Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A mineração no Brasil e o julgamento de Nuremberg

A cena do presidente da Vale ao lado de diretores da empresa na entrevista coletiva de terça-feira, 29, fez lembrar imagens do julgamento de líderes nazistas em Nuremberg.

Menos mal que aqueles responsáveis por uma das maiores carnificinas da humanidade foram condenados à morte, prisão perpétua ou muitos anos de cadeia. Infelizmente é difícil acreditar que algum desses chefões da Vale vá parar na cadeia.

Foi a segunda entrevista desse presidente da empresa depois do Córrego do Feijão ocupar as manchetes. Na primeira ele veio com a conversa mole parecida com a do presidente da Samarco em Mariana. Nessa foi totalmente diferente, com semblante sério e assustado. Certamente movido pela pressão internacional, que levou à queda das ações da empresa no mundo. A única coisa que incomoda e mexe com executivos e empresas desse porte.

Temos um ex-presidente da república e ex-governadores de distintos partidos políticos presos, mas nenhum diretor de mineradora.

O destino desses executivos cruéis da Vale deverá ser o mesmo dos da Samarco (aliás, empregados deles), que mais de três anos depois dos crimes em série cometidos em Mariana, continuam impunes. Nem as multas, nem as indenizações às famílias e cidades atingidas foram devidamente pagas. Tomara que estes cinco “bagres” ou bodes expiatórios presos em São Paulo e em Minas Gerais, abriam o bico e entreguem os chefões.

A verdade nua e crua é que, no mundo, só há uma indústria cujo poder pode ser comparado ao das mineradoras e sua cadeia produtiva: a bélica. Seus executivos só visam o lucro, onde os fins justificam os meios. São empresas que não têm rosto, não têm um culpado verdadeiro para apresentar em casos de crimes como este cometido em Brumadinho e tantos outros. Compram consciências, compram pareceres, licenças, sentenças, enfim. Dominam as comunicações, direta e ou indiretamente. Chegam mansinhas às comunidades em que vão operar, conquistam a confiança das sempre desinformadas e de boa fé populações, muitas vezes manipuladas pelas lideranças políticas locais, que entram no jogo, e se instalam. Fazem jorrar dinheiro miúdo no comércio, geram empregos mal remunerados, doam uma graninha para as quermesses, patrocinam reformas de igrejas, um centro de saúde aqui, um arremedo de hospital ali. Apoiam festas tradicionais locais, com cartazes e algum show barato, e pronto. Se instalam. Para cidades e povoados “pobres”, que nunca viram tanto dinheiro, finalmente “Deus olhou por nós”, “estamos no paraíso”. Nem imaginam que o inferno é que está chegando. Tornam-se reféns e alvo de chantagens quando chegam as dragas, tratores, caminhões e a exploração incontrolável das minas de minerais raros e cobiçados pelo mundo inteiro. Ouro, manganês, bauxita, nióbio e até minério de ferro, o mais barato deles, usado como fachada para que toda a riqueza do subsolo brasileiro seja levado por preço de banana para o exterior.

Enquanto acionistas e executivos dessas multinacionais ficam cada vez mais ricos mundo afora, o chão de fábrica mais barato do planeta é esfolado em péssimas condições de trabalho e milhares de pessoas e a natureza padecem soterradas por crimes como este mais recente, o de Brumadinho.

Quando uma licença para operação não sai ou o Ministério Público aperta, eles ameaçam “ir embora”. Mobilizam comerciantes, trabalhadores e famílias que vão para as ruas em passeata. Incautos que se tornaram reféns, agora dependentes destes chantagistas que os fizeram acreditar que eram a salvação quando chegaram. Sempre contando com a cumplicidade ou incompetência de homens públicos e grande parte dos veículos de comunicação.

Itabira foi a primeira vítima dessa trama, denunciada em versos por Carlos Drummond de Andrade. As jazidas de lá estão se esgotando, mas há muitas outras na vizinhança. Conceição do Mato Dentro é a bola da vez. Descoberta primeiro por Eike Batista com a MMX, que a vendeu para a Anglo American, que conseguiu recentemente, numa velocidade impressionante, licença para o tal “step 3”, para minerar quase no centro da cidade. Leva as riquezas e a água, absurdo dos absurdos, via “mineroduto” de quase 600 km, por gravidade, até o porto de Açu, no Rio de Janeiro, passando por 32 municípios. Diferentemente da matriz da África do Sul, que constrói suas próprias estradas e ferrovias para transportar o minério explorado, aqui a Anglo usa “mineroduto”, muito mais barato, já que no Brasil tudo pode.

Em países onde a mineração também é forte, como a África do Sul, Austrália, Canadá e outros, normas ambientais e de segurança são rigidamente cumpridas. Barragens como essas utilizadas por aqui, não existem mais. Mas no Brasil tudo pode. Se não puder, compra-se!


» Comentar

Comentários:
18
  • Anderson Palestra disse:

    Puta que pariu!!!
    Se essa definição das grandes empresas fosse o tema de redação do ENEM você ganhava nota 1000.
    Chico, que definição! Nua, escancarada e cuspindo na cara de quem se beneficia com a exploração do povo, do meio ambiente e da miséria humana.
    PARABÉNS!!!!!!!!!

  • Marcelo Vieira disse:

    Parabéns Chico. Excelente comentário, foi direto ao ponto: em outros países existe mineração mas não acontecem esses absurdos que temos aqui. Esse mineroduto que usa água potável para transportar minério é caso de polícia.

  • Alisson Sol disse:

    Acho que há uma mistura de vitimismo com transferência de responsabilidade que não se aplicam neste caso. Nesta hora deveria haver moderação e serenidade. Mas está havendo o usual “fogo de palha”, que queima por pouco tempo e logo será apagado e vai para o esquecimento.

    No exterior, há um ativismo até exagerado sobre a preservação da Amazônia. Artigos regulares no NY Times lembram a responsabilidade de acionistas pelo extrativismo na Amazônia (link). Lembram também de acidentes ecológicos até mais graves, como o ocorrido no campo petrolífero do Lago Agrio no Equador (link). Devemos nos lembrar também que o problema de um país ou região terem recursos minerais em abundância, e o impacto macro-econômico disto são conhecidos como “Doença Holandesa“. Enfim: o fato de “Minas Gerais” depender demasiadamente da exploração mineral não é único, nem diferente do que ocorre em todo o mundo.

    O “acidente” é culpa de todos os brasileiros. Na hora da “colheita” dos royalties da exploração mineral, todo mundo quer. Na hora do descaso com a preservação ambiental, todo mundo quer. Na hora do “emprego para a vida toda na Vale”, todo mundo quer. Mas na hora do acidente, os único presos até agora foram uns poucos engenheiros. É o supremo caso da “prisão do engenheiro de obra pronta!”. Todos os meus colegas de Universidade e amigos engenheiros estão revoltados: gente que nem sequer leu o parecer dos engenheiros acha que eles tem de ser presos. Ninguém estar dizendo que não devam ser responsabilizados e até presos após uma apuração rigorosa, julgamento e sentença. Mas prender engenheiro por parecer? Estavam querendo fugir? Estavam destruindo provas? Muito estranho já termos os culpados antes sequer da investigação. Coisa de Alice no País das Maravilhas…

    A pergunta que fica é: um engenheiro pode, com um parecer, enterditar algo? Lembram do acidente do prédio em SP? Quantos pareceres de engenheiros foram ignorados? Incêndio no Museu Nacional no Rio: diversos pareceres de engenheiros ignorados. Agora, em um acidente, o “parecer do engenheiro” é que “deu segurança para a obra”. Haja aula de lógica a ser ignorada para aturar isto…

    • Anderson Palestra disse:

      Alisson, não acho vitimismo não, mas entendo seu ponto de vista.
      Com relação aos engenheiros, houve uma busca por culpados de maneira rasa.
      O Judiciário jogou para a opinião pública. Uma lástima.

  • Wilson Leão disse:

    Boa, Chico!!!

  • Jean disse:

    Triste e revoltante cenário. Ótimo texto Chico Maia.

  • Marcos disse:

    Pois é né minha gente, no Brasil acontece coisas que não são toleradas em nenhum outro país do mundo. Nosso amigo Chico Maia usou o exemplo da África do Sul, que mesmo não sendo um país desenvolvido, está mais avançado que o Brasil quando o assunto é exploração de minério.
    O Brasil não tem grandes terremotos, nem furacões, nem vulcões e nem grandes guerras. E nem é preciso, porque as maiores ameaças desse país são certas pessoas que aqui habitam, que podem causar estragos muitas vezes maiores que desastres naturais. Estragos esses que quase sempre arrebentam com a população mais pobre e jamais atinge poderosos e endinheirados…
    É por essas e outras que o Brasil não sai tão cedo da periferia do planeta…

  • tom vital disse:

    Belo texto Chico.Você disse tudo.

  • Raul Otávio da Silva Pereira disse:

    Chico Maia, tenho quase 60 anos de idade. Acredito que sou seu contemporâneo; você deve estar girando por essa faixa também.
    Em função disso, você deve saber que à essa altura do campeonato, as veias (ou artérias? Sei lá, nunca gostei de estudar isso) do coração se enfraquecem. E as do saco também. Os efeitos disso são conhecidos – infartos, AVC’s, pau mole, falta de tesão…enfim, ficar velho é uma merda.
    Estou meio cansado – como você também deve estar – de ficar lendo sempre os mesmos comentários unidirecionais e absolutos, donos da verdade. Comentários que não aceitam contraponto. Tentei reverter isso aqui várias vezes. Reconheci (como no jogo de domingo) que em diversas ocasiões decisões de juízes beneficiaram o Cruzeiro. Fiz críticas ao meu time do coração, que é o Cruzeiro, em função de várias cagadas que foram feitas nos últimos anos – contratações erradas, falta de aproveitamento de jogadores da base, salários fora da realidade, declarações desastrosas, enfim – uma infinidade de erros. Também critiquei e elogiei o “mineiro”, várias vezes. A ideia sempre foi ajudar a criar um canal sinérgico e civilizadamente positivo para todos, mas hoje tenho certeza de que falhei, pelo menos na intenção. Ninguém quer isso.
    (Observação: “mineiro” deveria ser o nome correto daquele time preto e branco. Afinal, “clube” todos são. “atlético” também todos são, uma vez que 100% deles se envolvem em questões esportivas, portanto atléticas. Enfim, o nome que sobra para o time de Vespasiano é “mineiro”)
    Tinha em mente, desde o início de minha participação, aprender com os participantes do blog e quem sabe ajudar a abrir um canal de conversação sadio e racional, que pudesse minimamente influenciar de forma positiva as decisões administrativas, técnicas e operacionais dos times mineiros – inclusive do “mineiro”, aquele que em 20121 completará 50 anos sem um título brasileiro – em prol do futebol. Em prol daquele esporte que todos do blog adoram desde a tenra infância. Mas as paixões exacerbadas sempre falam mais alto, e com elas os “instintos mais animais”, inclusive políticos. É uma pena. O blog mais parece uma conversa entre surdos – todos falam, mas ninguém ouve. Ou no caso, todos escrevem, mas ninguém lê.
    Ando meio cansado desses comentários unidirecionais; alguns até maldosos, inconsistentes e muitas vezes ofensivo, frutos obviamente de desinformação e em alguns casos, de má fé. Comentários de pessoas que se colocam como donos da verdade e que não aceitam contraponto. Minha geração (seria esse um defeito ou uma qualidade ?) não foi criada dessa forma. Fomos educados para ouvir com atenção e reverência, e só falar com substância e – depois disso partíamos para a discussão produtiva, “ganha-ganha”, na qual todos aprendem. Mas não é isso que acontece no país hoje. Atualmente a moda é lançar uma fake-news qualquer, distribuir e impulsionar entre grupos, e isso passa a ser uma verdade absoluta . Azar de quem foi atingido; tem que correr atrás para desmentir, se puder e conseguir. Certamente, é uma questão geracional; os culpados devemos somos nós, os velhos por não entendermos os “novos tempos”. E só estão certos os mais jovens que nós, aqueles que foram “educados” pelo Facebook, pelo Whatsapp, Instagram e outras merdas desse tipo. Que são incapazes de ler e analisar um balanço financeiro, as entrelinhas de uma notícia de jornal, um comentário de um articulista político ou um livro de um historiador, sociólogo ou filósofo qualquer. Mas que são donos da verdade, eles se acham as “últimas coca cola do deserto”. Ai de quem contestar ! Se contestar, terá um monte de “dislikes” (existe isso? Nunca tive Facebook e portanto não sei, me desculpem a possível cagada) e passará a ser uma ovelha negra na comunidade cibernética.
    Bom, toda essa verborragia é apena para dizer que estou me despedindo definitivamente do blog. Não tenho mais estômago para ler certas coisas e prefiro me afastar para não polemizar. Não tenho mais estômago para ler opiniões que pecam totalmente pela falta de cultura, discernimento e bom senso. E até pela falta de educação, em alguns casos. Não dá mais. O tecido social brasileiro foi grave e irreversivelmente dilacerado nos últimos anos por vários irresponsáveis – inclusive aqueles que usam Twitter e Facebook para ganhar eleições – e os traumáticos rompimentos familiares, profissionais e de amizade mostram isso claramente. Não vai dar mais liga. Acabou. Nossa sociedade está doente, e só não vê quem não quer. Não sei se tem cura nessa geração; talvez daqui a 30 ou 40 anos, quem sabe.
    Também não tenho a menor pretensão de que minha saída seja sentida pelos outros participantes do blog. Não me julgo importante; eu era apena mais um colaborador. Não perderei entretanto um segundo sequer das minhas dez sagradas horas de sono diário por causa disso, mas desejo felicidades a todos. Foi um prazer conviver com vocês durante esses anos. Agradeço por tudo que aprendi com vocês.
    Desejo também sucesso a cruzeirenses, mineiristas, americanos, e muito especialmente aos torcedores do Valério e Democrata de Sete Lagoas, esses dois últimos em função da minha cidade natal (Itabira) e da cidade que adotei para morar desde 1999, que é Sete Lagoas.
    E quanto a você, Chico, torço por um breve reencontro nosso na Fazenda Velha (ia escrever FV para preservar o local, mas talvez alguém pode achar que é o código secreto de uma “célula comunista ideológica”, então achei melhor falar o nome completo daquele santuário de tranquilidade e amizade sincera e sadia, além da cerveja gelada, que o Marquinhos nos oferece).
    Obs: Algo me diz que você também gostaria muito de “chutar esse balde”….kkkkk…..mas isso é outro papo.
    Abraços a todos.
    CRUZEIRO SEMPRE !!!

    • J.B.CRUZ disse:

      CARO RAUL:
      Concordo Sem Ressalvas com o Seu Comentário…E como Assino Embaixo, Gostaria de Acrescentar Alguns Tópicos de Meu Viver e Conviver Em Sociedade..
      NÃO SOMOS PERFEITOS: (CADA UM COM SEU DESTINO; SEU CARMA E SUA SORTE) SOMOS ÚNICOS..Mas, para se Viver em Sociedade, Aprendi com meus Pais como Proceder Dentro de Meu Espaço (físico) Cumprindo Meus Deveres; Para Exigir Meus Direitos..
      Sempre Resolvendo os Meus Problemas, todos na Base do Diálogo e nunca nas Discussões(Quando não Houver Acordo; aí os Advogados Falam por mim)..
      Que o AMOR não se Implora, Não se Pede e não se Espera: AMOR Se Vive ou Não;;
      CIÚMES é um Sentimento Inútil..Não Torna Ninguém Fiel a Você..
      ANIMAIS São ANJOS Disfarçados, Mandados á Terra Por DEUS, para Mostrar ao SER HUMANO o que é FIDELIDADE..
      CRIANÇAS Aprendem com Aquilo que Você FAZ, Não com o que Você DIZ..
      As PESSOAS que Falam dos OUTROS para Você; CERTAMENTE vão falar de Você para os OUTROS.
      PERDOAR e ESQUECER, nos Torna mais *****JOVENS..
      ÁGUA é o MELHOR dos REMÉDIOS..
      DEUS Inventou o CHORO Para o SER HUMANO não Explodir..
      Não Existe COMIDA RUIM; Existe COMIDA MAL-TEMPERADA..
      A CRIATIVIDADE Caminha com a Falta de GRANA..
      Ser AUTÊNTICO é a Única e a MELHOR FORMA de AGRADAR..
      AMIGOS de VERDADE Nunca te ABANDONAM..
      O CARINHO é a MELHOR ‘arma’ Contra o ÓDIO..
      As DIFERENÇAS Tornam a VIDA Mais BONITA e COLORIDA..(Sempre Haverá o CONTRADITÓRIO).
      ACREDITAR, Não Faz de NINGUÉM um BABACA e nem IDIOTA: BABACA e IDIOTA é quem MENTE..
      OBRIGADO; DESCULPE; POR FAVOR!! São PALAVRAS MÁGICAS, CHAVES que Abrem Portas para uma VIDA MELHOR..
      O AMOR….Há, o AMOR ……O AMOR Quebra BARREIRAS, Une As PESSOAS, Destrói PRECONCEITOS, CURA DOENÇAS,,,,,,
      NÃO HÁ VIDA SEM COMPREENSÃO e AMOR…
      De tudo, o que fica é seu NOME e as LEMBRANÇAS de suas BOAS AÇÕES…
      BOA SORTE !!!..
      CRUZEIRO SEMPRE !!
      ***** (Hoje, 70 Anos), Sem Preocupações e Ansiedades; Durmo Tranqüilo com Minha Própria CONSCIÊNCIA que é o meu Maior JUIZ)..
      DEUS ACIMA DE TODOS…

    • Alisson Sol disse:

      Raul,

      Respeitando sua decisão, acho que melhor seria persistir. Do contrário, “os macunaímas vencem”. É como o Clayton escreveu abaixo: já se tentou de tudo em termos de interação com estas pessoas que querem a ofensa ao invés do debate. Persistir parece ser a única solução. Eles tem seu direito de expressão, mas deixá-los com a última palavra não é a solução.

  • Marcelo Satch disse:

    O Chico falou uma coisa certa ( dentre tantas ) “São empresas que não têm rosto, não têm um culpado verdadeiro para apresentar em casos de crimes….” É fato…..
    A coisa funciona assim…. A manutenção ( sim, existe ) notifica que sinais de que a barragem pode vir a dar problema > é contratada uma consultoria externa pra avaliar – ou pelo aviso ou por ser procedimento regular > a consultoria informa que sim, será necessária uma intervenção > o custo é calculado e apresentado à gestão geral da mina que submete-o ao staff da Cia > a operação, se realizada, impactará no resultado da cia e desagradará aos acionistas, implicando em revisão do aporte para investimentos/cancelamento de bonus e/ou demissões/direcionamento de recursos para outros negócios/queda de valor de mercado da empresa pelo desempenho abaixo do esperado/desvalorização de seus executivos > decide-se adiar o procedimento ( afinal a barragem já aguentou tanto, pode aguentar mais um ano ou dois > sugere-se a maquiagem ou omissão de alguns numeros no relatório a ser apresentado ( ou aos acionistas ou aos orgãos publicos ) > em paralelo, cooptam-se agentes do poder publico e/ou parlamentares > o relatório é aprovado e liberado > ninguem acredita realmente na possibilidade de rompimento > o pior acontece.
    É realmente dificil pegar um culpado para faze-lo cumprir a “caminhada da vergonha ( “shame, shame, shame… quem assistiu Game of Thrones, vai entender ), mas que todos querem um peixe grande, ahh querem e isso é merecido. Dizem que o comandante é o responsável pelo naufrágio do barco mesmo que não esteja no leme. Assim, o presidente da Vale, em ultima instância, seria o grande culpado. Mas acho dificil chegar até ele por essas bandas aqui…..

  • Luiz disse:

    Chico Maia, meu coração não tem mais onde estar machucado por conta dessa tragédia de Brumadinho.
    Peço licença para abrir um espaço nessa tristeza de todos nós e colocar uma pitada de humor…melhora um pouco. Não é humor negro,por favor!
    Escutei essa hoje:
    Dizem que os desabrigados de Brumadinho vão recorrer à FIFA!
    Motivo, o Cruzeiro prometeu 50 mil reais de ajuda ……e até agora nada!
    Será mera coincidência???
    Força Brumadinho! Força amigos do Blog!

  • Gabriel Júnior disse:

    Não dá em nada… O poder político abafa tudo… Aliás se for apurar mesmo, vão aparecer figurões da nossa política. Tem um que é a versão moderna do contratador português João Fernandes, amante de Chica da Silva e um dos que mais faturaram com o diamante mineiro. Muda Brasil!!!

  • Eduardo Silva disse:

    Chico, boa tarde,

    Primeiro parabéns pelo excelente texto!! Esse é o tipo de escrito que deve ser guardado e lido de tempos em tempos e deixar registrado em comissões de assembleias municipais e estaduais dessas Minas Gerais.

    Um ponto que me chama atenção é como esses eventos trágicos no Brasil passam-se os anos e NINGUÉM é punido de forma efetiva! Pra não ir muito longe, cito algumas tragédias recentes:

    1. Incêncio na boate Kiss em Santa Maria/RS: punições pra dois bombeiros, responsáveis foram presos e aguardam em liberdade e o absurdo é que um promotor do caso processa uma entidade que representa as famílias das pessoas mortas!

    2. Avião da Chapecoense: ninguém preso e famílias até hoje não receberam indenizações.

    3. Queda do viaduto Guararapes em Bhte: também ninguém preso e nada de indenizações.

    4. Rompimento da Barragem de Mariana: nada de indenizações, ninguém preso e não construíram a nova vila.

    Ou seja, tragédias gravíssimas que o poder judiciário não consegue dar uma resposta efetiva para a população! Imagino que se isso acontecesse em qualquer país mais desenvolvido os responsáveis seriam presos e as empresas seriam penalizadas de forma severa!

    Vamos ver se vai ser diferente agora!

  • Claytinho do Nova Vista - BH ( Hexa-Campeão !!! ) disse:

    É Chico…

    É como vc disse no fina… “Mas no Brasil”…

    No já trágico e criminoso episódio de Mariana, a Dilmanta ainda teve a desfaçatez de assinar um decreto, classificando como um “acidente natural”, beneficiando a Samarco e a Vale. Meses depois o Pimentel ( Que por apenas uma coincidência é do mesmo partido da Dilmanta ) libera concessões ambientais para a Vale explorar aquela região de Brumadinho, até 2032.
    Agora, prenderam os engenheiros responsáveis pelo laudo, mas é evidente que eles deveriam ser apenas outras peças dessa engrenagem irresponsável e criminosa.
    Tomara que dessa vez a coisa não fique impune e que mais pessoas possam ser condenadas e presas. Inclusive os tubarões que estão por trás disso tudo…
    Agora o cúmulo da cara de pau, canalhice e falta de caráter mesmo, é ver parte da esquerdalha, principalmente a tal da Gleisi, tentando imputar culpa a esse novo Governo, que só vai completar seu primeiro mês de trabalho amanhã. E o absurdo é a manada cega, que ainda segue a mesma narrativa vitimista de sempre dos gurus dessa quadrilha, sem nem sequer questionar, nem sequer pesquisar, nem sequer refletir, nem sequer ler… Ahhhh, mas isso dá trabalho né ?? Cambada de massa de manobra que adora um cabersto viu…

    • Silvio T disse:

      Já que você é tão inteligente, quem foi que privatizou a Vale do Rio Doce por três bilhões de dólares? No pior ano depois disso ela faturou 48 bilhões de dólares.
      Mais um quiz político prá você, jênio. Quem governava Minas nos anos em que TODAS essas barragens foram construídas?
      Com gente como você sendo a maioria, nós merecemos mesmo o governo de um Einstein como o Bozo e sua turma. Depois que a “Dilmanta” foi golpeada, já levaram a Petrobras e agora o Bozo entregou a Embraer. Tá tudo ficando lindo.

      • Claytinho do Nova Vista - BH ( Hexa-Campeão !!! ) disse:

        Esquerdopata detected…

        Aprendi que, com gente como você, que por não ter a educação e civilidade de ter um debate minimamente respeitoso, por mais que divergente, o melhor a fazer é não render. Porque não há nada que eu possa falar, ou qualquer outra pessoa, que faça com que gente como você pelo menos reflita. Gente como você aceita a doutrinação, o cabresto e gosta. A retórica de gente como você é sempre a mesma, precisa tentar atacar ou ofender o outro por falta de habilidades para lidar com a verdade. Mas se quer permanecer nessa narrativa furada do vitimismo, o problema é seu pra lá…

        P.S.: Posso não ser tão inteligente, mas pelo menos eu sei que “Gênio” se escreve é com “G”… rsrs