Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Em dia de aniversário, América na cabeça: vitória incontestável e terceiro lugar na classificação

América MG‏ @americamg: o aniversário é nosso, mas o presente é de vocês! no peito e na raça, empurrado pelo indepa, o #Coelhão venceu o @ECVitoria e somou mais três pontos na Série A: 2 a 1! #PraCimaDelesCoelho #AFCxVIT #Coelhão106Anos


Um time marcante na história dos 106 anos do América, e entrevista com Amauri Horta, um dos maiores craques do nosso futebol

Em sua campanha pelo título de Campeão Mineiro de 1971 o América utilizou os seguintes jogadores: Élcio,   Emílio, Adilson, Batista, Misael, Ademir, Cláudio, Hale, Vander, Café, Dias, Zé Horta, Veran, Pedro Omar, Édson, Dirceu Alves, Hélio, Zé Carlos, Mérola, Jair Bala, Dario, Valtinho, Élter, Eli , Julinho e Amaury Horta. Amaury é o ultimo sentado a direita.

Todo mundo que gosta de futebol tem um ou mais times que marcaram a sua memória, dos primeiros tempos em que começou a se ligar no assunto. Na homenagem do blog ao Coelhão pelo aniversário de hoje, este time, de 1971, um dos responsáveis por eu me apaixonar pelo futebol. Extraí as fotos de um ótimo site, que recomendo: Futebol de Todos os Tempos.

Neste link, uma ótima entrevista com Amauri Horta, um dos maiores jogadores do futebol brasileiro, a Bruno Steinberg, por ocasião do Centenário americano. Confira:

“Amaury Horta é mais uma entrevista para comemorar o centenário do América. Ele que é apontado em quase todas as listas que se façam do América de Todos os Tempos é também um jogador que marcou seu nome na historia do Atlético. Fez três partidas contra seleções e em todas elas fez gols, inclusive contra a seleção brasileira tricampeã no México em 1970:

http://ftt-futeboldetodosostempos.blogspot.com.br/2012/05/o-craque-disse-e-eu-anotei-amaury-horta.html

O Craque disse e eu anotei – AMAURY HORTA (mais…)


Parabéns América 106 anos! Parabéns Boa Esporte, 21

Hoje o América recebe todas as homenagens a que tem direito pelos 106º aniversário. Também é aniversário do Boa Esporte e a CBF homenageou os dois clubes em seu portal oficial:

* “América-MG e Boa-MG: aniversariantes desta segunda”

106 anos do Coelho

O América Futebol Clube surgiu da vontade de um grupo de jovens da sociedade belo-horizontina de criar um novo clube na capital mineira. O nome foi escolhido em um sorteio, assim como o verde e branco que vestem o América Mineiro desde a fundação. O preto foi adicionado no ano seguinte, em função dos calções característicos das equipes da época. O coelho, símbolo do clube, foi adotado em 1945, inspirado pelo desenho do cartunista Fernando Pierucetti, o Mangabeira.

Um dos mais tradicionais clubes de Minas Gerais e um dos principais expoentes do futebol mineiro, o Coelho é um dos maiores celeiros do esporte no Brasil. Famoso por ser uma fábrica de grandes craques, o América Mineiro também marcou seu nome com conquistas. Em seus 106 anos, foram duas conquistas da Série B do Brasileirão (1997 e 2017), um campeonato da Série C (2009), além de 26 títulos do Campeonato Mineiro.

Em 2018, o Coelho disputa a Série A do Brasileirão, além da Copa do Brasil, competição em que o América-MG entra na disputa a partir das Oitavas de Final (Quinta Fase).

O clube, atualmente, ocupa a 24ª posição no Ranking Nacional de Clubes da CBF.

Mais um aniversário boveta!

O clube foi fundado em 1947 na cidade de Ituiutaba, no pontal do Triângulo Mineiro, como uma associação esportiva. A iniciativa partiu de vários desportistas da região, que batizaram a recém-criada agremiação de Boa Vontade Esporte Clube, embora que, ainda no ano de fundação, tenha adotado o nome de Ituiutaba Esporte Clube.  (mais…)


Nem “reforçado” pelos campeões mundiais Adriano Gabiru e Perdigão, Inter conseguiu passar pelos reservas do Cruzeiro

Aí surgiu o Rafael, reserva do Fábio, que fechou o gol. Em mais uma ação de marketing, voltada para os sócios torcedores, o colorado levou dois jogadores das antigas para sentar na arquibancada e a ajudar levantar o astral de todos. A notícia está no portal Zero Hora:

“O Inter teve, atrás do gol, na arquibancada Sul, dois torcedores ilustres no empate em 0 a 0 com o Cruzeiro, pela terceira rodada do Brasileirão.

Campeões mundiais em 2006, Gabiru e Perdigão assistiram à partida e animaram os torcedores onde a torcida organizada Guarda Popular costuma ficar.

A dupla entoou cânticos da torcida durante a partida, atendeu fãs e tirou muitas fotos. No segundo tempo, Perdigão e Gabiru abriram espaço para um deficiente visual que sonhava em conhecê-los.

Em um camarote próximo, o também campeão mundial e atual coordenador técnico das categorias de base do Inter, Iarley, também viu o confronto…”


Atlético fez ótimo jogo e venceu, mesmo com árbitro de vídeo “fake” ajudando novamente o Corinthians

O técnico Tite estava no Independência e viu um ótimo jogo. Mais uma vez o Corinthians acusado de estar contando com o “árbitro de vídeo” em seus jogos, seu favor, como na conquista do campeonato paulista em cima do Palmeiras. O comandante da seleção brasileira deve até ter ouvido o Igor Tep Assunção, da 98FM (na foto entrevistando o Roger Guedes) gritar revoltado: “Olha esse filho da puta desse Dewson Freitas!!!”. Era contra o árbitro paraense, que confirmou o gol do Roger Guedes no primeiro tempo, deu cartão amarelo para o goleiro Cássio, por reclamação, e depois, alertado “pelo além”, voltou atrás. Anulou o gol e também o cartão. A bola realmente pegou na mão do Ricardo Oliveira, mas o atacante não teve intenção e além do mais o apitador não viu, para poder dizer que “interpretou” como intencional o toque.

Felizmente no segundo tempo o Roger Guedes voltou a marcar e a arbitragem não teve como anular. Placar magérrimo pelo que o Atlético jogou. Merecia mais que 1 a 0, mas esbarrou no sistema defensivo quase perfeito corintiano. Duas bolas na trave, grandes defesas do Cássio, um pênalti não dado no Ricardo Oliveira no primeiro tempo. O time todo foi bem, com destaque para a garra demonstrada. Certamente embalado pela torcida, que incentivou o tempo todo. Aplaudia até passe errado. Não havia bola perdida e o ritmo intenso não deu trégua ao Corinthians, que fez o seu jogo de sempre: aposta no erro do adversário, que hoje não ocorreu.

Uma vitória cuja importância vai além dos três pontos e a subida para a terceira colocação do Brasileiro. Aumenta a autoestima do time, teve a terceira boa atuação nas três rodadas iniciais do campeonato. Perdeu para o Vasco de virada, por falhas infantis, mas fez um bom jogo.


O ensinamento que o Guardiola passa no livro dele, mas que a maioria do futebol brasileiro finge não saber

Neste eterno mar de clichês e mais do mesmo que predomina na imprensa esportiva, ouço, leio e vejo companheiros falando que “tal jogo será uma decisão” para o time tal no campeonato brasileiro. Ora, ora, por pontos corridos, turno e returno, todo jogo é uma decisão. Não existe a história de recuperar os pontos perdidos no jogo anterior. Por um gol ou um ponto um time pode ser campeão, ser rebaixado ou conseguir uma vaga de consolação em algum torneio continental. Pior é ver treinadores, dirigentes e jogadores embarcando neste discurso furado.

O Fernando Rocha, do Diário do Aço, de Ipatinga, citou um ótimo exemplo na coluna dele: “… Podem ocorrer surpresas e aparecem possibilidades de brigar na parte de cima da tabela… e até mesmo flertar com a zona de rebaixamento. O que ninguém deseja é ver o seu time figurar na chamada “zona da degola”… deveria servir de alerta para todos os clubes participantes, a chamada “Lei Guardiola”,  do melhor treinador de futebol do mundo, revelada por ele no livro “Guardiola Confidencial”, publicado aqui no Brasil pela Editora Saraiva, a respeito de competições longas, por pontos corridos, que exigem regularidade, como é o caso do nosso Brasileirão: – O título se ganha nas últimas oito rodadas e se perde nas oito primeiras, disse o atual treinado do Manchester City. A frase pode ser dita dos dois modos, ou seja, até de trás prá frente, que daria na mesma coisa…”

 


Eterna hipocrisia: temos até um ex-presidente da república preso, mas nenhum cartola do futebol

Oba oba danado na repercussão do banimento do Del Nero do futebol. A imprensa solta foguetes. Mas o sujeito continua solto, curtindo a vida e não devolverá nada do que amealhou. E ainda elegeu seu afilhado para sucedê-lo no comando.

O Brasil sempre soube dessa turma, do futebol e da política brasileira. A Justiça, o Congresso, os sucessivos governos (incluindo os militares) e principalmente a grande imprensa. Ninguém nunca pôs a mão neles. Parte considerável da imprensa era aliada deles e se beneficiava das mordomias e maracutaias. Bajulando-os ou se omitindo em suas bandidagens. A Havelange a punição foi “apenas” a execração publica, já que morreu sem ir pra cadeia. Aspas no apenas, porque para ele foi uma dura punição. Uma das figuras mais vaidosas que o esporte já produziu. Doeu muito nele, aos quase 100 anos de idade, ser desmascarado, desmoralizado e passar a frequentar os noticiários policiais. Se achava o máximo e tinha certeza de que nunca seria apanhado.

O FBI cuidou de Marin, que está enjaulado nos Estados Unidos. Os demais, estão correndo o risco de pagar porque a polícia e a justiça internacionais agiram. Tanto que não saem do Brasil de jeito nenhum. O mesmo Brasil que deu e dá asilo político a famosos ditadores apeados do poder, terroristas, mega-ladrões e etecetera. Até um dos mais detestáveis carrascos nazistas (Josef Mengele) viveu e morreu aqui, sem ser incomodado por nossas autoridades. A alegação é que as nossas leis os protegem. Mas quem detém o poder não as muda de jeito nenhum. Hipocrisia e mentira verde e amarela, eternas. À direita, à esquerda e ao centro, somos o país da impunidade, No máximo, punição seletiva! Terra do “farinha pouca, meu pirão primeiro”.

No futebol a impunidade é pior. Uma lei à parte, tácita, que envolve os três poderes, nas instâncias municipais, estaduais e federal. Temos um ex-presidente da república preso, mas nenhum cartola do futebol.

E não venham me dizer que “a partir de agora a coisa muda”, pois nada mudará. Ouvimos este papo enganador desde o impeachment de Collor.


Goleada valeu o segundo lugar ao Cruzeiro e jogo com o Vasco será decisivo

O Cruzeiro tornou fácil um jogo que poderia ter sido difícil, caso não marcasse um gol logo no início. O Universidade Chile é muito inferior, passa por mau momento no campeonato chileno, mas veio para se defender de qualquer jeito. Ao tomar o primeiro gol, de falta, do Thiago Neves, aos 9 minutos, foi obrigado a se abrir e não teve como fechar a porteira. Tomou mais seis, sem oferecer maiores resistências.

Com o isso o Cruzeiro assumiu a vice-liderança do grupo e jogará contra o Vasco, no Rio, quarta-feira que vem, 21h45. Universidade Chile vai à Argentina, pegar o Racing, quinta-feira.

E o Alex Souza, comentarista do blog, escreveu:

“Boa e necessária vitória para colocar o time em condições de disputar vaga na próxima fase.
Agora as coisas estão um pouco mais equilibradas no grupo. O time precisa manter a mesma disposição e foco, pois é preciso fazer resultado em duas partidas difíceis diante de Vasco da Gama (RJ) e Racing (BH).
Aguardemos para ver que time irá a campo nas partidas que faltam.O 7 a 0 não altera muita coisa; La U também tem 5 pontos e visitará o Racing, fechando contra o Vasco.
Aguardemos também para ver qual será a postura do Cruzeiro nas próximas partidas pelo Brasileiro.
Obs: Importante a vitória do Palmeiras sobre o Boca Jrs na tal La Bombonera; o time argentino é bom e, jogando bola, construiu o renome, contudo, é muito time que vai jogar lá e já entra derrotado pelo MITO que foi criado em torno daquele estádio. Libertadores é recheada dessas coisas sobre pressão de torcida, arremesso de objetos, peitada em adversário, proibição de treino de reconhecimento de gramado, catimba, espírito de Libertadores, “la copa se mira y no se toca”, fugir de argentinos no sorteio, altitude, racismo… Bom ver essas fantasias caindo por terra. Jogar bola é sempre o melhor caminho.”


Novo lateral direito já treina no Galo. Maior investimento em aquisições até agora

Thiago Nogueira‏ do SuperFC twittou esta foto e escreveu: @thiagonoggueira: “Lateral Emerson (à direita), que veio da Ponte Preta, faz o primeiro treino com os novos companheiros em campo. Clube deve confirmar a regularização ainda hoje.

O Frederico Ribeiro, do Hoje em Dia deu mais detalhes sobre essa e demais aquisições do Galo nos últimos meses. @Fredfrm: “Atlético anuncia a chegada do lateral Emerson. É o nono reforço de 2018, e o primeiro a ser transferência onerosa e definitiva.”


Horário diferente para jogo em que o Cruzeiro tem de vencer

Cruzeiro e Universidade Chile jogam às 19h15 pela Libertadores e só a vitória interessa a Mano Menezes e seus comandados. Individualmente o adversário é o mais fraco do grupo, por isso, espera-se uma retranca das mais difíceis no Mineirão. Com paciência e calma caso o gol não saia nos primeiros minutos.

O site do Cruzeiro traz informações muito interessantes dos dois times e detalhes para quem for ao estádio: Tudo que você precisa saber sobre a partida entre Cruzeiro e La U”

Press Kit do Cruzeiro sobre a partida desta noite pela Copa Libertadores da América, em português e espanhol:

https://www.cruzeiro.com.br/index.php?section=conteudo&id=14676


Página 32 de 1.068« Primeira...1020...3031323334...405060...Última »