Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Atuações de Rafinha fazem com que Arrascaeta não provoque saudades

Em foto do Vinnícius Silva/Cruzeiro, Rafinha comemora, entre Fred e Rodriguinho autores dos dois outros gols da vitória sobre o Tupynambás 

Como a maioria dos jogos da primeira fase do campeonato estadual parecia um treino de luxo. Além de mais um gol, outra grande atuação do Rafinha, eleito novamente por vários veículos como o melhor em campo nestes 3 a 0 sobre o Tupynambás, no Mineirão. O time não teve grandes dificuldades para fazer o placar e continua na cola do América pela liderança. A diferença é no saldo de gols, em que  Coelho tem dois a mais.

A novidade dessa rodada é que o Villa Nova venceu e saiu da zona do rebaixamento:

CLASSIFICAÇÃo PG J V E D GP GC SG %
América-MG 14 6 4 2 0 14 3 11 78
Cruzeiro 14 6 4 2 0 13 4 9 78
Atlético-MG 13 6 4 1 1 13 2 11 72
Boa Esporte Clube 8 5 2 2 1 10 9 1 53
Patrocinense 8 6 2 2 2 6 6 0 44
Tupynambás 8 6 2 2 2 7 10 -3 44
Tombense-MG 6 6 1 3 2 4 5 -1 33
Villa Nova-MG 5 6 1 2 3 5 13 -8 28
Caldense-MG 4 6 0 4 2 4 7 -3 22
10° Guarani-MG 4 6 0 4 2 3 7 -4 22
11° Tupi 4 6 0 4 2 4 10 -6 22
12° URT 2 5 0 2 3 4 11 -7 13

 


» Comentar

Comentários:
10
  • Helio Antonio Corrêa disse:

    Caro conterrâneo CHICO MAIA
    Estou tentando me conter, fico e fico sempre ou quase sempre com as ponderaçoes do CLEYTINHO,
    Sei que este momento é para avaliaçoes mesmo, que o RURAL é para isso, portanto, toda crítica ou elogio que se fizer agora, tem que ser no minimo relativizada.
    Mas não gosto do que vejo, não ha prazer em ver jogos do meu time, é um festival de toques improdutivos que cansa qualquer um.
    O goleiro adversário, quase não trabalha, o meu time toca pra lá, toca para cá, mas é muito pouco efetivo, ja notaram, que fora o M.Gabriel, num um contra um, ninguem dá um drible? é muito burocrático , se contra as babas do RURAL, ficamos neste jogo irritante, como será contra os grandes?
    Outra coisa, se como a materia diz, o nosso destaque é o RAFINHA, me desculpe mais esse ano deve ser sofrido. Nós ja sabemos de cor e salteado, tudo aquilo que ele pode nos dar, ou seja, muito correria e pouca eficiencia.
    Nao é o meu tipo de jogo que gostaria de ver não, é um tal de atacante nosso marcar volante e lateral adversário, não deveria ser o contrario?
    Ninguém do meu time dribla mais, só toque improdutivo,
    Ta no inicio é verdade, mas não gosto deste jogo não, sei que com este jogo, o meu time acaba ganhando um dos torneios, como fez o ano passado, mas é um jogo muito chato de assistir.

    • Claytinho do Nova Vista - BH ( Hexa-Campeão !!! ) disse:

      Caro Helio Antônio Corrêa,

      O meu receio é mais ou menos esse mesmo seu. Que esse time burocrático seja assim até o final do ano. Aí você já sabe né ?? Vai “rapá” nada…
      Os principais times se articularam, se reforçaram, ousaram. Já o Cruzeiro tá achando que a tal base, já cansada pela idade avançada, vai dar conta. Posso estar muito enganado, mas eu acho que não vai dar conta mesmo.
      Já que aprovaram o tal empréstimo milionário, poderiam regularizar a situação principalmente na FIFA e tentar ousar um pouquinho e fazer uma nova oferta pelo Pedro Rocha. Precisamos de um jogador mais veloz, mais agudo e que tenha o recurso do drible. Porque continuar esperando isso do David por exemplo, é continuar dando murro em ponta de faca.

      Abraços

      • Helio Antonio Corrêa disse:

        CLAYTINHO
        Acho que pensamos mais ou menos da mesma maneira.
        Ontem la na reuniao do conselho, tinha o bochicho que estão esperando a janela da China se fechar para ainda tentarem o KENO, pois o time dele atual, espera uma proposta dos chineses, mas se não vier, o Cruzeiro voltaria a carga, na esperança que o valor dele baixe um pouco.
        Acho que ele resolveria bem, esse time nosso está muito burocrático, é um toca toca sem fim.
        Nao tenho esta confiança que muitos tem sobre o David, e até espero queimar a língua,
        Mas no geral não tenho sentido prazer em assistir a jogos do meu time não, dá uma preguiça danada.
        Como diz o filósofo AB; VAMOS AGUARDAR.

        • Alisson Sol disse:

          Caro Hélio,

          Este Keno? Se for, vamos renovar o time com um jogador de 29 anos?

          O problema do futebol brasileiro me parece esta falta de coragem. Não se aposta em jovens. Não se aposta em “jogar para vencer”. É um medo de não perder danado. Ninguém se acostuma a criar nada, e os times acabam perdendo jogando um futebol feio. O que inclui a seleção brasileira. Qual a boa lembrança da Copa em 2018? Eu lembro mais das derrotas dos times de Telê do que vitórias dos times do Tite.

          O Santos está “jogando para vencer”. Perdeu uma partida de 5×1 do Ituano, e já foram para cima do Sampaoli como se fosse um incompetente. Mas se alguém olha as partidas em torno da derrota, o Santos havia vencido o Bragantino por 4×1 antes, e venceu o Altos na Copa do Brasil por 7×1. Quem joga um jogo amador sabe o risco de “ir para frente”: um ou outro dia vai dar tudo errado, e se o adversário der sorte será um desastre.

          Qual a “partida memorável” do Cruzeiro na Copa do Brasil ano passado? Eu sei que o título fica e as memórias passam, mas o Cruzeiro sempre foi conhecido pelo passe refinado e jogo objetivo. O Mano, aliando a falta de material com suas convicções, montou um time que está ficando conhecido pelo desarme e eficiência no contra-ataque. Se este é o caminho, vamos ter de aceitar e nos acostumar com ele. Mas parece-me um desastre permanente ficar assistindo estas partidas em que o Cruzeiro demonstra apenas medo de perder, ao invés de vontade de vencer.

          • Helio Antonio Corrêa disse:

            ALISSOM SOL
            Caro Alisson,
            Acho que nós dois queremos a mesma coisa, queremos um time que nos dê alem de vitorias e títulos., prazer em assistir suas partidas, o que embora com titulos não nos tem dado.

            Sobre Keno, embora com a idade que vc. mencionou, eu imagino que seria bem vindo, vc, ja deve ter percebido, que ninguem no nosso time dribla, é um toca toca irritante e o Keno no um contra um, nao toca pra ninguem, ele ultrapassa o oponente e é desse jogador que sentimos falta.

            Hoje ha no nosso mundo do futebol o dilema, futebol arte ou futebol de resultado, todos os dias vemos isto nos meios de comunicação, será que não ha como “MEIAR” isto? por certo não é o caso do MM, pragmático como é, enquanto ele estiver entre nós (e não estou pregando a saída dele, que fique claro), acho que teremos que conviver com um jogo que não faz parte do nosso DNA, é a vida.

            Também concordamos caro ALISSON, que o time precisa ser renovado, mas aí ja é uma outra historia, com o comando atual e os resultados vindo, acho dificil que esta renovação se dê

            Um abraço caro Alisson e vamos nos falando

  • Alisson Sol disse:

    Caros colegas cruzeirenses. Meio ortogonal ao assunto do jogo, que concordo com o Clayon em que nada mede, venho colocar dois temas para debate.

    1) Li sobre uma “peneirada” do Cruzeiro que foi um fracasso, com bagunça total, e pais e filhos decepcionados pela confusão. Estamos em 2019, e o Cruzeiro não consegue fazer um “site online” para organizar uma peneirada?

    2) Estou também lendo notícias sobre um possível empréstimo para “resolver os problemas do clube”, pagando as dívidas e tomando um empréstimo em dólar com “juros internacionais”. Em teoria, isto é ótimo. É exatamente o que fazem os bancos brasileiros terem lucros enormes: a captação de recursos a juros baixos, e o empréstimo a juros altos. Estou lendo alguns “protestos” da oposição que não me parecem fazer sentido. Afinal, quem não gostaria de pagar um empréstimo de 12% ao ano com dinheiro de um novo empréstimo a 6% ao ano? Só que há o problema da cotação do dólar. Veja o que a onda de empréstimos em dólar causou na Argentina. Precisaria de que alguém com mais informação apresentasse detalhes sobre este possível empréstimo. Se for sólido, não vejo porque não fazê-lo.

    Por fim, gostaria de apresentar aos colegas uma informação para os preocupados com o fato de o Cruzeiro não ter “estádio”. Primeiro, porque tem: o Mineirão hoje depende mais do Cruzeiro do que o Cruzeiro depende do Mineirão. Segundo, porque nenhum clube do mundo ficou “rico” construindo estádio. Repitam comigo: todo estádio do mundo é deficitário, sem excessões. Todos dependem de recursos públicos. Terceiro: a coisa só vai piorar! Os grandes clubes do mundo estão trabalhando com as empresas de tecnologia para levar ao futebol a experiência que já existe em alguns eventos da NFL (link). Com isto, o expectador estará literalmente “dentro de campo”. A renda pela assinatura irá superar qualquer renda de estádio. Não adianta fazer estádio no Brasil pensando na experiência internacional do “Match Day”. Um “match day” no estádio do Seahawks custa uns 500 dólares por pessoa. E o Seahawks dá um pequeno lucro. Imagine fazer planos no Brasil dependendendo de gastos de 500 dólares por pessoa em dia de jogo?! Vão ter lucro quando?

    • Claytinho do Nova Vista - BH ( Hexa-Campeão !!! ) disse:

      Caro Alisson Sol,

      – Sobre a “peneirada”, parece realmente que foi uma bagunça total. Indiquei o sobrinho de uma amiga, mas ela me disse que quando chegaram lá, não ficaram nem 10 minutos e foram embora, tamanha era a desorganização.

      – Sobre o empréstimo, não posso opinar com muita propriedade. Mas aprendi com meu pai desde cedo que, fazer dívida para pagar outra dívida, já é o prenúncio do caos.

      – Sobre a questão do Estádio próprio, penso que para a maioria de nós Torcedores, seria aquela coisa mais pra massagear o ego mesmo, pra chamar literalmente de “nossa casa”. Porém essa mesma maioria sabe de fato o que representaria isso em termos práticos. Por isso que essas informações que você vez ou outra nos traz são válidas, para tentarmos analisar mais profundamente.

      Abraços

  • J.B.CRUZ disse:

    RAFINHA é o Carregador de Piano do CRUZEIRO….

  • Claytinho do Nova Vista - BH ( Hexa-Campeão !!! ) disse:

    Jogos contra times do interior de MG, geralmente não servem de parâmetro pra quase nada.