Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Jorge Jesus: que papelão do português; porém, é o futebol como ele é! Sem virgem no puteiro

Como diz o gente ótima Isio Duflles, ex-presidente do Ginástico: “não tem virgem no puteiro!”.

Sujeito larga o Flamengo para ganhar mais no Benfica. Fracassa lá, mas não aceita proposta para retornar ao Flamengo, por “questões éticas”, porque o contrato ainda estava em vigor. Saído do clube português, não recebe as propostas que imaginava que receberia da própria Europa ou Ásia ou mundo árabe e vem “passear” no Brasil.

Aí dá entrevista num jantar na casa de um ex-presidente do Flamengo, a um jornalista apaixonado pelo Urubu, cavando a sua volta ao clube, que contratou recentemente um patrício dele, que inclusive rompeu o contrato que tinha com a seleção da Polônia.

Aí o patrocinador do jantar, tenta dar uma tintura de normalidade na zorra: “Jesus não sabia que ‘papo entre amigos’ seria publicado, diz Kleber Leite”

Ex-presidente do Flamengo organizou jantar no qual treinador contou ao jornalista Renato Maurício Prado sobre desejo de ocupar vaga de Paulo Souza…

Foi um papo entre amigos queridos, eram coisas que estavam no coração do Jesus, que ele expôs com muita verdade.”

Segundo Leite, tampouco houve desrespeito por parte do jornalista em publicar o conteúdo do papo. “O Renato é jornalista e além de tudo um apaixonado pelo Flamengo e pelo trabalho do Jesus. Ele, assim como 99,9% dos flamenguistas, gostaria da volta do Jesus e, como bom jornalista, aproveitou a oportunidade. Não vejo nada de mais nem de uma parte nem de outra. Quando existe verdade, não há por que temer nada.”

(https://placar.abril.com.br/placar/jesus-nao-sabia-que-papo-entre-amigos-seria-publicado-diz-kleber-leite/)

***

Interessante é que, num primeiro momento, a torcida do Flamengo não abraçou a causa como era de se esperar. Pelo menos na enquete promovida pelo André Rizek, no twitter dele, ontem:

@andrizek

“Depois da bombástica entrevista do Jorge Jesus ao @RMPoficial … Se você fosse presidente do Flamengo, mandaria embora o Paulo Sousa (multa de R$ 20 milhões, fora a indelicadeza) para trazer JJ de volta?

  • Sim! Dane-se a multa

36,5%

  • Não! Fla já tem treinador

63,5%

***

Porém, hoje, a situação um pouco, muito pouco, mas mudou, a favor da volta do Jesus:

  • Sim! Dane-se a multa

37,6%

  • Não! Fla já tem treinador

62,4%

***

Dizia Terêncio que “nada do que é humano me é estanho”.

Lá como cá, na Europa, Brasil ou seja aonde for, hipocrisia e puxadas de tapete são do jogo. E vida que segue!

Pelo menos gera muita matéria prima para as capas dos jornais…

… com humor e ironia

em Portugal, teve pouco espaço, porém, também na capa, de um dos principais jornais exclusivos sobre futebol e esportes em geral.


Liga dos clubes brasileiros é uma incógnita. Sem bom senso na repartição do dinheiro, não vai dar certo

Presidentes Leila Pereira (Palmeiras) e Julio Casares (São Paulo) após reunião de tentativa da criação da Liga em foto do Lance/Rafael Ribeiro

Na hora de se falar da distribuição das verbas, direitos de TV e publicidade, principalmente, é que o bicho vai pegar. Por enquanto, pé atrás da maioria, já que o Flamengo é que aparece como principal articulador, tendo a CBF como aliada.

Se não houver justiça e bom senso na divisão da grana, não vai dar certo. O Globoesporte.com publicou reportagem com a opinião da maioria dos clubes, republicada pela Netfla:

* “Otimista ou pessimista? Veja como pensa cada clube sobre a formação da liga”

Até agora, seis clubes da Série A assinaram o documento de criação da liga: Bragantino, Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Santos e São Paulo (além de Cruzeiro e Ponte Preta, da Série B). O que pensam todas as equipes? O ge ouviu os 20 clubes da Primeira Divisão, mais Cruzeiro, Grêmio e Vasco. Confira abaixo:

América-MG

– Estávamos trabalhando nisso desde o ano passado. Acho que é de fundamental importância. Hoje, para mim, os quatros clubes que caem têm que ter participação nessa divisão do bolo. Liga é modernidade para o futebol, avanço para o futebol. Vão ganhar os clubes e o torcedor que acompanha. Teremos uma qualidade maior e melhor para o futebol – disse o presidente Alencar da Silveira.

Athletico

– Não consideramos (que a liga está criada). Fomos surpreendidos com a pauta de reunião. A intenção seria uma conversa entre os clubes para ajustar. Aí vieram com os estatutos prontos e que os seis assinariam, e quem quisesse assinar também que ficasse à vontade. Eu nem estudei o estatuto. O Athletico vai ouvir o seu Conselho e, se estiver de acordo com os nossos princípios, assinaremos. Desde que fique claro que a fundação será dos 20. E não iremos a reboque dos seis – disse o presidente Mário Celso Petraglia.

Atlético-GO

– O mais importante é que todos os clubes têm interesse em que a liga seja criada. Todos sabem que é a forma de o futebol brasileiro crescer financeiramente. Há discussões, há pensamentos diferentes, mas o mais importante é que os clubes têm o mesmo interesse. Temos um grupo que foi formado e estamos discutindo isso em bloco. Acho que na próxima quinta-feira vamos convergir e dar um avanço muito importante. Vamos assinar juntamente com todos. Hoje, entendemos que já tinha uma construção mais avançada, mas a gente ainda não estudou juridicamente o estatuto e várias questões, para que a gente esteja confortável para assinar – disse o presidente Adson Batista.

Atlético-MG

– Não assinamos, mas porque recebemos o estatuto no final da semana passada, e o estatuto tem um anexo que é um dos assuntos mais importantes, sobre a distribuição das receitas da liga, e hoje ficamos sabendo que esse anexo é simplesmente uma premissa. Gastamos nossa energia, nos debatendo sobre a distribuição das receitas, e esquecemos de olhar o estatuto. Eu vi o estatuto, pedi a nossa assessoria para ver. A princípio, não vi nada que pudesse nos inviabilizar de assinar. Mas como temos um tempo até o dia 12, vamos analisar com mais calma e provavelmente devemos assinar – disse o presidente Sérgio Coelho.

Avaí

– O Avaí ficou muito satisfeito em participar deste encontro. Na próxima semana estaremos no Rio de Janeiro, ao lado de outros clubes, para começar a discutir os detalhes da forma e da constituição da nova Liga; quem serão os administradores, como serão divididas as cotas e os recursos, quais os produtos, ou seja, o objetivo é fortalecer o futebol brasileiro e a competição como um todo. O Campeonato Brasileiro precisa ser protagonista no mundo – afirmou o presidente Júlio César Heerdt.

Botafogo

– O papel do Botafogo nesse processo é de racionalidade. Nossa posição é de união, inclusão e valorização do produto, buscando consenso. Concordamos com a visão, o conceito e estamos avaliando tecnicamente a melhor estratégia para decisão em conjunto com John Textor. Não há motivos para açodamentos. O Botafogo tem ciência do seu valor, da capacidade da Liga e vai lutar pelo formato que alie os seus interesses e dos clubes como um todo. Entendemos que o próximo passo é reunir os 40 principais clubes do futebol brasileiro na sede da CBF, no dia 12, para uma posição em consenso. Até lá, todos terão tempo para avaliar os termos que estão na mesa. Temos pressa, mas não podemos errar. O futebol brasileiro precisa dar passos sólidos nesse importante momento de revolução que a Liga representa – disse o CEO Jorge Braga.

Bragantino

O clube decidiu não se manifestar sobre o assunto.

Ceará

O clube decidiu não se manifestar sobre o assunto.

Corinthians

– Tudo que foi proposto pode ser mudado dentro da liga. O que queremos é que as discussões saiam de um âmbito mais informal para dentro da própria liga. Qualquer divergência pode ser solucionada mais à frente na discussão dos clubes que integrarem a liga. Acho que existiam muitas divergências, há muitos anos se busca essa formação. Hoje já vimos todos muito mais próximos. Ainda tem algumas divergências muito pequenas. A gente espera até dia 12 de maio que os 20 clubes da Série A e os 20 da Série B já façam parte da liga – disse o presidente Duilio Monteiro Alves.

Coritiba

– Processo complexo de formação da Liga, mas é o desejo de todos da Série A e Série B. O desafio é a constituição da Liga por vários fatores econômicos. Há um medo coletivo. Desafio grande. Por mais que hoje tenha sido uma reunião divergente desde a pauta. Na quinta recebemos um convite dos cinco paulistas e mais o Flamengo para discutir. Recebemos a minuta do estatuto na quinta-feira. Viemos para discutir o estatuto, a distribuição econômica, mas não deu tempo de fazer uma análise jurídica. Ao todo, 14 clubes da Série A e 18 da B não assinaram, porque não tiveram tempo de análise e de discutir com a governança. Pedimos que a assinatura fosse na semana que vem na CBF. Eles queriam que a assinatura fosse feita hoje. Está marcado para quinta que vem na CBF. Vamos assinar desde que tenha tempo de analisar, verificar regras de distribuição – disse o presidente Juarez Moraes e Silva.

– Não dá para assinar se não houver alinhamento na distribuição, nas regras. Temos que definir antes de assinar. São apenas premissas. Não sei se vai dar tempo. É um tema sensível. A tentativa é que até quinta-feira tenhamos alinhado o estatuto. Existe pensamento de visões distintas. Muito dinheiro envolvido e a discussão é sensível. Estamos propondo que tire da agenda nesse momento. Que fechemos o estatuto e deixemos critérios como distribuição de receita para um segundo tempo. Eles indicaram a divisão em 40-30-30. 40% igualitário. Pega o valor total e divide por 20. 30% de performance esportiva. O primeiro ganha mais e assim sucessivamente até o vigésimo. Visibilidade e capacidade de exibição define os outros 30%. Mas nada foi discutido. Agora vamos negociar entre os 40 clubes o estatuto. Analisar e chegar a um consenso. Quanto a distribuição, preferimos discutir depois. Não tivemos tempo de ler o estatuto. Precisamos ler. Recebemos na sexta e não tivemos tempo. Tem que passar pelo jurídico. Depois o grupo se reuniu a parte, para ver os próximos passos. Mas temos que pensar nos 40. Tem diversos investidores interessados, mas é um processo.

Flamengo

– A criação da liga é um sonho antigo dos clubes, que desejam ter maior influência sobre seu próprio destino. A criação da liga foi um grande passo, porque demonstrou a união de grandes clubes, possivelmente os maiores. Além do mais, temos informações de que outros irão se juntar até a próxima semana. A questão comercial é relevante, mas a maior importância estará em poder organizar a competição e tudo que ela envolve, como arbitragem, calendário, etc… Foi um dia muito feliz, e semana que vem teremos mais – disse o vice-presidente Rodrigo Dunshee de Abranches.

Fluminense

O clube não respondeu aos contatos.

Fortaleza

– A reunião não foi aquilo que eu esperava, pois precisamos que o debate seja mais ampliado. Precisamos de um conjunto de ideias que seja de inclusão para todos os clubes, e não algo que pareça imposição. Estamos falando de 40 clubes, e apenas oito assinaram. Isso está longe de representar a vontade da maioria. Esperamos que para uma próxima reunião todos reflitam e deem um passo de união, para que definitivamente a gente consiga sair do papel de um movimento que pode ser um dos principais acontecimentos do nosso futebol – disse o presidente Marcelo Paz.

Goiás

– A posição do Goiás é sempre favorável à criação do liga. Essas sempre foram as palavras do presidente Paulo Rogério Pinheiro. Se ficar definido que eu representarei o Goiás nessa reunião, farei o que for determinado pelo conselho e pela presidência – disse o vice-presidente Harlei Menezes.

Internacional

– Para nós, o ponto fundamental é ter a unidade dos clubes, e isso se conquista dessa forma. Requer conversa, requer análise jurídica, técnica. Estamos fazendo isso. Acreditamos que até quinta-feira que vem, nessa atividade na CBF, a gente possa ter um número expressivo de clubes. E aquilo que seja dúvida de um ou outro, possa estar resolvido. A gente pretende trabalhar para aparar as arestas – disse o presidente Alessandro Barcellos.

Juventude

O clube decidiu não se manifestar sobre o assunto.

Palmeiras

– Hoje é um passo muito importante para o futebol brasileiro. As reuniões são importantes para definirmos nossos objetivos. Hoje, finalmente foi criada nossa liga, que é o futuro do futebol. Tivemos vários clubes aqui, alguns assinaram, outros assinarão até o dia 12. Estou feliz e animada com a união de todos nós. Só assim poderemos reconstruir o futebol brasileiro – disse a presidente Leila Pereira.

Santos

– A liga está fundada. Vai existir uma solenidade na CBF na semana que vem. Quem estava preparado para assinar hoje, assinou hoje. Tem clube que depende de assinatura de Conselhos. Esses assinarão no dia 12. Hoje foi apresentado um estatuto, uma coisa concreta para ser discutida. Os 40 clubes são a favor da criação da liga, agora é aparar as arestas – disse o presidente Andrés Rueda.

São Paulo

– É um dia histórico para o futebol brasileiro. A formação da liga é uma realidade. É normal ter uma divergência ou outra. O que interessa é a maturidade da oportunidade que o futebol brasileiro apresenta na formação de uma liga, na captação dos produtos. Você vai ter um CEO para dirigir as atividades, e aí vai caminhar para a independência dos clubes, algo tão necessário no momento em que o futebol está passando por transição. Cada clube tem sua particularidade de estatuto. Agora é um processo que no dia 12 será entregue de maneira solene para a CBF – disse o presidente Julio Casares.

Cruzeiro

– O Cruzeiro acredita que a profissionalização do Futebol brasileiro passa pela capacidade dos clubes gerirem em conjunto uma Liga, como já acontece mundo afora. Por isso, assinou o documento e fará o melhor possível para que este objetivo seja alcançado. Na nossa visão não existem grupos distintos e sim 40 clubes que querem a criação da Liga. O passo tem que ser dado e entendemos que esse é o momento – disse o clube em posicionamento enviado à reportagem.

Grêmio

– O Grêmio se fez atuante em todas as conversas preliminares que antecederam a reunião preparatória desta terça-feira sobre a liga brasileira de clubes e estaria presente ao encontro de forma remota, porém por problemas técnicos não foi possível efetivar a participação. De posse de todas as informações discutidas no encontro, o Grêmio, agora, irá fazer os debates internos necessários, sempre com o objetivo de defender os interesses do clube – disse o presidente Romildo Bolzan.

Vasco

– Existe um consenso entre os clubes de que a liga é o caminho. Estamos estudando todos os detalhes junto com a 777 Partners para a adesão do Vasco. No dia 12, na CBF, teremos nova reunião com todos os clubes. Acreditamos num grande entendimento em benefício dos clubes e do futebol – disse o presidente Jorge Salgado.

https://netfla.com.br/noticias/otimista-ou-pessimista-veja-como-pensa-cada-clube-sobre-a-formacao-da-liga


A “porta da discórdia”: assessor do Goiás pede desculpas ao Hulk. Rede social é um perigo. Escreveu não leu, pau comeu!

Pode parecer “perfumaria”, um assunto desses na mídia, mas não é. Acusação infundada incomoda muito, sobre qualquer coisa. Camarada errou ao não conferir o fato antes de escrever. Hulk agiu rápido e certo ao denunciar que estava sendo acusado injustamente. Pedido de desculpas públicas feito.

Menos mal.

Vida que segue!

Foto: www.otempo.com.br/superfc

Do Globoesporte.com:

* “Assessor de imprensa do Goiás pede desculpas a Hulk por tê-lo acusado de quebrar porta”

Fernando Lima afirma que “agiu por impulso” e sem consultar a diretoria esmeraldina e que não teve intenção de prejudicar o atacante do Atlético-MG

Nota de retratação pessoal

“Em 30/04/2002, após o jogo entre Goiás Esporte Clube e Clube Atlético Mineiro válido pelo Campeonato Brasileiro 2022, fui informado que alguns dirigentes e atletas do CAM, estavam interpelando a equipe de arbitragem da partida, e que durante esta discussão, a porta de acesso ao vestiário da arbitragem no estádio Hailé Pinheiro (Serrinha) fora danificada. Como de fato foi danificada.

Recebi a imagem do fato narrado acima, corroborada pelas informações de funcionários do Goiás e terceiros que presenciaram o aludido fato e de que teria sido o atleta Givanildo (Hulk) o possível causador de tal dano.

Em grupo privado da imprensa no WhatsApp postei a imagem da porta danificada e fiz um trocadilho associando a força do senhor Givanildo ao ato, sendo que em momento algum tive a intenção de ofender ou prejudicar quem quer que seja. Naquele momento fui tomado pela emoção e me deixei levar por informações trazidas a mim por terceiros e não checadas por minha pessoa.

Saliento que naquele momento agi por impulso, sem consultar os membros da direção do Goiás e sem a devida checagem das imagens das câmeras internas de segurança.

Ressalto que em momento algum o Clube autorizou ou publicou qualquer nota ou imagem do caso em seus canais oficiais.

Peço minhas sinceras desculpas ao Sr. Givanildo (Hulk), ao Clube Atlético Mineiro e ao Goiás Esporte Clube por todo e qualquer transtorno que minha ação impensada tenha causado, assumindo toda responsabilidade pelo lamentável fato”.

Fernando Lima, assessor de imprensa do Goiás

https://ge.globo.com/go/futebol/times/goias/noticia/2022/05/04/assessor-de-imprensa-do-goias-pede-desculpas-a-hulk-por-te-lo-acusado-de-quebrar-porta.ghtml?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_content=Esporte&utm_campaign=globoesportecom


Vitória dá a liderança do grupo ao Atlético. Tecnicamente foi um jogo bem abaixo da expectativa

Em foto do @Atlético, Arana comemora o primeiro gol do jogo.

Pena que um jogo desses, Libertadores, clássico estadual, não tenha tido um público à altura. Ingresso a R$ 300,00, não dá.

Tecnicamente foi um jogo bem abaixo da expectativa. Os dois times correram muito, numa partida truncada, sem belas jogadas, individuais ou coletivas. Mas, tivemos três gols, dois deles graças a falhas. Juninho e Maidana colaboraram para que o Arana fizesse 1 a 0 para o Atlético, aos 13 minutos. O goleiro Everson saiu mal, não conseguir cortar e facilitou para que o zagueiro Conti empatasse para o América, aos 37. Mas, aos 39 minutos, Nacho fez o segundo do Galo. No segundo tempo, Hulk e Zaracho desperdiçaram duas grandes oportunidades para ampliar. O América pressionou muito nos dez minutos finais, sem sucesso.

Com oito pontos, o Atlético assumiu a liderança do grupo. Com apenas um, o América permanece em último. Sábado voltam a se enfrentar, pelo Brasileiro, também no Independência, com mando de campo do Galo.


Crime contra a Serra do Curral: as mineradoras mandam no Brasil desde os tempos da colônia, mas agora com ganância e força avassaladoras

Até hoje empurram com a barriga as vítimas dos crimes mais pesados e recentes, de Mariana e Brumadinho. Compram consciências públicas e privadas; legislativas, executivas, judiciárias, midiáticas e de entidades de classe. Atropelam sem dó quem se atreve a entrar no caminho delas.

Meses atrás, em suas participações no Bom Dia Minas, da Globo, o Chico Pinheiro passou a bater forte e protestar na devastação das montanhas das margens da BR-040 e o estrago que elas promovem impunemente. Tomara que o anúncio da saída dele da emissora, esta semana, tenha sido mera coincidência. Ele inclusive lembrava uma frase muito falada pela juventude dos anos 1970: “Olhem bem as montanhas”.

Pois as mineradoras continuam levando o ouro e o diamante delas, dizendo que é só minério de ferro, como se essas riquezas tivessem se esgotado no alegado “fim do ciclo”, nos séculos XIX e XX. Nos engane; pois gostamos!

Agora partem na cara dura para cima das montanhas que cercam a capital do estado. E se a mobilização da população não for gigante, adeus! Já já os efeitos dessa perversidade serão sentidos diretamente, na pele, por todos. A essa altura já deve ter sujeito até gastando o dinheiro que ganhou para autorizar a exploração da Serra do Curral.

Hoje de manhã, o Junior Moreira comentou com o Eduardo Costa, na “Conversa de Redação”, da Rádio Itatiaia, que nunca viu uma reação tão forte da sociedade em geral, contra a liberação pelo Copam – Conselho Estadual de Política Ambiental -, para que uma mineradora acabe de arrebentar com o que resta da Serra do Curral, quase no centro da capital de Minas Gerais.

É verdade. Menos mal. Alguns minutos depois de ouvir o Moreira, abri o jornal Zero Hora de Porto Alegre e estava lá, na capa:

“Prefeitura de BH vai à Justiça contra aval a mineração na Serra do Curral”

Reportagem a Agência Estado, assinada excelente jornalista, Aline Reskalla, moradora de Belo Horizonte.

* “ESTADÃO CONTEÚDO Aline Reskalla, especial para o Estadão”

A liberação de um projeto de exploração mineral na Serra do Curral, na Grande Belo Horizonte, na madrugada do último sábado, 30, tem motivado a reação de ambientalistas, especialistas e comunidades próximas ao empreendimento. Em apenas dois dias, já são pelo menos quatro ações judiciais contra a votação ocorrida no Conselho de Política Ambiental (Copam), órgão estadual – um dos processos é movido pela prefeitura da capital mineira, que pede a suspensão da licença à Justiça Federal.

O projeto prevê o desmatamento de 41 hectares de vegetação nativa remanescente de Mata Atlântica – o dobro da área construída do Estádio do Mineirão. Desse total, seis hectares estão em uma Área de Preservação Permanente (APP). O processo de exploração, da empresa Tamisa, está previsto para duas etapas: na primeira, espera-se extrair 31 milhões de toneladas de minério de ferro ao longo de 13 anos. Na segunda fase, está prevista a extração de 3 milhões de toneladas de itabirito (um tipo de rocha) friável rico, com dois anos de implementação e nove de operação. A mineradora diz que o empreendimento segue as normas.

BH argumenta que ação foi protocolada no âmbito federal porque o conjunto paisagístico da Serra do Curral é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1960. “A atividade de mineração provocará a alteração do perfil do alinhamento montanhoso objeto do tombamento”, diz.

A prefeitura também argumenta que o Estudo de Impacto Ambiental excluiu da área demarcada o território de Belo Horizonte, apesar de o empreendimento de mineração ficar na área limítrofe entre a capital, Sabará e Nova Lima, sendo a última a única consultada no processo.

O governo ressalta ainda, na ação, que o empreendimento está perto de parques municipais, especialmente o das Mangabeiras, inserido da Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço e vê risco grave ao abastecimento de água da região – o Rio das Velhas, que passa pela região da Grande BH, é um dos principais afluentes do Rio São Francisco. Outras ameaças apontadas pela prefeitura, e também por especialistas, são à fauna e à atmosfera.

Desde março, a prefeitura é ocupada por Fuad Noman, que assumiu o lugar de Alexandre Kalil (PSD), que vai disputar o governo do Estado nas eleições de outubro. O principal adversário de Kalil é o governador Romeu Zema (Novo).

As outras três ações foram protocoladas pela Rede Sustentabilidade, pelo deputado Rafael Martins (PSD) e pelo mestre em Direito Thales Freire. Ele pede que a Justiça suspenda a autorização dada pelo Copam à mineradora e estabeleça multa de R$ 1 milhão caso haja dano ao patrimônio e ao meio ambiente.

Empresa diz que empreendimento é regular

Oito conselheiros do Copam votaram a favor da licença, e quatro se manifestaram contrários. Todos os representantes do governo estadual se posicionaram pela aprovação do projeto. Procurados, o Estado e a mineradora Tamisa não retornaram aos pedidos de esclarecimento do Estadão. A Prefeitura de Nova Lima também foi procurada e ainda não se pronunciou.

Em nota divulgada à imprensa no último sábado, a Tamisa afirmou que o licenciamento foi aprovado “democraticamente” e um grupo organizado de pessoas tentou “inviabilizar a reunião virtual inscrevendo mais de 200 participantes para falar”. “A Tamisa considera que a opinião de um grupo organizado, com interesses pessoais e políticos, que vem divulgando informações distorcidas sobre o projeto, não deve inviabilizar um empreendimento regular, em conformidade com a legislação, que beneficia toda a sociedade”, diz trecho da nota.

Pedido de CPI

Os questionamentos à licença concedida pelo Copam ocorrem também na Assembleia Legislativa de Minas. Na tarde de segunda-feira, 2, a deputada estadual Ana Paula Siqueira (Rede) protocolou um pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a concessão da licença “tendo em vista as circunstâncias que envolvem o projeto e o tempo recorde de análise do processo”.

https://gauchazh.clicrbs.com.br/geral/noticia/2022/05/prefeitura-de-bh-vai-a-justica-contra-aval-a-mineracao-na-serra-do-curral-cl2q8kbcs002y01ghxe9mexg2.html

Fotos de minha autoria


É Libertadores, gente! América x Atlético! Vai ser um jogão; pena que os dirigentes querem as torcidas cada vez mais longe dos estádios

Foto: Hoje em Dia/Pedro Souza/Atlético

O sócio-torcedor do América tem 80% de desconto para comprar até cinco ingressos, para o jogo desta noite no Independência. Hummmm! Boa promoção para os americanos, não é? Ledo engano. O ingresso custa R$ 300,00. Em tempos bicudos como os que vivemos, R$ 60,00 ainda é caro para um cidadão frequentador de estádios de futebol.

Antes, os clubes dependiam das rendas dos jogos para se manterem. Com a chegada da televisão, os direitos de transmissão e patrocínios transformaram os torcedores em acessórios. Se houver torcida no estádio, ótimo, se não houver, ótimo também. Talvez, até prefiram sem “aqueles chatos” nas arquibancadas e cadeiras, cobrando dos dirigentes, xingando os jogadores, arrumando confusão, dando despesas com limpeza, manutenção e essas coisas que todo espaço público precisa quando há grande frequência de pessoas.

Essa é a impressão que os dirigentes passam, em todo o Brasil, de todos os clubes. Além do preço alto, as dificuldades impostas para se adquirir um ingresso são enormes. Pela internet, que funciona mal e não acessível a qualquer mortal; o site de vendas lento, que não funciona, que cai, que não confirma a venda e por aí vai. Venda presencial? Virou raridade. Chegar na bilheteria horas antes da partida e comprar? Esqueça, pois isso não te pertence mais. Até o velho e muito útil cambista, se tornou espécie em extinção. Nas imediações dos estádios, né? Pois agora eles agem em alto nível, nos bastidores, entre os próprios dirigentes das entidades, dos clubes, dos “parceiros” e outros arranjos.

Mas, essa é a realidade, e já que é assim, falemos da partida, que deverá ser muito boa, pelas circunstâncias dos dois times.

Com três empates consecutivos, tomando gols em contra ataques no segundo tempo, o técnico do Atlético vive seu primeiro momento de grande pressão, desde que assumiu o time. Justiça seja feita, Antônio Mohamed reconheceu nas últimas entrevistas que “há algo errado” e que ele mesmo é quem tem que corrigir. Nas entrevistas iniciais, quando chegou a Belo Horizonte, perguntaram a ele sobre aquele estilo tranquilo à beira do gramado, sem se levantar muito do banco de reservas, sem gritar com os jogadores e arbitragem durante as partidas, bem diferente da maioria dos treinadores argentinos. Respondeu que no momento certo, quando fosse preciso, ele mostraria o seu outro estilo. Pois então, parece que chegou a hora, já que a Libertadores e o Brasileiro estão chegando a momentos em que o Atlético não pode cair de produção, muitíssimo pelo contrário.

O América entrou em processo de recuperação com a demissão do Marquinhos Santos e o retorno do Wagner Mancini. Na Libertadores, frustrou a todos ao tomar a virada do Tolima, em casa, o que obriga a partir para o tudo ou nada contra o Galo, logo mais. Mas, no caso americano, não passar à próxima fase não seria tão problemático. Tem que pensar mesmo é em continuar pontuando no Brasileiro. Primeiro, para não ficar entre os últimos; depois, pensando em beliscar vaga para a próxima Libertadores ou Sul-americana.

Os times prováveis:

Atlético: Everson, Mariano, Nathan, Jr Alonso e Arana; Allan, Jair (Vargas), Zaracho e Nacho; Ademir e Hulk.

América: Jailson, Patric, Conti, Éder e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho e Matheusinho (Ramírez); Pedrinho, Felipe Azevedo e Paulinho Bóia.

21h30 no Independência

Transmissão pela TV Alterosa/SBT, além da ESPN e Star+.

Trio de arbitragem argentino e sem VAR: Dario Herrera, apita; auxiliado por Cristian Navarro e Pablo Gonzales.


Futebol raiz em estádio mais ainda, na noite em que o Atlético foi bicampeão mineiro em 1989

No facebook, o gente boa Robson Luiz Ricardo Ricardo nos deu a honra de comentar na postagem Democrata 1 x 0 Varginha, na Arena do Jacaré. Ele é mineiro, jogou futebol, inclusive no nosso Jacaré, depois em Portugal, onde se tornou Diretor Executivo de futebol. Dirige atualmente a Palhinha9 Sports & Duarte Sports , do também mineiro Palhinha, grande meia atacante do Santa Tereza, América, São Paulo e Cruzeiro.

O Robson comentou: “Saudades do Jonas Duarte !”

Possivelmente estava se referindo ao Estádio José Duarte de Paiva, que era o “alçapão” do Democrata, antes da Arena, que foi inaugurada em janeiro de 2006. Coincidentemente, publiquei foto de um dia histórico no saudoso estádio, sexta-feira, em minha coluna no jornal Sete Dias, na seção Ecos do Passado:

“O Democrata estreia em casa no Campeonato Mineiro neste sábado, às 15h30, na Arena do Jacaré, um dos maiores estádios de Minas Gerais. Porém, antes, sua casa era o lendário Estádio José Duarte de Paiva, na rua do mesmo nome, quase no centro de Sete Lagoas (hoje, Supermercado Bretas). Esta foto foi numa quarta-feira de um jogo contra o Atlético, em 1989, dia em que o Galo sagrou-se bicampeão mineiro.”

O Duarte de Paiva por outros ângulos e em dias de grandes momentos:

No jogo de recebimento das faixas de campeão da segunda divisão, 3 a 0 sobre o Cruzeiro em amistoso. Da esquerda para a direita Pedro da Padaria, Álvaro da Costa (JA Imóveis), presidente Geraldo Negocinho, Saúva, Edson Vampiro, Misael, Prego, Baiano, Souza, Careca e o técnico Arizona. Chico Maia (na época repórter da Rádio Capital), Supervisor Carmelito, Astolfo, Rogério Bomba, Rubão, Diney, Edu e o massagista Zé da Pomba.

Todos os anos, como aqui, nos anos 1990, o jornal SETE DIAS registrava funcionários do Democrata dando a famosa “caiada” nas arquibancadas do estádio José Duarte de Paiva, nos retoques finais para a estreia do Democrata no Campeonato Mineiro.

A bola rolava e o massagista, colaborador e ex-jogador do Democrata, Trossol, ficava de prontidão ao lado do banco de reservas do Jacaré, no Duarte de Paiva, vendido em 2003 para a construção da Arena do Jacaré.

O Atlético enfrentou o Democrata, lá, em 1995, com este time: Taffarel (que tinha sido tetra-campeão na Copa de 1994), Paulo Roberto Costa, Gutemberg, Luiz Eduardo, Ademir e Paulo Roberto Prestes; Euller, Reinaldo Rosa, Darci, Kanela e Eder Lopes.

Da esquerda para a direita: Lêla, Eduardo, Zé Maria, João Carlos, Amaury e Geraldo; Ratinho, Arturzinho, Pedrinho, Wesley e Daniel.

Dos arquivos do SETE DIAS, este é o Democrata que ficou em 10º lugar no Campeonato Mineiro/Taça Minas de 1993, que teve 23 participantes. O América foi o Campeão, Atlético vice, Cruzeiro 3º e Democrata-GV em 4º. O técnico, que também ainda jogava, era o Diney Nascimento. Neste time destacou-se o zagueiro João Carlos, que foi negociado com o Cruzeiro. Depois ele foi para o Corinthians, seleção brasileira, com quem foi Campeão da Copa América em 1999, no Paraguai, e depois foi jogar no Cerezo Osaka e Gamba Ozaka, no Japão.

O estádio ficava na rua do mesmo nome, José Duarte de Paiva, imigrante português, um dos pioneiros do desenvolvimento de Sete Lagoas no início do Século XX, comerciante, que doou o terreno para a construção do “campo do Democrata”, para o Hospital Nossa Senhora das Graças e para a instalação da fábrica de tecidos Cedro e Cachoeira, dentre outras coisas. Bisavô do atual presidente do clube, Renato Paiva.


Empate com o Goiás não é o fim do mundo, mas não dá pra culpar a umidade relativa do ar, de Goiânia, não é?

Mais um empate do Atlético, que incomoda muito nessa briga pela manutenção do título brasileiro, mas não culpo o treinador. A única justificativa que não aceito é aquela manjada, de que a “umidade do ar de Goiânia” é complicada; que os jogadores estão cansados e essas coisas. Conversa pra boi dormir. De todas as críticas que vejo ao Antônio Mohamed, a única que para mim tem uma certa razão é a não aposta total no Ademir. Um jogador acima da média, que pelo fato de ter chegado a este grupo de jogadores por último, merece mais apoio, para ganhar confiança e aumentar seu rendimento. Deveria ganhar a certeza da condição de titular e só ser substituído se estiver com algum problema físico ou machucado.

Mesmo com os tropeços o time está na briga pelas primeiras posições, dividindo o segundo lugar com o Bragantino, com oito pontos, um a menos que o líder Corinthians, que tem o mesmo número de jogos, quatro.

Aqui no blog os comentaristas se dividem, no aumento da pressão e na paciência com o treinador:

* Clóvis Mineiro

“Realmente, o Turco é discípulo de Sampaolli. Muito fraco defensivamente, não segura placar. A diferença entre o Turco e Cuca, é que: Cuca pegou um time em formação, diante dos fracassos pediu um tempo e arrumou o time, fazia muitos gols levava poucos; já o Turco está acabando com um time que achou pronto. Os números ainda são bons devido ao fraco Campeonato Mineiro, mas vem jogando um futebol fraco sempre no segundo tempo e sem muitas perspectivas.”

 

* Luiz Souza

“Galo perde dois pontos. Time fraco esse do Goiás!
O Atlético perde um caminhão de gols e que depois poderão fazer muita falta.
Infelizmente não atravessamos uma boa fase. Ainda dá tempo de corrigir, mas precisa acertar a casa urgentemente.“


No Brasileiro, América passou bem pelo paranaense, agora é o Atlético pela Libertadores

@America

O nível de dificuldade deste começo de Brasileiro 2022 pode ter a situação do América como exemplo. Ao vencer o Athletico-PR, sábado, começou a quinta rodada em sexto lugar. Com os resultados do domingo, foi para nono. Vitória fundamental, que evitou as últimas colocações e gerou confiança ao grupo.

Gol do colombiano Índio Ramirez, aos 29 do segundo tempo. Jogador que tem feito por onde merecer oportunidade como titular. Costuma prender muito a bola, defeito a ser corrigido, mas dribla e tem velocidade. Bom jogador.

Nesta terça-feira, tem o Galo pela frente, pela Libertadores, 21h30, no Independência.


Foi uma vitória animadora para as pretensões do Cruzeiro na Série B. Importante ficar atento ao artilheiro Edu, que está chamando a atenção

Foto: @Cruzeiro

Ganhar da Chapecoense lá é sempre difícil em qualquer situação. Do jeito que foi na quinta rodada, com muita chuva, mais ainda. E o time foi bem, mandou na partida o tempo todo.

Disputava vaga entre os quatro primeiros diretamente com o dono da casa e deu conta. Com 10 pontos, terceiro lugar, apesar da mesma pontuação do Grêmio e Bahia, líder e vice-líder, com os mesmos cinco jogos. A Chape está em quarto, com oito, mesma pontuação de Ituano e Sport. Ponte Preta e Vasco, sete. Na nona posição começa a chatice dos asteriscos: o Náutico tem seis pontos, porém, um jogo a menos.

O atacante Edu é o grande destaque do time, e vem chamando a atenção de outros clubes. O que valeu um alerta do Luiz Ibirité, comentarista do blog:

“Caro Chico q o Cruzeiro esteja atento aos bastidores e segure o Edu até o final deste campeonato, o “homi” cheira a Gol de longe e como está posição no nosso futebol tá carente q a diretoria já tenha as cartas necessárias na manga.”


Página 5 de 1.260« Primeira...34567...102030...Última »