria a mesma coisa
    Agora a diretoria ta numa sinuca de bico
    Saiu Otero, nao acedito que Roger Guedes fique
    e a reposiçao do Otero nao tem
    e a reposiçao se Roger Guedes sair
    nao tem
    Oque posso fazer torcer torcer
    para ganhar do America e do flu em casa
    e o outro jogo que nem sei qual é mas em casa
    e esperar a parada da Copa
    até la a diretoria , vai pensar, e fazer as reposiçoes
    vou torcer e muito
    para ganhar os 3 jogos que faltam
    ai depois amigo
    é com a diretoria
    que ela acerte, pois ficaremos um mes parado
    e com a janela internacional aberta

  • jailson disse:

    Um texto para reflexão,pois no domingo assistindo o jogo do América eu pensei nisso.O Aylon não seria melhor que o Erik?Serginho não seria melhor que tomaz andrande?o Atlético tem que contratar os olheiros do América,pois estes sabem revelar jogadores bons.

  • Guilherme Gonçalves Costa disse:

    A novidade da vez, que circula pelas redes sociais, é que Alexandre Gallo, está na Europa na companhia de um representante da empresa Traffic. Acho que o inexperiente “profissional” cansou de tomar tôco no continente natal, e resolveu ouvir seus costumeiros nãos na velha europa. Meu Deus!!! Só espero que ele não volte com mais perebas pro meu Galo. Acaba não cachaça porque pra aguentar o Galo este ano, e o outro com 2 L’s só bêbado mesmo.

  • Horacio V Duarte disse:

    Prezado Chico, demais comentaristas. Faltou citar o corintias, o corintias, até pouco tempo tinha o único ‘centro de monitoramento’ de jogadores do pais. Basicamente sabia tudo sobre cada jogador, número de passes, certos e errados, conclusões, contusões, expulsões, posição etc etc. Avaliou jogadores em times da série A, B e periferia.
    Fez excelentes contratações sem gastar os tubos, treinou e poliu muitos jogadores até ficarem prontos para entrar em campo. Mas quando entravam era para decidir, não para ver se ia jogar bem. E nos últimos anos levantou muitos canecos. Jogadores cresceram no e com o time, vestiram a camisa.
    Qual a diferença com o parmera? A diferença é que o palestra joga de duas maneiras, contrata os melhores e rapta o que não precisa dos concorrentes. Mas esta não é a principal diferença, a diferença é que o corintias tem raça, não gosta de perder, vai atrás do resultado, o palmeiras não pode pedir raça a um bando de mercenários. Pode-se falar o mesmo do flamengo, ninguém ali se importa com qual camisa veste, só os meninos que vieram da base.
    No futebol isto faz uma enorme diferença.

  • Fernando Pereira disse:

    O Fred do Shakhtar Donetsk foi vendido hoje ao Manchester United que pagará cerca de 55 milhões de euros (R$ 240 milhões).
    Natural de Belo Hte jogou na base do Atlético de 2003 a 2009 e depois foi de graça pro Inter.
    Será que vão receber uma beirada como clube formador?

  • José Eduardo Barata disse:

    CHICO MAIA ,
    enviei um “atualizando” para o CARLOS ALMEIDA
    pois precisava agradecer a ele pelas palavras ditas
    a meu respeito .
    Será que perdi a gravação ?

  • Paulo F disse:

    Chico, tocou no assunto que mais tem criado insatisfação da torcida, que é o suposto diretor de futebol Alexandre Gallo. Me parece incompetente e perdido no meio, uma tragédia anunciada. Até quando ele vai ficar, me pergunto…
    PS: Como é que pode o Marcos Rocha ter passe fixado e o Roger Guedes não! Inacreditável

  • José Eduardo Barata disse:

    CARLOS ALMEIDA , atualizando …
    Ponto a ponto
    1. Não , meu caro , eu não falo PELOS outros .
    Às vezes , são meras concordâncias .
    2. Quanto aos melhores momentos , reafirmo:
    não me apraz um sucesso como 13, 14 e um
    desastre como 15, 16, 17
    Prefiro a constância dos ótimos times durante
    a década de 70 até 82 , quando tínhamos a
    certeza de grandes jogos para assistirmos,em
    que pese não tenhamos comemorado títulos .
    3.Quanto à tese de ser campeão e passar o
    resto da vida devendo , prefiro ser campeão e
    não dever nada . Acredite : é possível .
    4.Quanto a NÃO respeitar opinião diferente da
    minha , você está certo : NÃO respeito .
    Respeito o DIREITO do outro OPINAR , mas a
    opinião , desde que contrária àquilo que penso
    não merece a minha aprovação .
    De outra forma estaríamos concordando com
    uma situação conflitante , não é mesmo ?
    ( Essa interpretação, que achei fantástica , é da
    lavra do Prof Olavo de Carvalho )
    Pra terminar, honrou-me sobremaneira e me faz
    cada dia mais atento às gentilezas e aos bons
    modos a sua fala sobre a minha pessoa .
    Não me julgo tão merecedor assim .
    De toda forma , obrigado pelas palavras .

    • Carlos Almeida disse:

      Ok, caro José Eduardo Barata!

      Nisso tbm divergiremos: embora não concorde com alguns pontos do comentário (e concordo com mts outros), os respeito, principalmente pela sua pessoa.

      Não compartilhemos das msm visão no que se referi ao atual momentos do CAM, porém falo sem nenhuma pretensão, que a minha voz está de acordo com pelo menos 95% da Massa que ainda está apoiando o time em campo.

      Nunca vi uma direção causar tanta revolta na torcida, nem RG, Afonso Paulino, Ziza…

      De qualquer forma, concordando ou não, reafirmo o que disse qto a forma e o alto nível com o qual interage no blog.

      Concordando ou não, merecem sempre a nossa atenção.

      Abraço!

  • Julio Cesar disse:

    Mais uma investida do Gallo: Bruno Cesar. Que não é isso tudo e vem de lesão. E o Sporting fazendo jogo duro.

  • José Eduardo Barata disse:

    HORÁCIO DUARTE , atualizando ….
    Sobre essa impressionante campanha midiática
    contra o Atlético , reverberada nas redes sociais
    e nos blogs , peço permissão para aqui lembrar
    de um fato ocorrido em 1973 , contra ninguém
    menos que Telê Santana .
    Não que pudesse ser isento de críticas , mas a
    forma como ele foi atacado na sua segunda e
    breve passagem pelo Atlético foi algo surreal .
    Já postei aqui que, naquela época , estava fora
    de Belo Horizonte mas recebia regularmente os
    jornais locais , além de cartas que me levavam
    as notícias do futebol .
    Cheguei a escrever para o Roberto Drumond, o
    único que estava com o Telê , abertamente , e o
    consagrava como dissidente do que chamava de
    defensores do Anteontem Futebol Clube .
    (Minha carta foi publicada na íntegra , na coluna).
    Hoje , mais uma vez , a história se repete .
    Mas o Atlético é muito maior que qualquer crise .
    Sairemos desta , também .
    Um abraço !

    • Horacio V Duarte disse:

      Caro José Eduardo, nem me lembrava disto mais, foi um ano em que eu abandonei o mundo, estava precisando me dedicar para tentar o vestibular.
      Mas não tenho visto muito nossos comentaristas isentos. Tenho visto mais alguns blogs e alguns canais do youtube. Mas pela repetição cansativa do que se lê por aqui, idêntico em outros locais é possível ver que a cornetagem tem a mesma fonte.
      Acho sim que o Galo sobrevive, mesmo porque basta algumas vitórias. Para quem tem acompanhado a evolução do time são erros que serão corrigidos, o grupo ainda está se conhecendo e o técnico é novo, mas não é bobo. Mas esta pressão toda nunca que é muito boa.
      O problema é a perda de receita do clube no momento em que mais precisa. Não fosse isto até acho que o sette está fazendo um bom papel tomanto pancada pelo grupo, fez muita bobagem em pouco tempo, mereceu. Não sei se é de ‘caso pensado’, mas diminui o stress de quem trabalha.

    • Lucy disse:

      Mestre Barata,

      Adoraria ler a carta mencionada. Quando tiver um tempinho, posta aí pra gente…
      Não sou dada ao uso de onomatopeias, mas hoje em homenagem ao seu comentário falando dos “rs’s e kkk’s”, não resisto: kkkkkkkkkk

      Abraço.

      • José Eduardo Barata disse:

        LUCY ,
        assim que eu encontrar a edição em que foi publicada,
        com a permissão do CHICO MAIA , eu a transcreverei .
        É que depois de 45 anos , muda pra cá , muda pra lá ,
        deve estar em algum lugar , em alguma caixa com as
        relíquias do passado .

  • Julio Cesar disse:

    Ate outro dia o Atletico teve uma vitoria convincente. Não da pra ficar lamentando o penalti não marcado. Ja escrevi e repito. 90% dos tais lances claros em que o arbitro “errou” pra mim ele fiz vista grossa. Como nesse penalti que caso fosse do lado contrario, estaria marcado.
    Quanto ao diretor Gallo, esta sim, foi a pior contratação. O cara não consegue contratar o juvenil do Vasco. Fora as muitas tentativas frustradas. De Arthur do Ceara (ate então tido como sensação) ate um meia Colombiano. Passando por zagueiro argentino. É uma lastima !
    Quanto ao Larghi, esta tendo seus dias de professor Pardal.
    Os gols que do Eric, todos pela direita. Inclusive um no Atletico quando ele atuava pelo Goias. Enquanto isso Tomas Andrade tem que fazer o breque pela diretia pra ajeitar a bola pra sua canhota.
    Em que posição mesmo joga este argentino ?
    Concordo com a analise do Renato Cesar, pra mim preciso. Time quando esta bem, o mediano aparece. Pirangi ja contou com o grande futebol do Mota. E o lateral Leandro. Que “jogou aquilo tudo no Atletico”. Então, não quer dizer que Thaciano hoje estaria em envidencia no Atletico. Carlos Cesar veio do Boa. Fez boas partidas pelo Atletico.
    Quem jogou a final da Lbertas contra o Olimpia ? O “glorioso” Michel. Naquele time, quem não jogaria. Josue, era contestado, jogou tambem. Então não é pegar o Fernando Karanga e por no ataque que vai resolver. Alias, esta na Bulgaria.
    Então, Gallo ja é a decepção maior.

    • Renato César disse:

      O que me decepciona no Gallo é que ele realmente chegou dizendo que tinha uma boa base de dados de atletas sub-23 que usaria de forma “criativa” para o momento atual do clube.

      Porém, ele só buscou nomes que nós já conhecíamos ou que não conseguiram jogar ainda. Fora os jogadores que ele tentou e não conseguiu (estes sim, talvez estivessem na tal base de dados).

      Esperava mais dele sim. Mas também não há alternativas no mercado. Nomes consagrados custam o que o clube não pode pagar por eles e nem pelos atletas que eles vão tentar.

      Sobre o Thiago Larghi, é uma grata revelação nossa. Arriscar soluções que parecem mirabolantes faz parte da vida do técnico. Quando o resultado acontece, viram gênios. Caso contrário, não passam de um simples “professor Pardal”. Prefiro isto à omissão de não tentar nada e ainda esperar que as coisas mudem.

      Meu porém com ele está apenas na quantidade de treinos. Para obter conjunto é preciso treinar. Não pode abrir mão de treino agora como fez após a vitória no clássico.

  • Silvio T disse:

    Até que nesse ponto acho q o galo está bem. Todo mundo só quer levar os jogadores do Atlético. Agora é o Roger Guedes. Continuo insistindo que está faltando inteligência e competência para fazer o elenco funcionar melhor dentro de campo. Lá do outro lado da lagoa fazem estardalhaço com interesse de clubes do exterior e..nada! Lembram da “espetacular” venda do Sóbis? Pois é…

  • Guilherme Leôncio disse:

    No Galo uma contratação desta chegaria com pessimismo da torcida, influenciada pela imprensa. Resultados negativos e o cara começa ser vaiado.

  • José Eduardo Barata disse:

    O que falta não é jogador bom e barato .
    O que falta é gente que saiba encontrar
    um Pedrilho , Danival , Marcelo , Bibi ,
    Pedro Paulo , Dirceu Lopes , Éder Aleixo
    Reinaldo , Isidoro , Piazza , Cerezo ……..
    Não foi preciso rodar mais que 100km
    pra encontrar esses “perebas” .
    Ah ! , sim , pro Reinaldo gastaram um
    pouco mais de gasolina .

  • DUDU GALOMAIO BH disse:

    Boa tarde!
    Tenho passado com pouca frequência aqui no blog. A irritação com esse momento do Galo é gigante e prefiro evitar certas coisas. A verdade é que o “comando” desse parvalhão que hoje se diz presidente do Galo, me deixa amargurado e até antipatizado em ouvir notícias e comentários.
    Conto os dias para que essa praga suma da cadeira da presidência do Galo e com ele leve seu projeto de diretor.

    Abraço aos amigos que me citaram em alguns posts.

  • Renato César disse:

    Chico, este “olhar clínico” tem controvérsias. Tem jogador que não rende em determinados times, ou que só joga em certos times.

    No Galo hoje temos dois exemplos de jovens promessas que só renderam nos times que os formaram: Erik e Clayton.

    Também podemos observar que uma coisa fundamental para que jogadores se destaquem, mesmo os medianos, é entrar em time organizado.

    O Grêmio hoje contrata dois ou três jogadores na temporada para serem reservas. Quando jogam, entram bem porque a equipe já está formada. Não adianta jogar um bom jogador em um time bagunçado, em formação ou querendo derrubar treinador que ele não vai render.

    • Carlos Henrique disse:

      Me permita Renato César
      O Flamengo ganhou do Corinthians com 2 jogadores da base
      um vendido por uma fortuna
      O outro fez o gol da vitoria (Vizeu)
      entao estao trabalhando bem la.
      O Sao Paulo, contratou jogadores rodados acima de 30 anos
      estva invicto ate perder , para o Palmeiras
      Nenê e Diego Souza e Heverton ex Flamengo
      O Vasco revelou Paulinho , vendido, e outros bons valores
      O Gremio mescla jogadores rodados , até veteranos
      como Leo Moura, e jovens como Arthur e Luan
      Aqui no Atletico, nem revelamos jogadores
      como nao contratamos bem
      o que esta acontecendo