Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

Feijão sem bicho

O futebol mineiro normalmente se dá bem quando aposta nas suas categorias de base. Diego Renan, que marcou o segundo e belo gol do Cruzeiro contra o Santo André, está no clube há cinco anos, apesar de ter apenas 19 de idade.

E é fruto da garimpagem que a Raposa faz pelo país, pois ele é pernambucano, nascido na cidade de Surubim, no dia 26 de janeiro de 1990. Mede 1,71 de altura, começou como volante, foi transformado em lateral, com atuação tanto na direita quanto na esquerda.

O Atlético tem, hoje, nada menos que 18 jogadores das categorias de base servindo ao profissional.


Celso Roth reabilitado

Atleticanos que antes não gostavam da idéia de ver o Celso Roth no comando do time têm dado a mão à palmatória. O Renato César escreveu o seguinte sobre o atual momento do Galo: 

“E o jeito Kalil está dando certo. O grupo de jogadores, além de ter sido bem montado, está feliz. É bom ver jogadores se empenhando tanto dentro e fora de campo. Há quanto tempo não víamos jogadores de alto nível se identificando tanto assim com a Massa?! Há quanto tempo não víamos jogadores escolhendo o Galo para fazerem carreira?
   Acho que antes de jogadores como Júnior e Tardelli, os últimos que vimos por aqui foram Marques e Taffarel.
   E no jeito Kalil, também temos que destacar a coragem dele em escolher e bancar o Celso Roth. A rejeição a este nome era enorme por aqui (eu mesmo achei que não era a melhor escolha) e a Massa sempre gostou muito do Leão, que só veio porque o Celso Roth preferiu não sair do Grêmio. Mas logo que isto aconteceu, no primeiro vexame o Kalil já dispensou Leão e correu para buscar o Celso. Os resultados têm demonstrado que ele estava certo e nós (eu e todos que criticaram) errados…”


Uma cambada

Figuras como José Sarney emporcalham a imagem da política brasileira, e ainda tem a defesa intransigente do presidente Lula. Isso dá munição para charges da melhor qualidade, como essa do Duke, hoje no jornal O Tempo

Figuras como José Sarney emporcalham a imagem da política brasileira, e ainda tem a defesa intransigente do presidente Lula. Isso dá munição para charges da melhor qualidade, como essa do Duke, hoje no jornal O Tempo


Polícia do Rio diz que Romário apanhou

Deu no jornal Folha de SP, de hoje:

“Devido a dívidas vinculadas a uma pirâmide, esquema financeiro clandestino, Romário foi espancado semanas atrás por um credor, segundo investigação da Delegacia de Defraudações do Estado do Rio. O ex-jogador seria o fiador do negócio. Como muitos dos participantes tiveram prejuízos, Romário teria sido ameaçado de morte. A polícia apura a extensão do esquema. Romário depôs ontem e negou envolvimento em qualquer pirâmide.”


O jeito Kalil de montar time

O jornalista Marcelo Bechler Machado tenta explicar, em seu blog, a fórmula de Alexandre Kalil para montar o time que é líder do campeonato brasileiro:

 “Alexandre Kalil costuma dizer que, quando assumiu, não tinha time nem técnico. Falta dizer que não tinha dinheiro também. Até onde se sabe, Ziza Valadares havia solicitado o adiantamento da cota da TV referente a 2009 para pagar os compromissos de 2008. O que Kalil fez? Deu um jeito.

Um jeito para contratar o caro Emerson Leão e depois o vice-campeão brasileiro de 2008, Celso Roth.

Kalil fez uma super manobra e trouxe Diego Tardelli sem custos. Assim como Júnior, Carlos Alberto, Renan, Alessandro, Jonilson, Alex Bruno, além de Thiago Feltri e Éder Luís. Enfim, o time inteiro.

Na semana em que a contratação de Rentearia parecia certa pelo Cruzeiro, Alexandre Kalil deu um jeito e fechou com o atacante, considerado inviável financeiramente para o rival.

Como pode o Atlético, único time da Série A sem patrocínio, com a cota da TV gasta há quase um ano, acertar a contratação de um jogador cobiçado pelo rival – que acaba de vender Ramires por 7,5 milhões de Euros, faturar mais de dois milhões de reais com a renda da final da Libertadores, fora o acerto com a TV e o patrocinador master recém-chegado?

A única possibilidade é dando um jeito. Kalil ainda não se pronunciou sobre como fez para contratar Renteria, mas o certo é que audácia não faltou. Talvez vendo o Corinthians se despedaçando, o Inter que não se encontra, o Palmeiras sem técnico e São Paulo e Cruzeiro longes da disputa, o presidente sinta que o título pode ser uma realidade, especialmente se reforçar mais o elenco.

Quando o Cruzeiro desistiu do atacante e se cogitou em “outro grande”, pensou-se no substituto de Keirrison no Palmeiras. Com Kalil, quando se falar em clube grande, é preciso lembrar do Atlético.” 

Leia mais em www.blogdemarcelomachado.blogspot.com


Cruzeiro e Fluminense na história

CRUZEIRO X FLUMINENSE

RESUMO ESTATÍSTICO
TOTAL DE JOGOS: 58
Vitórias do Cruzeiro: 18
Empates: 15
Vitórias do Fluminense: 25
TOTAL DE GOLS: 174
Gols do Cruzeiro: 80
Gols do Fluminense: 94

 

CAMPEONATO BRASILEIRO
Cruzeiro e Fluminense se enfrentaram 35 vezes pelo Campeonato Brasileiro. Foram 11 vitórias do Cruzeiro, 12 empates e 12 derrotas. O Cruzeiro marcou 47 gols e o Fluminense 51.

Primeiro confronto pelo Campeonato Brasileiro

11/9/1971 – Cruzeiro 1 a 0 (no Maracanã, no Rio de Janeiro)

Recordes do Campeonato Brasileiro:

– Maior número de pontos ganhos (100) – Brasileirão 2003.

– Maior número de vitórias (31) – Brasileirão 2003.

 

PRIMEIRO JOGO
11/6/1941 – Fluminense 4 a 2 (amistoso no Rio de Janeiro).

 

ÚLTIMO JOGO
9/11/2008 – Cruzeiro 1 a 0 (no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro).

 

MAIORES RESULTADOS
7/12/2003 – Cruzeiro 5 a 2 (no Mineirão, em Belo Horizonte, pelo Camp. Brasileiro)

7/9/2005 – Fluminense 6 a 2 (no Mineirão, em Belo Horizonte, pelo Camp. Brasileiro)

 

O CONFRONTO NO MARACANÃ
Foram 20 confrontos disputados no Maracanã com seis vitórias do Cruzeiro, sete empates e sete vitórias do Fluminense. O ataque cruzeirense marcou 23 gols e a defesa sofreu 26.

 

FINALISTAS DO CAMPEONATO BRASILEIRO
Cruzeiro e Fluminense já foram finalistas do Campeonato Brasileiro. Na Taça de Prata de 1970 (a competição passou a homologar, naquele ano, o título de “Campeão Brasileiro” ao seu vencedor, substituindo a Taça Brasil) ambos disputaram a final em turno único com Palmeiras e Atlético-MG. Na 2a rodada, o Fluminense venceu por 1 a 0, em 16 de dezembro de 1970, no Mineirão, com gol de Mickey e sagrou-se campeão brasileiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Cruzeiro


Classificação depois da 13a rodada

 

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

%

Atlético 28 13 8 4 1 27 13 14 72%
Palmeiras 25 13 7 4 2 23 14 9 64%
Internacional 24 13 7 3 3 21 15 6 62%
Corinthians 23 13 7 2 4 20 17 3 59%
Barueri 22 13 5 7 1 29 18 11 56%
Vitória 21 13 6 3 4 22 15 7 54%
Goiás 20 13 5 5 3 24 18 6 51%
Grêmio 18 13 5 3 5 20 14 6 46%
Santos 17 13 4 5 4 25 26 -1 44%
10º Santo André 17 13 4 5 4 16 18 -2 44%
11º Flamengo 17 13 4 5 4 18 21 -3 44%
12º Avaí 16 13 4 4 5 16 18 -2 41%
13º Coritiba 15 13 4 3 6 18 21 -3 38%
14º São Paulo 15 13 3 6 4 15 16 -1 38%
15º Cruzeiro 13 12 4 1 7 12 19 -7 36%
16º Sport 12 13 3 3 7 19 22 -3 31%
17º Atlético-PR 12 13 3 3 7 13 23 -10 31%
18º Botafogo 12 12 2 6 4 16 20 -4 33%
19º Fluminense 10 13 2 4 7 12 23 -11 26%
20º Náutico 10 13 2 4 7 13 28 -15 26%

Liderança mantida na raça

Depois de um 0 x 0 morno no primeiro tempo, o segundo foi um sufoco danado no fim do jogo. Perdendo por 2 x 0, o Fluminense resolveu buscar o empate. Mas o Atlético teve postura diferente do jogo contra o Botafogo. Uma raça impressionante!

Precisando vencer, e se não dava para passar pela fechada defesa tricolor na troca de passes, o time dobrou a correria e conseguiu um gol chorado através do Serginho. Com isso o Renato Gaúcho teve que abrir a sua equipe, e nos contra-ataques o Galo chegou ao segundo gol, através do Tardelli..

Empurrado pela torcida quis fazer mais gols e continuou jogando aberto, proporcionando ao Fluminense fazer o seu gol. Aí foi um sufoco! Com a pressão tricolor, o goleiro Aranha se desdobrou, e foi eleito o melhor jogador em campo pela Rádio Itatiaia e pela CBN/Globo.


Papo com leitor do jornal O Tempo

O Mauricio Costa Reis Ribeiro, de  Coronel Fabricianom escreveu-me:

“Prezado Jornalista Chico Maia,
 
Em sua coluna menciona uma brincadeira do comentarista Lélio Gustavo, em novembro de 2006, no programa “Rede TV”, que magoou o jogador Wagner, do Cruzeiro, que o processou por danos morais, ganhando em primeira instância o comentarista, mas perdendo após recurso do jogador, e que agora chegaram a um acordo, antes de o Lélio recorrer a Brasília.
 
Como foi essa brincadeira, e como foi o acordo?
 
Aguardo e agradeço por sua informação.”

Respondi a ele:

Caro Maurício,

o Lélio lembrou da frase do Levir Culpi, que chamou o Ramon Menezes de “QI de alface”, referindo-se ao Wagner. O acordo foi o Lélio reconhecer publicamente que exagerou ao se referir a ele dessa maneira, e assim foi feito.

Abraço,

Chico Maia


Avaliação do potencial do Atlético

Gosto da posição do técnico Celso Roth, que só promete muito trabalho e seriedade dele, e dos jogadores, nessa trajetória do Atlético. Não demonstra nenhuma empolgação ou deslumbramento porque sabe que o futebol exige atenção e dedicação 24 horas.

A torcida atleticana é famosa por se entusiasmar demais antes da hora e sofrer decepções históricas, por isso, todo cuidado é pouco e muita paciência. Para mim o time está na média dos principais clubes brasileiros, com um elenco que é a conta do chá, problema que a diretoria tenta resolver com aquisições, como essa do Renteria ontem.

Celso Roth apostou e encontrou uma dupla de zaga prata da casa que está afinada, como há tempos não se via uma dessas no Atlético: Welton e Werley, desprezados por Emerson Leão. Hoje joga Alex Bruno no lugar do Werley, suspenso. 

* Há quem diga que falta um zagueiro experiente para compor o setor, como o leitor Bráulio Giovanni, de João Monlevade. Sinceramente não sei. Ele inclusive sugere nomes como Cláudio Caçapa, Lima ou o paraguaio Cáceres.

É, um Caçapa seria bom para compor.

Sugere também meias-atacantes como Rodrigo Tábata e ou Marcinho “que está aí de férias’. 

* O Ramon, de Santa Bárbara, pergunta: “O Atlético tem condições de ser campeão brasileiro?”

E arremata: “ele precisa fazer seis pontos dentro de casa, contra o Fluminense, e domingo contra o Goiás.”

É muito cedo para falar em título, porém, caso vença hoje e domingo, vai mostrar que está habilitado verdadeiramente a brigar na cabeça. É uma questão psicológica, pois ganharia moral e confiança no próprio taco. Se não repetir a decepção do jogo contra o Botafogo nessas duas próximas partidas, passarei a confiar mais. 

* Sobre os concorrentes que estão brigando pela liderança atualmente, gosto da opinião do Renato César, de Bh, que tem inclusive um blog: http://rcgalo.blogspot.com/

Diz ele: “Ao que tudo indica, os gaúchos (do Inter) estão demonstrando que perderam força para seguir na luta, e uma provável mudança de técnico deverá acontecer lá nas próximas rodadas. O Palmeiras vinha embalado com o Jorginho, mas o Muricy vai começar lá semana que vem, o que pode significar um período de adaptação do elenco e perda de pontos. Já o Barueri é franco atirador, o que vier é lucro.

Hoje deveremos ter novamente um público acima de 50.000 pagantes…

A hora é de aproveitar o embalo da Massa, disparar na ponta e acumular mais gordura.”


Página 993 de 1.016« Primeira...102030...991992993994995...1.0001.010...Última »