Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A desimportância cada vez maior das convocações da seleção brasileira

Foto: cbf.com.br/selecao-brasileira

Neste bate-boca envolvendo a realização da Copa América, está passando quase desapercebido que a seleção do Tite foi convocada e já está treinando na Granja Comary, visando os jogos pelas Eliminatórias da Copa do Qatar 2022, sexta-feira, 4, contra o Equador em Porto Alegre e terça-feira, 8, contra o Paraguai em Assunção.

Desde a ida cada vez mais precoce dos principais jogadores para o exterior, no início dos anos 1990, o entusiasmo com torcedor com a seleção começou entrar em decadência. Até então era uma expectativa danada no dia da convocação: qual clube terá mais jogadores convocados? Será que fulano do Atlético, Cruzeiro e até do América, vai ser chamado? Quantos do Rio, de São Paulo, do Sul ou do Nordeste irão?

Atualmente, quem se importa se fulano, beltrano ou cicrano de um time da Inglaterra, Espanha, Alemanha, França, Itália, China ou Arábias será chamado ou não?

O Fernando Rocha falou sobre isso numa das últimas colunas dele, no Diário do Aço, de Ipatinga:

“A verdade é que as seleções da CBF, exceto aos cartolas dos clubes e empresários de jogadores, há tempos não interessam mais ao torcedor brasileiro. Tite convocou na última semana a seleção principal para dois jogos das eliminatórias, visando a Copa de 2022, mas, ao contrário de décadas passadas, quando havia uma ferrenha discussão em torno dos nomes chamados, as torcidas dos principais clubes pelo país afora, não queriam ver na lista o nome de jogadores das suas  equipes.

  • A valorização do atleta convocado também já não é a mesma de antes, pois a pandemia diminuiu o tamanho dos investimentos feitos em contratações pelos clubes estrangeiros. Então, a cada convocação das seleções da CBF repete-se a rotina de prejuízos aos clubes, algo que só vai se acentuar na atual temporada com a Copa América. O torcedor do Galo será o mais afetado aqui nas nossas bandas, pois já perdeu o lateral Arana convocado para a seleção olímpica, e deve ficar ainda sem o zagueiro paraguaio Alonso, o meia argentino Nacho Fernandez e o atacante venezuelano Savarino, que deverão ser chamados para servir as seleções de seus países nas eliminatórias da Copa de 2022 no Qatar.”
  • Fernando Rocha – Diário do Aço – Ipatinga
  • ***

Falou e disse!


Deixe uma resposta para mauricio Cancelar resposta

Comentários:
1