Blog do Chico Maia

Acompanhe o Chico

A relação custo/benefício dos três principais treinadores de Minas III: Jorge Sampaoli em novo aprendizado, no Brasil e em Minas

Sampaoli em foto do Bruno Cantini/Agência Galo

O Atlético é o terceiro clube da prateleira de cima, do primeiro mundo do futebol, na vida de Jorge Sampaoli. Começou em clubes bem pequenos no interior da Argentina: Alumni de Casilda, Belgrano de Arequito, Argentino de Rosario, Alumni de Casilda, Belgrano de Arequito, Aprendices Casildenses, Argentino de Rosario e Alumni de Casilda. Depois no futebol do Peru: Juan Aurich, Sport Boys, Coronel Bolognesi e Sporting Cristal. Uma passada pelo Equador, onde comandou o Emelec e depois foi para o Chile. Lá começou ganhar visibilidade maior na América do Sul dirigindo o O’Higgins e Universidad de Chile, de onde foi para a seleção chilena, conquistando o primeiro grande título do país, a Copa América 2015, sediada por eles. Trocou a seleção pelo Sevilla, de lá para a Argentina para a disputa da Copa da Rússia 2018, em que foi mal. Aí veio a experiência brasileira, ano passado, vice-campeão com o Santos e este ano no Galo.

Estudioso do futebol adepto de treinos técnicos e táticos até a exaustão. Segue a máxima do Telê Santana, de que a repetição das jogadas e de fundamentos nos treinos, resulta em gols e vitórias nos jogos. Seu maior inspirador na carreira é o patrício Marcelo Bielsa, que assim também como Telê, é adepto do futebol ofensivo, custe o que custar. E tal como estes dois grandes treinadores, Sampaoli tem dificuldades com o sistema defensivo. Seus times marcam muitos gols, mas também tomam muitos. No dia em que não marca, perde e empata jogos inacreditáveis.

A disciplina rígida imposta por ele no dia a dia e o seu grau de exigência dos jogadores costuma lhe causar problemas. Na seleção argentina, quebrou a cara, ao não conseguir estabelecer diálogo com os principais jogadores. Quase caiu durante a Copa, por pressão de Lionel Messi, Agüero, Mascherano e Lucas Biglia. Eu estava no estádio de São Petesburgo, bem perto do banco argentino, no jogo de vida ou morte contra a Nigéria e, junto com centenas de colegas jornalistas, o vi chamando Messi para trocar ideias sobre substituições.Logo depois da Copa, caiu.

No Atlético não dá papo para ninguém que não seja da sua comissão técnica, mas o trabalho dele é excelente. Cometeu um grande erro: como não acreditava nos estragos que essa praga de Covid-19 é capaz de fazer, não era rigoroso nos cuidados básicos, como o isolamento social e o uso de máscara, por exemplo. Nem exigia dos seus comandados. Este erro provocou uma avalanche de casos no grupo, desfalcando o time (dele inclusive) em vários jogos. Isso está custando caro, ao ponto de o time ser obrigado a vencer o São Paulo esta noite, para ficar há um ponto de diferença do líder. Justamente contra o time que adotou todos os rigores contra a Covid-19 e não teve nenhum caso positivo em seu elenco. Ponto para o técnico Fernando Diniz, que assim como o próprio Sampaoli é tarado pelo futebol ofensivo e também toma gols demais. Parece que aprendeu a equilibrar ataque e defesa, por isso deu essa arrancada que o levou à liderança do Campeonato.

Jorge Sampaoli custa muito caro ao Galo, mas caso o clube consiga segurá-lo, certamente seu trabalho apresentará resultados mais positivos em 2021. Ele é inteligente, desses que aprendem com os próprios erros. Está aprendendo a lidar com o futebol brasileiro e a convivência com os mineiros está lhe mostrando que é preciso conversar mais, mesmo que seja ao pé de ouvido. Em 2021 ele vai trabalhar com Sérgio Batista Coelho, um presidente que é especialista em dialogar, comerciante de sucesso que é. Sabe ouvir, sabe a hora certa e sabe o que falar com cada interlocutor.


A relação custo/benefício dos três principais treinadores de Minas II: Lisca alça voo no América

A primeira vez que o trabalho do Lisca despertou a atenção foi no Brasileiro de 2018, quando ele dirigia o Ceará e fez um jogo memorável contra o Grêmio, em Porto Alegre. Na época escrevi aqui no blog: “A intensidade de um jogo das 11 horas de um domingo no fim de setembro me fez parar diante da TV para ver de quem se tratava. Era jogo do Brasileiro, mas parecia do inglês ou espanhol. O time de camisa branca dava um sufoco danado no listrado de preto e azul. Uai, Grêmio? Sim, e em casa, tomando sufoco do Ceará. Jogaço, vitória gremista, de virada, 3 a 2. A partir daí passei a prestar mais atenção ao trabalho do Lisca “Doido”, que tirou o Ceará da penúltima colocação do campeonato, venceu o Flamengo no Maracanã, Corínthians  e está quase conseguindo tirar o time do rebaixamento.

Era treinador do juvenil do Internacional, quando o Mano Menezes comandava o júnior. O técnico do Cruzeiro e Abel Braga, são os dois colegas de profissão mais admirados por ele…”

Posteriormente escrevi sobre outras vezes, inclusive em dois de fevereiro deste ano, quando foi anunciado pelo América: “… Lisca foi uma boa aquisição e pode fazer um grande trabalho em Minas. Sempre foi ousado, apesar de se inspirar em treinadores de estilo “conservador”, como o Abel e Mano….

… Naquele mesmo 2018 ele foi eleito o segundo melhor treinador do Brasileirão, na verdade em terceiro, já que Felipão e Renato Gaúcho empataram em primeiro) com 12,2% dos votos de 106 jogadores da Série A entrevistados pelo portal Uol. Scolari e Renato tiveram 19,8%. Mano Menezes e Odair Hellmann ficaram atrás do Lisca, com 7,5%. Em seguida, Cuca, Dorival Júnior e Tiago Nunes 4,7%, Abel Braga 3,7%, Alberto Valentim e Fábio Carille 2,8%, Tite e Thiago Larghi 1,8%, lembram dele?…”

Pois é! O tempo passou e Lisca só cresceu como treinador, cujo trabalho está sendo coroado nesta ótima campanha do Coelho, com chances gigantes de se classificar para a Série A 2021.

O América é o time mineiro que mais dá prazer ver jogar, elogiado pela imprensa de todo o Brasil. Cheio de opções ofensivas, jogadas trabalhadas, futebol solidário em sintonia quase perfeita entre os sistemas defensivo e ofensivo. Mostra disciplina técnica e tática, o que demonstra que o treinador tem o controle do grupo, apesar de ainda não ser um medalhão nacional ou mundial, como os colegas dele em Belo Horizonte.

Enquanto Felipão está iniciando o fim da trajetória como treinador e Sampaoli estabilizado, já no auge; Lisca é o ascendente que mais evolui, com sustentabilidade, diferente de tantos outros que passaram feito um cometa ou se revelaram “foguetes molhados”, mesmo tendo oportunidades em clubes da Série A e muito mais endinheirados que o América.

Além do mais, é desses que conversa, troca ideias com quem pode acrescentar alguma coisa ao trabalho dele e do clube, sem estrelismos, se arrogância.

Não tenho dúvidas em dizer que o comandante americano é o de melhor relação custo/benefício atualmente mp futebol brasileiro. Em Minas, nem se fala!


A relação custo/benefício dos três principais treinadores de Minas I: Felipão paga seus pecados no Cruzeiro

Felipão em foto do Gustavo Aleixo/Cruzeiro

Alguns cruzeirenses contestaram a escalação e substituições feitas pelo técnicoLuiz  Felipe Scolari no 1 a 1 com o CSA. O americano Ed Diogo, comentou aqui no blog: “Felipão é um treinador aposentado em atividade. Mas a culpa não é dele, pois foram tirá-lo do seu conforto e ofereceram muita grana multa alta então aquenta”.

O atleticano Pedro Vitor também questiona o comandante azul: “O que Felipe Scolari tem de diferente dos demais técnicos que passaram na Toca da raposa em seu final de carreira, é sorte e um reforço a mais, fora isso, nada fará o time subir, muito pelo contrário, a expectativa é que se enrole ainda mais no ano de 2021.”

Discordo de todos. Felipão continua sendo o mesmo treinador eficiente de sempre, com seus erros mais acertos, o que o mantém entre os melhores do país. O que ocorre é que o material humano que ele tem para trabalhar é fraco, dentro das limitações e necessidades que o Cruzeiro enfrenta. A principal virtude de Felipão sempre foi a de motivar seus jogadores e unir o grupo, criando ambiente favorável para um futebol solidário e vencedor. Ao aceitar o desafio para assumir o Cruzeiro, sabia que o elenco era fraco e que o clube estava proibido pela FIFA de inscrever novos contratados. Sem falar na falta de dinheiro para tal. Mesmo assim, com o choque de motivação que sua chegada representou, conseguiu resultados expressivos, cumprindo a primeira missão, que era afastar o Cruzeiro de um rebaixamento à Serie C. Por meio de empates e “goleadas” de 1 a 0 ele tirou água de pedra e, parece, saiu do risco do que seria a tragédia maior na vida da Raposa.

Jogar com três volantes, apostar em um ou outro lance de oportunismo para marcar gols, é a única alternativa segura que ele tem. Com o fim da proibição de novas inscrições pela FIFA ele conseguiu incorporar Rafael Sóbis ao elenco. Se empenhou pessoalmente nisso e convenceu o jogador a fazer um acordo de dívida com o Cruzeiro e retornar à Belo Horizonte. Nessa draga em que a Raposa se encontra, foi um ganho extraordinário para o time: cinco gols salvadores em partidas disputadas. Se já não rende mais o necessário em um grande clube da Série A, na B, Sóbis deita e rola e está sendo utilíssimo ao Cruzeiro.

Enfim, Scolari foi um achado e está cumprindo a missão para a qual foi contratado. Sem falar no aspecto institucional. Com ele no banco ou à beira do gramado o respeito do adversário ou da arbitragem é outro. O América que o diga, naquela derrota no clássico, que teve a participação direta do apitador paraense Dewson Fernando Freitas da Silva.


Cruzeiro continua fraco ofensivamente e fica em mais um empate em casa

Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Quando se imagina que o time vai engrenar ele empaca, como esta noite, de novo contra o CSA. Começou perdendo, Rafael Sobis empatou e o goleiro Fábio foi o melhor em campo novamente. Em quatro twittadas de jornalistas que conhecem do assunto e do momento azul, o resumo do jogo e da marcação de passo do Cruzeiro na Série B:

* Thiago Reis, da Itatiaia: @thiagoreisbh “O filme se repete há 10 anos e quase 1000 jogos. O Fábio salva o Cruzeiro da derrota. Dois milagres aqui no Indepa. Escolhido o melhor em campo na @radioitatiaia

Ainda sim Empate péssimo para o Cruzeiro… #Snsb

* Alexandre Simões, do Hoje em Dia: @oalexsimoes “… O Cruzeiro tem o elenco mais caro da Série B. O futebol é de muito baixo nível. Eu achava que jogava para não perder. Tenho a certeza de que não sabe é jogar para vencer.

O Cruzeiro do Felipão é o mesmo de Enderson ou Ney, com um pouco mais de sorte. Postura lamentável num dia em que empatar era perder. Tenho muitas dúvidas em relação ao projeto, pois o treinador não me convence de que não tem conceitos ultrapassados sobre futebol”.

* Paulo Galvão, do Estado de Minas: @paulogalvaobh “Resultado decepcionante para a torcida do Cruzeiro. Não vai cair, como os rivais gostariam, mas não vai subir, como os celestes tanto desejam.”

***

Antes do jogo a diretoria do CSA homenageou ao técnico Luiz Felipe Scolari:

Foto: twitter.com/CSAoficial

“Nação, antes da partida de hoje, nós fizemos uma homenagem para um Azulino de coração. Ao Felipão que foi nosso ex-atleta e técnico”.

A classificação:

P J V E D GP GC SG
1 Chapecoense 57 28 16 9 3 32 12 20
2 América-MG 53 28 15 8 5 30 18 12
3 Cuiabá 47 29 13 8 8 35 29 6
4 Juventude 46 29 12 10 7 42 29 13
5 Sampaio Corrêa 45 29 13 6 10 41 29 12
6 CSA 45 29 13 6 10 39 29 10
7 Avaí 43 29 13 4 12 32 37 -5
8 Guarani 40 28 11 7 10 34 33 1
9 Ponte Preta 40 28 11 7 10 34 37 -3
10 Cruzeiro 39 29 12 9 8 34 26 8
11 Confiança-SE 39 28 10 9 9 32 34 -2
12 Vitória 36 29 8 12 9 37 32 5
13 Brasil de Pelotas 36 28 8 12 8 26 26 0
14 Operário 35 28 8 11 9 24 26 -2
15 CRB 34 28 9 7 12 30 36 -6
16 Figueirense 31 28 7 10 11 21 27 -6
17 Paraná 29 28 7 8 13 27 39 -12
18 Náutico 28 28 6 10 12 25 35 -10
19 Botafogo-SP 24 28 6 6 16 17 29 -12
20 Oeste 16 29 3 7 19 20 49 -29

E lá se foi o comentarista Orlando Duarte

Era gente boa toda vida. Muito gentil, simples e prosa agradável. Que descanse em paz. Desde 2018 sofria do Mal de Alzheimer. Mais detalhes no jornal Hoje em Dia:

* “Morre jornalista Orlando Duarte, aos 88 anos, vítima de Covid-19”

Faleceu nesta terça-feira (15) o jornalista e comentarista esportivo Orlando Duarte, vítima de complicações do novo coronavírus (Covid-19). Ele tinha 88 anos e estava internado há três semanas em um hospital de São Paulo. Orlando nasceu em 18 de fevereiro de 1932 na cidade paulista de Rancharia, a cerca de 530 quilômetros da capital do estado. Esteve na cobertura jornalística de 14 Copas do Mundo e dez edições de Olimpíadas. Trabalhou nas TVs Globo, Band, Gazeta, SBT e Cultura e nas rádios Bandeirantes, Gazeta, Trianon e Jovem Pan, passando pela Rádio Nacional em 2014, onde comentou o Mundial disputado no Brasil.

Ele também escreveu mais de 30 livros sobre esportes, ganhando o apelido de “eclético”. Entre as principais obras, estão as que publicou a respeito do Rei Pelé, das histórias olímpicas e das Copas e do chamado Trio de Ferro da capital paulista: São Paulo, Corinthians e Palmeiras. Os clubes relembraram os livros em postagens no Twitter lamentando o falecimento do comentarista, que desde 2018 sofria do Mal de Alzheimer.

Como torcedor, era fã da Portuguesa e do Vasco. Em 1963, Orlando chegou a dirigir a Lusa em um amistoso durante uma excursão à Alemanha, em substituição ao então técnico Otto Glória, que estava doente. Também em postagem no Twitter, o clube paulista manifestou pesar pelo falecimento do jornalista, que estava afastado da crônica esportiva desde 2012.

https://www.hojeemdia.com.br/esportes/mais-esportes/morre-jornalista-orlando-duarte-aos-88-anos-v%C3%ADtima-de-covid-19-1.816254


Chegou a hora do vamos ver: Atlético de novo na briga. Mas tem que fazer a parte dele, dentro e fora de campo

Em foto do twitter.com/Corinthians, a arrancada fulminante de Otero, que marcou o belíssimo gol da vitória corintiana.

Coisa mais estranha, torcer para Corinthians, mas era “tu ou tu mesmo”, né? E deu certo, para evitar que o São Paulo disparasse. Vitória que ajudou também ao Flamengo, que volta ao páreo.

Porém, vamos ver se Sampaoli e cia., farão o que se espera deles ou se vão entregar a rapadura novamente, especialmente para times muito inferiores como fizeram contra Botafogo, Fortaleza, Sport e etecetera.

Fora das quatro linhas a atenção precisa ser redobrada, como bem lembrou o Cândido Henrique, do jornal O Tempo, sobre a derrota do São Paulo hoje e o jogo de quarta-feira contra o Galo: @candidoh “Raphael Clauss que expulsou Borrero contra o Ceará está segurando os cartões no jogo de hj. Comportamento que não condiz com a forma como apita os jogos. Detalhe: SP tem 10 pendurados

Wilton Pereira Sampaio, o mesmo árbitro que o Flamengo reclamou contra o São Paulo, apitará um dos jogos mais importantes do ano em 2020: Atlético x São Paulo. Não tem que ser honesto. Tem que mostrar que é honesto.”

A classificação:

P P J V E D GP
1 São Paulo 50 25 14 8 3 42 21 21
2 Atlético-MG 46 25 14 4 7 44 31 13
3 Flamengo 45 24 13 6 5 42 32 10
4 Palmeiras 41 24 11 8 5 36 23 13
5 Internacional 41 25 11 8 6 37 25 12
6 Grêmio 41 24 10 11 3 32 20 12
7 Fluminense 40 25 11 7 7 35 27 8
8 Santos 38 25 10 8 7 37 33 4
9 Corinthians 33 25 8 9 8 26 29 -3
10 Ceará 32 25 8 8 9 35 36 -1
11 Bragantino 31 25 7 10 8 31 29 2
12 Atlético-GO 31 25 7 10 8 22 29 -7
13 Fortaleza 30 25 7 9 9 24 23 1
14 Athletico 28 25 8 4 13 20 28 -8
15 Sport 28 25 8 4 13 22 34 -12
16 Bahia 28 25 8 4 13 29 42 -13
17 Vasco 25 24 6 7 11 25 36 -11
18 Coritiba 21 25 5 6 14 20 33 -13
19 Goiás 20 25 4 8 13 25 40 -15
20 Botafogo 20 25 3 11 11 23 36 -13

Paolo Rossi: que pena a sua morte e que honra foi participar do livro e documentário sobre este nosso algoz na Espanha/1982

Paolo Rossi, com o nosso amigo comum, Michelangelo Deodato e o filho Domênico 

A morte do Paolo Rossi pegou todo mundo de surpresa e teve grande repercussão no Brasil. Apesar de ter sido o “carrasco” da seleção de Telê Santana em 1982, era querido por aqui, por causa do respeito que sempre demonstrou pelo futebol brasileiro e o carinho demonstrado com o Brasil em todas as entrevistas que concedia depois daquele jogo em Barcelona na Copa da Espanha.

Nunca entrevistei Paolo Rossi, mas tive a honra de escrever um capítulo do livro da história dele, “1982 Il Mio Mitico Mondiale (O Meu Mítico Mundial)”, a convite da esposa, Federica Cappelletti, autora da obra, em 2012. Um amigo comum, o também italiano Michelangelo Deodato, foi a ponte para essa minha participação.

O livro foi um sucesso na Itália e em 2018 fui honrado novamente, com outro convite. Como demorei responder a mensagem do produtor Ivo Romagnoli, a própria esposa do artilheiro me escreveu: gravar vídeo para documentário sobre Rossi: “Ciao Chico, come stai?

Sono Federica, moglie di Paolo Rossi. So che ti ha scritto Ivo, produttore del documentario su Paolo. Sei ancora dell’idea di fare un video con la tua intervista su 1982 e Paolo

Tutto bene? Puoi rispondermi?

*
Federica gentile,
mille scuse. Io sono disponibile.
Grande abbraccio,
*
Perfetto. Allora sento Ivo, il produttore e ti dico come si può fare. Ok?

*
Ok!
Ho risposto oggi a Ivo.
Mille scuse nuovamente.
Io sono a vostra disposizione

*
Nessun problema
Nel videomessaggio puoi dire le cose che hai scritto per il libro di Paolo. Ricordi? Come il Brasile ha vissuto la sconfitta del 1982, come hanno vissuto Paolo Rossi, come da quel giorno è cambiato il modo di giocare dei brasiliani. Tutto quello che hai scritto per il nostro libro, Paolo Rossi, Il Mio Mitico Mondiale. In più, Ivo ti manderà altre due domande alle quali rispondere. Tu dovrai fare un video e parlare. Ok? Comunque ti faccio mandare mail anche da Ivo. Grazie

*

Ok, grazie! Piacere!

*
Grazie a te

*
Em português:

Olá Chico, como está?

Sou Federica, esposa de Paolo Rossi. Eu sei que Ivo, produtor do documentário sobre Paolo, escreveu para você. Você ainda pensa em fazer um vídeo com sua entrevista sobre 1982 e Paolo

Está bem? Você pode me responder?

*

Olá Federica,

mil desculpas. Eu estou disponível.

Grande abraço,

*

Perfeito. Então eu direi ao Ivo, o produtor, e eu digo-lhe como fazê-lo. Ok?

*

Ok!

Eu respondi ao Ivo hoje.

Mil desculpas de novo.

Estou à sua disposição.

*

Nenhum problema.

Na mensagem de vídeo você pode dizer as coisas que escreveu para o livro de Paulo. Lembra? Como o Brasil viveu a derrota de 1982, como Paolo Rossi experimentou, como os brasileiros mudaram a forma de jogar desde aquele dia. Tudo o que escreveu para nosso livro, “Paolo Rossi, Meu Mundo Mítico”. Além disso, Ivo enviará mais duas perguntas para responder. Você vai ter que fazer um vídeo e falar. Ok? De qualquer forma, vou enviar um e-mail para Ivo também. Obrigado

*

Ok, obrigado! Prazer!

*

Obrigado a você

*

Alguns dias depois, Paolo Rossi esteve no Brasil, e por telefone, me agradeceu e convidou para um jantar no Rio, com Zico, de quem era amigo, e onde reuniria amigos brasileiros, ex-jogadores e jornalistas. Infelizmente não deu para ir, mas ficou a gratidão pela gentileza do convite e a simpatia dessa figura da história do futebol mundial.

Zico, Andrea Cappelletti (irmão de Federica) e Paolo Rossi

Esta semana, eu estava em Corumbau/Bahia, quando vi na TV a notícia da morte dele, 64 anos, vítima de câncer no pulmão. Uma pena!

Enviei mensagem à Federica, ao Ivo, produtor do documentário e ao Michelangelo, que nos entrosou em 2012. Triste demais. Federica foi a primeira a retornar agradecendo.

Aqui a minha postagem no blog no dia 17 de maio de 2012 falando sobre o livro na época e o capítulo que escrevi:

http://blog.chicomaia.com.br/2012/05/17/honra-em-participar-do-livro-do-paolo-rossi-nosso-carrasco-de-1982/


Comoção em toda a Itália no enterro de Paolo Rossi

Obrigado ao amigo Michelangelo Deodato que nos enviou reportagens dos principais veículos de imprensa da Itália, com detalhes do velório e sepultamento de Paolo Rossi, ontem. Ele nos enviou também fotos da visita do agora saudoso atacante ao Brasil em 2018, como esta, no Maracanã.

Com o cunhado Andrea Cappelletti (centro) e Arnaldo César Coelho, que apitou a final da Copa da Espanha em 1982, e a vitória da Itália sobre a Alemanha por 3 a 1, gols do Paolo Rossi, Altobelli e Tardelli. Para os alemães, marcou Breitner.

Filho mais velho de Paolo Rossi fez a última saudação, em nome da família.

Reportagem do Corriere Dello Sport:

Paolo Rossi, l’ultimo saluto: feretro sulle spalle dei campioni dell’82

Al Duomo di Vicenza i funerali del “Pablito” Nazionale: tra i presenti i compagni del titolo mondiale dell’82 ed anche il presidente Gravina

(mais…)


América vai pavimentando o caminho do retorno à Série A

Mais uma vitória fora de casa, com personalidade. Calyson, o autor do gol da vitória sobre o Paraná foi também eleito pela torcida americana, nas redes sociais, como o melhor em campo com 52,6%. Seguido por Messias 20,9%, Ademir 20,9% e Anderson 5,6%.

A classificação:

    P J V E D GP GC
1 Chapecoense 57 28 16 9 3 32 12 20
2 América-MG 53 28 15 8 5 30 18 12
3 Juventude 46 28 12 10 6 42 28 14
4 Sampaio Corrêa 45 28 13 6 9 41 28 13
5 CSA 44 28 13 5 10 38 28 10
6 Cuiabá 44 28 12 8 8 33 29 4
7 Avaí 40 28 12 4 12 31 37 -6
8 Guarani 40 27 11 7 9 33 30 3
9 Ponte Preta 40 28 11 7 10 34 37 -3
10 Confiança-SE 39 28 10 9 9 32 34 -2
11 Cruzeiro 38 28 12 8 8 33 25 8
12 Operário 35 28 8 11 9 24 26 -2
13 CRB 34 28 9 7 12 30 36 -6
14 Vitória 33 28 7 12 9 36 32 4
15 Brasil de Pelotas 33 27 7 12 8 23 25 -2
16 Figueirense 31 28 7 10 11 21 27 -6
17 Paraná 29 28 7 8 13 27 39 -12
18 Náutico 27 27 6 9 12 24 34 -10
19 Botafogo-SP 23 27 6 5 16 16 28 -12
20 Oeste 16 28 3 7 18 20 47 -27

 


Cruzeiro em luto oficial de três dias pela morte de Biagio Peluso, vice-presidente, em decorrência da Covid-19

Biagio Peluso em foto/divulgação do Cruzeiro

Nossos sentimentos à família. Notícia do SuperFC:

* “Segundo vice-presidente do Cruzeiro morre em decorrência da Covid-19”

Biagio Teodoro Peluso, 71, faleceu na manhã deste domingo (13) e clube celeste decretou luto oficial por três dias

Em publicação nas redes sociais na manhã deste domingo (13), o presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, comunicou e lamentou o falecimento do 2º vice-presidente do clube celeste, Biagio Teodoro Peluso. O dirigente tinha 71 anos e faleceu em decorrência de complicações da Covid-19. O clube decretou luto oficial por três dias em todas as suas sedes, com as bandeiras hasteadas a meio mastro. “Com imensa tristeza comunicamos que faleceu hoje nosso querido Vice-Presidente Biaggio Peluso. Nossa homenagem a toda família que tem enormes serviços prestados ao Cruzeiro e especialmente o Biaggio, homem de bem que havia sido Vice-Presidente anteriormente e topou o desafio de voltar no momento mais difícil da história do nosso clube. Fica nosso abraço a toda família e a nação Cruzeirense pela perda irreparável”, disse o presidente da Raposa. “Peço a todos que coloquem ele e a família em suas orações. Vá em paz, amigo”, completou.

Administrador de empresas, Biagio Teodoro Peluso foi vice-presidente do Cruzeiro de 2006 a 2011. Em 2020, ele assumiu a diretoria executiva em junho, ao lado do presidente Sérgio Santos Rodrigues e do 1º vice-presidente, Lidson Potsch.

https://www.otempo.com.br/superfc/cruzeiro/segundo-vice-presidente-do-cruzeiro-morre-em-decorrencia-da-covid-19-1.2424368


Página 21 de 1.193« Primeira...10...1920212223...304050...Última »